História No Limite da Atração - CAMREN G!P - Capítulo 57


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Lauren G!p, Lauren Jauregui, Lucy Vives, Vercy, Vercy G!p, Verônica G!p, Veronica Iglesias
Exibições 1.269
Palavras 1.042
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Penúltimo Cap. Depois teremos um ou dois bônus mas não tem previsão pra saírem.

Capítulo 57 - Vou aonde você quiser Baby


Pov Lauren

Em uma barraca montada nos fundos da casa da Shirley e do Dale, a Camila estava deitada de bruços estudando um mapa gigantesco dos Estados Unidos. Por causa do calor da noite de abril, ela tinha puxado a blusa um pouco para cima e exposto a pele. Pelo menos foi esse o motivo que ela me deu quando seus dedos afastaram o tecido do top azul da parte inferior das costas. Pessoalmente, acho que ela fez isso para me enlouquecer. 

– Desculpa – disse a Echo. – Não sou uma pessoa do mar. Pássaros, areia, algas. – Ela estremeceu e colocou a língua para fora. – Não é meu cenário favorito, mas podemos ir até lá se você quiser. 

Uma semana antes, eu estava segurando a mão dela no hospital e me perguntando se algum dia ela voltaria para mim. Hoje à noite, eu a observava maravilhado. A Camila estava aqui e era minha. Sentada ao lado dela, eu traçava desenhos na pele exposta de suas costas. 

– Vou aonde você quiser, baby.

A luz da velha lanterna de acampamento que nós duas compramos piscou e ela levantou uma sobrancelha do tipo "eu-te-disse". A Camila não era fã dos tesouros que podiam ser encontrados na Legião da Boa Vontade, nem de dormir ao ar livre. Mas ela tinha prometido dar uma chance ao acampamento na nossa viagem de verão. 

– A barraca está em boas condições – eu disse para provar argumento. – Ela teria custado muito mais numa loja de verdade. 

– Se você esta dizendo... – Ela moveu o dedo para o oeste do Kentucky. – Quero ver montanhas com neve no topo.  

Afastei os cachos dela, me inclinei e beijei sua nuca, adorando ver seus músculos relaxarem quando ela se encostou em mim. Sussurrei no ouvido dela: 

– Então é isso que nós vamos ver. 

– Lauren - ela gemeu em partes iguais de prazer e censura. – como eu vou agendar visitas a galerias de arte se não conseguir planejar aonde nós vamos? 

O aroma doce da Camila fez meu corpo se animar enquanto eu mordiscava a ponta da orelha dela. 

– Não estou te impedindo. Você planeja. Eu beijo. 

Ela virou a cabeça para me olhar sobre o ombro. Minha sereia se tornava extremamente sedutora com aquele sorriso provocante nos lábios. Foi um erro da parte dela. Acariciei seu rosto e beijei os lábios macios. Eu esperava que ela ficasse tímida e se afastasse. Estávamos brincando assim por mais de uma hora: ela organizava enquanto eu a provocava. 

Viajar no verão era importante para ela, e ela era importante para mim. Mas, em vez do beijinho rápido que eu esperava, ela pressionou os lábios contra os meus. Um calor ardente aqueceu meu sangue. Foi um beijo lento no início - tudo que eu achei que seria -, mas então a Camila me tocou.

As mãos no meu rosto, no meu cabelo. E depois ela encaixou o corpo no meu. Uma pressão quente e provocante em todas as partes certas, e os lábios da Camila nos meus - fogos de artifício. Ela se tornou minha vida. Preencheu meus sentidos de um jeito que tudo que eu sentia e via e saboreava era ela. Beijos e toques e palavras de amor sussurradas e, quando minha mão deslizou pela curva da cintura dela e parou no cós da calça jeans, meu corpo gritou para que eu continuasse, mas minha mente sabia que era hora de parar.

Com um suspiro, movimentei os lábios mais uma vez nos dela antes de me virar e empurrar o corpo dela para o meu lado. 

– Eu te amo. 

A Camila encaixou a cabeça na curva do meu braço enquanto seus dedos tocavam preguiçosamente meu rosto. 

– Eu sei. Eu também te amo.

– Desculpa eu não ter dito isso mais cedo. – Se eu tivesse dito, talvez a gente nunca tivesse se afastado. 

– Esta tudo bem – ela murmurou. – Agora a gente esta junto, e é isso que importa. 

Beijei a testa da Camila e ela se aninhou mais em mim. O mundo estava esquisito. Pela primeira vez na vida, eu não estava lutando contra alguém ou alguma coisa. Meus irmãos estavam em segurança. A Camila sabia a verdade. Logo, eu estaria livre do colégio e do lar adotivo. Eu tinha esperanças de ser aceita na faculdade no período de extensão de matrícula. Satisfação e felicidade eram emoções desconhecidas, mas eu poderia aprender a viver com elas. 

– Você se importa? – perguntou ela com uma vozinha que indicava nervosismo. 

– De ir devagar? Não. – E era verdade. 

Felicidade e satisfação seriam um pouco mais difíceis para ela do que para mim. A Camila, a Ashley e o pai dela tinham chegado a um novo entendimento, mas velhos hábitos são difíceis de mudar, especialmente vivendo todos na mesma casa. Um bebê não ajudava a diminuir o nível de estresse. As sessões de terapia da Camila tinham aumentado, em vez de diminuir. Recuperar a memoria e confrontar a mãe tinha criado um novo conjunto de questões, mas a Camila achava que conseguiria lidar com elas desde que tivesse a sra. Collins. 

Tudo na vida dela estava mudando, e ela precisava de coisas fortes, firmes e estáveis. Estranhamente, ela encontrava essas três coisas em mim. Quem poderia imaginar que eu seria do tipo confiável? 

– Além do mais, ir devagar cria uma tensão. Eu gosto de expectativas. 

O corpo dela se sacudiu com risadinhas silenciosas e meus lábios se curvaram para cima. Eu adorava fazer a Camila feliz. 

– E você tem certeza que quer deixar seus irmãos e jura que não vai perder o emprego? 

A Camila tinha feito essas duas perguntas um milhão de vezes na ultima semana, mas eu entendia o medo dela. Ela não queria que eu terminasse cheia de arrependimentos. 

– Eles vão fechar o Malt and Burger por um mês em julho para reformar, e o meu chefe acha que seria bom eu tirar umas ferias. Quanto os meus irmãos... – Fiz uma pausa. – Eu preciso desse tempo. É difícil me desligar. Talvez, se eu me afastar por um tempo, eu não sinta que eles são responsabilidade só minha. 

Ela se apoiou nos cotovelos e inclinou a cabeça. Aqueles lindos olhos castanho-chocolate investigaram os meus. 

– Tem certeza? 

– Cem por cento.

O sorriso que eu tanto amava apareceu no rosto dela. 

– Então nós vamos para o Oeste.                 


Notas Finais


Amo vocês. Qualquer coisa falem aqui...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...