História Night Fall ( A noite cai ) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki
Tags Diabolik Lovers, Drama, Lemon, Romance, Sobrenatural, Yaoi
Visualizações 74
Palavras 6.009
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente me desculpem pela demora pra postar esse capítulo, eu tive alguns imprevistos.
Mas está aí, espero que gostem , e para aqueles que gostaram do capítulo anterior , PREPAREM SEUS CORAÇÕES ❤^u^

Capítulo 2 - Somente meu


Fanfic / Fanfiction Night Fall ( A noite cai ) - Capítulo 2 - Somente meu

SUBARU

Acordei, logo pela manhã e abri meus olhos, vendo o Ruivinho deitado , com a lingua de fora, me olhando. 

Tão sexy...

Mordi meu lábio e ele se virou coçando os olhos, tossindo em seguida.

 - ainda está com febre?...

 Coloquei a mão em sua testa vendo a temperatura dele. Ainda estava quente.

 Suspirei, levantando-me da cama, pegando uma roupa.

 - não sai daí, vou tomar banho... 

 Avisei entrando no banheiro, tirando minha roupa. 

 *KAMY

Nem ouvi o que ele disse, estava tonto, com frio e com fome, então levantei-me indo até a parede,perto da porta do banheiro , me sentando no chão apoiado nela. 

 - subaru...

 Chamei ardiloso com uma voz tênue, ouvindo ele responder de dentro.

 Subaru - que é?...

 - eu... Não me sinto...bem... 

subaru - você estava bem há um minuto atrás. Como não se sente bem?

 - não sei... Foi... Do nada...

 Apoiei minha cabeça na parede,vendo um menino de cabelos ruivos entrar, me olhando confuso e se aproximando em seguida.

Subaru - apenas fique ai...

 Ouvi subaru dizer e o menino me olhou sorrindo. 

 - sabia que tinha alguma coisa errada. 

 Ele disse segurando meu rosto, e eu deu um tapa em sua mão . 

 - quem... É você?... 

Ele respondeu em um sussurro : "Laito sakamaki " 

 Coloquei as mãos no rosto espirrando e ele me pegou, me sentando em seu braço direito.

 - Suba- 

 Tentei chamar mas senti a mão dele sobre minha boca, ainda vendo seu sorriso perverso sobre mim, sumindo comigo daquele quarto, e logo estávamos em um outro. 

Soltei-me dele com raiva, tentando descer de seu colo, mas ele  sengurou-me com firmeza, sentando comigo na cama .

 - me solta... 

 Pedi o afastando de mim , com as mãos em seu peito e os braços esticados. 

 Laito - não tenha medo de mim...só quero provar um pouco do seu corpo, Ruivinho... 

 Ele segurou meus pulsos, me deitando na cama, ficando por cima. 

Adentrou a mão em minha blusa, passando sobre meu abdômen bem devagar, levantando ela e mordendo o lábio. Puxei meus braços tentando me soltar, todavia estava um pouco acabrunhado.

Laito - o conteúdo é bom... Parece que meu café da manhã hoje vai ser gostoso... 

 Ele disse aproximando o rosto de meu peito,e eu comecei a me debater. 

Laito - não,não, não... Xiuu... Quietinho... 

- vai se foder...

 Sussurrei e ele apertou meus pulsos,mordendo perto de meu mamilo.

 - hm...

 Gemi baixinho com uma carinha de dor, sentindo ele tomar meu sangue, e minha visão começou a escurecer. Gemi novamente sentindo ele morder mais embaixo e agora com a visão de um breu, adormeci sem forças. 

 * SUBARU 

 Estava desesperado, correndo pelo meio da casa inteira , procurando meu Ruivinho idiota. 

 Eu disse pra ele não sair do quarto, mas era como falar com uma parede de concreto. 

 Comecei a abrir as portas dos quartos, e a primeira foi a de Kanato, que estava na cama lendo livro. Como não havia ninguém lá fui pro outros, abrindo a porta do quarto do shu , não vendo nem meu Ruivinho , e nem o loirinho preguiçoso. 

Entrei no quarto procurando por cada centímetro dele e suspirei pôs não tinha ninguém.

 Fui pro quarto do Ayato, vendo ele me olhar confuso. 

 Ayato - o que foi?... Você está muito estranho ultimamente. 

 - cala a boca ... 

 Sai do quarto sentindo ele me seguir.

 - para de me seguir...

 Ayato - por que ? Está me escondendo alguma coisa?

 - só para ! 

 Mandei dessa vez ficando estressado e ouvi o celular dele parando no caminho.

 - é nosso pai?

Ayato - não... É o Laito... Ele disse que estava escondendo uma pessoa de nós... Um menino de olhos e cabelos vermelhos...- 

 Corri para o quarto do Laito e Ayato me seguiu 

Ayato - ei! 

 Entrei no quarto vendo o Laiobservava  o sangue da coxa do meu Ruivinho, alisando a outra.

 Ele estava muito pálido e desacordado.

 - larga ele! 

 Exclamei irritado, puxando o Laito e lhe dando um soco. 

 - fica longe dele! Entendeu??!! Longe!!

 Me sentei na cama pegando Kamy no colo, ajeitando sua calça e coloquei a mão em sua testa.

 E merda! Ele estava pegando fogo...

 Fechei meu punho com raiva e olhei o Laito , que sorria, enquanto Ayato olhava o Ruivinho no meu colo. 

 Laito - o sangue dele é tão bom... E que corpo...

 - CALA A BOCA!! 

 Deitei Kamy na cama indo até o Laito, segurando sua gola com força e ele se assustou um pouco com minha reação.

 - eu não quero nenhum de vocês encostando um dedo nele... Ta me ouvindo Laito? Ele é MEU! 

 Laito - Subaru o que deu em você!!? 

 Ele se soltou e Ayato observava estupefato  e com raiva. 

Laito - ele é só um humano ! É comida!! Você não tem que cuidar de um humano como ele! Claro que ... Ele é muito raro... Mas ele não é um vampiro! Não vai durar pra sempre e ele só vai atrapalhar! 

 - EU MANDEI VOCÊ CALAR A POHA DESSA BOCA!!

 Ayato - CHEGA, SUBARU! 

 - eu ODEIO, que mexam no que eu meu... Da próxima vai ser mais que um murro! 

 Respondi estressado e peguei Kamy no colo olhando a porta, observando Kanato por uns segundos. Após isso retirei-me do quarto , voltando para o meu.

 Entrei e deitei ele na cama com cuidado.

 Eu estava preocupado ... Nunca mais tinha me preocupado tanto com alguém. 

Alisei o cabelo dele devagar e com raiva, depois tirei rapidamente minha mão, suspirando e cobrindo ele, sentando ao lado.

[ ... ] 

 Uma hora depois, acordei deitado ao lado dele, abrindo meus olhos e vendo que ele tinha acordado.

 - ei, coisa chata... 

 Olhei ele sério 

 - você só me dá trabalho...eu falei para ficar no quarto! Por que não me obedeceu?

 Vi ele espirrar com uma carinha de dor colocando a mão por cima da mordida do Laito. 

 Respirei fundo me levantando, pegando ele nos braços e levando para o banheiro.

 Coloquei ele dentro da banheira, levando minha mão até sua blusa pra tirá-lá, sentindo a mão dele me empurrar levemente. 

 - você está febril... Precisa de um banho gelado...

 Tirei a mão dele , começando a tirar sua roupa, terminando e ele baixou a cabeça completamente envergonhado.

 Olhei seu rosto mas não resisti, descendo meu olhar por seu corpo, que por sinal... Era gostoso pra caralho, e isso me deixava louco.

 Tinha que me segurar por que ele estava doente, o que me deixou mais estressado; liguei a banheira,levando meu dedo indicador até seu queixo o fazendo levantar a cabeça e olhar meus olhos.

 Aproximei meu rosto devagar e o beijei lentamente, invadindo sua boca com a lingua e começando explorar a boca dele, interlaçando nossas línguas em um beijo quente e demorado, descendo minha outra mão por seu corpo devagar. 

 Separei o beijo, ao sentir a falta de ar e mordi o lábio dele levemente, o puxando. 

 - meu ruivinho gostoso... 

 Sussurrei lambendo seus lábios. 

 - só meu... 

 Peguei a esponja e o sabonete ouvindo ele tossir um pouco enquanto o lavava. 

 Minutos depois terminei e ele estava se tremendo de frio.

 Peguei ele nos braços, colocando o mesmo no chão e enrolando a toalha em sua cintura. sai do banheiro , sentando ele na cama e fui vesti-lo, percebendo o mesmo soluçar.

 Talvez a água estivesse gelada demais.

 Terminei de vestir ele e o mesmo pegou o cobertor, se enrolando com frio.

 - você ta péssimo... 

 Sentei-me ao lado, apoiando minhas costas na parede e peguei ele em meu colo, olhando ele tossir e esconder o rosto em mim , se encolhendo. 

Lembrei-me que ele ainda não havia tomado café da manhã então levantei com ele , saindo de meu quarto e descendo as escadas. 

Como meus irmãos já estavam sabendo, não havia sentido o esconder. Só me restava esperar que eles não contassem ao nosso pai.

 Entrei na cozinha sentando Kamy na cadeira ajeitando seu cobertor;  fui fazer o café dele, que depois de feito coloquei na bandeja , sentando ao lado, o virando pra mim e levando a colher até sua boca, dando comida a ele. 

 Terminei de dar a comida e comi também, o pegando novamente e voltando para o quarto, me deitando com ele na cama.

Ouvi uma voz estranha parecendo sussurrar dentro de meu ouvido chamando o nome dele . " Kamy..." Olhei ao redor do quarto não vendo ninguém e um vulto passou rapidamente. 

Comecei a ouvir de novo aqueles sussurros "você me paga... Seu bruxo..." Voltei minha atenção para o ruivinho abraçando ele mais forte e com raiva,calado. 

Logo escutei a porta se abrindo e levantei, fechando ela com força.

 - droga... 

Voltei novamente minha atenção para ele.

 - Kamy! 

 Chamei puxando seu pé.

Kamy - que é?...

Sentou-se me olhando sonolento e eu estranhei soltando seu pé; ele não estava mais com febre.

 - n-nada... 

 Respondi pensativo e ele se deitou de novo,manhoso. 

Olhei seu pescoço e as mordidas começaram a sumir. Fiquei muito confuso naquele momento.

 Ele parecia ser apenas um humano comum. Deitei-me na cama pensativo.

 * NARRADOR 

 Enquanto isso, reiji dava "bom dia " para Ryuu, beijando o mesmo, arranhando suas coxas; ambos estavam semi-nus,e com seus corpos colados. 

 * REIJI

Passei a mão pelas coxas dele vagarosamente, alisando elas de forma gostosa, apertando fortemente logo depois, ouvindo o gemido abafado dele, me excitando mais. Aproximei-me de seu pescoço começando a distribuir chupões por la com força, marcando bem e continuando a distribuir e deixar sua pele vermelha.

Senti um puxão em meu cabelo levemente enquanto descia os chupões pro abdômen do mesmo, depois o mordi , tomando seu sangue, descendo minha mão direita até sua cueca , retirando devagar...Após isso tirei minhas presas dele olhando seu rostinho corado.

 - tao lindo... 

 Sorri perverso terminando de tirar. 

Ryuu - acredite... Você é bem mais... 

Sussurrou virando o rosto tímido e eu levei minha mão até seu queixo , volvendo ele para mim, lambendo seus lábios, depois o beijando enquanto tirava minha cueca com o outro braço, erguendo as pernas dele. 

Mordi sua lingua com força a fazendo sangrar, depois comecei a chupar ,tomando seu sangue. 

 Ryuu - Hm!... 

 Ouvi ele gemer baixinho abraçando meu pescoço e rossei a cabecinha do meu pênis em seu orifício retal, soltando sua lingua e separando o beijo, lambendo seu pescoço ate sua orelhar onde mordi , sussurrando em seguida. 

 - pede...

 Senti ele morder meu queixo, beijando meu pescoço. Fechei meus olhos aproveitando e tal subiu ate minha orelha , sussurrando :

 - me faça seu ... 

 Sorri mais, mordendo meu lábio e o penetrei com irrupção, dando uma bruta estocada dentro, ouvindo ele gemer alto , fazendo uma expressão sexy de dor. 

Ryuu - Ahnn!!!... 

 Deu um chupão em sua mandíbula, sussurrando pra ele em seguida. 

 - antes de continuar este ato... Quero que saiba... Que você já é meu ... Ta me ouvindo ?

 Ryuu - s-sim...

 Ouvi ele responder mordendo seu pescoço fortemente, dando um forte tapa em sua coxa, a marcando com meu palmo .

Ryuu - hm!

 Comecei a me mover rápido e fundo dentro dele, ouvindo seus gemidos, e ele cravou as unhas nas minhas costas, inclinando a cabeça para trás.

 -hm... 

 Gemi abafado começando a dar estocadas mais brutas, gemendo mais ao sentir seu cuzinho me apertando.

 - t-tão apertado...

Ryuu - Ahhnnn!!!...hmm..... 

 Continuei, ouvindo ele gemer mais. 

Ryuu - r-reiji.... M-mais r-rapido!....aahnn!!...

Enlouqueci ouvindo aquilo e comecei a ir bem mais rápido e fundo dentro dele, ouvindo o barulho dos nossos corpos se encontrando .

 - Ahn!... 

 Gemi fazendo uma carinha de dor pôs ele me apertava muito e apertei sua coxa ouvindo a cama ranger.

 Ryuu - AHN!... 

 Gemeu alto,muito ofegante, arqueando as costas enquanto puxava meu cabelo, deixando uma lagrima escorrer por seu rosto e gozou, delirando de prazer, gemendo meu nome baixinho e fechando os olhos com força 

Ryuu - r-reiji...hm...

Gemi baixo sem parar o trabalho dentro dele e gozei também ofegante, me retirando de dentro do mesmo, olhando seus olhos e o beijando. Separei e lambi sua bochecha . 

 - bom dia... Ryuu... 

Desviei meu olhar por seu corpo, sorrindo ao perceber sua situação. 

 - e olha que peguei leve...Da próxima vai ser pior... Só pra avisar... 

 Peguei ele no colo levantando-me e me dirigindo até o banheiro. O coloquei na banheira entrando também , começando a lava-lo devagar . 

 Ryuu - foi... Tão bom... Porém curto... 

 Concordei e olhei seu rosto.

 - eu teria feito mais...

Suspirei continuando a falar. 

- porem meu pai vai vir jantar aqui ... E ele vai passar a tarde toda até o jantar , não sei que horas ele vem.

 O olhei agora sério. 

 - só saia desse quarto quando eu disser que pode.

 Ryuu - está bem... Eu tô com fome... 

 Ouvi terminando de lava-lo começando a me lavar . 

 - vamos já descer. Ai você pode comer... 

 Respondi e ele coçou os olhos de forma fofa.

 Fiquei olhando vidrado por uns segundos, depois balançando a cabeça e voltando ao que estava fazendo.

 Assim que terminei de me lavar , me enxuguei e me vesti fazendo o mesmo com ele e o colocando vagarosamente no chão.

 Ryuu - a-ai!...

 Reclamou da dor se segurando em mim. 


Ryuu - minhas pernas doem... 

 - vou buscar comida pra você... Não sai daqui e se algum irmão meu aparecer, grite... Senão não vai ter como eu saber... 

 Deitei ele na cama com cuidado e o cobri com o lençol indo buscar sua refeição.

 * KAMY 

 Acordei-me sentando e olhando o subaru dormir na cama, sentindo minha garganta seca.

 - subaru...

 Balancei ele sonolento e ele se virou . 

 - hm...

 Bocejei em silencio esfregando os olhos e levantei-me da cama, descendo e indo pra cozinha me encontrando com o reiji.

Reiji - melhor não andar por essa casa sozinho... E eu sabia que subaru estava escondendo você...

 Vi ele suspirar e alguem bateu na porta de casa.

 Reiji - atende pra mim... 

 Pediu enquanto fazia cozinhava e eu fui até lá, vendo um homem proeminente de cabelos brancos ,pele pálida e olhos amarelos. 

Me afastei um pouco pôs ele era assustador, todavia lembrava-me um pouco subaru.

[ ... ]

Reiji - por que está demorando tanto!? 

Reclamou e aproximou-se espantado ao ver aquele homem, fazendo-me  dar espaço pra ele . 

Reiji - bom dia... Karl... Veio cedo... 

Karl - me chame de senhor. Quem é esse? 

 Ele perguntou me olhando . 

 - Meu nome é Kennedy kamy...

 Me apresentei e ele aproximou-se neutro, se inclinando para frente e olhando meu rosto de perto.

Karl - onde arrumaram?... Não vejo uma pessoa assim há anos... 

Encarei-o. Ele me tratou como se eu fosse um bicho.

 Reiji - ele apareceu aqui pedindo ajuda... 

 Vi ele sorrir pra mim e segurar minha mão.

Karl - e ele .... Tem gosto bom?.... Ou ainda não morderam? 

 Me soltei dele o olhando serio. 

 Reiji - ele... É do subaru... 

Karl - e onde subaru está ? Não gosto do jeito que ele me olha...  

- ele está dormindo!

 Respondi pelo reiji encarando o tal de Karl. 




 Karl - eu não estava falando com você...intrometido...

 Ele me encarou de volta levando a mão até meu queixo onde segurou com força, apertando e eu levei minhas mãos até seus pulsos tentando o fazer soltar. 

 Karl - você vem comigo... Pro laboratório... 

 - l-laboratorio !?... Me solta!! 

Subaru - larga ele!! 

 Ouvi o subaru gritar da escada indo até nós e o Karl me soltou. 

Subaru se aproximou de mim segurando meu pulso e me puxando para trás.

 subaru - vai pro quarto!

 Fiquei olhando confuso e fui pra cozinha, pegando água e subindo, ouvindo eles conversarem lá enbaixo . 

 Olhei do corredor por uns segundos e entrei no quarto indo pro banheiro tentar ligar para meus pais, afinal estava ali à um dia sem dar noticia.

 Quando entrei vi um menino deitado dentro da banheira cheia , segurando um livro, com um de seus olhos fechado enquanto lia. Aquilo era bizarro. E estranho...

-...

 Observei por uns segundos calado.

Ele não estava tomando banho, estava apenas lendo na banheira, e de roupa! Aquela casa toda era estranha? 

 - o que está fazendo?

 Perguntei e ele me respondeu :

 - estou lendo. não está vê?...

 Voltou a ler e aproximei-me, sentando ao lado.

 - posso ver? 

 Perguntei olhando seu rosto e levando a mão até o livro, segurando, todavia quando puxei ele o fez vice-versa.

 - deixa eu ler! 

 Pedi puxando um lado enquanto ele puxava o outro com força. Ele me olhou ficando irritado e respondeu.

 - não! Você está me irritando. Sai daqui! 

 Exclamou e eu puxei de uma vez soltando o livro por ser liso e ele pelo puxão que dei. 

bom... O livro caiu na banheira.

 Fiquei calado com a situação e ele estava quieto demais,o que me assustou. 

 - ... 

 Estava tenso ; tentei amenizar minha situação .

 - eu compro outro...

 Sussurrei e ele respondeu ainda quieto demais : 

 - não tem outro... 

 Me olhou de canto com uma expressão irritada e se apresentou; 

- meu nome... É shu sakamaki... E eu estou terrivelmente estressado... 

 Me puxou para a banhera agressivo e se aproximou me mordendo. 

 - ah! 

 Gemi e afastei o rosto dele de mim rapidamente, me levantando e  vendo o mesmo sair da banheira, se aproximando vagarosamente.

 Distanciei-me mais. 

 - fica longe de mim! 

 shu - não. 

 Respondeu e puxou meu pulso com força. Soltei-me dando uma voadora em seu rosto.

 - ... 

 Me assustei pôs ele estava sem reação. Não imaginei que fosse realmente acertá-lo , afinal, ele era um vampiro!

 Minha intenção era apenas afastá-lo e correr... Porém acertou e ele parecia ainda mais irritado

Fiquei estupefato, saindo de perto dele e o mesmo se moveu rapidamente puxando minha cintura e penetrando as presas em meu ombro. Já imaginou duas agulhas não tão finas entrando em você? Doía muito...

 - Ahnn!! 

 Gemi alto e tentei afastá-lo mas parei deviro a dor sentindo que se o fizesse ele provavelmente arrancaria um pedaço de mim.

 Shu me empurrou até a cama se jogando comigo, apertando mais minha cintura e segurando meu pulso esquerdo bem apertado ,tirando as presas do meu ombro . 

Fiz uma carinha de dor e olhei o rosto dele Estupefato, vendo sua boca suja de sangue e meu ombro estava sangrando bastante com a mEstupefato

shu - você é tão lindo... Que dá pena de matar... Por isso não vou drenar você... 

 *SHU 

 Lambi os lábios e me aproximei, tirando o braço da cintura dele e segurando seu rosto firme, beijando o mesmo que me deu uma joelhada. Gemi abafado no entanto não liguei.

Soltei o pulso dele descendo a mão por seu corpo enquanto explorava sua boca devagar e quente , alisando sua coxa. 

Não sei por que ... Eu estava gostando muito disso e queria ainda mais. Separei o beijo recobrando o ar e fiquei por uns segundos observando o rosto dele,que me olhava ainda com uma expressão de dor. 

 - foi você que pediu por isso...Estava pedindo dês de o momento que entrou no meu quarto e atrapalhou minha leitura. Então... Aguenta... 

 Levei a mão até o rosto dele observando seus olhos vidrado enquanto alisava sua bochecha com o polegar e me aproximei de novo lambendo seu pescoço até seu queixo, mordendo o mesmo levemente depois sua boca, assustando-me ao ouvi subaru abrir a porta.

 - subaru... 

 Vi ele fechar o punho irritadissimo. 

Subaru - tira ...as mãos... 

 Se aproximou de mim e do Ruivinho me empurrando com força.

 subaru - você não toca... No que é meu... Entendeu!!?

Kamy - s-subaru ?...

Subaru - E VOCÊ CALA A BOCA!! 

 Gritou e eu fiquei observando ele puxar o Ruivinho agressivamente pelo braço retirando-se do quarto e indo em direção ao dele. 

 * SUBARU 

 - o que estava fazendo no quarto dele? 

 Kamy - acho que entrei no quarto errado...

 - no quarto errado?...por que sera que não acredito em você? 

 Kamy - eu nem sabia quem ele era , subaru!

 - não sabia quem ele era mas sabia que a boca dele era gostosa... 

 Kamy - o que eu poderia fazer?...

 - gritar! Mas já que não gritou lá... Você vai gritar aqui. 

 Entrei no quarto jogando ele na cama e tranquei a porta, me aproximando.

 Kamy - subaru ?... 

 Ouvi ele me chamar , e com raiva segurei seu pulso fortemente.

 - fica quieto!! Eu já disse!! Você é meu !! Não tinha nada que estar com ele! 

 Rasguei a roupa dele e o mesmo começou a se debater.

 Kamy - subaru , me solta!! 

 - quieto!! 

 Puxei a gaveta do criado mudo pegando uma corda e amarrei ele na cabeceira da cama. Desviei o olhar até a mordida que o Shu fez no ombro dele ficando mais estressado e mordi o outro lado com força. 

Kamy - Ahn! 

 Gemeu. Levei minha mão até os botões de sua calça.

Kamy - ei!... 

Chamou-me inseguro.

Kamy -Vai estuprar!?

 Ele perguntou e então eu parei, tirando minhas presas dele.

 - ...

 Olhei seu rosto vendo sua expressão assustada e pensei :"o que estou fazendo? Eu deveria tentar conquistá-lo, não estuprá-lo. Mas como?" não sabia se ele retribuiria meus sentimentos.

Nem eu os entendia...todavia de alguma maneira eu sabia que gostava dele, apesar do meu jeito estranho de demonstrar... Então resolvi contar...

 - Kamy... Encarei seus olhos deixando de lado o estresse que estava sentindo e suspirei levando a mão até seu rosto, beijando sua testa. 

 - de...de...desculpa... P-por ...isso... 

 Quase não saiu mas eu sabia que estava errado e precisava reconhecer. 

Ele se surpreendeu e eu respirei fundo, continuando.

- eu não sei o que deu em mim... Quando vi você e o Shu... Perdi toda a razão... Eu senti um aperto tão grande... E me senti traído... Não queria estuprar você... A verdade é que ... Não suportei te ver com ele.

 Kamy - tudo bem...

 - não, não está...por que eu... 

 Desviei o olhar levemente corado virando o rosto. 

 - a-acho que estou apaixonado por você... 

 "não acredito que disse mesmo isso " pensei comigo mesmo e ele sorriu feliz.

 Como ele era idiota... Quase foi estuprado e tava todo feliz com isso...no entanto eu também era idiota; por ter adorado profundamente aquele sorriso.Não me lembro de tê-lo visto sorrir nenhuma vez dês de que chegou aqui, então me senti muito importante naquele momento. 

 Sorri de canto olhando sua expressão que agora era meiga e gentil . talvez ele não fosse tão chato assim. 

 Kamy - eu... Fico feliz em ouvir isso... 

 - só vai dizer isso?

Kamy - eu não sei o que dizer... O que quer que eu diga? 

 - não sei "Também gosto de você " algo assim eu esperava... 

 Vi ele corar desviando o olhar.

Kamy - bom... Acho que não seria mentira... Mas não estrague isso.

 Ele respondeu e me olhou com a língua de fora.

Sorri agora perverso .

 - não faz isso... Me excita...

 E já que você gosta de mim... E é meu... Acho que não tem problema eu continuar o que estava fazendo não é? 

 Perguntei lambendo o canto de sua boca e descendo beijos até seu pescoço, terminando de tirar sua calça. 

Kamy - acho que não... M-mas eu nunca fiz isso... 

 Dei um chupão em seu pescoço e ele arfou. 

 - nem precisa... Por que sou eu que vou te fuder... E eu fico muito feliz... Em saber que você é virgem... Porém hoje você não será mais...  

Sorri safado, e o beijei de língua , explorando sua boca devagar, desabotoando minha calça e a tirando.

 Depois soltei ele da cama e o mesmo abraçou meu pescoço, sentando em meu colo de frente pra mim. Mordi sua língua com força ouvindo o gemido baixo e abafado dele, separando o beijo. 

 - mas só pra avisar... Vai doer um pouquinho... 

 Desci minhas mãos até sua bunda, apertando fortemente e ele as tirou rebolando sobre meu pau . 

Kamy - t-tudo bem... Eu acho...

Corou.

 - hm... 

 Mordi o lábio e ele rebolou de novo mais forte, gemendo baixinho perto de meu ouvido como se estivesse me provocando. 

Fiquei excitado e passei a mão em seu abdômen, arranhando ele, vendo o mesmo fazer uma carinha de dor depois me deitar na cama devagar , tirando minha blusa e se aproximando hesitante. 

 - está nervoso?

 RI

 Kamy - pra você é fácil...

 Respondeu começando a distribuir beijos , lambidas e chupões por todo meu abdômen até chegar no volume da minha cueca. 

Levei a mão até seu cabelo acariciando e ele a tirou, encarando meu membro ereto , lambendo enquanto me encarava de forma sexy.

 - poha , Kamy... 

 Sorri observando aquela cena excitante e ele colocou a cabecinha do meu pênis na boca, chupando fortemente. 

 - hm...

 Gemi baixinho. 

 - que boquinha gostosa... 

 Movi meu quadril fazendo meu pau adentrar mais a boca dele , sentindo o mesmo apertar minhas coxas.

 - chupa... 

 Dei uma estocada em sua boca e ele gemeu começando a chupar devagar porém bem forte.

 Puxei um pouco seu cabelo gemendo baixinho e abafado , sentindo ele aumentar a velocidade aos poucos.

 - hm... Tão apertada... 

 Dei outra estocada em sua boca gemendo um pouco mais alto e ele começou a chupar mais forte, cravando as unhas nas minhas coxas e apertando com força . 

 - Ahn... M-mais rápido. 

 Pedi começando a ficar um pouco ofegante olhando ele fazer uma expressão sexy enquanto me chupava e continuei alisando e puxando seu cabelo , incentivando o mesmo a continuar com aquele ato prazeroso.

 Coloquei a outra mão sobre minha boca quando ele deu um chupão mais forte, gemendo abafado e senti meu pênis pulsar dentro da boca dele.

 - hm!... Ah...!...vou gozar... 

 Avisei puxando seu cabelo e dei mais duas estocadas em sua boca, gozando dentro dela em seguida, ofegante. 

Ele chupou mais uma vez tomando todo meu Leitinho e lambeu meu pau deixando um pouco escorrer por sua boca. 

Me sentei novamente e ele sentou no meu colo de novo beijando meu pescoço de forma gostosa, como eu estava fazendo com ele antes. Olhei aquele corpo gostoso e tirei a cueca dele, o segurando não aguentando mais esperar por isso. 

 Kamy -s-subaru... 

 - não aguento mais esperar... Preliminar é muito bom, mas eu queria te fuder dês de que pus meus olhos em você. 

 Vi ele corar e o soltei, o fazendo sentar em meu membro, que o penetrou de uma vez; ouvi ele gemer perto de meu ouvido, puxando meu cabelo com força.

 Kamy - Ahnnn!...hm... 

 - Ahn... 

 Gemi baixinho e agarrei a cintura dele firmemente. 

 - p-poha... Você me deixa de pau duro... 

 Me Movi dentro dele lentamente e o mesmo fez uma carinha de dor, gemendo baixinho perto de meu ouvido. 

 - ta sentindo?... Ah ! Você é tão apertadinho.

 Deu uma estocada mais funda dentro dele,o ouvindo gemer mais alto . 

  Kamy - ahnn!!... A-ai... I-isso dói... 

 - a primeira vez sempre dói... Mas você se acostuma...e no meio do sexo... Você vai ver como é gostoso. Então a partir de agora, você pode gemer, gritar, chorar... E pedir por mais o quanto quiser... 

 Respondi e ele começou a quicar devagar. Olhei sorrindo e dei estocadas fundas, e um pouco rápidas dentro dele, querendo arrancar mais gemidos.

 Kamy - Ahnn!...Hm...

 Fechou os olhos fortemente. 

 - hm... 

 Aumentei a velocidade, fazendo ele quicar mais rápido e ele cravou as unhas na minhas costas , arranhando. 

 - Ahn... Geme mais pro papai, geme...

 Kamy - Hmmm!!.... 

 Senti a respiração ofegante dele perto do meu ouvido, começando a ir bem mais fundo, gemendo um pouco mais, apertando sua cintura. 

Poha! Como aquilo era gostoso... Nunca tinha sentido tanta vontade de fuder alguém como estava dele nesse momento, então ouvi ele gemer meu nome de forma gostosa. 

 Kamy - Ahn!...S-subaru...hm!...M-mais...

 Fiquei louco ao ouvir aquilo! Ele disse que doía e estava pedindo por mais?

 - Ahn!... Não me responsabilizo pelos meus atos a partir de agora, Kamy... Ahhnn!...

 Comecei a dar brutas e fundas estocadas dentro dele, muito ofegante, o fazendo quicar e quicar sobre meu pau, louco de prazer ouvindo a cama ranger com a velocidade e intensidade das estocadas. Ele colocou a mão sobre a boca, puxando meu cabelo para trás e gozamos juntos.

 Kamy - ahnn!!... 

 Senti ele morder meu ombro, arranhando minhas costas fortemente, fechando os olhos, delirando de prazer.

 - Ahn! Tão gostoso...

 Continuei metendo fundo, bruto e agressivo dentro dele ate gozar novamente, e Kamy deitou a cabeça em meu ombro cansado, apertando meu cabelo.

 - cansou? 

 Perguntei olhando sua situação, mas ainda não estava satisfeito. 

 Kamy - e você não está cansado?... 

 Perguntou com uma carinha de dor.

 - estou... Mas não satisfeito... 

 Respondi alisando suas coxas com a mão esquerda e subi a direita acariciando seu cabelo.

 - consegue mexer sua perna? 

 Perguntei e ele olhou as próprias pernas, gemendo baixinho, mexendo a direita. 

 - ótimo. Então vamos mais uma vez... Depois você e eu vamos tomar um banho e tirar um cochilo... 

 Levantei ele retirando meu membro e o deitando na cama de braços para cima.

 Ergui suas pernas colocando uma por cima de meu ombro e segurei a outra firmemente, levando minha outra mão ( esquerda ) até a direita dele, interlaçando as duas, olhando seu rosto e mordendo seu queixo levemente ;desci beijos por seu pescoço dando um chupão um pouco abaixo, bem ao lado da veia julgular.

 - tão lindo... 

 Lambi, dando outro chupão.

 - e tão meu...

 Sorri perverso subindo os beijos até sua orelha, mordendo ela.

 - hoje você não anda mais... 

 Sussurrei perto dela beijando seu pescoço de forma gostosa, apertando sua coxa com força.

 { Kamy - Ahn... 

 Rossei a cabecinha de meu pênis na entrada de seu ânus.

 - pede... 

 Adentrei a cabecinha nele dando um chupão em sua mandíbula perto do queixo, e ouvi ele me responder com uma voz sexy e um pouco rouca. 

Kamy - me fode mais...

 -hm... 

 Mordi o lábio inferior. 

 -acho que não ouvi direito...

Kamy - por obséquio...

- bom ruivinho... Todavia... Não precisava ser com tanta sumidade...

 Penetrei com irrupção, olhando o mesmo erguer a cabeça, a inclinando para trás, fechando os olhos e apertando minha mão. 

  Kamy - ooohnn!!... Subaru... 

 Comecei a fazer movimentos rápidos dentro dele olhando sua expressão e indo bem mais fundo, apertando sua coxa e gemendo. 

 - Ahn!

 Levantei um pouco mais sua perna para facilitar fechando os olhos por uns segundos .

 - p-puta que pariu, Kamy! 

 Vi ele apertar a coxa da cama com a outra mão, cravando a unha na minha e eu fiz uma carinha de dor, gemendo um pouco mais. 

 - diz pra mim... A quem você pertence? 

 Dei uma estocada ainda mais bruta olhando seu rosto.

 Kamy - v-você...S-só você... 

 - hmm!!...muito bem... 

 Sussurrei ofegante.

 - Isso mesmo... Você é só meu... 

 Disse em meio a um gemido abafado e olhei para baixo vendo ele sangrar, sentindo meu membro pulsar dentro dele. 

Continuei agressivo,indo e voltando dentro do mesmo, aproximando o rosto de seu pescoço e mordendo enquanto ouvia a cama e seus gemidos de prazer. Após um minuto, gozei o preenchendo por dentro, muito ofegante,olhando o mesmo delirar; retirei-me de dentro dele devagar ouvindo ele me chamar um pouco assustado.

 Kamy - subaru... 

 - hm?... 

 Olhei seus lábios, beijando o mesmo, mas logo separei devido a respiracão ofegante,ouvindo ele falar baixinho e rouco. 

Kamy - n-não sinto... M-minhas pernas... 

 Aliseu seu rosto.

 - não se preocupe...elas vão voltar...

 Falei levemente preocupado, talvez eu tivesse pegado pesado demais pra um virgem.

 Peguei ele no colo,me dirigindo até o banheiro, colocando ele na banheira e a ligando. Levei a mão até meu quadril dolorido e entrei com ele indo pegar o sabonete pra lavá-lo. 

 Kamy - sera que seus irmãos escutaram? 

 - eu espero que sim.

 Kamy - hã? 

 - eu quero mais é que escutem... Assim vão saber que você é só meu. Eu sou possessivo, egoísta, arrogante e não vou dividir você com ninguém.

 Respondi lavando ele com cuidado, e afastei-me um pouco olhando as marcas que estavam bem visíveis na pele branquinha dele. Sorri e voltei a lava-lo, terminando e beijando sua testa começando a me lavar. 

 - hoje como já deve ter percebido... Meu pai está aqui... Aquele homem que queria te levar pro laboratório... Ele está aqui por que vai jantar com a gente mais tarde, e eu não vou levar você. Então pela ultima vez, não sai da poha desse quarto... 

 Kamy - ta bom...

 - ótimo... Depois de um tempinho, terminei de me lavar e me enxuguei, vestindo-me e indo até ele o tirando da banheira; enxuguei ele e o vesti,o sentando  no chão , fora do banheiro. 

Troquei a cama e fui até ele deitando o mesmo la, cobrindo ele e lhe dando um selinho. 

 - vou buscar alguma coisa pra você comer,depois pode dormir...


Falei baixinho e olhei seus ombros lembrando das mordidas, minha e do shu. Suspirei e fiz um curativo, depois fui buscar a comida dele. 

 Quando desci vi meu pai no sofá assistindo e passei reto, fechando a cara quando ele falou comigo.

  Karl - foi gostoso?

 Respirei fundo ignorando ele, me dirigindo para a cozinha. 

 Karl - me responda quando eu estiver falando com você. 

 - eu não sou obrigado a nada. Respondi.

 Karl - hunf... Mas acabou de responder. 

 Fechei o punho estressado e suspirei tentando me acalmar. 

 Karl - quero deixar bem claro que eu vou querer estudar seu "namorado". 

 - você não vai chegar perto dele!! 

 Ouvi ele rir de deboche e me estressei mais ainda.

 Karl - ta vendo?... Você sabe falar... 

 - ah, eu sei falar sim! E sabe o que eu sempre quis te dizer?! Vai pro inferno!!

 Terminei a comida do Kamy, colocando tudo em uma bandeja e saí da cozinha, voltando pro quarto.

 Karl - espero que você não tenha a mesma atitude e que desça para o jantar... Da próxima vez que falar assim comigo você sera punido... Ou... 

 Ele fez suspense pensativo 

karl - Kamy, o nome dele não é??... Hm... Kennedy kamy... 

 Parei de andar ficando quieto. 

 Karl - ele pode "acidentalmente" acabar tendo o mesmo destino da sua mãe. 

 - filho da puta... 

 Sussurrei.

 Karl - como é que é?... 

 - nada... 

 Estava me coçando pra não ir lá e bater nele... Mas deixei passar... Por medo de que ele fizesse mau ao meu Ruivinho. 

Respirei fundo e voltei pro meu quarto com a bandeja indo até a cama, colocando ela de lado e pegando kamy no colo, olhando seu rosto. Era como se ele me acalmasse... Não sabia o que estava sentindo nesse momento... Minha paixão seria tão forte assim? Já não sabia mais o que era aquilo... Paixão, carência... Tanto faz... 

Apenas queria cuidar e estar ao lado dele. Sorri agora meigo para o mesmo e ele deitou a cabeça em meu peito abrindo a boca quando levei a colher até ele. Dei comida a ele , depois coloquei a bandeja no criado mudo,o abraçando enquanto acariciava seu cabelo, deitando com ele e fechando meus olhos. 

 - ei, coisa chata... 

 Olhei sério

  Kamy - hm?... 

 - Você é MEU namorado agora. Então não quero você de gracinha com os outros... Principalmente Laito... 

 Kamy - ... O que foi isso? Um pedido de namoro? Ou você ta me dando um sermão?... 

 - entenda como quiser...

 Disse de olhos fechados e ele me olhou neutro.

 Kamy - ta me chamando de burro? 

 - grr... Como você é chato! 

Kamy - o que quer dizer com isso??... Você se declara... Transa comigo e me chama de chato.

 - e idiota também... 

 Kamy - você que é o idiota... 

 Abrir os olhos olhando ele.

 - você é realmente irritante...

 Kamy - ah, eu sou irritante? É você qu- 

 Interrompi, beijando ele, depois separei olhando seu rosto.

 - parece que você só cala a boca assim... 

 Soltei ele e me virei pro outro lado, me cobrindo.

 Kamy -...idiota....

 Ouvi ele sussurrar e me abraçar por trás. Levei a mão até a dele pensativo, fechando os olhos .


Notas Finais


Gostaram!? Espero que sim.
O outro cap vai demorar um pouco ta?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...