História No Acorde do Amor - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki
Tags Naruhina, Naruto, Romance
Exibições 69
Palavras 2.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi Leitores amados !!! Calma ! Não atire pedras ainda. Rs.

Bom, eu demorei pra postar porque eu estava estudando pra fazer o famoso vestibulinho anual da escola Tancredo.

E... Eu tenho certeza que passei 😎😎😎.

Mentira. Tô morrendo de medo desse resultado.

Boa leitura, falo mais com vcs lá embaixo.😘😘

Capítulo 3 - Eu sei o que quero !


Depois de uma chata aula de Química, a primogênita da família Hyuuga, resolveu sair da sala. Não estava com paciência a mínima paciência para aturar o professor de Artes hoje. Várias coisas circulavam por sua cabeça, a atordoando. E adivinha quem era o culpado por isso ? Sim, Naruto Uzumaki.


Hinata admitia que tinham se aproximado mais do que ela queria nas três primeiras semanas do concurso, mas foi quase inevitável. Estavam conversando cada vez mais e ele não estava marcando em cima, como antes, a deixando mais segura. Suspirou. Não podia deixar isso acontecer. Tinha que voltar a construção das suas barreiras contra ele.


Sentiu alguém tocar seu ombro com delicadeza e se virou com o punho pronto para dar um murro em quem quer que seja, mas o loiro segurou seu pulso antes, a deixando pressa. Soltou o ar bruscamente e ele a soltou.


  - Que raiva, Naruto. Nunca mais faça isso. - Desferiu um tapa no braço dele.


  - Me desculpe, não foi a intenção. - Acariciou o braço.


  - O que é que você quer ? - Disse fria.


O loiro a analisou por um tempo. Fazia exatamente três semanas que ela não usava aquele tom consigo e agora, parecia que tinha voltado a estaca zero.


  - Só queria perguntar se está disposta para o ensaio de hoje. Se quiser, podemos...


  - Está insinuando que não aguento uma dança, Naruto ? É isso ? - Falou brava.


  - Ei calma, não é isso que eu quis dizer. - Levantou os braços em rendição.


  - Olha, dá licença, pode ser ?


A morena se virou para continuar seu percurso pelo corredor, mas o Uzumaki a parou.


  - O que há com você hoje ? Estás estranha e matou a aula de Artes…


Naruto observava as reações de Hinata com cuidado, mas já estava claro que ela queria o manter longe, usando qualquer coisa como desculpa para isso.


  - Acho que você quis dizer “Esquisita” e outra, se eu quiser matar a porcaria da aula, eu mato. Agora, sai da minha frente, Naruto. - Disse entre dentes.


  - Por que você tem que ser tão orgulhosa ? Já disse que me arrependo pelo que fiz no passado. Tenho vergonha.


  - Sentir vergonha e se arrepender é fácil. Difícil é pensar antes de cometer o erro.


  - Por que tem que ser assim com você ? Não consegue ver quando quando uma pessoa muda ?


  - Não estou com cabeça para discutir isso com você agora.


  - Pare de fugir. Pare de ser tão medrosa.


  - Por que acha que estou sendo medrosa ? - Olhou fixamente para ele.


  - Porque tem medo de se machucar de novo.


Silêncio. A única coisa que podia ser ouvida, era a respiração dos dois, que se mantinham firmes no contato visual. Hinata, naquele momento, queria ir embora, sumir para os Estados Unidos de novo e nunca mais voltar. Não tinha necessidade de estar ali.


Naruto ouviu a morena ofegar, então, viu uma pequena lágrima descer dos lindos olhos perolados. A pequena gota esculpia todo rosto dela, parando no queixo e caindo no chão.


  - Hina…


  - Eu odeio você. Odeio sua insistência comigo. Odeio ter conhecido e me apaixonado um dia você.


O Uzumaki paralisou, sem conseguir dar um único passo. Olhou fixamente para a garota que chorava de olhos fechados, então caminhou até ela e ergueu seu rosto com o dedo indicador.


  - Vai embora, me deixa em paz… - Suplicou abrindo os olhos.


Naruto suspirou. Seu coração apertava a cada segundo. Então, se lembrou de algo que poderia acabar com aquilo. Estendeu a mão para a morena, que o olhou desconfiada, mas aceitou meio relutante, e a puxou para a sala de música que estava a alguns metros e entraram ali. Sentou a Hyuuga no sofá que tinha no local e pegou os dois violões que tinha na sala, dando um para Hinata, que mantinha a cabeça baixa, mas aceitou o objeto.


  - Toca comigo ? - Se sentou ao lado dela.


  - Sim… - Sussurrou sem olha-lo.


Hinata não tinha planejado aquilo e isso a assustava. Não sabia o que aconteceria depois. O que falaria para ele ou se simplesmente deixaria acontecer. Realmente… Era uma medrosa.


Então, relaxou e dedilhou as cordas do instrumento, fechando os olhos...


               

                        🎼🎵🎵🎵🎼

                  

                     Um44k - Indireta

 

  Hinata : Que não dá mais / Eu não consigo / Ainda não sei porque comigo / Eu penso em ligar / eu penso em te esquecer / Muitas vez me questiono por pensar em você /


"Dito isso, Hinata deixou claro sua dúvida a respeito do que fazer com o sentimento que ainda nutria por ele. Tinha passado dois anos pensando no que fazer, mas no final nada fez. Naruto tocava junto a ela, ouvindo a voz meio trêmula e observando suas feições."


  Do jeito que amou / foi que me fez sofrer / Se eu me entreguei porque / Porque eu sabia / O que queria / Era passar todos os dias da minha vida / Na companhia / De quem sabia / Todos os planos que eu tinha /


O refrão acertou a ferida não cicatrizada dos dois. Na época, Hinata tinha certeza do que queria. Mas, e agora ?


  Porque eu sabia / O que queria / Era passar todos os dias da minha vida / Na companhia / De quem sabia / Todos os planos que eu tinha /


  Que não dá mais / Eu não consigo / Ainda não sei porque comigo / Eu penso em ligar / eu penso em te esquecer / Muitas vez me questiono por pensar em você /


  Do jeito que amou / foi que me fez sofrer / Se eu me entreguei porque / Porque eu sabia / O que queria / Era passar todos os dias da minha vida / Na companhia / De quem sabia / Todos os planos que eu tinha /


    Porque eu sabia / O que queria / Era passar todos os dias da minha vida / Na companhia / De quem sabia / Todos os planos que eu tinha /


  O tempo vai passar / “Cê” vai se arrepender / E vai me procurar / Mas eu não vou ceder / E tudo que sofri / Que não sofra igual / Porque a desilusão não foi normal /


    Porque eu sabia / O que queria / Era passar todos os dias da minha vida / Na companhia / De quem sabia / Todos os planos que eu tinha /


   Porque eu sabia / O que queria / Era passar todos os dias da minha vida / Na companhia / De quem sabia / Todos os planos que eu tinha /


                         🎼🎵🎵🎵🎼


O último acorde ecoou pela sala, e com ele, o som de um trovão. A chuva caia sobre Konoha, enquanto os dois se mantinham calados, submersos em pensamentos. Não sabiam o que dizer depois daquela canção reveladora demais, na opinião de Hinata.


  - Você sabe o que quer agora ?


Hinata se virou para ele, que olhava para a janela, fingindo ter algo de interessante ali, mas logo a fitou, exigindo uma resposta. A menina pareceu pensar por um tempo, até que negou num leve aceno de cabeça.


  - Eu sei o que eu quero, Hinata. Mas, preciso que você também queira.


  - Mas…


  - Shii… - A silenciou. - Chega de pensar nas consequências ruins e me deixa entrar…


Foda-se. Esse foi a única coisa que se passou pela cabeça da jovem. Foda-se as consequências e as insegurança. Se fosse uma aposta novamente, não importava mais. Não deixaria de tentar mais uma vez. Porque ? Não sabia ao certo mais, porém, queria descobrir.


  - Eu sou muito idiota. - Ralhou consigo. - Só mais uma vez, Naruto. Só mais uma.


  - E dessa vez, não vou errar com você.


Sorriu para ela, que tinha abaixado o olhar e tocou a nota Dó do violão, seguido de um Rê, iniciando uma nova música, alegre dessa vez, sendo acompanhado pela morena.


                        

                              ***********

Mansão da Família Hyuuga - 20:45 TM


Jogou a bolsa na cadeira que ficava de frente para seu notebook e se jogou na cama, suspirando pesado. Merda ! Aquilo ia dar merda, só isso. Se deixou levar, acreditou nele e pior, admitiu que realmente, era uma burra por ainda sentir algo por aquele… aquele, ser loiro.


Pegou o travesseiro, cobrindo o rosto com ele e gritou, tirando toda aquela angústia de si. Se Christian estive ali com certeza a ajudaria. Sakura e Ino quase gritaram de alegria, quando foi contar para elas a “novidade”. Na verdade, parecia que todos já sabiam que Hinata falharia em manter o Uzumaki longe.


Tirou o travesseiro do rosto e ficou a encarar o teto, analisando suas opções. Primeira, ceder e se entregar de novo ou deixá-lo apenas como amigo. A segunda opção lhe pareceu mais aceitável, mas no fundo, sabia que ele estava certo. Só estava com medo. Medo dele repetir o mesmo erro, dele lhe enganar novamente.


Ouviu alguém bater na porta e foi atender, parando ao ouvir a irmã mais nova gritar consigo e riu.


  - HINA ! ABRE LOGO A PO…


Abriu e cruzou os braços, a olhando feio, cortando o possível palavrão que sairia boca a fora.


  - Hanabi Hyuuga, cadê a  maravilhosa educação que eu te dei ?


Viu a morena mais nova erguer a sobrancelha, e riu da cara da mesma. Puxou a menina para si, bagunçando os cabelos castanhos claro.


  - Ei, acabei de pentear. - Disse empurrando a irmã mais velha, sorrindo.


  - Ah, fica quieta. Mal vejo você em casa. Fique com saudade. - A soltou.


  - Também fiquei, mas por sua culpa, agora tenho um trauma.


  - Ah, Jura ? - A olhou cínica.


  - Juro. Sabe como é traumatizante ouvir o papai me explicar o que é uma “relação sexual” ?


  - Sei. Sei muito bem. - Estremeceu ao lembrar.


Pois é, falar sobre esse “tabu” não era a especialidade do frio e calculista, Hiashi Hyuuga. Hinata se lembrava de como foi horrível ficar duas horas ouvindo seu pai, que estava corado e morrendo de vergonha assim como a própria menina na época. Hoje, esse assunto já não um problema para a primogênita.


  - Vai lá jantar e avisa o papai que estou sem fome, por favor. - Pediu, voltando para o quarto.


  - Tudo bem. Já comeu em outro lugar ? - Perguntou curiosa. - Ou com alguém…


  - Ah, vai logo, vai. - Empurrou a irmã, sorrindo.


Hanabi a olhou desconfiada e correu escada abaixo, enquanto a morena entrava novamente no quarto. Não tinha comido nada, mas estava sem fome. Queria pensar.


Ouviu o barulho de notificação do celular e voltou sua atenção para ele, se esticando para o pegar no criado mudo. Deslizou o dedo pela tela e entrou no seu Facebook. Sorriu aberto ao ver de quem era a mensagem e tratou de responder.


  - Fala Japinha, como foi de viagem ?


  - Oi Christian. Foi bem entediante.


  - Eu sei que foi. O amor da sua vida (eu) não estava aí, né ?


  - Verdade. Achei que fosse demorar pra fazer contato.


  - E deixar minha princesa na mão ? Nunca. Além disso, tenho uma surpresa.


   - Conta o babado.


  - Eu juntei um dinheirinho na temporada, lembra ? Então. Vou ver a minha Japinha nas férias !


  - "Cê" tá quando ? Meu, vou te apresentar pra todo mundo.


  - Ok. Deixa eu ir dormir. Fuso-Horario, Baby.


  - Ok, I love you,y best friend.


  - I love you too, my princess. Good bye.


  - Good bye.


O rapaz ficou offline, então largou o celular. Christian era seu melhor amigo no mundo todo. Além disso, era um pedaço de mal caminho ou melhor, o caminho todo. Balançou a cabeça em negação e riu de si mesma. Havia acabado de dizer que ainda sentia algo pelo Uzumaki e agora, estava “desejando” seu amigo.


Mas não era de todo ruim. Mostrava que mesmo sentindo algo pelo loiro, não tão forte para fazer ela só se focar nele e isso a aliviou. Ok, não amava o loiro totalmente, mas também não negava que ele mexia com ela. Céus, que confusão.


  - Onde eu fui amarrar meu burrinho ?


Perguntou para si e foi para seu banheiro. Se despiu apressada e ligou a ducha, prendendo os fios negros azulados. Não iria lavar seu cabelo a essa hora da noite. Depois de terminar sua prezada higiene, colocou uma camiseta especial. Era uma blusa social de botões masculina, na cor cinza. Presente de Adrien no seu aniversário de dezessete anos. O mesmo lhe deu, pois na época, a morena era uma verdadeira fanática por Christian Grey. Então, não havia presente melhor que uma blusa social igual a que o Grey usou no filme.


Se jogou na cama se cobrindo com o lençol  fechando os olhos e de maneira, até infantil, desejando que a solução de seus problemas amorosos viessem através do possível sonho que teria. Pensando nisso, adormeceu.


                    

                        ***********

Casa da família Namikaze - 20:46 TM


  - Naruto ! Vem jantar agora ! - Grito, Kushina.


O loiro suspirou desanimado. Odiava quando seu pai viajava. A casa perdia parte da alegria que normalmente tinha, mesmo que sua mãe insistisse em dizer que Minato ainda era presente na família, porém, o loiro mais velho só ficava trabalhando.


Caminhou até a sala de jantar, recebendo um sorriso acolhedor de Kushina e se sentou sem dizer nada, ouvindo a matriarca suspirar chateada.


  - Filho, seu pai…


  - Eu não ligo mais para ele. - Cortou a ruiva, frio.


  - Não fale assim de seu pai. - Diz brava.


  - Se ele fosse um bom pai e um bom marido, estaria sentado ali.


O jovem Uzumaki respondeu a mãe exaltado, vendo a mulher também se levantar e então passaram a discutir. Era assim os dias na mansão Namikaze sem o patriarca presente. Sempre havia um motivo para discussão. Naruto se lembrava bem que não era assim. Que eram unidos, mas seu pai tinha que estragar tudo.


  - Chega mãe ! - Gritou com a ruiva, que pelo susto, se calou. - chega. Não dá mais para esconder. Ele não está aqui. Está viajando. Ele Prefere estar do outro lado do mundo. Não aqui.


Dito isso, subiu novamente para seu quarto, se deitando. Pegou se celular, indo até a galeria, fitando uma foto dele e de Hinata. Tinham tirado quando venceram as eliminatórias. Ela estava sentada em seu colo, sorrindo. Deslizou o dedo pela tela, parando numa foto sua com Minato. Suspirou.


  - Pai, você é um idiota.




Notas Finais


Então, meu amores ?

Ahh, finalmente a Hina resolveu ceder, mas não vão se animando não. Vai rola muita treta antes kkk.

Só um aviso, mesmo tendo 15 aninhos, sou uma, como posso dizer... Sou uma ero de primeira, então.... Já sabem né ?😁

Bom, até o próximo capítulo, que vou começar agora.

Avó Luzanira : INGRID, LIMPAR A CASA !!

Tá bom, não exatamente agora, mas assim que eu limpar a casa eu começo.

Bjs, tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...