História Nights spiritual summer - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avatar: A Lenda de Korra
Tags Avatar, Irmãos Gêmeos
Exibições 10
Palavras 1.018
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Sadomasoquismo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem pela demora. Tenho tido problemas com o computador. Mas agora já esta tudo bem e sairá capitulos com mais frequência.

Capítulo 5 - Refletindo um pouco sobre mim.(parte 2)


Fanfic / Fanfiction Nights spiritual summer - Capítulo 5 - Refletindo um pouco sobre mim.(parte 2)

 No dia seguinte ao sair do penhasco tomei uma decisão. Iria desaparecer por um tempo e tentar refletir e descobrir sobre o meu passado e um pouco sobre mim mesma…

Eu sabia de um sitio onde poderia encontrar as respostas que procurava, então fui até ao mundo dos monstros e entrei numa floresta onde uma vez o Nathaniel me disse para nunca entrar…mas naquela floresta eu sentia que iria encontrar resposta para as minhas duvidas.

Respirei fundo e a tremer coloquei o pé numa espécie de fronteira sóbria que havia entre o lado de dentro e de fora da barreira. Senti uns calafrios mas empurrei o meu corpo para a frente e assim entrei na floresta. Na verdade eu nem entendia a razão pelo qual Nathaniel ficou tão aflito quando lhe perguntei pela floresta. Parecia uma floresta normal igual a todas as outras floresta que já tinha visto na minha vida.

Já a caminhar pela floresta apercebi-me que todas as árvores tinham escritas em seu tronco uma palavra ou um sinal de pontuação….

 As primeiras 6 árvores por onde passei juntando as suas letras diziam “ Aqui para saber sobre ti?”. Logo vi a preocupação do Nathaniel sobre aquela floresta, porém ignorei e continuei a andar e a ler cada palavra nos seus troncos, anotando-as num papel para quando chegasse ao cimo da floresta as ler.

Ao final de eu ter anotado aquelas palavras todas, decidi sair pelo outro lado da floresta, quando reparei que o final da floresta ia dar um penhasco totalmente idêntico ao penhasco onde eu sempre ia. Confusa e assustada me sentei numa pedra e comecei a ler todas as palavras que eu tinha anotadas que formavam um grade texto no qual dizia o seguinte “Aqui para saber sobre ti? Eu próprio te poderei dizer tudo que queres saber sobre ti. Quem sou eu? Não importa… apenas importa o que eu te direi agora. Bem já alguma vez refletiste sobre ti própria? Não, pois não? És uma garotinha incrível…porém é como se tivesses um pequenino demónio dentro de ti. Tu és uma mistura entre um grande bem e um grande mal…”

A meio da minha leitura o meu bloco de notas se desfez em poeira. Comecei a olhar para os lados e tentei correr para fora da floresta enquanto esta ia escurecendo cada vez mais.

Olhei para trás e vi um raio de luz azul a ir em minha direção e quando estava quase a apanhar-me, senti umas mão na minha cintura me empurrando para o lado e uma voz doce dizendo “Eu avisei-te para não entrares na floresta…”.

Assim Nathaniel agarrou na minha mão e tentamos sair da floresta mas havia uma espécie de barreira que nos impedia de sair. Desesperados invocamos os nossos poderes e estávamos preparados para enfrentar aquela luz, quando esta foi-se modificando e se tornando um corpo de um rapaz. Cada vez que aquele rapaz olhava para os meus olhos, dava um passo em frente. Nessa altura Nathaniel olhou para mim com uma cara de quem queria que eu avança-se e acenou a cabeça.

Cheguei perto daquela criatura cerca de uns 100 metros, olhei fixamente nos olhos dele enquanto ele continuava com um sorriso a olhar nos meus olhos. Estava tão distraída a encara-lo que de repente numa metade de segundo ele se atirou para mim, empurrando-me e tentando-me acertar com uma pequena faca. Quanto mais eu me desviava dele mais os seus olhos se reviravam, seu corpo estremecia e parecia que se tornava mais forte a cada movimento que eu dava.

Eu não o queria atacar pois não sabia o que ele era mas Nathaniel descontrolou-se naquela situação e com suas garras as enfiou bem no fundo no peito daquele rapaz que se desfez em poeira igual ao meu bloco de notas.

Mal o rapaz desapareceu a barreira que nos prendia naquela floresta desapareceu.

Eu e o Nathaniel íamos a sair da floresta quando uma voz velha com um tom sábio que parecia a voz de um senhor de idade nos chamou gritando “Ainda não acabei de te contar o que querias saber sobre ti”. Rapidamente eu parei, olhei para o Nathaniel e ele me fez um sorriso então logo entendi. Virei me para a floresta e perguntei:

- Podes me explicar?

- Claro minha pequenina era mesmo isso que te queria dizer a bocado. Como estava a dizer tu tanto podes ser o maior mal como o maior bem deste mundo. Um grande poder está concentrado em ti, e tu só tens de saber como usa-lo. Já deves ter percebido que os teus olhos eram negros e cada vez estão a ficar mais claros certo? Bem esse fenómeno acontece á tua capacidade de ver o mundo. Quando eras mais pequena os teus olhos eram negros e a medido que o tempo foi passando e atua capacidade mental evoluindo eles foram clareando. A máxima cor que eles poderão chegar é a um verde bastante claro. Quando chegares a esse tom saberás que conseguiste completar a tua missão de avatar. Bem agora eu tenho de ir, já á bastante tempo que não me comunicava com algum monstro por esta floresta por isso minha resistência está enfraquecida….

Eu e Nathaniel acabamos por sair da floresta tendo um pequeno diálogo indo em direção á sua pequena casa no mundo dos monstros:

- Agora entendi porque n querias que eu entrasse na floresta… desculpa

- N peças desculpa eu queria que entrasses.

- Como assim?

- Eu sabia que irias-te sentir melhor se entrasses lá para descobrires um pouco mais sobre ti. Aquela floresta é conhecida como a floresta da própria pele. Os monstros antes iam sempre a essa floresta para esclarecerem suas duvidas. Sei que a floresta não te disse muito sobre ti mas espero que te tenha ajudado.

- Sim ajudou… mas porque mais ninguém vai aquela floresta?

- A floresta começou a guardar espíritos das pessoas falecidas de quem ia á floresta procurar as suas respostas…

- Então quer dizer que aquele espirito…

- Sim isso mesmo… provável ser ele… o que tencionas fazer agora?...

- Eu…eu não sei…


Notas Finais


Espero que gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...