História No caminho para nós dois - Interativa - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 6
Palavras 5.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Kiss or treat?


-Ah meninas, vocês estão tão bonitas, parecem até ninfas. –Sasha observava Rin e Ren se arrumando, que ficaram envergonhadas com o elogio.

-Ora senhorita Atena, o que é isso? Você também está muito bonita. –Ren respondeu tímida. Sasha usava o vestido branco de sempre, com suas joias. No cabelo uma tiara dourada em formato de garras, e no rosto uma maquiagem leve e juvenil.

-Eu? Até parece. Sempre uso esse vestido sem graça, sem nenhum glamour, às vezes me sinto um lençol ambulante. –Resmungou a deusa, fazendo as gêmeas rir.

-Então deixa comigo, hoje vou te deixar uma verdadeira deusa! –Rin pegou sua maleta de cosméticos e começou a mudar o visual de Sasha. –Ren, dá uma olhada naquele baú que as servas trouxeram, e vê se tem algo que não seja branco para a senhorita Atena vestir, ou peças que possamos improvisar.

Horas depois...

-Rin-onee, você deveria trabalhar como personal stylist, a senhorita Atena parece um mulherão. –Ren ficou impressionada com a mudança de visual da deusa, que foi correndo se olhar no espelho.

-Eu sei maninha, eu sou demais. –Rin comentou convencida, retocando o batom. Elas terminavam de se arrumar, quando a gêmea mais nova se deu conta de algo.

-Vocês não estão sentindo falta de ninguém? –Perguntou Ren.

-Ah, é mesmo. Cadê a Nina-san? –Questionou Rin.

-Esqueci-me de dizer, ela foi passear no jardim, parece chateada com alguma coisa. –Respondeu Sasha. –Uma das servas me entregou uma mensagem dela.

-É... Complicado. –Rin pensativa.

Sísifo se dirigia para os aposentos de Atena, acompanhado de Tenma, Aspros e Defteros, quando Shion os interceptou.

-O que faz aqui? Não deveria estar indo com os outros para a arena? –Questionou Aspros.

-De fato, mas antes tenho um aviso para vocês: Dohko e Manigold fizeram uma aposta, desafiando todos os cavaleiros de ouro. Quem não beijar uma das amazonas hoje à noite vai ter que usar um vestido de Atena por um dia. Não vale beijar a amazona que outro cavaleiro já beijou, e o beijo tem que ser na boca, na frente de todos. Vale para as amazonas do futuro também.

-Isso vale pra Sasha também? –O cavaleiro de Pégaso perguntou esperançoso.

-Perdeu a noção do perigo, moleque? Não ouse encostar em um só fio de cabelo da senhorita Atena. –Ameaçou Sísifo.

-Assim você parece o pai dela. –Defteros comentou debochado, fazendo o irmão rir, concordando.

-De qualquer forma, estão avisados. Se virem Albafica, avisem-no por mim. –Shion pediu normalmente, desaparecendo em seguida.

-Aí maninho, essa é nossa chance de se dar bem com as gêmeas. Posso pegar a peituda? –Defteros bateu no ombro de Aspros, com um olhar malicioso.

-Eu vi primeiro, pega a santinha. –Aspros irritado. –E você Sísifo, já tem um alvo?

-Sou um cavaleiro de Atena, que luta pelo amor e a justiça, não um pegador vulgar. Essa aposta é ridícula. –O sagitariano comentou aborrecido, mas no fundo não se aguentava de vontade de beijar Cecyllia, mas seu cavalheirismo e bons modos falavam mais alto.

-Quanto blábláblá, fala esse monte de asneiras, mas é homem. Ceder aos seus instintos pelo uma vez, não vai te fazer mal. E eu vi como estava olhando pra amazona de serpentário. –Retrucou Defteros. O sagitariano apenas suspirou, derrotado.

                  ***Templo de Atena, tempo presente. ***

 Saori continuava dormindo profundamente, enquanto Shion e os demais reestabeleciam a ordem no santuário. Com a ajuda de Dohko o velho ariano examinava alguns documentos, quando um em particular lhe chamou a atenção.

-O que foi “carneirão”? –O libriano perguntou em tom de deboche.

-Até você. –O velho ariano revirava olhos, servindo duas xicaras de café. Ele as adoçou com mel e capim limão, acompanhado de biscoitos de mostarda. Dohko cheirava a bebida como se estivesse cheirando o pescoço de uma mulher. (N/A: outro pervertido, já não se fazem mais cavaleiros como antigamente.) –Como está o café?

-Uma delícia, e esses biscoitinhos estão dos deuses. (N/A: esses homens têm uns gostos bem estranhos). –Dohko comentou de boca cheia. Shion apenas arqueou uma sobrancelha, em sinal de reprovação. –Qual é amigão? Não me olhe assim. A propósito, por que está com essa cara? O que está escondendo aí?

-Nada. –Shion disse nervoso, tentando esconder o manuscrito por entre a túnica, mas sem sucesso. Dohko pegou o documento e começou a ler, até que ele entendeu do se tratava, ficando sério, mas ao tempo irônico.

 -Você ainda pensa nela? –Dohko perguntou incrédulo. Shion fechou a cara e se escolheu em sua cadeira, provocando um ataque de risos no libriano. –Você não passa de uma ovelhinha rebelde mesmo, se a Nina descobrisse ia te atormentar pra sempre.

-Isso se ela não descobrir lá no passado, aliás, gostaria de saber como ela está se saindo, como meu eu do passado reagiu a ela. –O velho ariano soltou um muxoxo. –Estou preocupado com ela, algo me diz que ela está correndo perigo.

-E que perigos ela correria na guerra santa anterior? Ela é filha de Thanatos, um dos deuses gêmeos que manipula Hades, com certeza ela está mais segura que aqui. –Dohko riu, às vezes Shion agia como se fosse pai da amazona. –Se você se preocupa tanto assim com ela, por que não pergunta a Aiolos o que ele pretende fazer quando ela retornar da missão? Aqueles dois se amaram desde o dia que se conheceram.

-Mas que besteira, Cecyllia é uma mulher adulta e vacinada, e, além disso, o sogro de Aiolos é Thanatos, e não eu. Se alguém tem que conversar com ele sobre isso é o deus da morte, e não eu. Mas confesso que gostaria muito de assistir essa conversa. –Shion riu, o que era quase raro. Dohko ficou feliz ao ver o amigo com uma expressão mais descontraída.

-Acho que estamos com sorte, pois parece que o “sogrão” do Aiolos está aqui, reconheceria essa cosmo-energia impaciente e agressiva a milhares de quilômetros de distância. –Dohko comentou, rindo mais ainda.

-Mais respeito, cavaleiro de libra. – Atena adentrou o recinto, acompanhada dos três juízes do inferno e Hypnos.

-Perdoe-nos senhorita Atena, resolvemos ter um momento de descontração e acabamos nos excedendo. Não quisemos ofender o senhor Thanatos. –Shion disse de cabeça baixa, fazendo uma pequena reverência aos deuses. Dohko fez o mesmo, porém calado.

-Não se preocupe com isso Shion, eu sou mais bem-humorado que meu irmão, e na verdade vocês acertaram, pois neste exato momento ele está conversando com o cavaleiro de sagitário. Creio que Nina-chan vai ter uma grande surpresa quando retornar amanhã. – Hypnos respondeu com um pequeno sorriso. –Espero não precisar ter essa conversa tão cedo, minhas filhas ainda são dois bebês para mim.

-Isso é que você pensa, Hypnos. Rin e Ren se tornaram belas mulheres, atraindo muitos olhares para si. Talvez estejam recebendo muitos galanteios no passado, sabe como são esses cavaleiros, apesar de seus deveres comigo, são homens no final e seus desejos falam mais alto. –Atena riu, fazendo o deus loiro fechar a cara.

-Eles que não ousem encostar um só dedo na Rin-sama, que eu mato! – Minos respondeu cerrando os punhos, raivoso.

-E eu faço picadinho de quem pensar em se aproximar da Ren-sama. –Aiacos da mesma forma.

-O que está havendo aqui? Por que toda essa preocupação com os meus bebês? Por acaso estão... Apaixonados pelas minhas meninas? –Hypnos questionou sério, os espectros engoliram em seco.

-N-não é n-nada disso m-meu senhor, apenas estamos preocupados com bem estar dela. – O espectro de griffon respondeu nervoso.

-Isso. –Concordou o espectro de garuda.

-Aiolos agiu da mesma forma quando eu perguntei pela primeira vez se ele gostava da Nina. –Atena riu, lembrando-se da conversa que teve com o sagitariano.

-Sabe o que seria muito louco? Se a Nina se apaixonasse por Sísifo. – Dohko comentou distraído, como se tivesse pensado um pouco alto demais.

-Não diga uma tolice dessas Dohko, Cecyllia sabe muito bem que isso não pode acontecer. Mas se bem que... –Shion ficou pensativo, deixando todos curiosos.

-O que foi Shion? Quem é esse Sísifo? –Atena curiosa.

-Sísifo é o cavaleiro de sagitário do século XVIII, e ele se parece muito com Aiolos, principalmente no caráter nobre, gentil e amoroso. É provável que Nina se aproxime dele, pela ausência de Aiolos por todos esses anos. –Respondeu o velho ariano.

-O que você está dizendo? –Aiolos adentrou a sala com os arregalados. –Quer dizer que eu estou correndo o risco de perder a Lya pra outro homem? E pior, outro cavaleiro de sagitário? Isso não pode acontecer!

-Acalme-se Aiolos, isso não vai acontecer, Dohko e Shion estavam apenas falando besteiras. Cecyllia voltará amanhã e ficará tudo bem. –Saori colocou delicadamente a mão no ombro do sagitariano, que estava bastante irritado.

-Me pergunto: onde minha filha estava com a cabeça quando se apaixonou por esse idiota? –Thanatos perguntou irônico, a fim de provocar o cavaleiro. –Tenho notícias de Ares: parece que ele mandou dois de seus filhos atrás de Nina no passado.

-O quê? –Todos perguntaram incrédulos, mediante o deus da morte.

-Irmão, tem certeza disso? –Questionou o deus do sono.

-Tenho sim, Radamanthys conferiu pessoalmente, não é mesmo? –Thanatos olhou para o juiz, que apenas assentiu.

-E como pode estar tão calmo? Nina e as gêmeas estão correndo sério perigo. –Atena preocupada.

-Mas é claro que também estou preocupado, pois são minha filha e minhas sobrinhas que estão correndo riscos, mas eu já tomei providencias. Enviei os filhos de Hypnos ao passado, pedindo para que as protejam, além de uma espada forjada pelo próprio Hefesto. – Thanatos normalmente.

-Meus filhos? Por acaso está se referindo a Phantasus, Icelus, Oneiros e Morpheus? –Hypnos perguntou confuso. –Eles foram mortos por El Cid e Tenma na guerra santa anterior.

-Digamos que Zeus estava me devendo alguns favores, em troca pedi que os ressuscitasse. – Thanatos disse indiferente. –A essa altura acredito que já tenham encontrado Nina e as gêmeas.

-Mas isso não é perigoso? O passado não corre o risco de ser alterado? – Questionou Atena.

-Na verdade a guerra santa do século VXIII será um pouco alterada, mas em prol do santuário. É provável que Nina evite muitas mortes por causa de sua missão. –Comentou Hypnos.

-Está bem, sintam-se à vontade. –Atena disse gentil, saindo de escritório. –Vou cuidar de Seiya, quaisquer coisas que precisem Aiolos e Shion estarão a sua disposição.

-Aiacos, Minos e Radamanthys: quero que organizem a melhor festa de boas-vindas que alguém já teve. –Ordenou Thanatos.

-Claro meu senhor, e quando será essa festa? –Questionou Aiacos.

-Dois dias. –Respondeu Hypnos.

-Dois dias??? –Os três juízes gritaram em coro.

-Mas meu senhor, é um prazo muito curto. –Resmungou Minos.

-Além, nós nem sabemos como organizar festas, quem fazia isso era a senhorita Pandora. –Comentou Radamanthys.

-Calem-se! Eu mandei vocês organizarem uma festa de boas-vindas dentro de dois dias, e é o que irão fazer, a menos que queiram voltar para o Cocytos. –Ameaçou o deus da morte. –E lembrem-se: se minha filha ou minhas sobrinhas não gostarem da festa, farei com que se tornem servos dos cavaleiros de bronze.

-Sim, senhor! –Os três juízes fizeram uma pequena reverência e sumiram.

-Coitados desses panacas, não gostaria de estar no lugar deles. –Aiolos disse para Shion e Dohko, se comunicando pelo cosmo.

-Nem eu. –Respondeu o velho ariano.

-Até parece. Como genro de Thanatos, sua situação não difere muito. –Dohko comentou debochado, rindo do sagitariano.

                     ***Retornando ao Século XVIII***

Sísifo se dirigia aos aposentos de Atena, acompanhado de Aspros, Defteros e Tenma quando ouviu um som de piano. Ele deixou os companheiros de lado e resolveu seguir o som, se deparando com uma imensa porta de ébano. Ele abriu lentamente e com cuidado, e se deparou com Nina tocando o piano despreocupadamente, como se estivesse brincando com as teclas. Ele caminhou pé por pé, até chegar perto dela, dando-lhe um susto.

-Ai Sísifo, que susto. –Nina fez bico, o que fez o sagitariano rir.

-Me desculpe, mas é que era cena tão agradável de ver, a senhorita toca piano muito bem. Gostaria de vê-la tocando novamente. – Sísifo respondeu alegre, seu sorriso era tão brilhante e sexy que Nina tinha em prestar atenção no que ele dizia. –Algum problema?

-Não, não é nada. Só fazia algum tempo que eu não tocava piano, acho que estou um pouco enferrujada. –Nina respondeu corada, enroscando uma mecha de cabelo nos dedos.

-Eu também toco piano, geralmente em ocasiões especiais ou quando tenho algum tempo livre, o que é raro, pois a senhorita vive me mandando para missões. –O sagitariano respondeu pensativo. Nina o observava atentamente, ele estava com trajes formais, o que o deixava demais ainda mais bonito.

-“Atena que me perdoe, mas que homem!” - Pensou Cecyllia, sorrindo e soltando um longo suspiro, que fez o sagitariano a olhar com uma expressão de curiosidade, deixando-a envergonhada. –Perdoe a minha distração, mas é que fiquei imaginando você tocar piano.

-Se importaria se eu tocasse um pouco? Não sou tão bom quanto você, mas posso tentar algo. –Sísifo sentou-se ao lado de Nina, fazendo o coração da amazona disparar por causa da aproximação repentina.

-Deixa de ser modesto, a senhorita Sasha me disse que é um excelente pianista, além de ter uma voz encantadora. Mostre-me seus talentos. –Nina se levantou do banco, dando lugar ao lugar ao sagitariano, que se preparava para tocar. Ele ficou parado por alguns minutos, pensando no que iria tocar, até que a música começou a surgir, deixando Nina chocada.

Give me love like her

Me dê amor como ela

'Cause lately I've been waking up alone

Porque ultimamente tenho acordado sozinho

Pain splattered teardrops on my shirt

Lágrimas de dor escorrendo na minha camiseta

Told you I'd let them go

Disse a você que os deixaria ir

 

And I'll fight my corner

E eu vou lutar pelo meu espaço

Maybe tonight I'll call ya

Talvez eu te ligue hoje a noite

After my blood turns into alcohol

Depois do meu sangue virar álcool

No, I just wanna hold ya

Não, só quero te abraçar

 

Give a little time to me, we'll burn this out

Me dê um pouco de tempo ou queime isso

We'll play hide and seek, to turn this around

Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto

All I want is the taste that your lips allow

Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

 

My, my, my my, oh, give me love

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

My, my, my my, oh, give me love

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

My, my, my, my, give me love

Minha, minha, minha, minha, me dê amor

 

Give me love like never before

Me dê amor como nunca deu antes

'Cause lately I've been craving more

Porque ultimamente tenho desejado mais

And it's been a while but I still feel the same

E faz algum tempo, mas ainda sinto o mesmo

Maybe I should let you go

Talvez eu deveria deixar você ir

 

You know I'll fight my corner

Você sabe que vou lutar pelo meu espaço

And that tonight I'll call ya

E que vou te ligar hoje a noite

After my blood, is drowning in alcohol

Depois que meu sangue estiver se afogando em álcool

No I just wanna hold ya

Não, só quero te abraçar

 

Give a little time to me, we'll burn this out

Me dê um pouco de tempo ou queime isso

We'll play hide and seek, to turn this around

Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto

All I want is the taste that your lips allow

Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

 

My, my, my, my, oh, give me love

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

Give a little time to me, we'll burn this out

Me dê um pouco de tempo ou queime isso

We'll play hide and seek, to turn this around

Vamos brincar de esconde-esconde para mudar isto

All I want is the taste that your lips allow

Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

 

My, my, my, my, oh, give me love

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

My, my, my, my, oh, give me love

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

My, my, my, my, oh, give me love

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

 

My, my, my, my, my, my, oh, give me love, love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

My, my, my, my, my, my, oh, give me love, love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

My, my, my, my, my, my, oh, give me love, love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

My, my, my, my, my, my, oh, give me love, love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

 

My, my, my, my, oh, give me love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor

My, my, my, my, oh, give me love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor

My, my, my, my, oh, give me love

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor

My, my, my, my, give me love

 M-minha, m-minha, m-minha, me dê amor...

 

-Uau. –Nina aplaudiu Sísifo, mas que pareceu não notar muito. –Você tocou essa música com tanto sentimento, você ama alguém, ou é comprometido?

Sísifo olhava fixamente para Nina, sem dizer uma palavra. Ele analisava a amazona minuciosamente, como se ela lhe trouxesse lembranças ruins.

-Me desculpe, não deveria ter falado isso, lamento se te chateei. –Nina estava tão vermelho quanto uma pimenta.

-Eu sou solteiro. Quando eu era um pouco mais jovem, tive que sair em uma missão no oráculo de Delfos, e uma das pitonisas de Apolo me fez uma previsão. Ela disse que dentro de três anos eu conheceria meu grande amor, mas que seria impossível, pois os deuses jamais permitiriam que ficássemos juntos. - O sagitariano olhava para o nada, sério.

-E faz quanto tempo isso? –Nina perguntou triste, no fundo sentia culpa, pois sabia que alguns dos cavaleiros possuíam vínculos afetivos com as amazonas que ela estava procurando.

-Hoje completa três anos. –Sísifo disse sem piscar, olhando para Nina. Seus corações pareciam querer fugir de seus peitos.

-Sísifo, eu... –Nina tentou dizer algo, mas foi interrompida.

-Nina-san, por que sumiu sem nos dizer nada? –Rin fez bico, se agarrando na amazona de ouro, que soltou um muxoxo. Ren fez o mesmo.

-Olá meninas, vocês estão muito bonitas. –Nina sorriu gentil, bagunçando o cabelo da gêmea mais nova.

-Você precisa ver como a onee deixou a Atena-sama, ela parece uma deusa do amor. –Ren comentou animada.

-Peraí, o que foi que vocês fizeram com a senhorita Atena? –Sísifo perguntou apreensivo.

-Apenas realcei a beleza que ela possui. Tenma aprovou, não desgrudou mais depois que a viu. –Rin respondeu debochada, deixando o sagitariano irritando. –Nina-san, os cavaleiros de gêmeos vão nos levar até a fogueira. Você tem par?

-Como é que é? E por que precisamos de par? –Nina perguntou um pouco desconcertada, Sísifo ficou num vermelhão só.

-Não sei direito, mas parece que todos os cavaleiros de ouro vão acompanhar as amazonas até a fogueira. Até o cavaleiro de Pégaso acompanhou a senhorita Atena. –Rin respondeu maliciosa.

-Está certo. Sendo esse o caso, você me acompanharia, cavaleiro de sagitário? - Nina perguntou para Sísifo, que estava bastante envergonhado.

-M-mas senhorita, sou eu quem deveria perguntar isso, porque eu não sou apenas um cavaleiro, mas também um cavalheiro. – O sagitariano argumentou sério, fazendo Nina cair na risada.

-Por favor, né? De onde eu venho é bastante comum que mulheres tomem a iniciativa, e não vejo problema algum nisso. Agora vamos! –A amazona de serpentário puxou Sísifo pelo pulso, se divertindo com a situação. Rin e Ren suspiravam vendo a cena.

-Escuta maninha, seria legal se a Nina-san vivesse um romance com ele, né? Ele parece ser um cara muito legal, além de ser lindo, gostoso, maravilhoso. –Ren respirou fundo, segurando as bochechas com as mãos.

-Olha a ideia. Onee, nós duas sabemos muito bem que não podemos amar ninguém dessa época, Atena foi absoluta em sua advertência. Além disso, Nina ama e sempre amou Aiolos, seria catastrófico se ela amasse esse tal Sísifo, mesmo que ele seja o melhor homem do mundo. –Ren comentou preocupada.

-Certinha como sempre, que irritante. –Rin disse entediada. –Nina-san não precisa se apaixonar pelo bonitão de sagitário, tirar uma casquinha tá bom. A pobrezinha tá precisando tirar o atraso, acho que a última vez que ela beijou alguém foi quando Aiolos estava em seu leito de morte. E olha que pretendentes não faltaram.

-Sua lesada, você não tem jeito. E papai ainda acha que você é um anjinho, sabe de nada, inocente. –Ren suspirou alto, balançando a cabeça em sinal de reprovação. Ela e Rin continuaram se alfinetando por mais alguns, até que Aspros e Defteros apareceram.

-As “princesas” pretendem demorar mais? –Aspros perguntou irônico.

-Não, estávamos esperando o burro de carga que vai nos carregar até lá. –Rin respondeu da mesma forma. –Que bom que você chegou, pode carregar eu e minha irmã.

Aspros começou a rosnar de raiva, enquanto Defteros caía na gargalhada. Rin mantinha uma postura arrogante e o nariz empinado, já Ren se escondia atrás de uma pilastra, com medo e vergonha.

-Ora sua pirralha, tá pensando que eu sou o quê, hein? –Aspros berrou indignado.

-Penso que nossa pobre Atena deve estar com um déficit muito grande de cavaleiros, para botar um boçal que nem você como cavaleiro de gêmeos. –Rin comentou maldosa, com os braços.

-Vocês dois, chega de criancice e parem de discutir. Senhorita Ren, me acompanha até a fogueira? –Defteros perguntou gentil, oferecendo a mão para a gêmea mais nova, que aceitou tímida. Aspros e Rin ficaram sozinhos no grande salão.

-E aí, pirralha? Vai ficar aí ou vai me acompanhar? –Aspros também ofereceu, mas não tão gentil quanto o irmão.

-Que seja. –A gêmea mais velha aceitou, revirando os olhos.

A casa de Luka se esvaziava aos poucos. Ashley, Aisha e Maya já haviam sido levadas por Asgard, Regulus e Dohko, que chegaram acompanhados de Natsuhi e Albafica. Luka e Branca olhavam entediadas pra janela, quando chegaram Shion, Manigold, El Cid, Degel e Kardia. Lily se antecipou e abriu a porta para eles.

-Olá cavaleiros, como vão? Senhor Shion, me acompanha esta noite? –Lily perguntou simpática, a fim de provocar Kardia e Luka.

-Olá amazona de cães de caça, será um prazer. –Shion aceitou alegre, oferecendo o braço para Lily. Luka queria mata-lo com os olhos.

-Boa noite amazona de águia, aceita ser meu par? –Kardia perguntou irônico, querendo provocar Lily.

-Mas é claro Kardia, quem não gostaria de tê-lo como acompanhante? –A ruiva pulou no pescoço do escorpiano, Lily evitou olhar para trás, pois sabia que se visse Luka agarrada no dourado, a treta seria mortal.

Manigold andou vagarosamente até Branca, odiava como seus amigos pegavam no seu pé por gostar dela. A amazona de órion usava um macacão com diversos tons de rosa, rico em detalhes.

-“Você está tão fofa, minha vontade é de te afofar aqui e agora.” - O cavaleiro de câncer disse por telepatia para Branca, que corou.

-“Manibobo, assim eu vou te enfeitar com arco-íris.” - Branca respondeu da mesma forma para Manigold, que riu. Os dois saíram de mãos dadas rumo à fogueira. As amazonas acharam bastante fofo, enquanto os cavaleiros faziam várias piadinhas, exceto El Cid e Degel.

El Cid quase engasgou ao ver Viollet. Apesar do modelito da loira ser comportado, sua barriga estava à mostra e a saia salientava a curva de seus quadris.

-Olá senhorita Viollet, como está? –El Cid disse sério, evitando olhar para a moça, que se preocupou.

-Oi El Cid? Você está bem? Eu estou feia, não é? Por isso não quer olhar para mim? Sabia que isso não ia dar certo, eu estou ridícula. –Viollet respondeu chateada. Ainda de cabeça baixa o cavaleiro de capricórnio pegou a mão da moça e a acariciou carinhosamente.

-Não, não é nada disso, me desculpe se foi essa a impressão que eu te causei. Você está linda, mas do que eu poderia imaginar, só estou um pouco acanhado, te olhar assim me faz pensar em coisas impróprias pra uma dama. –O capricorniano respondeu corado, fazendo Viollet rir.

-Então é isso? Tudo bem, eu confio em você, sei que jamais faria algo para me machucar ou magoar. –Viollet pegou El Cid pelo queixo, olhando-o fixamente nos olhos, que esboçou um pequeno sorriso.

-Vamos indo? Sabe como a senhorita é, detesta esperar. –El Cid e Viollet andavam lado a lado, a ajudando algumas vezes quando a descida tornava-se íngreme.

Degel apenas fez contato visual com Kaquiyu, que assentiu e o acompanhou, sem dizer uma palavra.

Ao redor da fogueira Sasha e Tenma conversavam e bebiam vinho alegremente, observando os cavaleiros e amazonas que chegavam. O cavaleiro de Pégaso olhava para a deusa de cima a baixo com certa luxúria, um pouco embriagado pelo vinho. Eles estavam sentados dentro de uma tenda improvisada, com diversas almofadas coloridas. No centro da arena uma enorme fogueira fora acesa, e alguns cavaleiros de prata tocavam e cantavam. Sasha se balançava embalada pela melodia, comendo alguns morangos com chantilly.

Aos poucos todos os cavaleiros foram chegando, inclusive os gêmeos, acompanhando Rin e Ren. Sísifo chegou sozinho, o que despertou preocupação em Sasha. A deusa se levantou e foi até onde o cavaleiro estava.

-Sozinho? Onde está a Cecyllia? –Sasha perguntou.

-Boa noite senhorita Atena, Nina, digo, Cecyllia quis trocar de roupa e pediu que eu viesse na frente. –O cavaleiro de sagitário respondeu um pouco chateado, suspirando e olhando as estrelas.

-Entendo. –Sasha olhava séria e fixamente para Sísifo, que ficou um pouco incomodado.

-Não me olhe assim, Atena. A única pessoa que não pode questionar meus sentimentos, já que mantém um namoro escondido com Tenma. –O sagitariano respondeu mal-humorado.

-Quer saber? Faz o que você quiser, mas depois não veja chorar, dizendo que eu tinha te avisado. Ainda ai quebrar a cara por causa dessa garota. – A deusa saiu batendo os pés, indo encher sua taça com mais vinho.

Apesar de estarem em estado de alerta, a noite estava muito alegre e animada. O céu limpo e estrelado e a temperatura amena favorecia o clima de festividade entre todos. Alguns casais como Branca & Manigold, Ashley e Asgard e Maya & Dohko dançavam ao redor da fogueira, já outros, como Regulus & Aisha e Kardia & Luka preferiram beliscar algumas frutas e pães salgados. A ruiva olhava raivosa para Lily e Shion, que conversavam animados, enquanto a amazona de cães de caça olhava enciumada para Kardia, que tentava ignorar. Por impulso, a amazona de águia começou a dançar provocativamente, se esfregando no cavaleiro de escorpião, que sentia seu membro ficar cada vez mais duro. Em resposta, Lily começou a acariciar suavemente os cabelos de Shion, que ficou um pouco corado. Luka sentiu o sangue ferver, e sem pensar duas vezes beijou o escorpiano.

-Eu não acredito que essa biscate fez isso. – Viollet disse espantada para Lily. A loira chegava acompanhada de Kaquiyu e Natsuhi, cujos pares estavam conversando entre, junto de Sísifo.

-Vindo da Luka nem me espanta, essa vadia oferecida se esfregar em todo mundo. –Lily comentou tentando parecer indiferente, mas sua vontade era de sair correndo e chorar, mas não daria esse gostinho para os dois.

-E ó pior de tudo é a ouvir dizer que ama o Shion. –Natsuhi disse revoltada. –Ama o C***, se sentisse algum tipo de afeto, não ficaria de putaria por aí, ainda mais com outro cavaleiro de ouro.

-E por falar em cavaleiro de ouro... Por onde você andava? –Viollet perguntou pra Natsuhi, que soltou uma risadinha maliciosa.

-Tava dando umas bitoquinhas na casa de peixes, coisa básica. Quis aproveitar que o “bafinho” tava de bom humor. – Natsuhi respondeu normalmente.

-“Bafinho”? –Questionou Lily.

-Sim, cada uma tem a sua forma carinhosa de chamar o amado, e a minha é essa. –A amazona de pavão comentou distraída, olhando para Albafica. –E você e o El Cid, Viollet? Eu vi a maneira que ele te olha.

-Ele é muito educado e gentil, mas é tão sério. Iniciar uma conversa com ele é tão fácil quanto entrar no submundo. –Viollet respondeu irônica.

Rin e Ren olhavam para tudo e todos, desconfiadas. Elas procuram com os olhos por Nina, até que avistaram alguém conhecida.

-Viollet-san, não acredito! –Ren correu para abraçar a amazona de vampiro, que ficou chocada ao ver as duas.

-Ren e Rin, pelos deuses, como vieram parar aqui? –A loira abraçava as duas, com alguns beliscões, pois custava a acreditar que eram mesmo elas.

-Atena nos mandou para o passado, temos duas missões a cumprir. –Respondeu Rin.

-Se vocês duas estão aqui, quer dizer então que a terceira amazona é... –Viollet nem teve tempo de completar a frase.

-Isso mesmo, euzinha. –Nina apareceu atrás das gêmeas, causando espanto em todos. Agora ela usava uma blusa rosa decotada e que deixava a barriga á mostra, e uma saia verde com uma fenda generosa. Alguns cavaleiros babavam com a cena, o que deixou Sísifo com ciúmes.

-Uau, quer dizer então que você é a famosa amazona de serpentário? Não se falou em outra coisa o dia todo. – Branca se meteu na conversa, olhando minuciosamente para Nina. –Você é tão bonita quanto um unicórnio galáctico.

-Puxa, obrigada. –Nina riu.

Em outro canto Manigold, Kardia, Regulus e Yato olhavam para as amazonas, enquanto bebiam a falavam sobre a aposta.

 -Kardia é um desgraçado mesmo, já se livrou da aposta. –Resmungou Regulus.

-Que culpa eu tenho se as mulheres não resistem ao meu charme? –O escorpiano respondeu convencido.

-Charme? Nós sabemos muito bem que ela fez isso só pra provocar o chifrudo loiro, já que o santuário inteiro sabe que ela uma queda do tamanho de um bonde por ele. E ela só te beijou por caridade. –Manigold comentou maldoso, deixando Kardia irritado.

-Isso eu concordo. –Yato riu debochado.

-E que propriedade você tem pra falar hein, moleque? A Yuzuriha é outra que só está namorando contigo porque brigou com chifrudo loiro, depois que ele traiu ela com a ruiva safada. –Kardia comentou desdém.

-Isso é mentira! Saiba que eu e a Yuzuriha nos amamos muito, e ela inclusive já me deu várias “liberdades”. – O cavaleiro de unicórnio comentou vitorioso.

-HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! –Todos tiveram um ataque, chegando a chorar de tanto rir.

-Fala sério Yato, nem eu sou tão inocente pra acreditar numa lorota dessas. –Regulus tentava se recuperar da crise de riso, tomando fôlego.

Shion e Dohko estavam próximos de Sísifo e El Cid, bebendo vinho e observando a fogueira queimar.

-Então meu caro amigo, já se “deu bem” hoje? –Dohko perguntou malicioso.

-Não. Lily é uma boa garota e é apaixonada pelo rabo torto, que já foi beijado pela safada da Luka, que seria minha opção mais provável. E a outra... –O ariano olhava desanimado para Yuzuriha, que estava acompanhada de Sage e Hakurei, que bebiam e conversavam com Atena e Tenma.

-Ou eu bebi demais, ou você ainda arrasta uma asinha pra Yuzuriha? – Dohko ria, dando algumas batidinhas no ombro do amigo, que rosnava irritado.

-Claro, eu ainda morro de amores por ela. Aquela sem vergonha, que deu pro Yato na minha própria cama, e ainda espalhou para o santuário inteiro que eu traí ela com a Luka. E ainda teve a cara de pau de me dizer que queria casar virgem, enquanto isso o unicórnio mandava ver na chifrada com ela. –Shion puxava os cabelos de raiva. –E o trouxa aqui ainda tinha a decência de trata-la com respeito.

Sísifo, El Cid e os gêmeos não paravam de olhar para as garotas, que estavam todas reunidas. Estavam tentando bolar uma estratégia para se aproximar e tentar beija-las, o que não estava dando muito certo. Se aproveitando disso, Manigold se aproximou deles, com um sorriso maquiavélico.

-E aí rapazes, tá difícil né? –O canceriano perguntou debochado, apertando os ombros de Aspros e Defteros, que olhavam desconfiados.

-O que você quer siri manco? –Perguntou Aspros.

-Poh, que mau humor hein? A peituda está te dando trabalho? – Perguntou Manigold.

-Trabalho é pouco, ela tá fazendo o Aspros de gato e sapato. –Defteros ria do irmão mais velho, que rosnou alguns palavrões inaudíveis.

-Então Manigold, o que você quer? –El Cid perguntou seco.

-Eu sei como ajudar vocês a não ter que usar vestido amanhã. –O cavaleiro de câncer disse misterioso.

-Como? –Os quatro perguntaram em coro.

-Tem um método infalível, mas não vai sair de graça. –O canceriano sorriu diabólico.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...