História NIRRTY (dirty!liam) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Liam Payne, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Igreja, Kinky, Niam, Religião, Smut, Ziam
Exibições 331
Palavras 4.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HELLO BITCHES ESTOU DE VOLTA Nem demorei, né!?

Vocês não sabem o quanto eu to nervoso aqui, eu tô literalmente tremendo!!!
Como eu disse nas notas finais de Sky Is The Limit (se você ainda não leu, link nas notas finais) decidi fazer uma coisa diferente dessa vez. Primeiro de tudo: não tem Louis, nem Harry! Yeah!! Decidi que já era hora de agitar um pouco a vida de Liam, Zayn e Niall! Essa é uma das novidades.

A outra novidade, alguns já devem ter percebido, agora eu tenho um nome. OH YEAH, AMEM!? Amém!
Meu nome é Austin Greenberg, prazer ;) Agora vocês já sabem como me chamar hauahuahasusa :'D

Tava dando tudo errado pra eu postar hoje, tá aí @AmadaMay que não me deixa mentir. Era internet falhando, computador dando pau, lerdice, UM MONTE DE CONTRATEMPOS. Mas eu aceitei o desafio e dei meu jeito de postar. Eu ainda nem ia começar uma nova fanfic porq não to pronto. Vocês me arrasaram com os reviews de SITL AINDA NAO ME RECUPEREI

Obrigado a todos.
Acho que já tá na hora de eu calar a matraca e deixar vocês embarcarem na minha nova loucura romântica. If that...

Bem vindos a NIRRTY enjoy x

Capítulo 1 - Object of Affection


Fanfic / Fanfiction NIRRTY (dirty!liam) - Capítulo 1 - Object of Affection

Liam: E aí, vou poder te comer hoje?

Zayn: Não sou um objeto, Liam

Liam: Claro que não

Liam: Mas se você fosse

Liam: Não gostaria de ser o objeto do meu afeto?

Zayn: yeah…

Zayn: É por isso que estou ainda aí hoje né

Zayn: Tudo pronto?

O barulho surdo no carpete da escada anuncia que alguém está entrando em meus domínios.

Liam: Pera um pouquinho

Envio a mensagem e olho adiante. Meu pai surge com um olhar sério, mesmo que seu sorriso sugira algo diferente. Percebo que ele está arrumado, já pronto para ir ao trabalho. Ele é dono de um restaurante recém construído.

“Já está de saída?” Pergunto.

“Sim. Mas não vou ao restaurante ainda.”

“Não?”

“Filho, tem algo que preciso conversar com você”, ele franze o cenho e olha em volta.

“É sério?” Preocupo-me. 

“É… uma mudança, digamos assim. Literalmente.”

“Ah, pai, desembucha logo!”

“Ok”, ele respira fundo. “O filho de um amigo meu está vindo pra cá pra estudar.” Dou de ombros, pois não sei o que isso tem a ver comigo. “Eles querem economizar com estadia, então eu disse que ele poderia ficar aqui conosco. Ele é muito bem vindo.”

“Sim”, ainda não entendi o que isso tem a ver comigo. Ele vai pedir para eu fazer companhia pra ele ou o quê?

“Bom, você sabe que nossa casa é pequena e…”

Finalmente entendo aonde ele quer chegar.

“Ah, não!” Exclamo.

“…e eu sei o quanto você adora esse lugar e a sua privacidade…”

“Pai, para, para!” Peço. “Você só pode estar brincando!”

“Por favor, filho.”

“O senhor disse que ele poderia ficar aqui embaixo?”

Minha família é constituída por cinco membros: meus pais, minhas duas irmãs e eu. Somos uma família de classe média, moramos em uma casa pequena. Meu pai usou parte de nossas economias para construir o restaurante, e a outra parte, para mandar minha irmã mais velha a faculdade. A casa tem apenas dois quartos: um deles para os meus pais e outro para as minhas irmãs. Eu fiquei com o porão. Parece ruim, mas eu juro que é o melhor lugar do mundo!

“Essa não, pai! Todo mundo sabe que esse lugar é o meu refúgio, meu santuário!” Abro os braços e faço uma cena dramática, o que gera um riso que meu pai tenta disfarçar.

“Eu odeio ter que fazer isso… Se ele fosse passar apenas alguns dias, eu o colocaria na sala, mas… E eu não posso colocar ele no quarto de sua irmã, não é?”

“Qual o problema com isso?” Banco o inocente.

“Por favor, filho. Pelo menos conheça-o… vocês podem virar bons amigos.”

Olho para o teto por meio segundo pensando nisso. Meu celular vibra em minha mão. Mensagens de Zayn, provavelmente. Esse intruso que meu pai fala ainda nem chegou e eu já o odeio. Ele vai empatar todos os meus planos. Já se foi a minha foda de hoje.

“Ok, claro”, respondo no tom mais verdadeiro que eu consigo.

“Muito obrigado, meu parça!”

Começo a rir. Rodopio e me jogo no sofá.

“Por favor, pai, para de tentar dar uma de garotão. Tá pegando mal!”

“Não pode me culpar por tentar!” Ele ri e aponta para mim. “Vou ao aeroporto busca-lo. Você quer ir junto?”

“Não!” Respondo com um tom mais ríspido do que eu queria. “Quer dizer… vou logo arrumar aqui um cantinho pra ele.”

“Esse é o espírito, garoto!” Ele se aproxima e dá um tapinha em meu ombro. “Obrigado!”

“De nada, pai. Agora, vai logo!”

Finalmente, o coroa se retira e eu apressadamente ligo a tela de meu celular. Como eu havia imaginado, são mensagens do Zayn — entre outras que não vem ao caso.

Zayn: O que foi?

Zayn: Cara, o que aconteceu?

Zayn: Você tá dando pra trás?

Liam: Lógico que não, po

Liam: Cê acha que eu ia te dispensar?

Zayn: Po, aumentou minha moral

Liam: Só não sei se rola hoje…

Liam: :T

Zayn: aaaaahh

Zayn: tá de zoa !?

Liam: tem um moleque vindo pra cá

Liam: vai ficar uns tempos aqui em casa

Liam: NA MINHA BATCAVERNA

Zayn: nossa* batcaverna

Liam: exato

Zayn: uns tempos quanto?

Zayn: Três dias?

Zayn: Uma semana?

Liam: o ano inteiro…

Zayn: UKE

Zayn: tA PHODA

Liam: To puto também

Liam: Tenho que arranjar um espaço aqui pra ele agora

Zayn: quer ajuda?

Liam: Naaoo… você vai me atrasarr

Zayn: quer dizer que você não vai me comer hoje?

Zayn: *imagem anexada*

Zayn: #chateado

Caralho, esse filho da puta é muito sexy…

Liam: Vem

Liam: A gente dá um jeito

Zayn: Sério?

Liam: Não sei qual

Liam: Mas a gente dá

Zayn: Opa

Zayn: Pensei que só eu fosse dar

Zayn: Aí sim hein

Liam: *aúdio de riso*

Jogo o celular no sofá e olho em volta. Estou diante de um enigma muito traiçoeiro: que parte dos meus domínios eu vou ceder?

Vou dar a vocês um tour pelo meu porão pra que vocês vejam o quanto ele é foda:

Ele ocupa o espaço inteiro debaixo da casa. Não sei quanto é isso em metros, a casa não é muito grande, mas para um cômodo apenas, porra! …é enorme! Maior do que isso só a minha pica.

Ele é dividido em quatro compartimentos: tem uma sala pequena, que seria utilizada para colocar ferramentas e essas coisas, mas eu o transformei no meu quarto. Só vou lá pra dormir e trocar de roupa. O espaço é tão pequeno que só cabe minha cama e meu guarda roupa.

Diante dele, temos o verdadeiro Liam Play Center, como eu gosto de chamar: uma TV de 50” cercada pelo home theater e pelos meus video games. Uma estante enorme na parede é recheada de livros sobre sexo — mentira! Sou menino de igreja — jogos, CDs, etc. E, na frente da TV, um sofá de três lugares que se transforma em uma cama. Tem uma mesinha com gavetas no meio desse playground, também. 

Aí tem a porta diante da escada, que dá pro lavatório. Lá é onde ficam as verdadeiras tralhas dessa casa, junto com a máquina de lavar roupa e um banheiro de serviço.

As festas e reuniões que já rolaram nesse lugar… são milenares!

Então, eu acho que o meu sofá vai virar a cama dele, certo? E ele pode usar essa mesinha aí também pra guardar as roupas dele. Olho para a estante bagunçada e penso em arruma-la para arranjar algum espaço. Na verdade, acho que esse lugar inteiro precisa de uma arrumação — e de uma limpeza também. 

Passo um tempo fazendo isso, aguardando Zayn chegar, mas nada dele aparecer.

Liam: Cadê você, cara?

Liam: Já tá vindo?

Espero ele responder, mas nada acontece. Jogo o celular de novo em cima do sofá e continuo com minha arrumação. Parece que pouco tempo se passou, mas já foi mais de uma hora! Somente percebo isso quando escuto o barulho da porta e meu pai desce as escadas acompanhado do moleque.

“Ei, você deu uma geral aqui embaixo. Valeu, meu parça!” Diz meu pai e eu viro a cara para revirar os olhos. “Esse é Niall, seu novo colega de quarto.”

Viro minha atenção para o intruso parado timidamente no pé da escada. Ele é branco e bem magrinho. Tem uma cara meio besta. E eu juro que esse cabelo loiro dele é descoloração, só pode!

“Oi, Niall!” Forço meu tom para tentar ser simpático. “Sou Liam. Bem vindo ao meu santuário!” Abro os braços e giro.

“Obrigado…” Ele esfrega o braço e dá pra notar o quão tímido ele é.

“Pode se sentir a vontade, Niall!” Meu pai o acolhe. “Você está em casa!”

“Muito obrigado, senhor Payne”, ele responde ao meu pai com um pouco mais de entusiasmo. Acho que já se sente a vontade com ele. “Onde posso colocar minhas coisas?”

Olho para mala em suas mãos. Não é muito grande. Ótimo, pelo menos o loiro falso não é bagulheiro.

“Traz aqui”, estico os braços e Niall vem até mim.

Pego sua mala e a coloco no chão diante do sofá. Retiro o lacre com uma tesoura e abro-a.

“Esse sofá vai ser a sua cama. Depois te ensino a puxar ele pra ficar melhor”, digo. Sinto meu celular vibrar e dou uma espiada.

Zayn: tô quase chegando

“Você pode colocar suas roupas nessa mesinha aqui”, apresso a apresentação. “E o resto das coisas, na estante. Se precisar de mais algo, é só me avisar!” Passo a mão pra trás da minha cabeça e a coço de leve.

“Muito obrigado, Liam”, ele diz em tom baixo e tenta me olhar nos olhos, mas não consegue. 

“Bom”, meu pai chama nossa atenção e sorri como forma de agradecimento, “eu tenho que ir até o restaurante agora. Você quer ir lá conhecer, Niall? Ou prefere descansar primeiro?”

Vai, penso. Por favor, pelo amor de Deus, diz que sim! Quem descansa é morto. Por favor, vai!

“Não, eu vou! Não estou cansado. E posso arrumar minhas coisas depois.”

Amém, irmãos.

“Muito bem, então vamos lá!”

Niall tira a mochila que estava em suas costas e a larga sobre a mala. Ele caminha até meu pai, que passa o braço pelos seus ombros e o acompanha. 

“Voltamos a noite, Liam”, meu pai avisa.

“Não tenham pressa!” Sorrio sarcasticamente.

“Prazer te conhecer, Liam.” Niall diz antes de subir as escadas.

“O prazer… será todo meu”, digo baixinho e penso no lance que terei com Zayn. Meu pênis já começa a dar sinal de vida só de pensar nisso. Estou completamente sozinho.

Liam: barra limpa

Zayn: abre logo as pernas

Zayn: a porta*

Liam: engraçadinho

Zayn: discurpa

Zayn: foi o corretor

Liam: VEEEMMM

Corro até o banheiro e dou uma olhada no meu look. Não estava preparado pra isso porque pensei que a presença do moleque fosse atrapalhar meu lance com Zayn. Agora, estou dando um trato no meu cabelo e passando perfume, só pra depois eu ficar bagunçado, sujo e suado. 

Escuto a campainha tocar e vou até a porta. Zayn está lá, com um sorriso sapeca nos lábios. Meu coração acelera e sinto um pouco de nervosismo. Marcar transa é uma coisa muito estranha. Abro a porta para ele e ele passa por mim com um leve cumprimento.

“Pensei que você já estivesse aberto”, ele sorri.

“Eu estava, mas você me deixou esperando! Por que demorou tanto?” Pergunto enquanto atravessamos a cozinha e descemos a escada até o porão.

“Um pequeno contratempo…”

“Foi bom, até.”

“O moleque já chegou?” Zayn pergunta apontando para a mala ao chegarmos no porão. “Onde ele tá?”

“Ele foi até o restaurante com meu pai”, sorrio enquanto ligo o video game. “Eles só voltam mais tarde. Beeeem mais tarde”, digo com um tom malicioso e entrego um controle a Zayn.

“Nós vamos fazer esse jogo de novo?” Zayn pergunta enquanto pega o controle. “Fingir que estamos jogando enquanto flertamos um com o outro e morremos de vontade de nos comer?”

“Se não fosse por isso, nem estaríamos aqui hoje, né? Preliminares… é importante.”

“É o que eu quero fazer agora… Não aguento mais ficar com as mãos longe de você!”

“Então me toca! Passa suas mãos por todo meu corpo!”

O controle na mão de Zayn vai até o chão de carpete em segundos. Ele desliza pelos meus ombros, meus músculos, meu peito, apreciando cada toque por onde passa. Seus olhos vão até a parte inferior do meu corpo e suas mãos seguem para lá. Antes que ele consiga alcançar meu pênis, seguro suas mãos com força e digo:

“Vamos chegar lá.”

Sorrio com os lábios entre os dentes e colo o corpo de Zayn no meu. A temperatura logo aumenta, junto com a pressão em minha cueca. Beijo seus lábios e finalmente temos o momento que queríamos ter há meses, mas ninguém tinha coragem de fazer.

Ficávamos apenas mandando indireta, brincando de “vamo ver quem cede primeiro”, mas agora essa brincadeira acabou, e nossa paciência também.

Solto as mãos de Zayn para poder me apropriar de seu corpo e o tomo para mim, pressionando-o firmemente contra o meu. Ele solta um pequeno gemido com o movimento e põe as mãos em minhas costas, descendo levemente por elas até alcançar minhas nádegas. Isso aumenta ainda mais o prazer e faz meu pênis se endurecer cada vez mais.

“Por que demoramos tanto pra fazer isso?” Indago perdidamente.

“Porque você ficava dando uma de bom garoto.”

“Eu sou um bom garoto, Zayn”, beijo-o mais uma vez e sugo sua língua. “Um bom garoto que faz coisas perversas de vez em quando”.

“Por mim, tudo bem”, é a vez dele de pegar minha língua e chupa-la, morde-la, me endurecer ainda mais. 

“Vem cá”, puxo ele pela gola da camisa e o jogo no sofá, mesmo com toda dificuldade causada pelos entulhos de Niall. “E tira essa camisa!”

Puxo a peça de roupa para cima, ajudando-o a se livrar dela, e revelando assim, seu peitoral nu e suas tatuagens maneiras. Faço o mesmo com a minha e me sento com uma perna sobre a coxa de Zayn, beijando-o ardentemente. Sua mão acariciando meu pescoço logo começa a passear pelos meus músculos em direção a minha cueca. Agora que estou duro, quero mais é que ele me masturbe mesmo.

Desvio os beijos para seu pescoço e arranco alguns gemidos dele. Sua mão já está entrando no cós de minha bermuda, o que significa dizer que, em pouco tempo, estarei gemendo também. Ponho a língua para a fora e a passo por todo o pescoço dele, sentindo um gosto fortemente ácido e salgado, realmente muito gostoso. Sinto, também, sua barba me pinicando, o que deixa a situação ainda mais prazerosa.

Finalmente, a mão de Zayn entra por debaixo das minhas roupas e alcança meu pau. Sinto-o bombar enquanto sou acariciado. Conforme esperado, começo a gemer e deixo de lambe-lo para começar a chupar. Os movimentos de vai e vem são apertados, mas prazeroso assim mesmo. Dá pra sentir meu pré gozo em sua mão sendo esfregado contra meu membro.

Levanto-me devagar e faço menção de subir no colo de Zayn. Volto a beija-lo um pouco enquanto ele me acaricia.

“Tá gostando disso?” Pergunto em um sussurro sôfrego. 

“Pra caralho. Mal posso esperar pra ver o que eu to pegando!”

“E o que vai fazer com ele?”

“Vou colocar na minha boca!”

“Só na sua boca, é?”

“Eu vou. Mas você… pode colocar onde quiser!”

“Bom garoto”, solto um riso malicioso e encosto os lábios molhados no pescoço de Zayn. Com uma das mãos, ele tenta me masturbar como pode e, com a outra mão, ele acaricia minha cabeça. Estamos perdidos em gemidos baixos quando, de repente, Zayn tira a mão de mim e vocifera:

“Liam!”

Levanto a cabeça e sinto a presença de alguém. Quando olho para trás, vejo Niall subindo as escadas.

“Fuck!” Exclamo antes de pegar a camisa e correr atrás dele.

Puta que pariu. Eu sabia que esse moleque ia ser um problema! Subo apressadamente as escadas, pulando de dois, três degraus de uma só vez. Alcanço-o quando ele está quase passando da cozinha para a sala. Dou um puxão em seu braço e seguro seus ombros.

“O que está fazendo aqui?”

“Me desculpa!” Seu rosto está mais vermelho do que beterraba. Ele tenta se desvencilhar de mim, mas não o deixo.

“Niall, você não pode contar a ninguém!”

Por meio segundo, ele me olha nos olhos, mas logo desvia, mostrando certo incomodo e bastante vergonha. Olho para baixo e vejo um certo volume querendo se formar em suas calças, o que me traz um sorriso imediato.

“Não se preocupa, não vou contar a ninguém. Eu só vim buscar algo que seu pai me pediu.”

“Onde ele está?”

“No carro, esperando por mim. Eu ia pegar meu celular na mochila, mas deixa pra lá.”

Niall se solta de mim e eu o vejo sair pela porta da frente, ainda vermelho. Observo pela janela da cozinha que ele adentra o carro com um pacote em suas mãos. Em poucos segundos, o carro entra em movimento e vai embora. Suspiro aliviado.

Desço calmamente até o porão e encontro Zayn sentado de pernas fechadas no sofá, sua expressão claramente constrangida.

“Cara, foi mal… que barra!” Ele diz.

“Não, relaxa”, aproximo-me calmamente dele e largo a camisa no chão.

“Mas o carinha viu nosso lance. Por que tá tranquilo?”

“Ele não vai contar pra ninguém.”

“Como você sabe?”

“Confia em mim, eu sei. Agora… onde nós paramos.”

Zayn leva meio minuto me analisando e decide acreditar em mim e tentar não se preocupar. Ele abre um pouco as pernas e desfaz a cara de preocupação.

“Você estava prestes a subir no meu colo”, ele diz.

“Estava?”

“Sim.”

“E você estava prestes a me chupar!”

“Estava?”

Em resposta, abaixo minha bermuda e deixo com que meu pau saia livremente. Se ele amoleceu alguma coisa durante esse meio tempo, nem dá pra perceber. A luxúria toma conta do olhar de Zayn e, automaticamente, seu corpo se ergue para frente.

Tiro completamente minha roupa e me aproximo dele. Ele pega no meu pau de novo e começa um vai e vem lento. Sua língua chega até minha glande e dá algumas lambidas.

“Quero ver você cair de boca!”

“Com prazer!”

Aperto os lábios com o dente no segundo em que Zayn engole meu pau. Todo o ar que eu tinha em meu pulmão se esvai. Coloco uma mão em sua cabeça e acaricio seu cabelo enquanto empurro sua cabeça cada vez mais rápido e cada vez mais fundo.

“Boquinha gostosa essa que você tem, Zayn… Se eu soubesse antes…”

Ele para um pouco pra respirar e lambe meu pau da base até a glande, só pra não me deixar sem suas carícias. Tento puxar seu cabelo curto enquanto aguardo ansiosamente.

“Me engole, Zayn…” Peço, o ar interrompendo minha fala ao sair exasperado. “Engole tudo.”

“Vou tentar.”

Ele abre a boca e começa a sugar cada centímetro do meu pau. Pouco a pouco, ele vai conseguindo engolir o máximo possível. Sinto minha glande tocar sua goela e o esforço que ele faz para não se engasgar, mas é inevitável. Rapidamente, ele para de me chupar e tosse um pouco.

“Não dá, você é muito grosso!”

“Não sei se isso é um elogio ou um insulto, mas contanto que você aguente por trás, tá ótimo.”

“Ei, e aquele nosso troca troca?” Ele leva a mão até minhas nádegas.

“Vou pensar. Mas enquanto isso… chupa, vai!”

Empurro sua cabeça e ele engole meu membro novamente. Movo meu corpo em sua direção e o puxo com ambas as mãos. Zayn abre a boca e põe a língua para fora enquanto eu o fodo gostoso. O barulho que ecoa desse ato só não preenche o local graças ao barulho do video game ainda ligado. Meus gemidos também comparecem e eu sinto vontade de ter algo apertando meu pênis. 

“Tô no meu limite, Zayn. Vira a bunda pra mim!”

O filha da puta começa a rir enquanto se levanta e eu abaixo sua bermuda. Viro-o de costa e ele se coloca de joelhos no sofá. Como um imã, meu pau é atraído para a fissura em sua traseira e é lá que eu começo a me esfregar. 

“Vai devagar que eu sou apertado”, ele pede.

“Ótimo, bem do jeito que eu gosto! Vou te dar outra coisa pra você chupar enquanto isso.”

Ponho meus dedos em sua boca e ele logo entende o recado. Começa a chupa-los, deixando-os bem molhados enquanto eu sarro com força meu pau em sua abertura. Carrego o máximo de saliva possível e levo até o anus de Zayn. No começo, não escuto nada ecoando dele, pois estou apenas preparando o terreno. Mas é quando eu enfio meus dedos que o nada se transforma em gemidos constantes. E logo, os gemidos se tornam gritos quando meto pra valer meu membro naquele buraco apertadinho que ele tem.

“Minha nossa, Zayn…” Arfo.

“Eu que… Ah, ai… d-digo…”

Enfio meu membro até onde é possível. Zayn me empurra de vez em quando, controlando seu limite. Pouco a pouco, vou me encaixando nele e chego ao talo. É aí que ele dá um grito de tesão seguido por um sorriso safado.

“Pronto?”

“Vai logo!”

Começo a bombar Zayn, lentamente no inicio, mas conforme ele se acostuma e me dá espaço, passo a fazer o vai e vem um pouco mais rápido. De repente, ele solta um riso no meio de seus gemidos.

“O q-que foi?”

“Você não se sente culpado por… Ai… arh…”

“O quê?” Diminuo o ritmo das estocadas para poder ouvi-lo.

“Por estarmos transando na cama do seu inquilino…”

“Antes de ser a cama dele, é o meu sofá”, respondo rispidamente. “Não acredito que você nos interrompeu por isso!”

“Foi só uma ideia…” Enfio meu caralho com tudo nele. “Ai, filho da puta!” Ele grita.

“Uma ideia besta”, respondo. 

“Vai, continua!” Ele bate na lateral do meu corpo.

“Tá gostando, né?”

“Vai logo!”

Aumento novamente o ritmo do vai e vem, mas sinto um pouco de dificuldade agora, pois já não estamos mais tão lubrificados quanto antes.

“Preciso de mais saliva!” Anuncio.

“Te dou algo melhor…”

Zayn se joga deitado no sofá e me puxa para cima dele. Lhe dou um beijo voraz e ele leva minha mão até o seu pau.

“Retribui o favor?” Ele me olha de forma maliciosa. Essa cara de safado me dá muito tesão.

“Claro!”

Ponho-me de joelhos e começo a chupar o pau de Zayn. Meu Deus do céu, me perdoa, senhor, mas que caralho gostoso! Não é tão grosso quanto o meu, mas é muito bom. Depois de tanto fazer vai e vem com a boca, chupo apenas sua glande enquanto o masturbo. Isso faz com que ele se retorça de prazer no sofá ao gemer meu nome.

Sua mão vai até minha cabeça e me empurra com tudo pra baixo. Engulo o máximo que consigo sem me engasgar e repito esse ato várias vezes. Zayn está perdendo os sentidos. Seus olhos estão apertados e sua cintura vai de encontro a minha boca. Já sei o que está por vir.

“Não vou parar só porque você gozou, Zayn. Ainda quero te comer mais um pouco!” Aviso.

“Eu não tava.. ah… planejando… ai …não para!”

Passo a masturba-lo com mais vontade ainda e uso a boca para sugar suas bolas. Brinco com elas usando os lábios e a língua. Zayn solta alguns palavrões enquanto goza. Dá pra sentir o esperma quando ele passa fortemente pelo seu membro e suja todo seu torso.

“Uau…” Falo. “Delícia!”

Chupo mais um pouco o caralho dele e ele se retorce bruscamente.

“Pronto. Tá aí seu lubrificante!” Ele aponta para o esperma.

“Adorei”, sorrio maliciosamente e apanho um pouco da porra, passando-a na sua abertura e lambuzando todo meu pau. Ah, que gostoso. “Pronto?” Levanto as pernas de Zayn.

“É todo seu!”

Novamente, estou dentro de Zayn, dessa vez com muito mais rapidez do que da ultima vez. Ele solta um gemido atrás do outro e eu passo a língua pelos lábios, me deliciando com essa cena: Zayn de pernas abertas, todo entregue a mim; meu pau entrando e saindo rapidamente, fazendo barulhos obscenos; minhas bolas batendo em sua bunda. É tesão demais pra uma pessoa só, eu não aguento!

Retiro meu caralho de dentro dele e não levo nem dois segundos me masturbando para ejacular em cima de Zayn. Ele me amarra com suas pernas e tenta se esfregar em mim o máximo possível enquanto tento me recuperar dos espasmos. Logo, minha perna fica bamba e eu me jogo sobre o corpo dele, sentindo todo o gozo misturado entre a gente.

O peito de Zayn faz com que minha cabeça suba e desça, acompanhando o ritmo de sua respiração funda. Estamos exaustos.

“Isso foi muito… foda…” Sussurro quase sem ar.

“Droga, a gente não usou camisinha!”

“Você pensou nisso só agora?”

“Você me deixou sem consciência, sabe…?”

“Fica tranquilo, gata. Só toma uma pílula e sussa, morou?” Imito sotaque de surfista.

“Você é muito sacana!” Ele ri e me faz rir de leve também. 

“Ai, ai…” Levanto-me lentamente e puxo Zayn para cima. Ele espia o video game ainda ligado e sorri para mim.

“Então, que jogo vamos jogar?” 

“Pensei que você fosse me ajudar a limpar tudo aqui. Não foi por isso que você veio?”

“Tá se fazendo de inocente de novo?”

Começo a rir.

“Não tô me fazendo de inocente, Zayn… eu sou inocente!” Afirmo e ele explode em risada. “Eu sou inocente…”


Notas Finais


SKY IS THE LIMIT:
https://spiritfanfics.com/historia/sky-is-the-limit-larry-stylinson-au-5828677

Espero que vocês tenham gostado,
até breve!

A.G.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...