História Nicest Thing - Capítulo 44


Escrita por: ~ e ~LikaPeluso

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Debrah, Jade, Kentin, Leigh, Lysandre, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Violette
Tags Amor Doce, Castiel
Exibições 277
Palavras 2.441
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Pessoas!
(Está demorando muito para postar, Joyce! Vocês duas não tem vergonha não?)
Foi mal pela demora para postar mais uma vez, gente, sei que está demorando. Mas vamos dar uma acelerada aqui e postar mais um capítulo ainda nesta semana.

Enjoy :3

Capítulo 44 - São os hormônios


Fanfic / Fanfiction Nicest Thing - Capítulo 44 - São os hormônios

Normalmente os primeiros segundos depois que você acorda é o momento em que a sua mente está completamente vazia. Depois desse pequeno período de tempo vem os pensamentos, como “Que horas são?”, “Estou atrasado!”, “Vou dormir mais um pouco”, “Tenho que levantar para trabalhar”, “Que sonho foi esse?”, dentre outras milhares de coisas que as pessoas pensam quando acordam. 

Quando Lysandre acordou depois do despertador ter tocado pela décima vez, ele teve esses poucos segundos livre de pensamentos antes de sua mente ser invadida por milhares de coisas. Tem uma coisa muito curiosa nisso. Nos últimos dias, ou melhor, meses, o primeiro pensamento de Lysandre era sempre o mesmo. “Rosa...”, foi a primeira coisa que ele pensou naquele dia antes de abrir os olhos.

Ele se espreguiçou e se sentou na cama, depois pegou o celular na mão e se assustou. “Nunca precisei do despertador para acordar, sempre acordei antes...”, ele pensou enquanto bocejava, ainda com sono mesmo tendo passado da hora de acordar. “Não devia ter tomado aquele chá... Sim, com certeza ele é o culpado”, pensou enquanto ficava de pé.

Lysandre caminhou para o banheiro sem pressa e fez sua higiene matinal. Percebeu que não tinha nenhum sinal de seus amigos no corredor, então pensou que eles deveriam estar dormindo. Enquanto isso, Castiel e Dressert estavam na cozinha. Ela estava terminando de preparar o café da manhã enquanto ele a observava atentamente sentado na cadeira e com o cotovelo direito apoiado na mesa da cozinha, seu queixo estava apoiado em sua mão e a única coisa que se mexia nele eram seus olhos que a seguiam para onde ela fosse.

“Ela está cozinhando... Só está cozinhando...”, Castiel pensou enquanto seus pés se mexiam sem parar em baixo da mesa. “Então... Por que me sinto tão ansioso?”, ele continuava a olhar para ela em silêncio. 

- Está tudo bem? Você está muito quieto... É por que acordou muito cedo? – Ela perguntou olhando rapidamente para ele e depois voltando a atenção para a finalização do preparo do café da manhã. 

- Sei lá... – Ele respondeu sem muita empolgação na voz, estava gastando todas as suas energias matinais para tentar descobrir o que o deixava tão intrigado ao vê-la apenas cozinhar – Engraçado, eu podia fazer isso por horas...

- Fazer o que? – Dressert perguntou começando a colocar as coisas na mesa. 

- Sei lá... – Castiel respondeu ainda sem muita empolgação – Me sinto estranho vendo você cozinhar... Parece algo... Nostálgico...

- Eu faço você lembrar da sua mãe? – Dressert perguntou tentando entender o que se passava na cabeça do namorado.

- De jeito nenhum você me faz lembrar da minha mãe, está louca? – Castiel franziu um pouco a testa parecendo estar confuso – Mas, eu sei lá... Parece ser algo do tipo...

- Está bem... Bom... Vamos comer... – Dressert se sentou à mesa de frente para Castiel ainda estranhando as coisas sem muito sentido que ele disse.

Castiel começou a comer o que Dressert preparou devagar. “Isso é bom... Muito bom...”, ele pensou enquanto apreciava o café da manhã que tinha pão, ovos mexidos, queijo, iogurte, suco, café e salada de frutas. Ele olhou rapidamente para Dressert se servindo de suco e pensou “Que sensação estranha... Nós dois tomando café, assim, juntos... Parando para pensar, parece até que nós somos...”. Ele parou de comer tentando evitar completar esse pensamento estranho e quase engasgou quando foi engolir em seco.

- Você está bem? Está pálido... – Dressert olhou para Castiel preocupada.

- Estou bem, só... Estava pensando no Lysandre... – Ele respondeu tentando disfarçar. 

- O que tem eu? – Lysandre disse aparecendo de repente na cozinha fazendo Castiel quase se engasgar mais uma vez. 

- Eu... Estava preocupado por você não ter acordado ainda, só isso... – Castiel pensou rápido para responder.

- Está bem, ahm... Bom dia para vocês... – Lysandre disse estranhando a preocupação de Castiel. Ele não era muito de demonstrar que se preocupa desse jeito, tão escancarado. 

- Bom dia, Lysandre... – Dressert disse com um sorriso.

- Bom dia... – Castiel disse seco.

- Bom dia... – Lysandre disse mais uma vez puxando a cadeira para se sentar.

- Bom dia... – Dressert disse mais uma vez também, porém era por que não sabia o que falar já que queria muito perguntar sobre o que conversaram enquanto ele dormia.

- Bom dia, Dressert... – Lysandre se sentou à mesa agora achando estranho o comportamento de Dressert. 

- Por que estão repetindo o bom dia? Já está bom de bom dia por hoje, se quiserem que eu responda bom “alguma coisa” me perguntem de tarde que talvez eu responda... – Castiel estava do mesmo jeito que Dressert, mas ao invés de demonstrar que algo o incomoda, ele resolveu se camuflar fazendo o que ele fazia de melhor: ser grosso com as pessoas.

- Eu estava olhando vocês tomando café juntos assim e sabem o que vocês parecem? – Lysandre perguntou animado.

- Parecemos duas pessoas tomando café da manhã juntas e nada mais... – Castiel disse fazendo Lysandre se desanimar um pouco com o que estava pensando. 

- Eu ia dizer que vocês parecem bem e que fico feliz por terem se reconciliado depois da briga de ontem, eu fiquei preocupado... – Lysandre disse dando de ombros – O que achou que eu ia dizer? – Lysandre perguntou vendo Castiel jogar um olhar ameaçador para ele – Certo, vamos tomar café... – Lysandre riu sem graça. 

Eles ficaram em silêncio por alguns instantes.

- A Rosalya foi embora muito tarde ontem? – Dressert perguntou vendo Lysandre dar um pequeno pulo da cadeira ao escutar “Rosalya”.

- N-Não muito tarde... – Lysandre respondeu sem conseguir disfarçar seu incômodo. 

- Por que você gaguejou? – Castiel perguntou cruzando os braços. Lysandre sempre se sentia mais pressionado só de Castiel simplesmente cruzar os braços e Castiel sabia disso.

- E-eu n-não gaguejei... – Lysandre respondeu gaguejando mais.

- I-isso é ga-ga-ga-gaguejar... – Castiel disse imitando o jeito que Lysandre estava falando, inclusive a sua voz.

- Sa-sabe de uma coisa estranha? Eu sonhei que estava conversando com o Slash e a Amy Lee... – Lysandre tentou mudar de assunto, mas viu Castiel descruzar os braços, tomar um gole de suco e depois cruzar os braços de novo sem tirar os olhos desconfiados dele.

- Para de me olhar assim... – Lysandre disse para Castiel. 

- Assim como? – Castiel perguntou estreitando os olhos. 

- Como se eu tivesse feito algo suspeito... – Lysandre sentia uma gota de suor escorrendo pela sua testa.

- Mas você parece ter feito algo suspeito... – Castiel viu a gota de suor escorrendo pela testa de Lysandre – Por que está suando tanto? Nem está tão quente assim...

- Por que está me enchendo de perguntas? – Lysandre estava inquieto, cada vez mais nervoso com as perguntas de Castiel e a cara que ele fazia para ele.

- Só fiz perguntas normais, mas se está te incomodando eu posso parar... – Castiel parou de olhar tão fixamente para Lysandre e olhou para Dressert – Você se divertiu com a Rosalya ontem? – Castiel perguntou para Dressert vendo Lysandre dar mais um pequeno pulo da cadeira quando escutou ele falar o nome Rosalya. Ele voltou a olhar para Lysandre com um sorriso maldoso nos lábios.

- P-por que está me olhando assim? – Lysandre perguntou assustado com Castiel. 

- ... – Castiel ficou em silêncio apenas olhando Lysandre o encarando como se estivesse se sentindo desafiado - ... ROSALYA! – Castiel gritou fazendo Lysandre se levantar com tudo da cadeira.

- Você me assustou, seu idiota! – Lysandre disse batendo as duas mãos na mesa.

- Eu só gritei “Rosalya”, você que está agindo de uma maneira estranha toda vez que escuta o nome dela... – Castiel riu sarcasticamente tomando mais um gole de suco. 

- O que você quer? – Lysandre estava nervoso, coisa que não se via muito, era muito raro.

- Quero que pare de frescura e desembuche logo. Eu sei que você está escondendo alguma coisa e tem haver com a Rosalya... – Castiel viu Lysandre se segurar para não fazer nenhum movimento estranho quando escutou o nome Rosalya mais uma vez. 

- Como você consegue fazer essas coisas? Eu te odeio! – Lysandre disse enquanto se sentava novamente um pouco emburrado – Está bem, eu vou falar...

Castiel apenas piscou para Dressert que olhava assustada para ele sem saber como ele tinha conseguido fazer o Lysandre falar.

No dia anterior

- Nossa, eu estou exausta... – Rosalya disse jogando algumas sacolas no chão e depois se sentando ao lado de Lysandre no sofá – Por que vocês dois estão tão quietos? O Castiel está com uma cara de funeral... – Rosalya perguntou olhando para os dois.

- N-não é nada... – Lysandre respondeu se remexendo no sofá.

- Isso foi suspeito... – Rosalya sabia que Lysandre estava mentindo.

- Eu vou levar essas sacolas para o meu quarto... – Dressert disse quase chegando na escada.

- Eu te ajudo... – Castiel se levantou rapidamente do sofá e caminhou até ela.

Os dois subiram as escadas enquanto Rosalya cruzou os braços e começou a bater o pé enquanto esperava Lysandre começar a falar. 

- Olha, tudo o que eu posso dizer é que eu achei o diário da Dressert no quarto dela e o Castiel leu... – Lysandre falou de uma vez só. 

- O que estava fazendo no quarto dela? – Rosalya perguntou chocada.

- É uma longa história... – Lysandre ia tentar explicar, mas eles começaram a ouvir a voz da Dressert vindo do andar de cima.

- Você sente muito? Acha que me dizer isso vai mudar alguma coisa? Tem ideia de quantas vezes eu já escutei essa frase? Nós estávamos bem, eu estava bem. Não foi você que me disse para deixar o passado para trás? Você não faz ideia do quanto eu estou me sentindo envergonhada agora e... Você ainda age pelas minhas costas como se eu fosse alguma maluca do mesmo jeito que a minha mãe fazia! – Lysandre e Rosalya acabaram escutando essa parte da conversa.

- Quer um chá? – Lysandre perguntou para Rosalya, ambos estavam preocupados com a briga dos dois, mas não podiam interferir. 

- Sim, vamos para a cozinha, é melhor... 

Rosalya se sentou enquanto Lysandre foi preparar o chá.

- Nossa, eu estava mesmo precisando descansar um pouco... – Rosalya disse praticamente se esparramando na cadeira. 

- Seu corpo está trabalhando bastante por causa do bebê, é normal que esteja muito cansada. Tome cuidado, não se esforce tanto... – Lysandre disse olhando para Rosalya rapidamente e depois voltando a preparar o chá. Ele sorriu gentilmente fazendo Rosalya sentir suas bochechas queimando um pouco.

- Não estou me esforçando muito, só fui fazer compras... – Ela disse um pouco sem jeito.

- Como te conheço, sei que entrou em todas as lojas de roupas e olhou todas as peças... – Lysandre disse concentrado no chá. 

- Você me conhece bem, Lysandre... – Rosalya ficou em silêncio depois disso, ela olhava Lysandre de costas e vários pensamentos vinham em sua cabeça. 

- Se quiser pode ficar aqui, eu durmo na sala. Se bem que... As coisas estão um pouco estranhas aqui, esse clima de briga do Castiel e da Dressert pode deixá-la estressada, você deve estar mais sensível e essas coisas podem fazer mal para você... 

Rosalya mal escutou o que o Lysandre disse.

- Sabe, Lys-fofo... Tem vezes que eu fico feliz em estar grávida, mas tem vezes que não... Eu estou tão confusa... – Rosalya acabou chamando a atenção de Lysandre que se virou e começou a olhar para ela – Tem dias que eu estou muito feliz e tem outros que eu só quero chorar...

- Mas o que te deixa feliz e o que te deixa triste? – Lysandre perguntou.

- Eu não sei dizer, talvez os hormônios... – Ela disse rindo – Mas, esses sentimentos me preocupam...

- Eu acho que você não deveria se preocupar tanto com isso. Você está passando por uma mudança, então é normal que fique ansiosa, nervosa, triste, feliz... Em breve as suas inseguranças vão diminuir e as coisas vão se acertar. Você também pode contar comigo, eu vou estar com você sempre. Isso não vai mudar... – Lysandre sorriu mais uma vez para ela e depois virou de costas mais uma vez para desligar o fogão e terminar de preparar o chá. Ele não conseguiu perceber que Rosalya se levantou e se aproximou dele, só percebeu quando ela o abraçou forte pelas costas. 

- Rosa... – Lysandre sentiu seu coração disparar. Ele foi tentando virar de frente para ela devagar e quando conseguiu ela estava de cabeça baixa – O que foi? São os hormônios?

Rosalya apenas riu baixo. Ela levantou o rosto devagar para olhar para ele, seus olhos transbordando lágrimas.

- Rosa, eu...

Rosalya quase precisou subir na ponta dos pés para dar um selinho em Lysandre. Ele ficou imóvel, seu cérebro pareceu ter ficado com uma espécie de bug. Ela olhou para ele por alguns segundos antes de dizer “Desculpe...” e sair da casa com pressa. Ela nem sequer levou as coisas que tinha comprado com Dressert no shopping.

Lysandre sentou no chão, ali mesmo. Não conseguiu ir atrás dela, na verdade, não conseguia nem pensar. Apenas ficou ali por um tempo até seu cérebro voltar a raciocinar aos poucos. Depois de conseguir levantar, ele caminhou um pouco desorientado pela cozinha. Terminou e tomou o chá, depois foi até seu quarto, encostou a porta e se deitou na cama como sempre fazia, mas com a expressão de quem tinha visto um fantasma. “O que está acontecendo?”, pensou fechando os olhos para tentar se obrigar a dormir antes que começasse a pensar besteiras.

Agora

- Só isso? – Castiel perguntou irritado.

- Só isso? – Lysandre perguntou parecendo querer dar uma chance para Castiel mudar sua pergunta. Não conseguia acreditar que seu amigo estava fazendo pouco caso de seu grande problema.

- Ela está sensível e te deu um selinho, foi isso o que aconteceu... – Castiel disse tranquilamente.

- Castiel! – Dressert tentou repreendê-lo.

- Está tudo bem, Dressert. Obrigado por me ajudar... – Ele disse ironicamente para Castiel antes de se levantar da mesa com pressa. 

- Lysandre, você tem problemas maiores do que um selinho idiota, você fala dormindo, sabia? – Castiel sabia que estava provocando o amigo e esse era o objetivo. Deixar o Lysandre bravo com ele faria ele tirar um pouco a Rosalya da cabeça e não ficar sofrendo por estar confuso.

- Castiel... – Lysandre respirou fundo antes de continuar – Volte para a meretriz que te deu a luz! – E saiu pisando forte indo em direção às escadas.

Dressert olhou para Castiel um pouco confusa.

- Você é mesmo muito inocente, Dressert... – Castiel disse rindo – Esse é o estilo Lysandre de me mandar para a puta que pariu... – Castiel parou de rir, se serviu de mais um pouco de suco e tomou um gole antes de dizer – Que gay...


Notas Finais


Continua no próximo episódio :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...