História No caminho para nós dois - Interativa - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Exibições 3
Palavras 4.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - O presente de Hefesto


-Por Atena, o que houve aqui? –Natsuhi entrou ao pânico ao ver Albafica caído e coberto de sangue. A amazona de pavão correu de encontro ao pisciano, tomando-o em seus braços, desesperado. –Albafica meu amor, o que te fizeram?

Todas as amazonas correram para seus respectivos amados, até mesmo Lily, que estava brigada com Kardia, e Nina e as gêmeas, que haviam chegado no santuário fazia poucos dias. Akira olhava desesperada para Asmita, eles haviam se separado tinha menos de dez minutos, e o cavaleiro de virgem já estava no chão.

-Shion meu querido, acorde. –Luka pediu docemente ao ariano, que lentamente abriu os olhos. –Quem foi que fez isso com vocês?

-E-eles são fortes demais, verdadeiros demônios. Thanatos e Hypnos não passam de bebês comparados aos dois. –Manigold disse com dificuldade, enquanto Branca tentava limpar seu rosto coberto de terra e sangue.

-Mas afinal, quem são eles? E como conseguiram derrotar treze cavaleiros de ouro com tanta facilidade? – Kaquiyu questionou indignada, tentando ajudar Degel a se levantar.

-Eles eram gêmeos, usavam armaduras vermelhas e suas faces emanavam sadismo e crueldade. Nunca senti um cosmo tão agressivo quanto o deles. –As palavras saíam da boca de El Cid quase inaudíveis, devidos aos gritos de dor. As filhas dos deuses da morte e do sono sentiram um arrepio na espinha.

-Eles também possuíam um cheiro de sangue e medo muito forte, nunca senti tanto medo em minha vida, por um instante tive vergonha em ser um cavaleiro de ouro. –Sísifo procurava o olhar de Nina, que fitava o sagitariano sem ao menos piscar.

-Pareciam que estavam procurando algo, mas não disseram uma palavra sequer, o que foi muito estranho. –Regulus comentou confuso.

-Nós perguntamos o que eles queriam, e como não tivemos resposta, atacamos. Em questão de segundos eles nos derrubaram como se fossemos papel em cima da mesa. Foi uma derrota humilhante. –Shion disse entredentes, inconformado.

-Droga, isso não é bom. –A expressão de pavor na face de Nina deixou todos alarmados, exceto as gêmeas e Akira.

-Isso é mau, precisamos dar um jeito nisso agora mesmo. –Akira andava em círculos, desnorteada. Asmita era o menos ferido, então ela o deixou um pouco de lado.

-Você sabe quem são eles, amazona de serpentário? – Aspros questionou desconfiado.

-São os filhos de Ares, Deimos e Phobos. Eles comandam os batalhões do terror e medo, por isso que alguns de vocês tiveram vontade de abandonar a batalha, faz parte do poder deles. –Nina enrolava seus cabelos em um coque, se preparando para vestir sua armadura. –É a mim que eles querem.

-E que motivos eles teriam pra te caçar? –Dohko questionou, querendo entender melhor a situação.

-Há uma antiga profecia que diz que logo que acabar a guerra santa contra Hades, Ares se levantará com seu exército de bersekers, os quatro batalhões transformarão a Terra num mar de sangue. Atena formará um exército dourado nunca visto antes, comandado pela amazona de serpentário, onde o deus da guerra perecerá pela espada da donzela. –Rin normalmente, deixando os cavaleiros de ouro e as amazonas perplexos. Nina deu de ombros.

-Quer dizer então que Ares morrerá pelas mãos de Nina, por isso quer vê-la morta? –Questionou Degel, juntando as peças.

-Exatamente, eu sou a primeira amazona de serpentário que se tem registro, e na nossa época, a guerra santa contra Hades foi finalizada recentemente. Sabemos que Ares está fazendo uma aliança com mais dois deuses, um deles é Seth, irmão de Hórus. –Nina disse séria, tentando traçar algum plano.

-Pessoal, vamos nos focar no que realmente interessa. Esses dois provavelmente continuam pelo santuário, temos que ir atrás deles! – Aisha séria.

-Aisha tem razão. Atena está sozinha no templo, vamos para lá. –Maya disse em tom autoritário, movida pela raiva. –Eles vão pagar caro por terem feito mal ao meu tigrinho.

-Que seja, vamos agir. Nina e Akira ficarão aqui por enquanto. –Rin normalmente, se preparando para ir ao templo de Atena. Ren, Viollet, Ashley, Maya e Luka a seguiram sem pensar duas vezes.

-Por que apenas as duas devem ficar aqui? –Kaquiyu questionou desconfiada.

-Não interessa garota ignorante, temos uma missão a cumprir, não há tempo para questionamentos. –Rin respondeu um pouco grosseira, sem paciência para perguntas desnecessárias.

-Rin, comporte-se! – Ren repreendeu a irmã mais velha, que lhe mostrou a língua.

-Meninas, já chega! –Nina gritou com as gêmeas, que no mesmo instante se calaram. –Uma das habilidades do cavaleiro de serpentário é a da cura. Quem você acha que curou a cegueira de Asmita e a febre de Kardia?

-Além disso, ela exerce poder sobre todas as serpentes no mundo, inclusive a amazona de ofiúco, no caso eu. –Akira respondeu um tanto arrogante. Kaquiyu cerrou os punhos de ódio, por tamanha humilhação.

-Estamos perdendo tempo meninas, vamos logo antes que aconteça algo com a senhorita Sasha. – Aisha disse impaciente, desaparecendo na neblina. As demais a seguiram, ficando apenas Akira e Nina com os cavaleiros de ouro.

Ao chegarem ao templo de Atena as amazonas de prata ficaram ainda mais assustadas com o que viram: Sage e Hakurei estavam gravemente feridos, apoiando-se em seus joelhos. O chão estava coberto de sangue e Atena estava com sua armadura, fato bastante incomum, mas o que mais chamava a atenção eram os cosmos das criaturas que estavam em frente aos velhos muvianos, eram violentos e assustadores, dando a sensação a desespero e pavor em que os rodeavam.

-Atena-sama, você está bem? – Maya perguntou apavorada. –Quem são esses seres? Que sentimento desolador é esse?

-Eles são Deimos e Phobos, filhos de Ares. Os dois comandam os batalhões do pânico e do medo, por isso vocês se sentem assim. –Hakurei disse com dificuldade.

-A Nina-san tinha falado sobre eles, por acaso se esqueceu? –Luka perguntou sem paciência.

-Oh, é memo. – Maya deu um soquinho na própria cabeça, se sentindo idiota.

-E por que resolveram nos atacar logo agora? – Ashley perguntou revoltada.

-Não sabemos, desde que invadiram o santuário não disseram uma palavra. –Sage respirava ofegante, estava muito cansado e ferido. -Eles estão procurando alguma coisa.

-Ou alguém... –Rin comentou baixinho, mais para si mesma.

-Como assim? – Ren questionou confusa.

As amazonas continuaram a discussão, até que um dos gêmeos decidiu se manifestar. Ele foi até a direção de Ren, e a suspendeu pelo corpo, apertando-o com força e crueldade. As demais tentaram ataca-lo, mas foi inútil, foram derrubadas em frações de segundos.

-Você é a filha de Hypnos, não é? – Deimos perguntou sem demonstrar qualquer reação, mas tinha um sorriso sádico nos lábios. Sua voz era grave e rasgada, e sua armadura era vermelho sangue, e seu elmo mostrava apenas do nariz pra baixo. –Diga onde está a filha da morte!

-N-nunca, jamais vou permitir que ponham essas mãos imundas nela, seus miseráveis! –Ren disse com sofrimento, até perder os sentidos.

-Filha da morte? Do que esse cara está falando? – Natsuhi perguntou confusa, estirada no chão.

-Uma das amazonas é filha de Thanatos, o deus da morte, e Ares a quer morta. Foi o que Akira nos contou, por isso Deimos e Phobos estão aqui, querem mata-la. –Viollet disse entre gemidos.

-Quer dizer então que uma de nós é filha do deus da morte? –Lily perguntou chocada.

-Sim, mas ela não está aqui no momento. –Rin disse entredentes, rastejando até onde sua irmã estava.

Desesperada com a situação de seus cavaleiros e amazonas, Atena apontou o báculo para os gêmeos filhos do deus da guerra, desafiando-os para um combate. Deimos e Phobos riram da deusa, que não desfez a pose de confiança e superioridade.

-Atena sua tola, acha mesmo que vai nos assustar com essa sua cosmo energia ridícula? Você cairá e nosso pai será o novo governante da Terra. –Phobos disse em tom de deboche, provocando Sasha, que apenas o encarava.

-Jamais vou permitir que um deus tão cruel e sanguinário como Ares governe esse mundo que eu amo tanto. Vocês dois perecerão diante de mim. –Sasha disse sem alterar o tom de voz, mas estava com muita raiva.

-Isso é o que nós vamos ver, sua deusa idiota. – Deimos e Phobos foram pra cima de Atena, revidou na mesma intensidade.

Nina e Akira estavam terminando de curar os cavaleiros de ouro feridos, deixando Sísifo e Asmita por último. (N/A: Por motivos óbvios, né. Love’s in the air.). Asmita acariciava o rosto da morena, ainda se acostumando com o fato de poder vê-la.

-Akira, que bom que você está bem, tive tanto medo que aqueles dois te fizessem algum mal. – O cavaleiro de virgem disse calmamente, embora preocupação em sua voz. –Não me canso de te olhar.

-Oh Asmita, ainda bem que eu e a Nina-san chegamos a tempo de salva-los. Não quero te perder de novo. –Os olhos da amazona de ofiúco brilhavam intensamente, e logo se fecharam, rumo ao beijo que os dois trocaram. Houve gritos e risadas ao fundo, por um momento todos esqueceram que estavam em guerra.

Sísifo abriu lentamente seus belos e profundos olhos azuis, e sorriu de alívio e satisfação ao ver Nina sã e salva. Ele não se conteve e a abraçou forte, colocando-a em seu colo. A amazona de serpentário não sabia onde enfiar a cara de tanta vergonha.

-Acabamos de nos conhecer e eu já fico desesperado ao pensar que algo ruim possa te conhecer, isso é tão estranho, além da falta que eu sinto quando você está longe. –Sísifo disse de olhos fechados, roçando a testa no pescoço de Nina. –Sua imagem é como um bálsamo para o meu coração.

-Sísifo, você é um cara engraçado, mas eu devo admitir que quase entrei em pânico com a possibilidade de que estivesse morto. –Nina respirou fundo, mas rindo logo em seguida. –Você ainda me deve uma dança, lembra? –A filha de Thanatos sorriu enquanto afagava os cabelos loiros e desgrenhados do cavaleiro de sagitário, mas sentia-se culpada por estar lhe dando falsas esperanças, já que muito em breve se separariam, aliás, todos se separariam.

-Longe de mim querer atrapalhar os pombinhos, mas eu acho que devemos ir para o templo de Atena. –Manigold comentou debochado.

-Oh, me desculpe. –Nina disse constrangida, se colocando de pé em milésimos de segundo. –Temos que deter aqueles dois o mais depressa possível.

-Então vamos nessa, Deimos e Phobos precisam de uma boa lição. –Shion disse confiante.

-Calma aí carneirão, vocês não podem correr o risco de serem massacrados novamente. E se a Nina-san não conseguir curar vocês a tempo? –Indagou Akira, que estava bastante apreensiva.

-E por acaso você tem alguma ideia? –Kardia perguntou arrogante.

-Ainda não, mas chegar e simplesmente atacar não é nada inteligente, seu porco escroto. – A amazona de ofiúco respondeu ácida.

-Concordo com a Akira, precisamos de uma estratégia. –Degel normalmente.

-O que sabe sobre eles, Nina-chan? –Dohko perguntou amistoso, apoiado no ombro da amazona de serpentário.

-“Nina-chan”? Que sujeitinho mais folgado esse Dohko. –Aspros cochichou com Régulos, de forma maldosa.

-Não sei não, mas parece que os dois se conhecem há muito tempo. –O cavaleiro de leão comentou ao analisar o libriano e Nina.

-E o mesmo com o Shion, ou “carneirão”, como essa tal amazona de serpentário fala. –Acrescentou Defteros.

-Esses dois são tão cruéis e letais quanto seu pai, mas eu nunca vi nada parecido. Os três juízes do inferno não passam de meros aspirantes comparados a eles. –Nina disse pensativa. –Eles são movidos pela violência e brutalidade, e seu fraco é a estratégia, e também não são bons em combate em equipe.

-Talvez a solução esteja aí. –Albafica normalmente. –Se eles não sabem lutar em equipe, vamos unir nossas técnicas e ataca-los de surpresa.

-Uma boa sugestão, Albafica. –Sísifo disse animado. –E como vamos combinar nossos ataques?

-Que tal pelas técnicas mais familiarizadas entre si? –Sugeriu Nina, mas todos a olharam sem entender. –Me desculpem, acho que me expressei mal. Eu quis dizer para os cavaleiros se unirem com que possuem mais afinidade em seu modo de lutar, em suas técnicas. Por exemplo: eu sempre gostei de usar as técnicas de leão e áries.

-Entendi. –Sísifo disse sério, pensando em algum plano. –Já sei, vamos ter a seguinte formação: Albafica, Manigold e Asmita combinarão suas técnicas para enganar Deimos; já Aspros, Defteros, Kardia e Degel o atacam de surpresa. Shion, Régulos e Dohko vão com tudo pra cima de Phobos; enquanto El Cid, Asgard e eu atacamos sua guarda baixa. O que acham?

-E quanto a mim e a Nina-san? –Akira questionou revoltada. –Por acaso acha que não somos boas o suficiente para enfrentar aqueles dois panacas?

-Não é isso, mas é provável que as outras amazonas, talvez Atena, precisem da cobertura de vocês. E se é a cabeça de Nina que eles querem, precisamos deixa-la mais oculta. –Sísifo disse pensativo.

-A sua estratégia é boa, mas sinto que falta algo. –Asgard se manifestou, coçando o queixo. –Precisamos de um elemento surpresa, algum que eles não esperam.

-Mas o quê? –Shion perguntou confuso.

-Talvez eu possa ajudar. – Uma voz desconhecida disse entre os cavaleiros e amazonas. Todos viraram para trás, mas não viram ninguém. –Aqui em cima, seus tontos.

Eles olharam para cima de uma pilastra e finalmente conseguiram ver quem era. Um homem feio e carrancudo os encarava, ele possuía olhos e cabelos castanhos, sua barbava era longa e cheirava a queimado. O homem pulou de cima da pilastra e começou a andar em direção a eles, mancando. Enquanto os cavaleiros acharam que ele tinha se machucado na queda, Nina e Akira já sabiam quem era.

-Quem é você, e o que faz aqui? –Kardia perguntou com escárnio.

-Um possível aliado. –Respondeu o homem, fazendo mistério.

-E como pode nos ajudar? –Questionou Sísifo.

-Digamos que eu estava devendo um favor aos papais das senhoritas aqui presentes, e eles vieram me cobrar. –O carrancudo disse com uma risada diabólica. –A propósito, sou Hefesto, o magnífico deus ferreiro. Ofende-me que não tenham me reconhecido.

-Então deus Hefesto, como pode nos ajudar? –Akira perguntou direta e objetiva.

-Bom, eu produzi alguns brinquedinhos que podem ajudar vocês a dar um chute no traseiro daqueles moleques. –Hefesto olhava para as próprias unhas, entediado.

-E que tipo de brinquedinhos seriam exatamente? –Manigold perguntou irônico.

-Armaduras de ouro forjadas exclusivamente por mim, tão perfeitas e poderosas que a sucata que vocês usam nem se separa. –O deus ferreiro olhava com desprezo para os cavaleiros de ouro, provocando a ira de alguns. –Mas elas não são para o bico de vocês.

-E para quem seriam? –Indagou Shion.

-Para a elite de guerreiras que a mocinha ali veio buscar. –Hefesto apontou para Nina, que não demonstrou reação alguma.

-Então você fez treze armaduras de ouro para as minhas amazonas? –Indagou Nina.

-Exato! E ainda trouxe um bônus, a pedido do seu papaizinho. –Hefesto entregou para a amazona de serpentário uma caixa negra com arabescos em azul claro. Ela abriu e ficou maravilhada com o que viu: uma katana, cuja bainha era dourada e havia o símbolo de gravado nela. A garota de cabelos prateados a desembainhou e a testou, satisfeita.

-Agora vamos aos negócios: por que está sendo tão solícito em nossa causa? –Nina perguntou desconfiada. –Qual seu verdadeiro interesse por trás?

-Vejo que é uma garota muito esperta, amazona de serpentário. Meu pedido é um só: traga-me a cabeça de Ares numa bandeja de prata, fiz essa espada com tanto esmero para que você corte o pescoço dele como se fosse uma galinha pronta para o abate. –Quero que aquele verme maldito sofra toda a vergonha e humilhação que eu sofri, quando ele e aquela piranha da Afrodite fornicavam pelas minhas costas. Então é isso senhorita, e mande lembranças ao seu pai e seu tio.

Antes que alguém pudesse dizer mais alguma coisa, Hefesto desapareceu num passe de mágica, deixando todos confusos. Logo treze urnas douradas se materializaram na frente deles, deixando todos impressionados. Eram armaduras muito bem feitas e fortes, cujo poder era visivelmente superior as das armaduras dos cavaleiros de ouro, deixando até alguns com uma pontinha de inveja.

-Mas isso é muito injusto mesmo. Um bando de amazonas fraquinhas ganhando armaduras tão poderosas. – Kardia resmungou, bufando.

-CALA A BOCA, PEÇONHENTO! –Todos gritaram em coro, deixando o escorpiano de cara amarrada.

-Estamos perdendo tempo enquanto temos essa conversa inútil, vamos logo salvar Atena! – Shion disse determinado, correndo. Os demais assentiram, seguindo-o.

Sasha ainda resistia às investidas de Deimos e Phobos, mas estava ficando sem forças. Sage e Hakurei tentaram protege-la, mas sem sucesso. Quando Deimos estava prestes a lhe dar o golpe de misericórdia, Nina apareceu em sua frente, decepando o comandante do batalhão do pânico. Phobos não acreditou que seu irmão fora derrotado tão facilmente, e foi com tudo pra cima da amazona de serpentário, que se defendia com um pouco de dificuldade. Os cavaleiros de ouro foram acudir as amazonas de prata, que estavam caídas no chão.

-Nina-san, você conseguiu! –Rin disse esperançosa.

-E salvou todos os cavaleiros de ouro. – Natsuhi sorriu, olhando para Albafica, que a ajudava a se levantar.

-Meninas, vocês estão bem?- Akira perguntou preocupada, vendo uma a uma se reerguer. Todas responderam que sim, mas isso não tranquilizava a amazona de ofiúco.

-Hoje é o dia de sorte de vocês, trouxemos um presentinho do titio Hefesto. – Manigold disse debochado.

-O que é Manibobo, um cavalo de fogo? –Branca perguntou empolgada, feito criança no natal. Apesar dos ferimentos ela não perdia o jeito inocente e avoado de ser.

-Não minha maluquinha, mas eu acho que você vai gostar. –O cavaleiro de câncer respondeu gentil, afagando os cabelos negros e curtos da amazona. –Veja!

Manigold apontou para o teto e lá estavam às treze urnas douradas, deixando as amazonas de prata, Atena, os gêmeos muvianos e o próprio Phobos espantados. Elas brilhavam mais e mais, conforme as amazonas se aproximavam.

-Uau, mas que lindo! –Lily olhava encantada, assim como as outras.

-O que são essas urnas douradas? –Indagou Luka.

-São suas novas armaduras, meninas. –Nina disse calmamente, ignorando o inimigo. –Aproximem-se e elas escolheram quem as usará, já que algumas de vocês possuem o mesmo signo.

-Mas e quanto ao inimigo? –Questionou Ashley.

-Não se preocupe meu bem, nós vamos dar um jeito nele. –Asgard disse gentil.

-Rápido meninas, façam logo! –Atena ordenou e todas assentiram.

-Sim! –As amazonas de prata disseram em coro.

Logo que as garotas se puseram em frente às urnas, elas se abriram indo em direção as suas eleitas. Todos olhavam maravilhados para as novas amazonas de ouro.

Aisha: Agora eu sou Aisha, a amazona de áries.

Ashley: E eu sou Ashley, a amazona de touro.

Rin: Amazona de gêmeos.

Ren: Amazona de câncer.

Viollet: Como a minha constelação protetora, sou a amazona de leão.

Akira: Abram alas, pois a amazona de virgem está na área!

Branca: amazona de libra, e eu vou arrasar com os meus novos brinquedinhos.

Luka: Morram de inveja, pois eu euzitcha sou a mais nova amazona de escorpião do pedaço.

Kaquiyu: Amazona de sagitário, e tô muito puta!

Maya: Amazona de capricórnio, e vou destruir tudo o que ameaçar a minha deusa e meus companheiros.

Lily: Amazona de aquário, e sintam a ira do gelo!

Natsuhi: Amazona de peixes, e posso ser a última, mas não menos mortal.

-Meninas, que orgulho ver vocês trajando armaduras de ouro. –Sasha disse emocionada. –Sei que ainda não é o momento de comemorar, mas estou feliz.

-Nós é que nos sentimos honradas de trajar armaduras de ouro, senhorita Atena. –Akira se ajoelhou perante a deusa, reverenciando-a. As demais fizeram o mesmo.

-Eu não quero ser desmancha prazeres, mas acho que os rapazes estão precisando da nossa ajuda. –Luka apontou para o fundo do templo, onde os cavaleiros de ouro estavam tomando a maior surra de Deimos.

-A Luka tem razão, vamos acabar com esse desgraçado de uma vez por todas. –Viollet gritou motivada.

-Isso aí garotas, vamos mostrar a esse imbecil o verdadeiro poder de uma amazona de Atena! –Natsuhi da mesma forma.

Os cavaleiros de ouro tentaram seguir o plano de Sísifo, mas não deu muito certo. Apesar de lutar com brutalidade e sanguinolência, Phobos era bastante esperto, ele logo sacou a intenção dos cavaleiros, derrubando-os facilmente. Eles não estavam feridos quanto anteriormente, mas a situação não era nada animadora.

-Um bando de fracos como vocês se julga fazer parte da elite de cavaleiros de Atena? Que decepção. –Phobos disse fingindo. –Acho que não há ninguém que esteja ao meu nível nesse santuário para lutar contra mim.

-Disso eu discordo. –Nina apareceu logo atrás de Phobos, com um sorriso maléfico. –Calminha aí selvagem, logo eu vou te mandar pra fazer companhia ao seu irmão.

-Sua vadia desgraçada, como pode arrancar a cabeça do meu irmão com tanta facilidade? Eu vou te dar a pior morte possível! –O senhor do medo tentou atacar a amazona de serpentário, mas acabou sendo interceptado por Branca, Kaquiyu, Natsuhi e Aisha, que combinaram seus golpes. Pela primeira vez Phobos fora acertado, e os novos poderes das amazonas de ouro eram tão estrondosos que conseguiu feri-lo. Elas mesmas não conseguiam acreditar.

-Ai minha deusa, nós estamos des-tru-i-do-ras hoje! –Branca disse convencida.

-Com nossas novas armaduras e esse poder esmagador, vamos fazer os inimigos tremerem. –Aisha da mesma forma.

-Mas isso ainda não acabou, esse desgraçado precisa apanhar mais. –Natsuhi olhava com ódio para Phobos. –Você vai pagar caro por ter machucado o meu peixinho azul.

-Essa garota te ama mesmo. –Regulos brincou com Albafica, que revirou os olhos.

-Não enche moleque, temos um demônio para matar. –O cavaleiro de peixes respondeu seco, se preparando para voltar a lutar, mas foi parado por Sísifo. –Ficou maluco?

-Esperem mais um pouco, vamos ver do que as tais armaduras forjadas por Hefesto são capazes. –Disse o cavaleiro de sagitário observando as amazonas lutarem. Os demais assentiram.

-Hey meninas, vamos testar nossas novas técnicas! –Ashley disse animada. –Grande chifre!

-Espera por mim, sua gulosa! – Akira disse apressada. –Invocação dos espíritos malignos!

-Poha, a Akira não sabe brincar. –Resmungou Ashley.

-Sendo filha de Hades, só podia se esperar algo assim dela. –Rin comentou maldosa.

-Eu ouvi isso! –Akira olhou para a amazona de gêmeos, que fez careta.

-Calem a boca suas lacraias e vejam como as mulheres de verdade atacam! –Viollet disse convencida. –Relâmpago de plasma!

-Ui, olha ela. –Luka disse debochada, lambendo os lábios. –Sinta a fúria da amazona de escorpião, babaca. Agulha escarlate!

-Ah, eu também quero participar dessa festa. –Lily resmungou, fingindo estar magoada. –Vamos dançar... Execução aurora!

Phobos recebera tantos golpes ao mesmo que estava bastante enfraquecido, nem ele mesmo acreditava na força que as amazonas possuíam. Aos poucos os cavaleiros de ouro se levantaram, colocando-se entre as amazonas. Nina estava à frente, apontando sua espada para o filho de Ares.

-Uau garotas, vocês são incríveis, conseguiram até nos superar. –Régulos comentou entusiasmado, ao mesmo tempo em que se sentia derrotado.

-É como diz o ditado: “Nunca subestime o poder de uma amazona de Atena, queridinho.” – Aisha apertou as bochechas do leonino, fazendo todos rir.

-Desse jeito vocês vão dominar o mundo. –Brincou Dohko.

-Será que os otários podem parar a conversinha e voltar à atenção para a luta? –Phobos disse irritado. –Amazona de serpentário, eu prometi ao meu pai que levaria a sua cabeça, e é isso que vou fazer.

Phobos se preparava para atacar Nina, quando Sísifo, Shion e Dohko o atacaram ao mesmo, fazendo o berseker cair. Manigold, Degel, Kardia e El Cid reforçaram o ataque, fazendo-o cair e agonizar. Nina rodeou o corpo quase sem vida, com um olhar cruel e sádico.

-Anda logo sua vadiazinha repugnante, acaba logo com isso. –Phobos cuspia as palavras, estava quase morrendo, mas não perdia a pose. Nina arrancou seu elmo com a espada, chutando-lhe a face.

-Cale a boca seu monte de bosta, você não em condições de mandar nada. –Nina disse enojada, olhando com asco para Phobos. –Ajoelhe-se! –Ordenou a amazona de serpentário, pegando o berseker pelos cabelos.

-E o que vem agora, extrema unção? –Phobos perguntou irônico.

-Algo muito melhor. –O olhar de Nina era frio e assustador. Sem hesitar ela passou a lâmina pelo pescoço de Phobos, fazendo sua cabeça voar para o outro lado da sala. –Seu pai pode vir me pegar que eu estou prontinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...