História Night Of Blood - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Jikook, Kookmin
Exibições 291
Palavras 1.329
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


~Oii c;
~Olha, eu tentei, okay? ;u;
Me perdoem, mas talvez essa segunda temporada seja meio chata e acho que vai ser curta. ._.


~Gogo cap~

Capítulo 23 - Segunda temporada -Capítulo II -Piercing.


Fanfic / Fanfiction Night Of Blood - Capítulo 23 - Segunda temporada -Capítulo II -Piercing.

PoV Jimin

A casa se encontrava toda escura e fechada, nem um ar se quer entrava no local, tudo por causa de mim e essa nova vida de vampiro desprotegido do dia.

-Jiimiinniiiee, me ajude! -JungKook gritava enquanto Tae tentava o sufocar.

-Ajuda o caralho, você já fez meu bebê sofrer muito, agora vem aqui do nada e o transforma?

-M-mas ele que quis que eu o transformasse! -Tirou Tae de cima de si e se escondeu atrás de mim. -Miinniieee. -Disse manhoso.

-Deixa ele explicar tudo. -Puxei o braço de JungKook e o sentei no sofá. -Depois você mata ele.

-Jiminnie! -Fez bico e Tae riu que nem uma gazela, todo contente.

-Você está ainda mais infantil, Jeon. -Parei em sua frente. Suas mãos foram até minha cintura me puxando até seu colo.

-Mas na cama continuo o mesmo, só que melhor. -Sussurra em meu ouvido.

-Huh? Mesmo? Eu quero ver. -Mordi o lóbulo de sua orelha e ouvi sua risada rouca.

-Meu bebê mudou, andou transando muito?

-Nem tanto.

-Eeh, que maldade, eu fiquei guardando meu corpo só pra você por todos esses anos enquanto você gemia com outras pessoas? 

-Idiota. -Bati em seu braço e saí de seu colo, ouvindo sua risadinha.

-Seus gays, explica logo toda esse seu cu doce, Jeon JungKook. -Tae sentou ao seu lado.

-Bem...

.

.

.

.

-VOCÊ DEIXOU JIMIN POR TODOS ESSES ANOS POR CAUSA DE UNS VAMPIRINHOS QUE TE OBRIGARAM? -Tae gritou fazendo-me dar um pulo para trás.

-Morte ou perder o que é mais precioso. -Suspirou.

-Então por que está aqui?

-Eu transformei Jimin, agora ele não é mais humano, e sim vampiro, então não preciso mais me afastar.

-Por que não o transformou naquela época, então?

-Jimin tinha medo de vampiro, ele amava sua vida de humano, não queria fazer ele desistir de tudo por causa minha. -Explicou e dei um tapa em seu rosto, fazendo ele e Tae arregalarem os olhos.

-Idiota, idiota, idiota! -Sentei em seu colo e o abracei. -Pouco me importo com minha vida de humano se posso ficar com você! Me fez sofrer por todo esse tempo por causa disso? Te odeio, idiota!

-Jimin, seu jeito de me odiar é o mais fofo que já vi. -Riu e me abraçou.

-Snif, tão fofos, snif. Agora chega com essas viadagens antes que eu chame o Hobi aqui e mostro o que é ser gay de verdade. -Tae diz e me puxa pra seu colo. -Até você não achar algo pra fazer o meu Jimin imune ao dia, não poderá tocá-lo. -Mostrou a língua para Kookie e me abraçou.

-Seu? Ele é meu! -Kookie me puxou de volta para seu colo e me beijou.

-Desgra... Eu também posso beijar ele, olha só...

-CHEGA! -Gritei e me levantei. -Vem Kookie, vamos terminar o que começamos. -Segurei sua mão e o puxei.

-Certo. -JungKook sorriu, mas antes mostrou o dedo do meio para Tae, que o mostrou de volta. O puxei até o quarto e fechei a porta, o levei à cama e o deitei.

-Me mostre o tanto que melhorou. -Sorri e sentei em seu quadril, sentindo suas mãos em minha cintura, fazendo-me rebolar.

-LARGA ELE JEON JUNGKOOK! -Tae entrou gritando.

-Parabéns Jimin, você não trancou a porta. -JungKook bufou.

-Tae, os leitores não aguentam mais pessoas nos atrapalhando na hora do sexo, tem como fazer o favor de nos deixar sozinhos gemendo o nome um do outro? -Olhei para Tae irritado.

-Não! Não até ele criar algo pra você! E me desculpe leitores. -Me tirou do quadril do Kookie e me puxou até a sala.

-Fala sério Taehyung. -JungKook nos seguiu e revirou os olhos.

-Estou falando, agora você pode ficar sentadinho aí. -Apontou para mim e sentei no sofá, abraçando a almofada irritado. -E você vai logo arrumar alguma coisa para o meu Minnie. -Empurrou Kookie para fora de casa.

.

.

.

.

-Satisfeito? -Kookie voltou depois de 4 horas, sim, 4 horas, com um pequeno metal parecido com um brinco.

-E o que tenho que fazer com isso? -Arqueei as sobrancelhas.

-Furar sua língua. -Falou simplista.

-Espera aí, você trouxe um piercing pra ele? -Tae cruzou os braços.

-Exatamente. -Sorriu.

-Eu não vou usar piercing! Eu sou um médico, um profissional, tenho que ter uma aparência de adulto maduro, não de um adolescente rebelde que coloca piercing sem autorização dos pais.

-Primeiro, você já é um adulto e não precisa de autorização. Segundo, vai ser na língua, ninguém vai conseguir ver, ao menos que você beije a pessoa, caso que nunca vai acontecer, já que estou aqui.

-M-mas e se doer? -Mordi o lábio.

-Vai ser rapidinho, vou chamar um profissional para vir colocar pra você, tudo bem? -Segurou minha mão e assenti. -Ótimo. -Me deu um selinho. -Estou indo.

-Tchau-tchau. -Tae acenou e esperamos Kookie sair.

-Ah, Tae-Tae.  -O chamei.

-Huh? -Me olhou.

-Devemos chamar os meninos? -Perguntei indo até o telefone.

-Humm... Acho que sim, vou ligar para o Hobi, para o Jin e para o Nam. -Pegou seu celular.

-Vou ligar para o Yoongi e para o Woozi. -Comecei digitar o número.

.

.

.

.

-Huunhuun... -Fecho os olhos fortemente e aperto o braço de JungKook. O humano que estava colocando o piercing estava me enlouquecendo, não só porque ele estava colocando o piercing, mas também pelo seu cheiro. Se não fosse pelo braço de JungKook que eu estava estrangulando, com toda a certeza eu atacaria esse homem (não pensem besteira).

-Pronto cara, está colocado. -O barbudo tatuado, que com toda certeza era estrangeiro, disse.

-Valeu. -JungKook agradeceu.

-Ér, obrigado. -Sorri.

-De boa. -Sorriu com seu coreano meio enrolado e JungKook o acompanhou até fora de casa.

-Deixa eu ver, deixa eu ver! -Tae sorriu quadrado e quase arrancou minha língua pra fora.

-Paba pom ipo (para com isso). -Tentei falar.

-Que sexy, imagina na hora do sexo oral? -Sorriu malicioso olhando JungKook voltar. -Não é mesmo, Jeon?

-Huh? O que? -Perguntou confuso.

-Como seria se o Jimin... -Tampei sua boca.

-Se eu o beijasse de língua com o piercing? -Sorri e Tae tirou minha mão de sua boca, fazendo bico.

-Temos que tentar, não? -Sorriu e se aproximou, sentando de lado em meu colo. Lambeu meus lábios e enfiou a língua para dentro.

Sentia sua língua tocar no piercing, fazendo um pequeno incômodo, tentei empurrar sua língua para dentro de sua boca, mas ele empurrou a minha de volta, causando uma guerra entre elas. Segurei seu pescoço e colei mais ainda nossas bocas —se possível isso—, tentando ganhar essa guerra entre nossas línguas, mas acabei por perder quando a sua dominou minha boca por completo.

-Ya, sua língua é muito grande! E dói um pouco! -Separei o "beijo".

-Não é, sua língua que é muito pequena, já viu ela perto do meu pau?

-Aish, seu... -Levantei a mão para batê-lo e ele correu, então comecei a correr atrás dele, ouvindo a gargalhada da minha gazela.

-Para com isso amorzinho, ou se não eu... -Ele parou e me encarou. -Eu que deveria correr atrás de você.

-Não... -Ele sorriu e começou a correr atrás de mim enquanto eu gritava e ria que nem louco.  -TAE, ME AJUDA!

-Se fode aí trouxão. -Tae filmava com o celular.

-Haha, amigo do cu. -Me escondi atrás de um lado da mesa, e ele ficou do outro.

-Sai daí Jimin. -Riu.

-Nem fodendo. -Tentei correr de um lado, mas em vão, então tentei correr para o outro, em vão também.

-Eu vou te pegar. -Subiu em cima da mesa e aproveitei a chance para correr, mas logo fui puxado pela cintura.

-Não! Me solta! -Me debati e ele me levantou e sentou no sofá, deixando-me em seu colo.

-Peguei meu gatinho! -Me abraçou e beijou minha nuca.

-Chato. -Fiz bico.

-Isso foi tão gay e fofo, puta que pariu, a gravação está tão épica. -Tae se sentou ao lado. Ouvimos a companhia tocar e nossos nomes serem chamados.

-JIMINNIE, TAE-TAE!


Notas Finais


Sorry qualquer erro.
Se tá um cu? Lógico, ainda não estou com criatividade pra essa segunda temporada, então me amem por ainda estar postando.

~Eu te amo vocês ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...