História Ninfomaníaca - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Esquadrão Suicida, Jared Leto
Tags Jaredleto, Saharluna, Thejoker
Exibições 93
Palavras 950
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Perdoem os erros e a demora, estou fodida com trabalhos e provas.

Capítulo 5 - 4 Dias


LUNA POV ON *

            - Então, eu invadi o puteiro em que o mais novo casalsinho estavam enfiados e a cena era ridícula – Joker fez uma pausa enquanto sorria, se deliciando em mais uma de suas memórias sangrentas e pelo sorriso eu a julgava como a mais prazerosa ao seus olhos – Ele estava sentado no sofá assistindo algo na televisão e ela aparentemente na cozinha, eu vi pela bancada que separava os cômodos.

            - O que há de ridículo nisso ? – perguntei interessada, afinal era algo normal até para os vilões, não ? Digo, quantos gangsters e traficantes não andam engravatados de manhã, agem por baixo dos panos a tarde e voltam pro sofá de casa com a família a noite ? Joker riu escandalosamente e finjiu enxugar lágrimas enquanto suspirava recuperando o ar.

            - Arlequina e Pistolinha – seu tom era divertido e o sarcasmo escorria por suas presas, prontas pra rasgar a garganta de qualquer um que discordassem de sua lógica – Dois dos loucos mais procurados de Gotham, agindo como se fossem um casal – disse com nojo – normal. Tentando fugir da vida em que escolheram ter, sabiam que era e sempre será um caminho sem volta, baby. Uma vez que se escolhe o lado negro, pode se misturar o branco, azul, o que for : será cinza, mas ainda estará sempre danificado por um traço de escuridão que não se pode ser apagado – filosofou de maneira calma, mantendo um sorriso nos lábios – após alguns minutos de conversa agradável, eu a matei e ele, quase. Ele ao menos tentou salvar Harley quando ela estava ensangüentada, eu atirei e ele saiu esburacado e sangrando por sei lá onde. Após um tem fui pego e... aqui estou eu! – Joker abriu os braços ainda sorridente e deixou seu corpo boiar na piscina.

O efeito do LSD já era fraco, pois passamos o ápice da droga trocando saliva da forma mais pornográfica possível até rolarmos pelo chão e cairmos na água. Eu gostava da maneira como ele falava, era detalhista, calculista, frio. Eu era parecida, mas como eu não devia satisfações a ninguém, poupava os detalhes pra mim, ninguém precisava saber.

A musica ainda tocava mas eu não dava mais atenção a isso, meu corpo estava lento ainda sob o efeito mesmo sendo fraco e eu pensava se Joker não havia ficado nem um pouco chateado, até concluir que : Ele é e sempre será um perfeito sociopata, seu maior prazer é a dor e seu passa-tempo preferido é o caos, nada mais teria sua atenção por muito tempo.

            - No que tanto pensa, pirralha ?- Joker perguntou me fazendo voltar a órbita. Ri baixo sem motivo algum e mergulhei, tentando ignorar o frio que eu sentia naquela água extremamente gelada então comecei a me agitar para esquecer que o frio existia.

            - Engraçado, estávamos quase transando e de repente eu voltei a ser pirralha do nada ? – murmurei com o máximo possível de sarcasmo e sorri junto ao mesmo, como sempre, de forma irônica.

            - Então ainda se lembra que isso aconteceu ?

            - Eu estou chapada, palhaço, penso e lembro de várias coisas...

            - Do que está se lembrando ? – perguntou parecendo estar interessado, Coringa tentava arrancar informações de mim a todo custo da forma mais discreta possível, mas eu sempre percebia. Ele aprendeu bem com Harleen, mas não o suficiente. Sabia que apesar de estar sendo legal comigo e trocando favores, ele poderia me foder pelas costas a qualquer momento, ele ainda sim, é o Coringa.

            - Não te interessa, a curiosidade mata, palhaço.

            - Eu também mato, criança – Joker revirou os olhos mas riu, então com receio de morrer afogada ali, me empurrei até a borda e sentei na mesma, deixando apenas os pés na água – Com medo ?

            - Não, apenas sei que apesar de estar sendo um bom fornecedor, você não deixa de ser você, Coringa.

            - Garotinha esperta...Hm – Coringa voltou a olhar para o nada e sorriu imensamente. Aí tem. – Você seria muito, muito útil.

            - Fico lisonjeada, palhaço...- murmurei sem dar muita importância e estiquei o braço, peguei um pino e despejei no chão, cheirando as fileiras todas de uma vez enquanto o homem de cabelos verdes assistia a cena e batia palmas assim que cheirei a ultima fileira.

            Joker saiu da água e apanhou um de meus doces, o devorando com ignorância, como se estivesse mastigando a carne do pescoço de alguém e veio até mim, me levantou do chão com violência e tomou meu rosto entre as mãos. Coringa me encarou nos olhos por cerca de mais alguns minutos e me beijou novamente, eu ri e retribui na mesma dose de violência, que era o toque peculiar que seus lábios carregavam quando se juntavam aos meus.

            - 4 dias, criança – Coringa murmurou sério e acariciou meu rosto com o polegar três vezes, se afastou e saiu sem olhar pra trás após apanhar o celular no chão.

            Maluco. Retirei os resíduos e provas quaisquer que houvessem sobrado ali e voltei pro meu quartinho, retirei as roupas encharcadas e coloquei o uniforme extra que me foi dado, caindo na cama em seguida.

(...)

Acordei com uma sirene extremamente alta tocando e suspirei, que diabos está acontecendo ?  Me levantei da cama e me aproximei do vidro de minha cela e vi guardas correndo de um lado para o outro, uma voz robotizada ecoou por altos falantes que ficavam no corredor do lado de fora.

“ Um paciente do Nível 4 fugiu, todos os quartos serão revistados e após o processo de investigação, voltaremos a rotina normal. Permaneçam no canto a esquerda de seus quartos virados para a parede, começaremos pela revista de cômodo por cômodo”

Fodeu.


Notas Finais


O que acharam ? Amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...