História Nina in London - Capítulo 155


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Harry Styles, Nina Alcântara Cowell, Romance, Simon Cowell
Visualizações 190
Palavras 2.189
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HAAAYYYYY!!!
Último capítulo de Nina in London!

NOVA FIC: https://spiritfanfics.com/historia/a-british-love-9941097

Capítulo 155 - I am complete because I am happy


É impressionante como as coisas acontecem porque devem ser assim...

Em um momento em que as coisas pareciam estar dando errado, a preocupação com o vestibular começando e minha mãe noiva de um idiota, ele chegou na minha vida. Harry caiu como um anjo que eu acolhi para ser meu amigo, e rapidamente, tudo tornou-se muito mais que uma amizade, algo extremamente especial, que no memento que eu o conheci, jamais havia se quer imaginado que ele se tornaria alguém tão importante para mim.

O pedido de namoro, o de casamento, o dia do nosso casamento, o nascimento da Abigail... São todos dias importantes para mim, é como se fossem o término de um ciclo e o começo de outro, juntamente com uma vida completamente nova, que eu teria de me adaptar, vivendo ao lado do homem que escolhi para envelhecer.

Quando começamos a namorar, aquele desespero de que não daria certo me tomou. As mesmas coisas aconteceram quando todos os dias mais importantes da minha vida chegaram... Cada um deles, marcaram algo na minha, na nossa, história. É como se que, apesar do desespero inicial, que aparentemente faz parte, tudo desse completamente certo no final, porque eu estava com a pessoa certa ao meu lado, porque eu vivia na hora certa.

Atualmente, eu não consigo me imaginar em um lugar diferente do que estou hoje, casada com o homem da minha vida, e com uma filha linda, que passa horas e horas do dia correndo pela casa inteira. Talvez minha menina não tenha vindo tão cedo assim na minha vida, talvez tenha realmente sido a hora certa e eu apenas levei mais tempo para perceber isso, ou talvez, mesmo sendo de mais, o amor vez a hora tornar-se certa.

Me sinto rica em vida e em felicidade. Se alguém me perguntasse qual é o meu maior sonho, apenas conseguiria dizer que é exatamente tudo o que eu estou vivendo atualmente. Eu tenho tudo o que eu sempre quis e um pouquinho mais. Apesar de que alguns momentos sinto que eu não mereço tudo isso, sei que não foi exatamente uma sorte grande na “loteria da vida” e sim que tudo foi o resultado do meu esforço, e da minha vontade de correr atrás de tudo o que sempre sonhei. Talvez em alguns momentos tudo possa simplesmente não ter muito sentido, mas com o tempo tudo se encaixa em seu devido lugar, e tudo volta a funcionar, ainda melhor do que antes.

Eu sou completa, porque eu sou feliz, porque sinto que na minha vida não falta nada:

- Vovô! Pala! – escutei Abigail falar, completamente atrapalhada com as palavras. Virei-me rindo e encontrei meu pai a jogando levemente para o ar. Ela detesta.

Abigail completou dois aninhos fazem quatro meses, e ela já sabia falar uma ou outra palavra na época. A primeira foi “papa”, afinal, ela é o puxa saco do Harry, e depois “mama”, e em seguida, para o azar da minha mãe, “vovô”. Ela ainda tem muita dificuldade para falar “vovó”. Fala completamente errado. Basicamente, das palavras que ela fala atualmente, a que ela fala mais corretamente é “vovô”:

- Pai! Deixa minha menina! – falei rindo e ela sorriu estendo os bracinhos para mim. Peguei Abigail no colo e dei um beijo estalado na sua bochecha – Acho que tem uma mocinha que precisa dormir... – falei observando ela coçar os olhinhos. Realmente... Já está tarde e ela bagunçou o dia inteiro. Levei Abigail para o quartinho dela e a deitei na caminha, que fora colocada no lugar do berço, no dia do aniversário da Abigail. Fora o presente de dois aninhos dela.

Fechei a porta do quarto dela e desci para o primeiro andar. Me despedi dos meus pais, que carregavam meus irmãos, que já haviam pego no sono, e assim que voltei para a sala, encontrei Chris de pé, e Liam com Artur no colo, que também dormia:

- Também vamos para casa... Estou exausta e Artur já dormiu. – Chris falou, acariciando a barriga de sete meses, onde ela carregava Brian.

- Está bem, eu entendo! Obrigada por terem vindo! – falei sorrindo e senti Harry me abraçar por trás. Ele depositou um beijo na minha cabeça, enquanto acariciava minha barriga, ainda inexistente, afinal, estou de apenas dois meses.

- Nós também vamos... Afinal, Cloe já foi e vocês devem estar cansados... – Ruth falou se levantando e dando a mão para Christoffer.

Ruth e Niall adotaram Christoffer faz um pouco mais de três meses. Ruth o encontrou na frente do seu restaurante, um menino magro, desnutrido, doente e abandonado. O pai nunca se soube onde esteve, e a mãe morreu de overdose de drogas. Sem família, ele acabou indo morar na rua, e teve a sorte de ser encontrado pelos dois. Christoffer ainda está se acostumando com a nova vida, e com muita dificuldade na escola, afinal é um menino de sete anos, que nunca foi a escola na vida, até encontrar Niall e Ruth:

- Tchau, Christoffer. – falei me abaixando um pouco – E venha nos visitar, está bem? Abigail gosta de brincar com você.

- Tá bom tia Nina... – ele falou meio tímido. Ele ainda não se acostumou muito com nós.

- E meu abraço? – ele sorriu levemente e me abraçou.

Eu e Harry os levamos até a porta e assim que nos declaramos a sós, nos sentamos no sofá, e ficamos trocando carinho, como nos velhos tempos... Ok... Nem tão velho assim... Senti Harry pousar a mão na minha barriga e o olhei sorrindo. Um belo sorriso estava estampado em seus lábios:

- É incrível estarmos vivendo tudo isso de novo...

- É... As coisas tem horas certas para acontecerem. – pousei minha mão por cima da dele.

Faz exatamente duas semanas que descobri minha gravidez. Eu não precisei ter o trabalho de contar para Harry, já que no momento que fiz os testes de farmácia aqui em casa, ele estava comigo, ao meu lado. Quando os três positivos param na nossa frente, fomos direto para o hospital fazer um exame de sangue o logo a verdade foi descoberta. Contamos para todos por telefone, e resolvemos ter esse jantar aqui em casa, para comemorar.

[Flash Back On]

- A Abigail dormiu logo hoje... Estava tão cansada. – Harry falou entrando no quarto. Ele se aproximou de mim e sentou-se no chão, na minha frente. Eu estava sentada na cama – Não vai me contar o que está te deixando assim? Está assim desde ontem a noite amor... – ele falou e eu respirei fundo.

- Minha menstruação está atrasada... – falei e o observei regalar os olhos – Acho que estou grávida... – falei e logo vi um sorriso se estampar no seu rosto.

- Amor... Isso é incrível! – ele riu animado – Vamos fazer um teste.

- Eu já comprei... Mas... Quero esperar o resultado com você comigo. – falei pegando a minha bolsa e tirando três testes de farmácia que comprei.

- Vai lá fazer, vou estar aqui te esperando. – ele disse sorrindo.

Me levantei e fui fazer os três testes. Logo voltei para o quarto com os três em mãos e o cronômetro ativado no meu celular, para calcular exatamente os cinco minutos. Sentei-me na cama e Harry segurou minha mão trêmula, depositando um beijo:

- Por que comprou três? – ele perguntou me olhando – Um já não seria o suficiente?

- Eu fiz dois testes quando estava grávida da Abigail... Um deu positivo e o outro negativo. De acordo com a médica existe falso positivo e falso negativo... Mas dois falsos positivos não existem, então... – abracei a mim mesma e olhei para baixo.

- Amor, calma...

- Não tem como ficar calma... – falei olhando para baixo – A gravidez da Abi foi tão difícil... Não quero passar por aquilo de novo.

- Foi difícil e foi lindo... Lembra como tudo valeu a pena depois que ela nasceu? – ele acariciou meu cabelo.

- Não muda o fato de que foi difícil... – passei as mãos pelos meus cabelos – Oh, meu Deus, a Abigail é tão pequena... Ela pode não aceitar bem.

- Amor se for mesmo verdade, ela vai se acostumar com o tempo. – ele respirou fundo – Fica calma amor, eu vou estar do seu lado, do mesmo jeito que estive quando estava grávida da Abigail, lembra? Só vai mudar que nós já temos um filho em casa e teremos mais um a caminho, fica calma.

- Tem razão... Não é tão ruim assim... – falei o olhando e mordendo meu lábios inferior.

- Não é nada ruim. – ele selou nossos lábios – É lindo, incrível... Mais um bebê nosso... Uh? – ele beijou minha mão.

Esperamos mais alguns minutos. Logo meu celular apitou anunciando que os cinco minutos de esperava havia acabado. Desativei o alarme enquanto Harry pegava os testes o os olhava. Ele fez uma expressão confusa, e pensei que ele não sabia ler testes de gravidez:

- Os três marcam... Dois risquinhos... – ele me olhou. Eu estava simplesmente congelada – O que isso significa?

Eu não o respondi. Apenas fiquei o olhando e ao mesmo não olhando para o nada. Entrei em um mundo completamente paralelo, imaginando como seria agora com uma criança pequena um bebê em casa. Estou definitivamente confusa, perdida e levemente desesperada:

- Amor? – “acordei” novamente e o olhei – O que significa? – abri e fechei minha boca duas vezes antes de finalmente conseguir falar.

- Que eu estou grávida... – falei e um sorriso tomou meu rosto.

Seus braços rodaram meu corpo e me levantaram, deixando-me de pé. Seus lábios selaram os meus e sorri ao vê-lo tão animado. Ele olhou para cima e gritou dizendo que seria pai novamente, como havia feito quando contei que estava grávida da Abigail. Abraçou-me com força, com os olhos derramando-se em lágrimas, assim como os meus:

- Obrigado amor... Obrigado por me fazer o homem mais feliz do mundo. – ele beijou-me novamente.

[Flash Back Off]

No momento, Abigail ainda está meio confusa para ideia. Explicar para ela que eu tinha um bebê na barriga, o irmãozinho ou irmãzinha dela, foi extremamente estranho e confuso, porque o tempo todo ela perguntava se eu tinha comido ele, e como ele havia parado ali dentro. Com certeza, eu e Harry não estávamos preparados para esse momento, e precisamos da ajuda de Anne para explicar a Abigail.

[Harry Styles Narrando]

Quando Nina chegou na minha vida, eu não tinha nem ideia de que ela se tornaria alguém tão especial. No momento que percebi que sentia algo a mais por ela, pensei por um tempo ser algo passageiro, apenas mais uma paixonite, mas não... Era amor... Um amor tão forte que de uma hora para outra ela se tornou única na minha vida. Eu logo soube que a queria para sempre.

No dia que decidi que a queria para sempre na minha vida, fui comprar uma aliança para pedi-la em casamento, mas foi então que ela veio com a notícia de que teria de ir embora. Pensei que tudo o que eu sentia por ela iria acabar, mas a cada dia doía mais e mais tê-la longe de mim.

Depois de cinco longos anos, ela finalmente voltou. Voltou para a minha vida, voltou para mim. Assim que ela estava ao meu lado novamente, eu logo quis oficializar tudo, mas Nina não queria. Ela estava certa, era cedo, mas o amor que eu sentia, e o medo que eu tinha de ela ir embora novamente, e nunca mais ser minha, era muito grande.

Quando senti que não tinha mais como aguentar não tê-la oficialmente para mim, eu a pedi em casamento, e quando o “sim” saiu de seus lábios, senti que tudo na vida tivesse sentindo.

Pouco tempo depois que nos casamos, sonhei que Nina estava grávida, e então um desejo insano de vê-la assim me tomou completamente. Todos os dias eu a olhava, e a imaginava com um barrigão, enquanto sorria, acariciava a barriga e comentava sobre o bebê estar mexendo.

Apesar de que me arrependo amargamente de ter a pressionado tanto, hoje não me imagino sem a nossa menina. Talvez se eu tivesse esperado, e mantido apenas nos meus desejos a visão dela grávida por mais um tempo, até tudo finalmente tornar-se realidade, teria feito a gravidez da Abigail ser uma lembrança muito mais bonita, por que o medo de tudo dar errado pelo fato de ela ainda não se sentir pronta, a fez não aceitar estar grávida durante praticamente a gravidez inteira.

Agora com o nosso segundo filho em seu ventre, e com ela sentindo estar pronta para isso, tudo está perfeito. Nina fala com a barriga, sorri para mim animada... Algo que eu senti falta na gravidez da Abigail.

Nina, Abigail e o agora o nosso outro filho que ainda é uma sementinha em sua barriga, são a família que eu escolhi e formei, e eu jamais a trocaria por nada nesse mundo:

- Ainda não acredito que teremos mais um. – falei acariciando minha barriga.

- Espero que ele seja bem calmo, como a Abigail.

- Vai ser... – beijei sua cabeça.

[Nina Alcântara Cowell]

- Eu te amo... – Harry falou e eu o olhei sorrindo.

- Eu também te amo. – selei nossos lábios.

E sempre vou amar...

FIM


Notas Finais


AGRADECIMENTOS E NOVA FIC

Gostaria de agradecer a todos que acompanharam essa fic, que eu dediquei muito carinho e tempo para escrevê-la. Obrigada por lerem, favoritarem, comentarem... Sem vocês, eu não sentiria vontade de continuar escrevendo e postando, ver o apoio de seus leitores é fundamental para uma fic continuar sendo escrita e postada, então quando gostarem de uma fic, não deixem de favoritar e comentar!
Nina, fez parte da minha vida... Foi a primeira personagem que criei, e tudo começou quando encontrei a foto da personagem Nina, há cerca de três anos atrás, editei um pouco e então a criei. Comecei a história como uma brincadeira, uma tentativa de voltar a escrever uma fanfic. Eu já tinha escrito outras, algumas foram ao ar, mas acabei tirando todas elas, porque simplesmente as odiava, e não queria mais uma história com o meu sentimento de ódio nela, e sinto que não falhei nesse quesito em Nina in London.
Eu escrevi a história, sempre pensando “Eu gostaria de ler essa história?” e após terminar, eu digo que sim, eu a leria. Infelizmente não sou muito boa com finais, espero que meu final não tenha deixado muito a desejar...

E agora, vou falar da minha nova fic!

“A British Love” é a minha nova história, espero que aos que se apegaram a Nina, se apegam a minha personagem Megan da mesma maneira. Nina e Megan são pessoas completamente diferentes, e espero que fiquem cientes de que ser a mesma pessoa que escreve a história, elas não serão iguais, e não terão a mesma pegada.
Megan é uma pessoa absurdamente radical, e espero que saibam que a maneira que ela apresenta suas opiniões no decorrer da história, é bastante agressiva, opiniões que podem até mesmo ofendê-los, mas peço que não a odeiem por isso, tentem ver o lado dela... Atrás de qualquer pessoa que tem uma visão radicalmente agressiva das coisas, normalmente tem uma experiência do passado que as faça pensar assim.
Não esperem Megan, como uma personagem fofinha e romântica. O seu par será Louis, e eles não serão como Nina e Harry que são praticamente iguais um ao outro no quesito de planos e pensamentos... Megan e Louis são opostos...
Mas lembre-se: os opostos se atraem.

Link da nova fic:
https://spiritfanfics.com/historia/a-british-love-9941097

Espero ver vocês lá!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...