História No Escape - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Tags Carl Grimes, Chandler Riggs, The Walking Dead
Exibições 108
Palavras 1.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi Gente <3
Capítulo novo e com uma nova personagem.
Já estou fazendo o outro, espero de gostem.

Capítulo 8 - Perdida-Parte 2


Fanfic / Fanfiction No Escape - Capítulo 8 - Perdida-Parte 2

-Merda. 
Praguejei em voz alta. Olhei para todos os lados na esperança de encontrar alguém do meu grupo. Não encontrei.
Resolvi voltar pelo lugar que chegamos. Caminhei por um tempo pela estrada deserta, pensando novamente o que poderia ter acontecido, e se eles estivessem mortos? E se Carl estivesse morto? Tentei espantar esse pensamento da cabeça. Achei um posto abandonado no meio da estrada, ele era muito pequeno. Cheguei mais perto e bati na porta de vidro do estabelecimento, não apareceu nenhum andante atraído pelo barulho.
Entrei no posto com cuidado, comecei a vasculhar por aí, esse posto era como uma lojinha de souvenir. Havia de tudo lá dentro, andei entre os pequenos corredores procurando algo útil. Estava em um corredor onde havia coisas de papelaria. Nesse momento eu senti falta da minha mãe. Lembro que ela adorava desenhar, puxei o meu talento dela. Avistei um caderninho com a capa de couro marrom peguei ele em minhas mãos com cuidado, como se a qualquer momento fosse se quebrar, lembrei que minha mãe sempre carregava um desses para que em qualquer momento que não estivesse fazendo nada começasse a desenhar.
Sem me conter deixei uma lágrima cair, limpei-a rapidamente e guardei o caderno junto com uma caixa de lápis de cor. Toda vez que desenha me sentia perto dela. 
Nesse instante ouvi a porta ser aberta, me abaixei rapidamente entre as prateleiras e coloquei meu arco em minhas mãos.
-Eu vi você ai -ouvi uma voz feminina- Acha mesmo que eu entraria aqui sem pelo menos olhar para ver se havia algum mordedor?
Me levantei com o arco posicionado para atirar. Ela era uma garota que aparentava ter a minha idade, seus cabelos eram rosa e batiam em sua cintura, ela vestia uma roupa simples: uma blusa de manga comprida, uma calça jeans azul escura, calçava um tênis preto, e em seu colo podia ver um colar delicado em forma de coração, ela estava apontando um fuzil de assalto para mim, e em seu coldre pude ver uma faca (link na descrição).
-Qual o seu nome? -ela me pergunto, fiquei quieta, ela revirou os olhos- o prazer é meu também, meu nome é Ivy, agora você pode me dizer o seu?
-Hilary.
Respondi seca.
-Então Hilary, vejo que você está saudável e limpa. Está em algum grupo ou algo do tipo?
Hesitei. Me lembrei das três perguntas que Daryl fez para mim no primeiro dia em que nos encontramos, caso ela quisesse ir para Alexandria era só fazer as mesmas perguntas.
-Sim.
Respondi, ela abaixou a arma, permaneci com a minha em mãos.
-Gostei da sua cara Hilary -ela falou com um sorriso no rosto- tem lugar para mais uma em seu grupo?
A olhei, ela estava com um sorriso no rosto, só pelo seu olhar dava para ver o quanto ela sofreu, mas também era perceptível o quanto era boa.
-Bem -comecei- tá mais para uma comunidade. Você só tem que responder algumas perguntas.
Ela assentiu e então eu prossegui:
-Quantos andantes você já matou? 
Ela estranhou a pergunta mas respondeu sem demora:
-Muitos.
-Quantas pessoas você já matou?
Prossegui. 
-Nenhuma.
Ela respondeu, admito que fiquei um pouco surpresa.
-Por que?
Ela me olhou de cima abaixo.
-Por que nunca precisei, mas caso precisasse não exitaria.
Observei ela por mais um tempo, eu realmente gostei dela. Abaixei o arco.
-Quantos anos você tem? 
Perguntei.
-Acho que 16, e você?
Ele jogou a mesma pergunta.
-15 -a olhei novamente- acho que você vai poder ficar.
-Acha?
Ela me olhou em duvida.
-Não sou a líder -eu falei como resposta- eu me perdi do meu grupo enquanto uma horda nos atacava, preciso achar o caminho de volta, você vem comigo, está bem?
Ela assentiu com um sorriso no rosto.
Saímos do posto e começamos a caminhar, Ivy conseguiu minha confiança fácil, com ela a conversa nunca morria.
 -Adorei o colar.
Eu disse apontando para o colar em seu pescoço, Ivy tocou no mesmo.
-Obrigada, minha namorada me deu antes de... Você sabe...
Ela explicou.
-Sei -respondi- como ela era?
"Sua Idiota, por que você perguntou isso?!" pensei comigo mesma.
Ela abriu um grande sorriso e falou.
-O sorriso dela era acolhedor, a voz dela fazia qualquer um se sentir protegido, eu a amava.
Ela suspirou, então virou para mim.
-Quem deu o seu?
Ela perguntou apontando para o meu colar.
-Um amigo.
Falei dando um sorriso bobo.
-Só um amigo?
Ela perguntou com um sorriso malicioso entre os lábios.
-Eu não sei.
Suspirei. Ela me olhou e perguntou:
-Como ele é?
A olhei sorrindo. E comecei a descrever Carl nos mínimos detalhes, não deixando nada passar. Pela descrição Ivy pareceu gostar dele.
Conversamos por horas caminhando com esperanças de chegarmos a algum lugar. Avistamos alguns andantes pela estrada, mas nada que nos atrapalhasse. 
Estava escurecendo quando decidimos entrar na floresta para dormir. Fizemos uma fogueira improvisada.
Sentei encostada em uma árvore, Ivy estava ao meu lado, estávamos de frente para a fogueira. 
Abri minha mala e tirei alguns enlatados dentro dela.
Comemos e conversando ao mesmo tempo. Tirei meu caderno da minha mala e comecei a fazer alguns rabiscos, não sabia ao certo o que estava desenhando, só deixava minhas mãos me levarem.
Acordei do meu transe quando Ivy chega perto de mim e fala: 
-É para lá que nós vamos?
E ai eu noto o meu desenho. Eu estava desenhando as ruas de Alexandria, até que não tinha ficado tão mal.
-É, é para lá que nós vamos.
Eu disse como resposta. 
Resolvi ficar de guarda essa noite.
Comecei a pensar em Carl, pensei em todos os momentos bons que avíamos passado, de todas as vezes em que tinha borboletas dentro da minha barriga, pensei também como seria a minha vida sem ele. Eu pensei em todos os meus sentimentos.

Já devia ser hora do almoço de acordo com o sol.
Acordamos cedo para voltar a caminhar. Estávamos com fome, mas tinha sobrado apenas um enlatado para nós duas.
Caminhamos por mais algumas horas até que avistamos os muros de Alexandria.
Olhei sorrindo para Ivy e começamos a correr a toda velocidade em direção aos muros.
Chegando lá gritei alto:
-EI, ABRAM OS PORTÕES, É A HILARY.
Logo que disse isso Maggie abriu os portões e se jogou em meus braços chorando, retribui o abraço.
Ela se afastou ainda chorando e disse para entrarmos, foi ai que ela notou Ivy, Maggie me olhou desconfiada, apenas assenti.
Ela fechou o portão, então apareceram Rick, Michonne, Daryl, Gleen, Rosita e Sasha.
Quando todos me viram suspiraram aliviados, nos cumprimentamos e Gleen disse:
-Íamos atras de você agora -ele suspirou- voltamos depois de um tempo para aquela casa que você ficou...mas não a encontramos.
Eu dei a eles um sorriso gentil.
Expliquei a todos a situação de Ivy e Rick falou que ela teria que falar com Deanna. Já íamos saindo de frente dos portões quando, no final da rua avistei alguém.
-CARL!
Gritei, ele olhou em minha direção e esboçou um grande sorriso. 
Comecei a correr até ele, juntei as poucas forças que me restaram e fui o mais rápido possível ao seu encontro, ele deu apenas pequenos passos ainda com um grande sorriso no rosto.
Cheguei até Carl e pulei em cima dele, fazendo minhas pernas entrelaçarem com sua cintura, afundei meu rosto em seu pescoço enquanto ele acariciava os meus cabelos com uma das mãos e com a outra me segurava.
-Eu senti tanto a sua falta.
Eu sussurrei para ele.
Ele me abraçou de volta.
-Eu fiquei tão preocupado, Hilary.
Eu ia dizer mais alguma coisa, mas a voz de Ivy gritando me atrapalhou:
-QUE COMECE A PEGAÇÃO!!!
Eu corei e Carl olhou direção a Ivy com um semblante em duvida.
-Não liga pra ela.
Eu disse, me soltei dos braços dele e ele começou a rir.
-Você está rindo do que?
Perguntei.
Ele apontou para o meu rosto e explicou: 
-Você está vermelha.
Foi ai que eu senti meu rosto esquentar mais. Ele continuou, agora sério :
-Você fica linda assim.
Sorri sem jeito.
Rick começou a se aproximar junto com Ivy. 
-Iremos até a Deanna, quer ir também Hilary?
Eu concordei e comecei a segui-los .
Agora está tudo em seu devido lugar.
Agora tudo ficará bem.


Notas Finais


Espero que tenham gostado da Ivy.
Roupa da Ivy: http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo_18/set?id=212316716
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...