História No Limite da Atração - CAMREN G!P - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Lucy Vives, Vercy, Vercy G!p, Verônica G!p, Veronica Iglesias
Exibições 1.234
Palavras 733
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi amores, quaisquer dúvidas me perguntem!!!!!

Capítulo 54 - Lauren, ela se lembrou


– Ainda aqui, Lauren? – A sra. Collins entrou a passos largos no quarto de hospital da Camila. 

– O sr. Cabello disse que foi você que trouxe a Camila.

 Passei a mão pelo cabelo em uma tentativa de acordar o meu cérebro. A Camila tinha dormido a noite toda. Passei a maior parte do tempo observando-a, segurando a mão dela e às vezes cochilando na cadeira.

 – É. 

O cabelo loiro da sra. Collins estava preso em um rabo de cavalo. Ela usava calça jeans e uma camiseta do Grateful Dead. Arrastando uma cadeira para o outro lado da cama, ela pegou na mão da Camila. 

– O pai dela esteve aqui? 

– Ele ficou aqui algumas horas ontem à noite, mas ela já estava dormindo quando ele apareceu. Ele conversou com o medico antes de voltar para ajudar a Ashley com o bebê.

– O que O medico disse? 

– Que ele vai saber se a mente dela surtou quando ela acordar. 

Ela soltou uma breve risadinha sarcástica. 

– Foi assim que ele falou? 

– Essa e a minha interpretação. – Meu dedão alisou a mão da Camila. Ela dormia sem ajuda agora. Eles não tinham dado mais nada para acalmá-la nem para ajudá-la a dormir. Não havia nada a fazer, agora, a não ser esperar. – Você acha que ela vai ficar bem? 

A sra. Collins ergueu uma sobrancelha. 

– Estou surpresa de você perguntar. Você sabe melhor do que eu ela é uma guerreira. 

Relaxei e encostei na cadeira. Era tão bom ouvir alguém dizer isso, mas, ainda assim, depois de ver sua Iuta pela sanidade ontem a noite... Quanto uma mente é capaz de aguentar? 

– Você sabia que ela encontrou com a mãe ontem? – perguntou a sra. Collins. Meus músculos se contraíram de novo. 

– O que? 

– É. Ela me surpreendeu muito. Eu não sabia que a Camila tinha coragem para desafiar o pai. Acho que você foi uma influencia maior do que eu imaginei. Ela usou as idas às diferentes galerias de arte para encontrar a mãe. Deixou cartas para ela em toda parte, ate que a mãe finalmente concordou em se encontrar com ela. 

– Como você sabe? 

– Acho que o encontro não foi muito bom, e a mãe ligou para o pai e falou para ele procurar a Camila.

Droga. Que droga. E ela ainda tentou me salvar. A Camila queria saber o que tinha acontecido com ela, mas estava apavorada com a possibilidade de se lembrar. Eu realmente não tinha entendido isso antes lia de ontem deve ter forçado a mente dela a atravessar as fronteiras – ver a mãe dela, consertar o carro do Aires, quase se tornar uma criminosa. Entrelacei os dedos aos dela, que estavam sem vida. 

Eu prometo, Camila, que vou cuidar de você agora e para sempre. 

– Você realmente não sabia, não é? 

– Não fazia ideia. – Pensei no que ela disse. – O sr. Cabello não foi procurar a Camila, foi?

A sra. Collins prendeu melhor o lençol ao redor da Camila. 

– A Ashley entrou em trabalho de parto logo depois da ligação. O bebê foi prematuro. 

Mais uma vez, em segundo lugar. A história de vida da Camila. Ela tinha o habito de me fazer sentir uma babaca em comparação a ela, e hoje não seria exceção. Ela me abandonou para que eu pudesse ter uma família, ficando sozinha. Como eu podia tê-la deixado ir embora?

 – Estou orgulhosa de você, Lauren. 

As ultimas vinte e quatro horas tinham sido um longo pesadelo. Eu perdi meus irmãos. A Camila chegou perto de perder a cabeça.

 – Por que as pessoas sentem orgulho de mim quando a minha vida está uma droga? 

– Porque crescer significa fazer escolhas difíceis, e fazer a coisa certa nem sempre significa fazer o que faz a gente se sentir bem. 

Ficamos sentadas em silencio, ouvindo o som da respiração leve e o bipe constante do monitor cardíaco da Camila. 

Meu coração doía com as promessas que fiz em silencio para ela e esperava cumprir. Ela nunca mais ficaria sozinha. 

– Ela falou uma coisa antes de dormir – eu disse. – Ela falou que a mãe a drogou com soníferos. A Camila chorou muito durante a alucinação, ou como você queira chamar. Parece que a mãe dela estava em depressão, tinha decidido se matar e a Camila apareceu. A mãe maluca mudou os planos e incluiu a Camila. 

A sra. Collins suspirou e deu um tapinha na mão da Camila. 

– Quer dizer que ela se lembrou.               


Notas Finais


Ai 💔 muita dor por estar acabando a Fic 💔 como eu ja disse, to sem computador e pra fazer no celular é muito ruim, então nao sei quando os caps bônus vão sair 😢


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...