História Nightmares 2.0 - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Exibições 5
Palavras 1.677
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Escolar, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - I believe you


Acordei com o despertador e seu som chato, levanto-me vou ao banheiro escovo os dentes, tomo banho e desço. Como o esperado a tia Marta já tinha ido para o trabalho e segundo a Helena, a mesma estava com indisposição para ir até a HSU hoje, o que me restava era ir sozinha, tomei um rápido café, para não chegar atrasada já que iria caminhando, é uma vergonha, eu sei, mas a Geo aqui não sabe dirigir. Saí de casa e fui caminhando lentamente, a HSU não era tão distante da minha casa, o clima de Londres é tão bom, sair no friozinho pela manhã aqui, era a coisa mais agradável do mundo, até esqueci que tinha um horário a cumprir. Cheguei na Hattes um pouquinho atrasada, minha primeira aula seria de literatura, eu amo literatura, entrei pelo portão principal e me dirigi até ao mural onde informava as salas e os horários daquele dia, precisava parar para anotar aqueles horários e não ficar perdendo tempo em ficar vindo até aqui para saber a sala em que terei aula, segui no corredor indo em direção a sala, havia corredores aqui que me davam medo, esse era um deles, sou muito encucada com essas coisas, e tenho calafrios ao passar por esse corredor, no final dele, avistei o pessoal da minha turma entrando em uma sala e apressei o passo para tentar chegar igual com eles, vi os amigos da Hele na sala vizinha a minha e acenei para eles, gostei muito deles, de fato, são pessoas adoráveis.       Adentrei a sala de literatura a professora ainda não havia chegado, menos mal, me sentei em uma das mesas vagas que ficavam lá atrás, do lado da parede, sempre gostei de ficar observando a sala e o lugar em que sentei, me dava uma visão geral. Aos poucos foram chegando os alunos e formando seus grupinhos, minha turma era bem eclética, nada diferente das outras, as famosas “panelinhas” estavam presentes ali, a única pessoa que parecia deslocada além de mim naquela sala, era ele, o Harry. 
Não demorou muito para a professora chegar e começar sua aula, Marie, seu nome, era tão calma, já gostei dela, a aula estava bem dinâmica, sempre amei aulas de literatura e a Marie está fazendo amar  mais ainda. 

- Bom e para encerrar, quero passar um trabalho. – Marie falou e a turma não gostou muito, uns falavam que era muito cedo, outros que não precisava de trabalho, enfim começou uma confusão com todos falando ao mesmo tempo. 

- Calma, calma minha gente – ela falava tentando conter o total barulho em que se encontrava a sala. – o trabalho vai ser em dupla e antes que vocês comecem a discutir, esse trabalho valerá a nota do bimestre, vocês deviam me agradecer por ser boa e não aplicar uma prova, e sim, vou deixar vocês escolherem suas duplas. 
Depois disso ainda teve algumas discussões, pessoas pediam para ser em trio, e assim o barulho de antes ficar pior, cadeiras sendo arrastadas, briguinhas por duplas, amigos chateados por serem esquecidos, enfim, uma zona, eu estava meio perdida no meio de tudo, aos poucos as duplas iam se formando e eu aqui no fundo, apenas observando tudo, sozinha e sem dupla, como já falei várias vezes, ser excluída não é nada bom. Em meio a toda bagunça, Harry estava lá, sozinho como eu, pensei um pouco e sai arrastando minha cadeira até perto da dele, ele olhou confuso, e eu apenas sorri para ele, na verdade eu nem sabia o que falar, a história que a Helena me contou ainda rondava minha cabeça, mas como minha mãe sempre me falava, todos nós merecemos uma segunda chance,  e por mais que o que ele tenha feito ou não seja algo muito grave, ele merecia um voto de confiança,  as pessoas podem mudar e como eu sou uma garota que acredita em mudanças, estou aqui bem do lado dele, espero realmente que ele esteja mudado e que pelo amor dos deuses não pense em me matar, ele ainda me encarava e eu ainda estava com um sorriso retardado na cara. 

- Que foi? – parei de sorrir ainda olhando para ele – serei sua dupla. – pisquei e voltei a olhar para frente onde a Marie apenas recolhia os nomes, ele apenas balançou a cabeça, sorriu e olhou para a Marie que agora estava na nossa frente. 

- Então, vocês iram escolher uma obra de um dos autores que falamos na aula de hoje, e vão fazer a análise desta obra, receberei no final do bimestre, vou disponibilizar um roteiro para vocês seguirem, mandarei por e-mail, boa sorte no trabalho e por hoje é só. 

Marie encerrou sua aula e todos da sala começaram a sair, não era a hora do intervalo ainda, mas tínhamos um tempinho antes do próximo horário, como sempre fiquei na sala e notei que meu colega de trabalho também não se manifestou em sair daquele local, virei para ele e fiquei o olhando,  ele estava rabiscando em seu caderno, fiquei calada apenas observando o que ele fazia. 

Harry 

Estava rabiscando coisas aleatórias no meu caderno, mas tinha algo me incomodando,  era ela, a garota que veio falar comigo ontem e que por ironia do destino decidiu sem nem me perguntar que seria minha dupla no trabalho de literatura, ela estava meio que tentando traduzir o que eu estava rabiscando e era meio engraçado as caretas que ela fazia sem entender nada que estava escrito no papel. 

- É uma música. – falei e ela me olhou com uma expressão de dúvida. – está em francês.  

- Ah, tá explicado, pensei que fosse algo como um ritual, não um ritual, mas é...você entendeu. – eu comecei a rir da cara que ela fazia ao tentar se explicar, o sotaque dela não ajudava muito também, ela com certeza não era inglesa. 

- Qual seu nome? – eu perguntei e ela demorou um pouco para responder. 

- Georgia, pode me chamar de Geo se quiser, eu prefiro Geo. 

- Então Georgia, eu não sou acostumado afazer rituais, mas você me deu uma grande ideia. – quando falei isso, ela me olhou assustada e foi meio difícil eu conseguir controlar a risada. – estou apenas brincando relaxa, não faço este tipo de coisa. 

- E que tipo de coisas você faz? – ela apoiou a mão no queixo e me olhou. 

- Bom, dizem por aí que eu gosto de matar as pessoas, talvez você não devesse falar comigo, vai que você é a próxima. – sorri e voltei a rabiscar. 

- Talvez eu não devesse falar com você mesmo, mas eu não tenho medo de você,  então eu vou continuar falando. 

- Por que você teria medo de mim? – agora quem estava encarando ela era eu, talvez alguém já tivesse contando toda a história da Allison para ela. 

- Por que você matou a sua namorada? – ela me respondeu com outra pergunta e acho que não fiz uma cara legal já que ela pediu desculpas e voltou a falar – é que me falaram sobre você ser acusado de matar sua namorada, desculpa é que você me perguntou então eu respondi. – eu não estava chateado por ela já saber sobre toda a história sobre eu ter matado a Alli, mas sei lá,  isso já fazia parte da minha vida, eu não era mais o Harry de antes, na boca das pessoas eu era o Harry assassino que matou sua própria namorada, era difícil para mim saber que as pessoas no fundo acreditavam que eu pude ser capaz de fazer isso, justo com ela, a garota que eu mais amei até hoje. 
Eu fiquei calado por nem sei quantos minutos e mesmo assim a Georgia ainda estava lá me olhando. 

- Eu não matei a Allison. – eu falei mais para mim do que para a garota que estava ao meu lado me encarando. – eu não serei capaz de fazer isso com ela, eu amava ela. – encarei a garota e ela levou sua mão até a minha. 

- Eu acredito em você. – ela falou simplesmente e fez carinho na minha mão, eu não soube o que falar ou fazer naquele momento, apenas fiquei a olhando até o sinal bater e as pessoas começarem a voltar para a sala. 
Georgia 

Já era o segundo intervalo e aqui estou eu, sentada em uma mesa na cantina sozinha, não vi mais o Harry depois que ele saiu no meio da última aula de Antropologia e cultura britânica, que aliás estava muito chata, ele fez bem em se mandar de lá, não tenho os últimos horários, então só vou terminar de comer e me mandar, pensei em ir dá uma volta, mas eu não sei andar sozinha por as ruas de Londres, então provavelmente eu irei ficar perdida e sem saber como voltar para casa. 

- Olá dona Georgia. – olhei para frente e era o Liam, ele sentou na minha frente e a Dani que vinha logo atrás dele, sentou do seu lado. 

- Hey... – sorri para eles. 

- Nossa Geo, como você esta tão empolgada. – Dai falou dando uma mordida em sua maçã. 

- O dia hoje está um tédio, cadê os outros? – perguntei sentindo falta dos outros amigos, achei estranho já que eles sempre andam em bando. 

- Parece que hoje ninguém estava afim de vir para a escola. – Liam disse e eu assenti, voltando a tomar meu suco. 

- Eles fizeram bem,  antes tivesse ficado em casa, a gente bem que poderia ir embora né amor? – Dani sugeriu e o namorado concordou. 

Liam e Dani resolveram realmente ir embora, se despediram de mim e eu tomei meu caminho para casa, a minha casa não era tão distante, mas era uma boa caminhada até lá,  as ruas estavam calmas e estava um friozinho tão gostoso, eu adoro o clima de Londres, nem parece o sol de rachar do Brasil, eu já estava um pouco distante da HSU, quando um carro para do meu lado,  nem liguei a propósito,  até que o vidro baixou e um Harry sorridente estava lá dentro. 

- Aceita uma carona? 

CONTINUA...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...