História No caminho para nós dois - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 4
Palavras 4.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Admirável mundo velho


Sísifo, El Cid e Dohko estavam retornando de uma missão quando suas armaduras começaram a ressonar de maneira estranha, apesar de estarem dentro da caixa de pandora.

-O que foi isso? Será uma invasão dos espectros? – Dohko perguntou preocupado.

-Não, não tem nada a ver com os espectros, e sim nós, cavaleiros de ouro. – Sísifo respondeu sério.

-Deixem de papo furado e vamos nos apressar, Atena pode estar correndo perigo. –El Cid saiu correndo. Sísifo e Dohko saíram correndo também, seguindo o capricorniano.

Na arena Viollet, Lily e Aisha treinavam com Degel e Kardia, sendo que esse último estava mais brincando do que treinando a sério, deixando seu amigo bastante irritado.

-Se não quiser virar um picolé, é melhor treinar direito. – Degel disse sério.

-Qual é iceberg? Você não fica de bom humor um único dia na sua vida? –Kardia perguntou debochado.

-Círculo de gelo! – Bradou o aquariano, e um círculo de ar gelado formou-se ao redor de Kardia, imobilizando-o. –Meninas, agora é a vez de vocês.

-Sim! –As três disseram coro, atacando o escorpiano ao mesmo. Lily criou ilusões com sua telecinese, Marie com sua flecha de chumbo e Aisha com seu raio sombrio, fazendo Kardia desmaiar.

-Bom trabalho amazonas, vejo que evoluíram muito em seu treinamento, em breve serão reconhecidas como verdadeiras amazonas de prata. E quanto a você, Kardia, isso é bem feito para que leve o treino mais a sério da próxima vez. – Asgard comentou rindo, e Kardia murmurou alguns palavrões. –Boa tarde a todos.

-Boa tarde Asgard. – Degel sério e frio, como sempre.

-Boa tarde senhor Asgard. – As amazonas responderam simpáticas, pois todos gostavam muito da postura educada e amistosa do cavaleiro de touro.

-Ei Lily, me ajuda a levantar, tá doendo. – Kardia manhoso.

-Eh, tudo bem, e onde dói? – A amazona de cães de caça perguntou inocente.

-Aqui. – O escorpiano apontou para suas partes íntimas, fazendo todas as garotas corar, especialmente Lily. Sem pensar duas vezes, ela deu-lhe um chute nas partes íntimas e um soco na cara, furiosa pela perversão do cavaleiro, que riu.

-Seu pervertido, nojento, e pensar que eu me ainda me preocupo contigo. Tomara que os espectros façam picadinho de ti! – Esbravejou a amazona, que saiu a passos firmes.

-Mulheres... Ficam tão fofas quando estão zangadas ou tímidas. – Kardia lambeu os lábios, enquanto observava os longos cabelos rosa de Lily balançarem com o vento. Ele a achava linda.

-Você não devia dizer coisas tão vulgares para as mulheres Kardia, isso é falta de cavalheirismo. – Asgard o repreendeu sério. Degel apenas revirou os olhos e suspirou, colocando seus óculos.

-Perdoe-me por interromper seu treino senhoritas, gostariam de treinar comigo como forma de desculpas? –O cavaleiro de touro perguntou educado, Viollet e Aisha apenas assentiram.

-O senhor Asgard é muito legal, você não acha? – Viollet perguntou para Aisha.

-Sim, mas é o esperado, já que ele é uma pessoa que preza os bons modos. – Aisha respondeu normalmente, se colocando em posição de combate. O treino foi interrompido com a chegada de Shion, esbaforido.

-Asgard e Degel, que bom que encontrei vocês. – O ariano disse ofegante.

-O que foi Shion? – Degel perguntou indiferente.

-Vocês não estão sentindo? Tem algo errado no santuário, minha armadura está ressonando de uma maneira muito estranha. –Shion disse preocupado.

-Agora que você disse, de fato tem algo diferente na atmosfera do santuário. – Degel comentou pensativo, coçando o queixo. –Devemos ir até o templo de Atena e verificar o que está havendo. E você, Asgard, deveria vestir a sua armadura.

-De acordo. – Asgard respondeu e retornou para a casa de touro, se desculpando com as amazonas. Shion e Degel foram ao encontro de Sasha, deixando Aisha e Violet sozinhas na arena.

-O que você acha disso, Aisha? Será um ataque das tropas de Hades? – Viollet perguntou assustada.

-Não sei, mas que tal irmos até a praia e fazermos um piquenique? Podemos convidar a Ash e a Luka? –Sugeriu Aisha. –Devemos procurar pela Lily?

-Ela deve ter ido atrás da Branca, isso sempre acontece quando o Kardia a chateia, ou quando ela tem algum problema, vamos dar um tempo às duas. – Viollet normalmente. As duas saíram da arena e foram para a vila das amazonas, para preparar o piquenique.

                 ***Templo de Atena, tempo presente. ***

Mu, Dohko e Shaka haviam acabado de ser ressuscitados, e Saori estava ressuscitando Aiolos, Aiolia, Camus e Milo dessa vez, pois todos deveriam estar vivos quando as garotas retornassem da missão, trazendo as outras dez amazonas, incluindo a filha de Hades. Como a casa de virgem ainda não estava totalmente restaurada, Shaka se ofereceu para ajudar Saori nas ressuscitações, que aceitou pelo fato de estar bastante debilitada.

-E como eu posso te ajuda-la, senhorita Atena? –Shaka perguntou educado e gentil.

-Concentre seu cosmo no meu báculo, mas não exagere. –A deusa respondeu com um fraco sorriso, devido ao cansaço. Dohko, Mu e Shion fizeram o mesmo, assim puderam trazer Aldebaran e Afrodite.

-Nina! –Atena gritou o nome da amazona, com uma expressão de pânico, deixando todos apreensivos, especialmente Aiolos, que despertara naquele exato momento.

-Pelos céus senhorita Atena, o que houve com a Lia? – O sagitariano perguntou preocupado. –Onde ela está?

-No passado, cumprindo uma missão, junto com as filhas de Hypnos. –Shion disse normalmente.

-Shaka, por acaso você viu o mesmo? –Dohko indagou, observando a expressão alarmada do virginiano.

-Talvez, mas se estivermos corretos, a amazona de serpentário está correndo grande perigo. – O loiro respondeu pensativo.

-De qualquer forma não temos tempo para ficar pensando no que pode ou não ser. Shion: contate os deuses gêmeos imediatamente, e Dohko e Mu, ajudem Aiolos, Aiolia, Milo, Camus, Aldebaran e Afrodite. Amanhã ressuscitarei Shura, Máscara da Morte, Saga e Kanon. –Atena disse esgotada, dirigindo-se para seus aposentos.

                      ***Século XVIII – Casa de Gêmeos***

Aspros e Defteros andavam normalmente por seu templo quando duas garotas caíram em cima deles, deixando-os sem reação. A garota que caiu em cima de Aspros estava com os seios no rosto do geminiano, quase o asfixiando, já a outra caiu sentada em cima de Defteros.

-“Como eu queria estar no lugar do meu irmão.” – Defteros suspirou pervertido.

-Ei, você está bem? – Aspros perguntou, retirando a garota que parecia estar inconsciente. A garota que estava sentada em cima de Defteros foi correndo acudir a outra.

-Rin onee, acorde! – Ren chacoalhava a irmã mais velha, num ato de desespero. Aos poucos a gêmea mais velha foi recobrando a consciência, um pouco atordoada. –Depressa, temos que encontrar a Nina-san e cumprir nossa missão!

-Ah, o quê? –Rin perguntou confusa, enquanto os cavaleiros de gêmeos observavam as duas. –Nina-san, onde você está?

-Gêmeas. –Aspros e Defteros se entreolharam, incrédulos.

-Sim, e? –Rin perguntou insolente.

-Olha os modos pirralha, sabe com quem está falando? –Aspros perguntou irritado, pegando a gêmea mais velha pela gola da camiseta.

-Sim, o cavaleiro de gêmeos do século VXIII, futuro traidor de Atena. –Rin respondeu entediada, olhando para as próprias unhas.

-O quê, como ousa me chamar de traidor? Vou mata-la agora mesmo. – O gêmeo mais velho estava prestes a mandar a garota para outra dimensão, quando foi interrompido pelo irmão. –O que foi Defteros?

-Espere irmão, vamos tentar extrair algumas informações dessas duas. –Sugeriu o gêmeo mais novo, Aspros assentiu. –Muito bem, respondam rápido: quem são vocês? O que fazem aqui? São espectros? E quem é essa tal de Nina?

-Nós somos Rin e Ren, amazonas de coruja e lira do século XXI. Viemos junto de nossa prima Nina, que é uma amazona de ouro, para cumprir uma missão da Atena de nossa época. Vocês podem nos levar até a Atena e o mestre dessa era? – Ren perguntou assustada, pois os gêmeos tinham aparências sombrias, apesar de serem bonitos e másculos.

-E você acha mesmo que eu vou acreditar numa história ridícula e absurda dessas? – Aspros respondeu com desdém, erguendo Rin pelo pescoço, que se debatia. –Eu sou o cavaleiro de gêmeos e protetor dessa casa, e ninguém passa por aqui sem minha permissão.

-Por favor, senhor Aspros, estamos dizendo a verdade, e temos urgência. –Ren dizia desesperada, suplicando ao cavaleiro que soltasse sua irmã. Defteros a olhava com carinho, embora se repreendesse por isso.

-Irmão, talvez elas estejam dizendo a verdade, veja as caixas de pandora ali. – O gêmeo mais novo apontou para as duas urnas de prata que estavam ao lado de uma pilastra, dirigindo-se até lá para verificar. –São as armaduras de coruja e lira mesmo.

-Digamos que eu acredite nessa história, que tipo de amazona é exatamente a prima de vocês? E que missão vocês tem a cumprir? É melhor dizer a verdade pirralha número dois, senão eu quebro o pescocinho da sua irmãzinha. –Aspros respondeu sádico, apertando ainda mais o pescoço de Rin.

-Temos que destruir a espada de Hades para salvar o Seiya, e encontrar dez amazonas de prata para lutar ao nosso lado. E quanto a Nina-san, ela é a... Amazona de serpentário. – Ren disse um pouco receosa a última parte, deixando os gêmeos boquiabertos.

-Amazona de serpentário? Isso é uma piada, não passa de um mito. De qualquer forma vamos levar vocês duas como prisioneiras para Atena, e ela decidirá o que fazer com vocês. – Aspros disse indiferente, soltando Rin, que tossiu. Os dois amarraram as gêmeas e dirigiram-se rumo ao templo de Atena.

Ashley e Luka estavam dormindo na casa de áries, coisa que adoravam fazer quando Shion não estava por perto, especialmente Luka, que nutri fortes sentimentos pelo ariano. Ash estava repousando em uma poltrona de veludo roxo na biblioteca quando acordou repentinamente, devido a um sonho estranho. A amazona de lagarto saiu a procura da amazona de águia por todos os cômodos, até que ouviu seu ronco, que parecia vir do quarto de Shion.

-Droga Luka, eu não acredito que você fez isso de novo. Shion vai nos transformar em poeira se formos pegas. –Ashley resmungou baixinho, com medo de que alguém a ouvisse. Ela entrou pé por pé no quarto do ariano, e viu Luka esparramada na cama, roncando alto. Parecia estar tendo um sonho bom. –Lulu, por favor, acorde logo, temos que sair daqui antes que Shion nos pegue na tampinha.

 -Ah Ash, não seja estraga prazeres e me deixa dormir na cama do Shi, tá tão gostoso, só falta ele aparecer e ficar de conchinha comigo, igual ao sonho que eu estava tendo. –A ruiva pegou no sono novamente, com um enorme. Ashley tentou acorda-la mais algumas vezes, mas sem sucesso.

-Garota irresponsável, eu vou embora. Se Shion te pegar o problema é todo seu. –Ash deu de ombros e foi para a arena treinar, encontrando com Lily e Viollet no caminho.

                    ***Templo de Atena, tempo presente. ***

Inquieto com a atitude de Atena, Aiolos foi até a casa de virgem descobrir algo com Shaka, que estava meditando na sala das árvores gêmeas, o único local que não fora afetado pela última guerra santa.

-Você não vai descansar enquanto não descobrir o que foi que Atena viu, não é? –Shaka perguntou sorrindo misterioso.

-Exatamente. –Aiolos cruzou os braços, sério. –Quem está atrás da Lia?

-Estou proibido de tocar no assunto até que Atena tenha certeza, mas está relacionado a uma antiga profecia, envolvendo o cavaleiro de serpentário e o deus da guerra. –Shaka disse enigmático, deixando o sagitariano confuso.

-Como assim? –Aiolos perguntou irritado.

-É tudo o que posso dizer, se quiser saber mais pergunte a Atena, ou ao seu sogro. Agora me dê licença e deixe-me terminar minha meditação, aproveita e vá descansar um pouco, você acabou de retornar à vida, e sua amada retornará dentro de três dias. –O virginiano respondeu normalmente, desaparecendo entre a neblina. Inconformado, o cavaleiro desceu para a casa de leão, para ver seu irmão Aiolia.

Camus estava em sua biblioteca, lendo um livro sobre culinária italiana, um presente de Nina, que era uma velha amiga. Milo entrou de mansinho no local, soltando uma gargalhada bizarra (N/A: imaginem a gargalhada do Saga), assustando o francês.

-Milo seu imbecil, sua infantilidade continua a mesma de sempre. –Camus comentou irritado, servindo uma xícara de chá de camomila. (N/A: coitado, vai precisar de litros pra aguentar o Milo. Hehe).

-Qual é Cam? Mal voltamos à vida e você enfia a cara nesses livros? Vamos sair pra azarar umas gatinhas, encher a cara. E a propósito, por que está lendo um livro sobre cozinha italiana? –Milo perguntou curioso.

-Não é da sua conta. –Camus respondeu aborrecido.

-Ah picolé, conta vai, tá planejando fazer um jantar pra mim, é? –O escorpiano perguntou debochado.

-Já vi que não vai me deixar em paz até descobrir, né? –O aquariano fechou o livro e tomou um gole de seu chá, colocando um pouco de mel. –Estou planejando cozinhar para a Nina, que regressará dentro de três dias.

-Ah sim, a amazona gostosa que é filha de Thanatos. –Milo respondeu malicioso. –Será que a sua amiguinha e Aiolos ainda tem algum romance? Se não tiverem você podia botar ela na minha, né? Faz essa mão pro seu parceiro aqui.

-Nem pensar, a Nina não é para o seu bico, e mesmo que ela não tenha mais nada com o Aiolos, o que eu acho muito difícil, ela nunca vai te querer. –Camus comentou friamente.

-Poxa, não precisa humilhar também, seu amigo da onça. –Milo fez um muxoxo, retornando para escorpião, queria tomar um banho demorado e tirar uma longa soneca.

                      ***Retornando ao Século XVIII***

El Cid e Sísifo chegaram à casa de sagitário, e logo perceberam que havia alguém lá. Rapidamente o capricorniano vestiu sua armadura, mas Sísifo preferiu averiguar, pois apesar de ser extremamente poderoso, o cosmo era pacífico e gentil, semelhante ao de Atena. Eles deram mais alguns passos e logo se depararam com alguém caído no meio da casa de sagitário, com uma urna dourada ao lado. Sísifo aproximou-se lentamente do individuo, que usava uma capa vermelha e usava uma máscara que cobria da metade da testa até o começo do lábio superior, constatando se tratar de uma garota. Ambos ficaram impressionados.

-Quem será essa menina, Sísifo? Ela tem um cosmo tão poderoso quanto o de Atena, mas perece tão inofensiva. –El Cid disse sério, analisando a garota que dormia profundamente.

-Não faço ideia, mas olhe a urna ao lado dela, aparenta ser uma armadura de ouro, mas eu nunca vi esses símbolos, e não há nenhum cavaleiro de ouro morto, o que seria impossível ser um sucessor. –Sísifo comentou confuso.

-Espere, eu acho que já vi esses símbolos em alguns documentos antigos. –El Cid respondeu pensativo. –Não, não é possível, isso é só uma lenda esquecida, não posso crer que seja mesmo real. De qualquer forma, fique aqui até que ela desperte, eu vou falar com Atena e mestre Sage. –O cavaleiro saiu apressando, deixando Sísifo sozinho com a garota, que a observava com o estranho, que num impulso retirou a máscara de seu rosto, ficando fascinado por sua beleza. Ele passou os dedos delicadamente por seu rosto, o que fez a menina despertar, confusa.

-A-Aiolos... – A garota disse sonolenta, até que abriu bem os olhos e se afastou de Sísifo num sobressalto, cobrindo seu rosto com a capa. –Quem é você? Onde estou? Por que retirou minha máscara?

-Um momento senhorita, eu que faço as perguntas por aqui. –Sísifo riu, deixando a menina incomodada. –Essa é a casa de sagitário e eu sou o guardião dela, Sísifo. Desculpe-me pelo atrevimento, mas foi curiosidade. Agora me diga quem é você e o que faz aqui, na casa de sagitário? E como chegou até aqui? E que armadura é essa?

-Me chamo Nina e sou a amazona de serpentário. Eu viajei através do tempo com minhas primas Rin e Ren para cumprir uma missão dada pela Atena de minha época. Não tenho muito tempo, por favor, leve-me até a senhorita Sasha e mestre Sage, preciso falar com eles antes que seja tarde. –Nina pediu ansiosa, enquanto seus olhos estavam inquietos a procura das gêmeas.

-Viagem no tempo, amazona de serpentário, uma história um tanto absurda, não? Mas façamos um acordo: se você me acertar com um só golpe, eu te levo até Atena e mestre Sage. – Sísifo disse sério, estendendo a mão direita para a garota, que retribuiu um tanto desconfiada.

-Tudo bem. –Nina comentou indiferente. –Trovão atômico! –Sísifo nem teve tempo de se defender, quando foi atingido pelo golpe. Nina riu, mas ajudou o sagitariano a se levantar. –Saiba que essa é uma técnica do seu sucessor, o cavaleiro de sagitário do século XXI.

-Não acredito que fui derrotado por uma garota tão delicada e linda como você, meu orgulho masculino está profundamente ferido. – Sísifo comentou rindo extrovertido, segurando na mão de Nina, que corou com os elogios. –Vamos.

O caminho até o templo de Atena fora silencioso e desconfortável, Sísifo não parava de pensar no instante em que tirara a máscara de Nina e admirou seu rosto feminino e sensual dormindo, enquanto Nina achava que Sísifo lembrava Aiolos em alguns aspectos, embora seus olhos fossem azuis, os cabelos mais claros, seu corpo era um pouco mais musculo e ele era um pouco mais alto também, mas o que mais lhe chamava a atenção era que os dois usavam a mesma fita vermelha na testa, fato que a deixou bastante intrigada.

Em uma clareira próxima a um riacho e uma plantação de lavandas, Lily, Viollet, Ashley e Aisha faziam um piquenique animado e saboroso, aproveitando o momento de calmaria. Havia bolo, sanduíches, suco e água, tudo preparado rapidamente, para aproveitar a tarde ensolarada e a temperatura amena, que era bem incomum na Grécia.

-Lily, pare de sonhar com o Kardia e me passa um sanduíche. – Aisha gritou impaciente, fazendo a amazona de cães de caça corar intensamente, o que fez as outras rir.

-Toma! –Lily entregou dois sanduiches para Ash, fazendo bico.

-Olha lá quem tá vindo Aisha, o seu garotinho. –Viollet comentou debochada, fazendo a amazona de grou ficar com uma expressão maliciosa. Ao ver a comida, o cavaleiro de leão se aproximou das garotas, pois era o maior guloso.

-Olá meninas, tem um pedacinho pra mim? –Regulus perguntou infantil.

-Tá aqui, leãozinho esfomeado. – Aisha entregou um pedaço de bolo e um copo de suco para o leonino, que devorou em segundos. As garotas se divertiam com a cena.

-Ei Regulus, que tal levar a Aisha pra colher lavanda. Sabia que ela ama homens com cheiro de lavanda? –Ashley perguntou debochada, fazendo o inocente garoto corar.

-A-Aisha, v-você q-quer colher lavanda comigo? Posso pedir para o Degel me ajudar a fazer uma colônia. –Regulus perguntou envergonhado, o que a amazona de grou achou extremamente fofo.

-Claro. –Aisha pegou o garoto, e foram correndo rumo ao campo de lavandas. Ashley, Viollet e Lily suspiraram com a cena.

-Por que o Kardia não pode me tratar assim? –Lily resmungou baixinho, pensando no escorpiano.

-Como assim Lily? – Ash se fez de desentendida.

-Fala sério né Ashley Maria das Neves, a Lily quer um amor fofinho, meigo, tipo Sasha & Tenma, mas com o Kardia tá meio difícil de rolar algo do tipo, o homem é um pervertido de marca maior, aposto que ele tem um quarto de sadomasoquismo na casa de escorpião. –Luka apareceu do nada, se metendo do nada.

-É possível. – Viollet comentou pensativa.

-Também acho. –Ash debochada.

-Muito obrigada meninas, tô me sentindo bem melhor. –Lily respondeu irônica, fazendo careta.

-E o que a Branca te disse? – Indagou Viollet.

-Vocês sabem como ela é ingênua, a Branca não entende nada sobre assuntos do coração, e ela vive num mundinho só dela. Não sei como o Manigold aguenta. –Lily suspirou desanimada. –Mas ela acha que o Kardia faz isso porque me ama, e é o jeito dele demonstrar seus sentimentos por mim, e que nós devemos fugir juntos, montados em um cavalo branco, rumo à terra do arco íris.

-Credo, essa menina viaja na maionese legal. Mas minha cara Lily, eu lamento te dizer, mas acho que você só tem duas opções: ou você dá uma prensa no rabo torto, dizendo que você não gosta desse jeito abusado dele, ou manda ele à merda e investe em outro cavaleiro. O Asmita tá disponível. –Luka disse debochada, enquanto enroscava uma mecha ruiva em seu dedo.

-Falou a voz da experiência. –Ash comentou irônica. –E quanto a você e o loirão da casa de áries?

-Muito bem, hoje fiz ele colocar as mãos nos meus seios. –Luka comentou orgulhosa, apertando os próprios seios.

-Mentira! –Ash, Lily e Viollet responderam em coro, duvidando da ruiva, que ignorou.

-Mas e quanto a Yuki-chan? Ela morre de amores pelo Asmita. –Viollet comentou apreensiva.

-Yuki está desaparecida há meses, talvez até esteja morta. Por Lily, não perca tempo e invista no Asmita, ou continue choramingando pelo Kardia. –Luka comentou indiferente e saiu rebolando, deixando a amazona de cães de caça irritada.

-Essa garota é muito arrogante mesmo. –Viollet comentou revirando os olhos.

-É. – As outras responderam sérias.

Sasha discutia com Sage sobre o relato de Rin e Ren, quando Sísifo apareceu trazendo Nina. As gêmeas se soltaram de Aspros e Defteros e foram correndo ao encontro da prima, que sorriu de alívio.

-Rin e Ren, que bom que estão bem, fiquei tão preocupada. Desculpe a demora, é que eu peguei no sono, e quando acordei ainda tive que dar uns tabefes no cavaleiro de sagitário, para que ele me trouxesse até aqui. –Nina comentou entediada, enquanto Sísifo ficou envergonhado por ter apanhado da amazona. Shion, Asgard, El Cid, Dohko, Degel e Kardia também estavam presentes.

-Sísifo, você apanhou mesmo dessa nanica? Olha o tamanho dela, é impossível que ela tenha derrubando um dos cavaleiros mais poderosos do santuário. –Kardia comentou incrédulo, debochando do sagitariano.

-E pelo tamanho da sua língua, suponho que seja o cavaleiro de escorpião. –Nina comentou indiferente. Todos riram de Kardia, que ficou indignado. –Carneirão, nunca pensei que teria a oportunidade de te ver em seus gloriosos tempos como cavaleiro áries, mas as vestes de grande te caem melhor.

-O quê? –Todos perguntaram espantados.

-Sobre o que esta garota está falando? Shion mestre do santuário? Isso é uma grande piada. –Dohko comentou debochado.

-Que armadura é essa? –Degel perguntou apontando para a urna que Nina trazia nas costas.

-Com licença, senhorita Atena e mestre Sage, eu posso contar minha história para vocês? –Nina perguntou humildemente, pedindo permissão para se aproximar dos dois, que foi concedida, embora os outros cavaleiros tivessem receio. A amazona colocou as mãos no rosto de cada, permitindo que eles soubessem de tudo. Sasha e Sage ficaram bastante surpresos.

-Então a lenda é mesmo verdadeira. –Sage comentou convicto, deixando os cavaleiros de ouro confusos, exceto Sísifo.

-Eu acredito em você, Nina, e pode contar com minha ajuda para cumprir minha missão. –Sasha respondeu gentil.

-Obrigada senhorita Atena e mestre Sage. Podemos continuar essa conversa em particular? –Cecyllia perguntou educada.

-Tudo bem. Cavaleiros, chamem Albafica, Asmita, Manigold e Regulus, quero todos dentro de uma hora. –Ordenou Sage. Todos assentiram e desapareceram.

Sasha e Sage levaram Nina e as gêmeas para a sala de reuniões, por ser menor e mais intimista. Sasha ordenou a uma das criadas que preparasse um lanche para todos.

-Senhorita Atena, por favor, perdoe-nos por aparecer tão repentinamente e causar todo essa confusão no santuário, mas nossa missão é extremamente importante e podemos ajudar em sua atual guerra santa. –Cecyllia disse apreensiva.

-É uma história e tanto, mas nós acreditamos em sua honestidade. Confesso que ainda estou chocada por vocês serem filhas de quem são. –Sasha riu, deixando as três garotas encabuladas.

-Acredite senhorita Atena, é complicado para nós também, durante muito tempo fomos hostilizadas no santuário, acusadas de espiãs, traidoras, e fomos obrigadas a nos esconder na última guerra santa. Só retornamos ao santuário há poucos dias, com a descoberta da nova guerra contra Ares. –Rin explicou.

-Nossa atual Atena, a senhorita Saori Kido está ressuscitando os cavaleiros de ouro, que morreram no muro das lamentações, e precisamos achar essas dez garotas e leva-las de volta ao futuro, para lutarem ao nosso lado. –Ren completou.

-E quanto à espada de Hades, como pretendem destruí-la? Questionou Sage.

-Sabemos que ela está em algum lugar do castelo Heinstein, na Alemanha. Primeiro nós vamos nos tele transportar para o palácio flutuante, onde nossos pais estão, assassinar Pandora, destruir a espada e trazer Yuki de lá. –Explicou Cecyllia.

-Yuki, a amazona de cobra? Por que ela estaria num lugar como esse? –Sasha perguntou confusa.

-Porque ela é filha de Hades. Provavelmente Pandora a está mantendo como prisioneira lá. –Rin direta.

-De acordo. Vou convocar todos os cavaleiros de ouro e fazer uma reunião, apresentando-as a eles, especialmente você, Nina. –Sasha anunciou confiante, Sage apenas concordou.

-Que coisa incrível, nesses meus mais de duzentos anos nunca imaginei que presenciaria a lenda do cavaleiro de serpentário se tornar, e ainda mais uma amazona. Hakurei não vai acreditar quando souber. –O velho lemuriano disse risonho, bebendo chá. –E a senhorita é discípula de Shion? Difícil de acreditar que ele moleque irresponsável será capaz de treinar alguém.

-Disso e muito mais, mestre Sage. Além de mim, o Carneirão, digo, mestre Shion treinou um rapaz chamado Mu, que será o próximo cavaleiro de áries, um dos cavaleiros mais honrados que já conheci e um grande amigo. – Nina comentou nostálgica, se lembrando do velho amigo.

-Fico muito orgulhoso em saber disso. –Sage respondeu gentil.

-Muito obrigada pela generosidade de vocês, mas eu tenho um pequeno pedido a fazer: por favor, não contem a ninguém, pelo menos por enquanto, sobre sermos filhas de Thanatos e Hypnos. É arriscado no momento. –Cecyllia pediu humildemente.

-Claro, quanto a isso não se preocupem, mas desde já peço que tomem cuidado quando forem ao palácio flutuante, pois é perigoso. –Sasha comentou aflita.

Eles continuaram lanchando e conversando sobre passado e futuro, quando Shion bateu à porta. Sage concedeu permissão para que o ariano adentrasse, ele estava acompanhado de Sísifo, que estava ansioso por ver Nina de novo.

-Com licença mestre Sage, senhorita Atena, senhoritas. –Shion disse educado. –Todos os cavaleiros de ouro estão na sala do grande mestre, aguardando vossa presença.

-De acordo. Shion, peça a um dos mensageiros que traga imediatamente a armadura de taça até aqui, ela está no cofre das armaduras. –Ordenou Sasha. Shion assentiu e se retirou.

Sasha e Sage foram ao encontro dos demais cavaleiros, acompanhados das gêmeas, deixando Nina e Sísifo a sós. O silencio irritante durou alguns minutos, até que o cavaleiro de sagitário resolveu dizer algo.

-Nina é um apelido bastante fofo, mas creio que você deve ter um nome verdadeiro. Pode me dizer qual o seu verdadeiro nome, amazona de serpentário? –O sagitariano perguntou galante.

-Dentro de alguns instantes você irá descobrir. –Nina respondeu misteriosa, vestindo sua armadura.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...