História No Alvorecer do Passado - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~NejimakiNyuu

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jackal, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Kyouka, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sayla, Silver Fullbuster, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich, Ur, Yukino Aguria, Zeref
Tags Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Mavis, Natsu, Natsu Mestre, Navis, Naze, Passado, Precht, Viajem No Tempo, Warrod, Yury, Zera, Zeref, Zevis
Exibições 101
Palavras 2.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um cap fresquinho saindo galera. Muito obrigado aos que favoritaram e comentaram, vocês são fodas, se tiverem alguma duvida sobre algo na historia comentem.

Capítulo 2 - Encontro predestinado


Fanfic / Fanfiction No Alvorecer do Passado - Capítulo 2 - Encontro predestinado

Arco 01: Perdido do Passado

 

C.02: Encontro predestinado

 

É incrível como os anos passam rápido quando você se diverte, no início foi bem difícil ter que aguentar as duas, Mavis como eu havia imaginado tinha um talento absurdo pra magia, ela conseguia fazer pequenas ilusões no primeiro mês de treino e Zera, como tinha o mesmo talento que uma pedra, ficava com inveja e implicava com a Mavis. Uma hora Mavis não aguentou a provocação e acabou soltando toda raiva e remorso oculto em seu coração encima de Zera, após isso as duas passaram dias sem olhar na cara da outra, e eu como sou um bom professor encorporei a Erza e prendi as duas em correntes em uma caverna sem comida nem água e tampei a saída como uma pedra, elas levaram 2 dias pra sair de la e parece que a situação de quase morte juntou as duas de uma forma que nem eu poderei imaginar.

 

– Você exagerou mestre – Disse mavis em um tom manhoso.

 

– Ela tem razão a gente poderia ter morrido – diferente da amiga, Zera estava muito brava.

 

– Não, vocês não morreriam eu tinha tudo sob controle, passei esses 2 dias sem tirar o olho de vocês, sempre estive observando – Respondi calmamente – Uma guilda é uma família, ou seja, nos somos uma família agora e uma família não deveria brigar igual vocês duas estavam fazendo, uma briguinha ou outra é natural mas as duas passaram dos limites, principalmente você Zera.

 

– Desculpa – Disse em um tom de tristeza.

 

– Tudo bem, se vocês se entenderam então não tem problema – Sorri para as duas – Vocês devem estar famintas, vamos comer?

 

– VAMOS – Gritaram em uníssono.

 

Após esse evento Zera começou a abrir mais o seu coração e sua magia despertou, uma magia de fogo que só causa destruição, por sorte ela era mais controlada do que eu quando comecei a aprender magia, então não causava tanta destruição pela ilha. Como Zera não tinha sobrenome ela, sem o meu consentimento, adotou o sobrenome Dragneel, disse que seria oficialmente minha discípula e que eu teria que ensinar magia de Dragon Slayer para ela.

 

Mavis me tratava com mais respeito a cada dia que se passava, respeito desnecessário, ela repreendia Zera sempre que me chamava pelo nome.

 

– Tenha mais respeito Zera – Disse mavis repreendendo a amiga – Ele é nosso mestre então devemos chamá-lo de mestre, entendeu?

 

– Mas nossa guilda nem é oficial, não tenho motivos pra chamá-lo de mestre ainda – As duas sempre tinham essa discussão, era até divertido de ver.

 

Era muito estranho ser tratado assim pela pessoa que eu via como primeira mestra mas eu consegui me acostumar.

 

Anos se passaram e eu passei a ver Zera como uma irmã caçula e parei de ver Mavis como primeira mestra e passei a ver apenas como amiga e companheira da Fairy Tail, Zera havia se tornado uma destruidora profissional com suas chamas escarlates que explodiam qualquer coisa, e Mavis tinha se tornado profissional em magia ilusória, sem falar que era um gênio com apenas 13 anos “não esperava menos da futura fada estrategista”

 

(Como a magia da Zera era ofensiva, como a de natsu, ele passava mais tempo treinando ela, em outras palavras, ele passava muito mais tempo com Zera por isso tem um laço mais forte com ela do que com a mavis, pois ela tem magia ilusória e natsu não entende nada sobre magia ilusória, ele apenas ensinou mavis a controlar sua energia mágica e a manifestar sua magia)

 

Eu também não fiquei parado nesses últimos 7 anos, aproveitei pra treinar muito também e li todos os livros da biblioteca que falavam sobre magias espaciais, magias temporais, física, teorias sobre tempo espaço, multiverso e realidades alternativas e não consegui descobrir nada sobre o meu estado atual, eu deveria imaginar, como o portão do eclipse é algo dos livros de Zeref talvez eu ache a resposta em algum deles… Mas meus estudos não foram em vão, eu aprendi uns truques novos muito legais, agora eu consigo me fundir com o fogo, qualquer fogo, tenho livre controle sobre ele. Também aprendi a controlar melhor os meus raios e as chamas de God Slayer que eu absorvi daquele cara da Grimoire Hearts, posso também criar um espaço onde eu tenho livre controle sobre tudo, ele não é muito grande é apenas 5 vezes maior que a arena dos grandes jogos mágicos, dentro desse espaço o solo é de rocha negra, tem chamas por toda parte e rios de lava, o céu nuvens negras descarregando raios a cada segundo, alias eu também aprendi a controlar lava, da pior maneira possível mas eu aprendi, enfim, eu estava mais poderoso do que nunca, digno de um mestre e além de mais inteligente e poderoso eu fiquei impressionantemente mais responsável, talvez seja porque estou tendo que cuidar de duas garotas bem problemáticas.

 

(quem viu Fate/Stray Night pense na magia de criação de espaço do natsu similar a magia de criação de espaço do Archer, apenas o ambiente é diferente)

 

E aqui estamos nós, em Tenroujima X686, o ano que a Fairy Tail seria oficialmente fundada e eu estou ansioso desde que o ano começou, estava esperando o sinal para sairmos da ilha eu já estava com 17 anos de novo, e Mavis e Zera com 13.

 

(Só pra informar o visual atual do natsu agora é igual a que tá na foto do cap, com espada e tudo)

 

.

.

.

.

.

 

– NATSUUU – ouvi Zera me chamando, já era de noite e eu estava dentro da biblioteca jogando xadrez com a Mavis como de costume, mesmo eu tendo ficado mais inteligente nesses últimos anos nunca venci da Mavis em qualquer jogo de estratégia, essa garota é um monstro quando o assunto é testar o cérebro.

 

– Oque foi Zera? - Perguntei sem desviar a atenção do jogo, eu estava perto de ganhar minha primeira partida de xadrez contra Mavis, não podia perder a concentração.

 

– Eu consegui usar minhas chamas pra explodir aquelas pedras de dentro pra fora como você pediu, estou pronta pra aprender magia de Dragon Slayer agora? – ela estava suada e ofegante, estava dando duro por que queria aprender magia de Dragon Slayer a todo custo, e existem duas formas de conseguir esse tipo de magia: 1. Ser ensinado por um dragão 2. Implantando uma lacrima com magia de dragão no corpo. Eu não tenho uma lacrima mas posso ensiná-la desde que voltei ao passado eu tenho sentido o efeito colateral da magia de Dragon Slayer, eu comecei a virar um dragão aos poucos, isso foi um grande problema quando começou mas eu passei a controlar esse poder a 2 anos atrás. O único problema na história é que se a Zera já uma máquina de destruição com a magia atual imaginem com uma magia capaz de matar dragões, então eu estou ensinando ela a ter mais controle da própria magia pra depois aprender a magia de Dragon Slayer… Mas parece que ela finalmente esta pronta.

 

– Bem, você fez tudo oque pedi pra fazer, passou 7 anos suportando todo aquele treino pesado, parece finalmente está pronta – Disse sorrindo pra ela.

 

– Sério? Finalmente – levantou as mãos pro alto comemorando – eu sonhei com esse dia.

 

– Parabéns Zera, seus esforços vão ser recompensados – Disse Mavis feliz pela conquista da amiga.

 

– Vamos pro celeiro, vamos fazer o ritual para transformar você em uma Dragon Slayer – Disse me levantando e indo para o celeiro e elas me acompanharam.

 

O celeiro é onde ficava nossa cama comunitária, vulgo, monte de palha. Chegando lá eu pedi para Zera se deitar para começarmos o ritual, não é bem um ritual mas eu gosto de chamar assim, eu me concentrei e comecei a juntar um pouco da minha magia de dragão assim criando uma esfera de energia, como se fosse uma lacrima, quando implantei a esfera de energia dentro dela o corpo dela começou a emanar uma luz vermelha e ela desameou… Sim, esse foi o grande ritual, a esfera de energia além de dar a elas os poderes de um Dragon Slayer também criava uma ligação muito poderosa entre nossas almas, assim ela não sofreria as consequências de usar essa magia e como eu já sofri não vai mudar nada pra mim… “Enquanto eu viver, ela não corre perigo de virar um dragão”

 

– Ela vai ficar bem? – Perguntou Mavis preocupada com a melhor amiga que havia acabado de desmaiar.

 

– Não se preocupe ela é forte, o corpo dela está apenas se adaptando a magia nova – Disse acalmando a Mavis.

 

– Ela também vai virar um dragão? – Perguntou preocupada.

 

– Tomei Providencias para isso não acontecer, ela vai continuar 100% humana. Agora vamos dormir, está tarde e amanhã teremos um longo dia – Disse me jogando o monte de palha.

 

– Certo – Deitou na minha frente e me deu um selinho – Boa noite mestre.

 

– Boa noite – Sorrimos um para o outro e fomos dormir.

 

Eu via Mavis apenas como amiga e colega de guilda, mas dois meses atrás a minha relação com ela começou a virar algo absurdamente complicado, ela pode ter 13 anos fisicamente, mas mentalmente ela é mais velha qualquer pessoa que eu conheça.

 

(Futuramente vou explicar a relação deles, não se preocupem… E lembrando que eles não são um casal fixo, eu to com uma dúvida absurda de com quem o natsu vai ficar nessa história… Mas como isso não vai fazer diferença agora eu vou deixar assim)

 

.

.

.

.

.

 

Lá estava eu, no meio das ruínas da antiga guilda Red Lizard, ensinando Zera a magia mais básica dos Dragon Slayers, o rugido.

 

– Junte o máximo de magia que puder nos pulmões e depois solte pela boca, desse jeito – Disse, mostrando como usar o rugido – Karyū no Hōkō(Rugido do Dragão de Fogo) – Usei um pouco da minha energia mágica e liberei um rugido de fogo forte o bastante para desintegrar uma das pedras enormes que estavam na nossa frente.

 

– Uaaau! Isso foi incrível – Zera estava muito empolgada com o treino – Minha vez, Karyū no Hōkōōō – Soltou um rugino fraco que causou apenas uma rachadura na rocha que ela mirou, quando viu o resultado Zera ficou com um semblante triste – Droga…

 

– Não se preocupe – Tentei animá-la – Eu mal conseguia soltar um rugido quando Igneel começou a me ensinar, você vai pegar o jeito rápido, só precisa ficar praticando.

 

– Certo – Sorriu para mim – Você vai ver, vou te superar e ficar forte para honrar nossa guilda.

 

Honrar a guilda…” Eu sempre acabo pensando se oque estou fazendo aqui é realmente certo, eu me decidi que quando sairmos da ilha eu irei me separar delas e seguir meu próprio caminho em busca de respostas “Não posso mudar ainda mais o futuro, terei que deixar elas em algum momento”.

 

Ficamos ali treinando até o começar a escurecer, Zera conseguiu aprender não só o Karyū no Hōkō, mas também o Karyū no Tekken (Punho de Ferro do Dragão de Fogo) e o Karyū no Kagizume (Garra do Dragão de Fogo), após isso fomos para a biblioteca, chegando la encontramos Mavis muito concentrada lendo um livro.

 

– Yo, oque esta lendo? – Perguntei me aproximando

 

– Um livro sobre Ankhseram

 

– Anksra? – Zera perguntou confusa – Isso é alguma doença?

 

– É Ankhseram, ele é o deus da vida e da morte – Mavis explicou, ela sempre fica empolgada quando fala sobre livros – Eu achei bem interessante esse livro, nele esta dizendo que pessoas que não respeitam o fluxo da vida e da morte e tentam mexer nele sofrem a maldição de Ankhseram, a maldição contraditória.

 

– Maldição contraditória? – Dessa vez fui eu quem perguntou.

 

– Quanto mais valor você dá a vida mais vidas você tira, essa é a maldição de Ankhseram.

 

– Nossa, que coisa horrível – Disse Zera.

 

“…” Por algum motivo aquilo me incomodava muito “Maldição contraditória…”. Ficamos conversando mais um pouco, jantamos peixe e frutas, como todos os dias nesses últimos 7 anos, e depois fomos dormir.

 

.

.

.

.

.

 

Estávamos nas ruínas novamente, dessa vez eu pedi pra ela ficar praticando as técnicas que aprendeu ontem e fiquei sentado encostado em uma árvore observando de longe, alguns minutos depois eu peguei no sono. Comecei a sonhar com a época que eu estava na Fairy Tail com meus antigos amigos, eu estava com muitas saudades deles… Erza, Gray, Happy, Wendy… Lucy.

 

– AAAAAHHHH! – Fui acordado por um grito de desespero, me levantei rápido e fui correndo para o lugar em que Zera estava.

 

– O que Foi? Poque você gritou? – Ela me encarou quando fiz a pegunta, quando cheguei perto dela pude perceber que ela estava assustada e com um semblante de preocupação.

 

– Não fui eu que gritei – Disse apontando pra uma direção – Foram eles.

 

Na parte em que a floresta desaparecia para dar lugar as ruínas havia dois homens caídos um loiro e outro com o cabelo verde-escuro, quando cheguei perto pude ver que eles estavam um pouco machucados, com algumas queimaduras de primeiro grau e suas roupas estavam com leves manchas de queimado, “Parece até que eles foram atacados por um- … Já entendi tudo” me virei para encarar Zera.

 

– O que você fez? – Perguntei com calma.

 

– Ei, a culpa não foi minha – Protestou – A culpa é deles por saírem da floresta do nada, isso me assustou.

 

– Então agora você vai sair atirando fogo em tudo que te assustar? – Perguntei indignado.

 

– O que você queria que eu fizessem? Da última vez que pessoas apareceram na ilha… Você sabe oque aconteceu – Seu olhar mudou de sério para triste.

 

– Vamos levá-los – Disse carregando um em cada braço – Quando chegarmos na biblioteca a gente amarra eles e pergunta oque vieram fazer aqui.

 

– E se eles acordarem antes disso?

 

– Simples – Sorri pra ela – Eu desacordo eles de novo.

 

– Cruel.

 

– Falou a pessoa que cuspiu fogo neles.

 

– Eu já disse que não tive culpa, eles me assustaram – Fez bico.

 

Ficamos o resto do caminho zoando um com o outro, isso era algo normal. Quando chegamos na biblioteca vimos Mavis e um cara desconhecido batendo a cabeça na parede e resmungando algo sobre algum jogo.

 

– Zera, mestre, voltaram cedo hoje – Disse mavis vindo até nós.

 

– Tivemos um problema no treino – Mostrei os dois que eu estava carregando. 

 

– O QUE ESTA FAZENDO COM MEUS AMIGOS? – Perguntou o loiro que só agora havia percebido nossa presença.

 

– Eles tiveram a má sorte de entrar na nossa área de treinamento e acabaram sendo nocauteados pela Zera – Apontei com a cabeça a garota que estava ao meu lado – E você? Quem é o que faz aqui?

 

– Eu sou Yury Dreyar, apenas um turistaMe olhou Sério.

 

Arregalei meus olhos quando disse o nome “Dreyar… Esse cara… Ele é o pai do vovô”

 

 

Continua…


Notas Finais


Quem gostou favorite e comente e quem tiver a ideia de um shipp maneiro pode falar, estou aberto a sugestões.
Obrigado por lerem, segunda deve sair cap novo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...