História No Air - SinRin - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias G-Friend
Personagens Amber Liu, Eunha, Personagens Originais, SinB, Sowon, Umji, Yerin, Yuju
Tags Sinrin, Wonha
Exibições 46
Palavras 1.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então, voltei em menos de 24 horas.

Vou tentar manter essa frequência nos capítulos, ou vocês preferem de dois em dois dias com capítulos maiores? Respondam pra mim.

O capítulo de hoje não é tão importante para SinRin, mas é pra WonHa.

Espero que gostem, boa leitura.

Nakji = Um prato típico coreano feito com macarrão e polvo, é apimentado também .

Ps.: Coloquei a foto da Sinb pq ela é meu mozão.

Capítulo 6 - Início


Fanfic / Fanfiction No Air - SinRin - Capítulo 6 - Início

SinB esteve trabalhando o dia inteiro, absorta em números, equações, previsões sobre o mercado financeiro, não teve tempo de mexer no celular. Não podia ficar mais de três dias sem trabalhar, ou o serviço acumulava e levava muito tempo para solucionar os problemas. Começou 9 da manhã e terminou as sete da noite e quando acabou, sua cabeça latejava, necessitava se afastar do trabalho até o dia seguinte.

Eun Bi se sentiu triste ao perceber que aquela era a hora em que costumava ir dançar, mas para afastar o sentimento negativo foi tomar uma ducha rápida. SinB precisava caçar algo de verdade para comer, seu estômago estava queimando de fome. Pegou seu celular e desceu as escadas devagar, checando se tinha alguém na sala, não encontrou ninguém no corredor, então continuou rumando para a cozinja, viu seu irmão dormindo com a televisão ligada e riu do jeito tosco que ele dormia, pensou até em tirar uma foto, mas não queria correr o risco de acordar o rapaz.

Gemeu de satisfação assim que entrou na cozinha e abriu a panela, notando que a governanta fez Nakji*, um de seus pratos favoritos. Se o amor existia, apostava que se assemelhava ao sentimento que sentia pelo prato. Pegou uma boa porção e foi para o seu quarto sem fazer barulho.

Foi quando viu a quantidade de papel em cima de sua escrivaninha que percebeu que precisava de uma mesa para comer no cômodo, fez uma nota mental de pedir pela internet junto a algumas almofadas depois. Sentou no chão e pegou o celular, sorriu levemente ao ver uma mensagem da sua loira. SinB ficou feliz ao saber que pelo menos por dois dias, as palavras da mais velha não eram mentira.

Yerin [18:20]: Acabei de sair do trabalho, mereço um prêmio de paciência por suportar um mini monstro.

SinB não entendeu muito bem a parte do Mini monstro, pensou na acromântula dos livros de Harry Potter. Não fazia sentido, Yerin não daria aula para um monstro, eles não existiam, ou existiam? Resolveu perguntar para não ficar na curiosidade, iria apenas enviar uma interrogação, mas sabia que a loira não entenderia.

Bem... Não custava nada mandar mensagens direito.

SinB [19:47]: Mini monstro? O que é isso?

Enviou e deixou o celular de lado. Ela ainda se sentia nervosa, mas prefiriu ignorar o nervosismo, eram só mensagens e Yerin disse que não se importava com seu jeito diferente, colocou o celular ao alcance de seus olhos, e levou o macarrão a sua boca com o hashi.

Definitivamente, ela adorava macarrão.

Yerin estava corrigindo as provas de sua turma quando seu celular berrou, ela tomou um susto e sentiu uma leve vontade de jogar o aparelho na parede, mas não o fez, era caro demais. Desbloqueou a tela e sorriu ao ver uma mensagem de verdade de SinB, não algo sem nexo como ponto - por mais que também adorasse seus pontos - faziam dois dias desde que a morena e ela trocavam mensagens, melhor dizendo, desde que a Jung mandava mensagens sobre seu dia e a outra não respondia com palavras.

A loira achou fofo e diferente o fato de SinB não entender direito figuras de linguagem. Tirava print de todas as mensagens em que a Hwang mandava um ponto de interrogação para mostrar à Yuju depois, ela tinha que se lembrar de marcar um encontro com a pisiquiatra depois.

Pegou o celular e levantou os óculos de leitura - não precisava usar, era mais precaução. Como explicar para SinB o que era mini monstro sem outra figura de linguagem? Responder "demônio mirim" também não adiantaria.

Yerin [19:48]: Mini monstro é uma criança mal educada e desobediente.

SinB [19:48]: Então eu era mini monstro, minha mãe me chamava de mal educada o tempo todo quando eu tinha 2 anos.

Yerin [19:49]: Você lembra?

SinB [19:49]: ?

Yerin [19:50]: Você lembra da sua infância?

SinB [19:51]: Sim, eu não conseguia falar direito então ficava irritada o tempo todo, daí fazia algo que minha mãe brigava.

Yerin mordeu o lábio inferior e se questionou se era natural alguém lembrar com tanta clareza da primeira infância, talvez não, não conhecia ninguém que se lembrasse. Precisava ver Yuju o mais rápido possível, suas aulas de psicologia infantil estavam estalando para algo não muito bom...

Yerin [19:52]: Sua memória é muito boa

SinB [19:52]: Sim, eu lembro de muitas coisas, inclusive o que você estava vestindo a primeira vez que nos vimos.

Yerin [19:52]: O que era que eu vestia?

SinB [19:53]: Você estava com uma blusa de algodão branca, ela tinha uma mancha de molho na barra, sua calça era uma jeans azul e seu tênis era um all star branco sujo.

Aquilo definitivamente não era normal, mal viu o olhar da garota em si naquele dia. SinB deveria ter visto por pouco menos de meio segundo, não era possível que tivesse reparado em tudo isso.

Mais do que imediatamente, digitou uma mensagem para Yuju, pedindo uma consulta... Se Yerin estivesse certa quanto a sua suspeita, aquele sentimento dentro de si era perigoso para sua carreira.

X

Sowon chegou mais cedo que o costume em casa, sentia falta da hora extra que fazia pela Hwang, e sentia mais ainda agora que um serzinho bagunceiro estava morando ali. Já entrou na sala juntando roupas e jogando embalagens no lixo, estava pronta para brigar com Eun Bi assim que entrou no quarto, mas parou ao não vê-la.

Escutou barulho de vômito vindo do banheiro e seu corpo inteiro entrou em alerta. Por que não podia ter descanso?

- Eunha, você tá bem? Você precisa ir ao mé... O que você ta fazendo? - So Jung congelou ao ver a cena em que Eun Bi se encontrava. Deus, não... isso não. A mais velha puxou a menor para longe do vaso sanitário e afastou a mão da Jung da boca - Eunha, o que... o que você está fazendo? Porque...?

A menor abaixou a cabeça e se encolheu em vergonha. Se sentiu mal por comer o almoço que a mais velha tinha feito, então foi para o banheiro tentar fazer aquilo sair, só não esperava que Sowon chegasse justo naquela hora. A Kim respirou fundo e mordeu o lábio para não chorar, não sabia o motivo daquilo tê-la afetado tanto ao ponto de lágrimas quererem sair de seus olhos, mas precisava se acalmar e pensar no que fazer.

- Me desculpa.

- Não pede desculpa, sua cabeça tem algo errado, não é culpa sua - Sowon passou a mão nos cabelos e massageou sua têmporas com o indicador e o dedo médio. - Você... você já foi ao médico ver isso, porque você faz isso?

- Sim... - Eunha estava encolhida contra a parede e sua voz saiu tão baixa que a mais velha quase não escutou. Sowon olhou para a garota embolada como um gato assustado e sentiu seu coração pesar.

- Escuta, me desculpa... - a professora ajoelhou na frente na menina. - Eu só... eu não sei lidar com essas coisas.

- Me desculpa Sowon, eu não consigo, eles me chamam de gorda, simplesmente não consigo aguentar isso tudo. - Eunha não conseguiu segurar as lágrimas que queria sair, contudo não queria chorar como um bebê na frente da professora. Escondeu o rosto entre os joelhos e assim ficaria se a mais velha não a puxasse para um abraço.

- Ta tudo bem, eu to aqui - a mulher falou abraçando a menor forte - Você é perfeita, não escuta esses idiotas.

- Mas eu...

- Mas o caralho! Para Eunha, por favor... você tem que se ver como eu vejo você - Kim So Jung se afastou e limpou as lágrimas da menina, seu coração doia em ver o quão quebrada aquela menina baixinha estava. - Eu estou contigo a dois dias aqui... você é dramática, bagunceira, barulhenta e muito mais... mas se tem uma coisa que você não é, essa coisa é gorda. Você é perfeita Eunha, seu corpo é lindo, seu rosto é lindo. Você é a mulher mais linda que eu conheci até hoje.

A mais nova olhou para mulher a sua frente e sentiu mais lágrimas descerem por seus olhos, não queria pensar muito no que estava fazendo, só queria, precisava e iria abraçar aquela professora como se sua vida dependesse daquele abraço. Ela estava feliz ali naquele lugar, com Sowon abraçando-a de uma forma carinhosa e protetora, queria ficar naquelo momento para sempre, seu coração estava quente e pela primeira vez em muito tempo ela se sentiu bem consigo mesma.

Kim So Jung não sabia o que estava acontecendo consigo e não sabia se queria saber. A garota que estava abraçando tinha nove anos a menos e era menor de idade. Ela não podia sentir o que estava sentindo, logo disse para si mesma que aquilo era um sentimento fraterno, mesmo sabendo que de fraterno nada aquilo tinha.

Era melhor fingir do que encarar a realidade.


Notas Finais


E aí, como estamos?

Gostaram do horário em que estou postanto?

Próximo capítulo, finalmente Umji vai aparecer, Yuju vai vir a tona com outra problemática e SinRin vai avançar mais.

Até amanhã Buddies.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...