História No love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Angst, Hetero, Lee Jooyoung, Original, Sexo, Takeachance
Visualizações 33
Palavras 2.070
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drabble, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Escolar, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


minha primeira drabble sendo postada aqui nessa conta nova, considerando que eu usava a conta @milecamps
era lá que eu postava tudo, mas as coisas vao mudar, e irei postar tudo aqui.
nao sei se sabem, mas me deu vontade de ter um pseudônimo. se puderem me chamar de Eleanor, eu ia amar <3
bem, fiquei com essa coisinha que acabei imaginando demais hj de tarde, e que me deu vontade de escrever

Capítulo 1 - I don't love you


O mês de janeiro inteiro se passou, e nada havia mudado. Pelo menos não para Lee Jooyoung...

Os pais da jovem se preocupavam, sem notícia alguma, por não morarem mais juntos. A mesma, se mudou para a capital, para fazer sua tão esperada faculdade. O que não estava nos seus planos, era se apaixonar perdidamente por um colega de classe. E foi aí que as coisas resultaram nas coisas como estavam. Um mês inteiro sem sair de casa, sem ver teve, sem mexer no celular, e no máximo pegando o notebook para ver algum filme, sem entrar em alguma rede social. 

As vezes, alguma amigas ou amigo ia até sua residência, mas não atendia a porta. Sabia que isso não devia se fazer, mas forças para levantar, não lhe pertencia mais. No entanto, seu melhor amigo havia voltado de viagem, e tinha sua chave de casa. Por isso entrou, sem nem ao menos tocar a campainha. Foi entrando, sem pestanejar. 

 

- Jooyoung? - ficou gritando seu nome na casa, querendo saber onde ela se encontrava - Jooyoung!

 

O mesmo continuou andando, estendendo o pescoço para ver se achava a amiga, e nada. O último lugar em que procurou, foi em seu quarto. E alí estava ela, deitada, e coberta até o pescoço. Mal abria os olhos, por isso o rapaz se sentou ao lado dela.

 

- Jooyoung, acorda. - pediu baixinho, chacoalhando seu corpo de leve - Hein, acorda.

- Hmmm. - a ouviu gemer, se mexendo um pouco

- Vem, vamos tomar banho. Eu te ajudo.

 

Ele descobriu a garota, logo lhe pegando no colo. Se guiou ao banheiro, sentando-a no vaso, para poder tirar sua roupa. Foi pego de surpresa por ela estar sem sutiã, mas ao menos usava a calcinha. Olhou para seu rosto, e tinha os olhos dela nos seus. Quando viu, estava sendo abraçado.

 

- Que bom que você voltou. - sua voz era tão fraca, que partiu seu coração - Mas não precisa me dar banho. 

- Tudo bem. - concordou, se levantando e olhando para outro canto

- Seo-yah, me arruma algo para comer, por favor?

- Faço. - virou, e beijou sua testa

 

O tanto que Jooyoung demorou para tomar banho, se trocar, e fazer o esforço de levantar da cama, levou para lá de 30min. Deu bastante tempo para que Wang Seo, fizesse algo para que ambos comessem. Um clássico sanduíche, quatro, dois para cada. O mesmo estava tão preocupado, que assim que chegou em casa e leu todas aquelas mensagens no seu celular - pois onde estava, não tinha sinal, muito menos wi-fi -, moveu céus e terras para estar na casa da amiga. Tinha de cuidar dela, considerando que mais ninguém podia.

 

- Pronto, aqui. Não repara, pois é bem simples. - tentou brincar

- Está perfeito. - sua voz ainda estava fraca

- Come, vai.

 

E assim o fez, estava com muita dor, por ter ficado bastante tempo sem comer. Disse como se sentiu ao ver o amigo, mas na verdade mesmo, não sentia nada. Desde do que aconteceu um mês atrás. Mas tinha de reagir de alguma forma, e cumpriu as coisas dessa forma.Se odiava tanto, mas como evitar?!

 

- Quer me contar o que aconteceu?! Disseram que viram você dando sua aliança para o Choi Wook, e excluiu todas as coisas de vocês dois na internet. - a pergunta foi feita, após o lanche ter sido finalizado - Quer conversar?

- Quer mesmo saber? 

- Se for te ajudar, então sim.

 

Foi quando desatou a falar, mas aqui está toda a história.

Wook e Jooyoung fazem parte da mesma turma na faculdade, e se deram bem no primeiro dia, rapidamente virando amigos. Não teve como evitar, e ao longo do ano viram estavam apaixonados. Se conheciam, mas foram conhecendo um ao outro mais a fundo quando o namoro virou a realidade dos dois. Seus corpos, suas mentes, e como pensavam, e como se portavam sozinhos em suas próprias casas, e tudo. Eram como esses casais de velhinhos, que partilharam a vida inteira juntos ao ponto de ser impossível não conhecerem. Sabiam seus passos, de lá para cá, e as ocupações continuaram dessa forma por 3 anos. E para cada um, era na verdade quatro anos, por causa do intenso ano de amizade apenas.

Então, um dia - um mês atrás -, o casal foi em uma festa. Beberam um pouco, só ao ponto de ficarem levemente zonzos, e a Lee sentir vontade de ir ao banheiro. Fez suas necessidades, e lavou o rosto, para ver se dava aquela acordada, e deveras deu. Saiu do local, procurando por Choi, e assim que o achou, foi a pior coisa que poderia ter visto na vida. A ocorrência que nunca que queria ter estado presente. Fazendo seu corpo inteiro tremer, e ir devagar até ele. Assim que botou a mão em seu ombro, viu o olhar de assustado que lhe lançou. O de quem sabe que foi pego fazendo merda, e que deveria ter sido mais cuidadoso.

 

- Jooyoung, calma... Posso explicar. - nesse auge, Wook segurava seus braços, impedindo que a namorada fizesse algo

- Me solta. - não queria falar, se conhecia, e tinha noção de que se o fizesse, iria chorar e nada a faria parar

- Tá, ok. Vamos para fora conversar. - com efeito, foram 

 

O rapaz não sabia o que iria forjar, mas teria de se dispor a algo, que fosse ajeitar seu enorme erro. Tinha de!

 

- Você... Me traiu... - um sopro saiu da boca da jovem

- Jooyoung-ah, não foi assim. Olha, todo mundo erra, né? Então, foi um erro. Me perdoa, por favor. Eu juro que jamais farei novamente. - se tivesse de se ajoelhar, o faria, mas nunca perderia aquela mulher

- Você já fez isso antes?

- O que... Eu... - antes, ambos se encaravam, mas como mentir olhar fundo nos olhos da futura ex?! 

- Então você me traía o tempo todo, bem debaixo do meu nariz. - falou alto, sentindo um enjoo 

 

A mesma acabou vomitando, mais por causa do nojo do que havia descoberto, do que pela bebida, mas claro, que havia sua parcela de culpa.

 

- Você está bem? 

- Não me toca. - se afastou do cafajeste 

- Me perdoa, por favor. Foram momentos de fraqueza, isso não significa que não te amo, Jooyoung. - agora estava ajoelhado, em frente da jovem - Pelo amor de Deus, não destrói nossa história por nada.

- Foi você quem jogou tudo a perder ficando com outras por aí. - pegou a aliança de seu dedo, e largou no chão - Vai se foder!

 

O patife, até que tentou ir atrás delas, mas desistiu em um certo perto. Foi aí que a mesma correu até seu apartamento, e ao chegar, chorou a vida em cima de seu travesseiro. Chorou por todos os anos jogados no lixo, por conta de uma coisa tão cretina feita por alguém que nunca esperou vindo de sua parte. Estava magoada, com a sensação do coração ter se partido. Doía tanto, que chorar foi a única solução que encontrou. E era definitivo, em tempo nenhum, nem mesmo um futuro próximo, voltaria para aquele ordinário.

Foi aí, que em um momento de raiva e muita tristeza, pegou seu notebook, e logou no facebook e instagram do desgraçado. Por saber a senha de tudo que o traste tinha. Excluiu todas as fotas que tinha com ela, e tudo mais que havia algo relacionado com a mesma. Saiu da conta dele, e entrou na própria, e repetiu o ato. Não queria mais saber dele!

Só que infelizmente, foram quatro anos, e não quatro meses, ou semanas. Eles tinham dito uma história de verdade, e pensar que enquanto estava em casa, imaginando a próxima hora passar para ambos ficarem juntos novamente, e ele lá, com outra. Estava se sentindo a pessoa mais desgraçada do mundo. E assim que terminou que fazer isso, de excluir tudo, seu celular começou a tocar. Era ele, e ficou ligando e ligando, e não desistia nunca, e mandou várias mensagens também. Acontece que, tomou uma decisão, e se quer voltar a falar com o mesmo, iria.

Sabia que havia sido drástico, passar um mês inteiro dentro de casa, sem ver a luz do sol, sem comer direito. Deixando comida na geladeira estragando, por não comer, e o que ficava ali, sem uso, o tempo passava apesar de contas. O banho, foi tomado umas seis vezes apenas. Tinha noção de sua porquice, e sua auto-estima estava morta demais para tentar mover uma única palha para fazer qualquer coisa a respeito disso. E quando se vestia, era apenas uma blusa, sem sutiã, calcinha e um short ou calça. 

A chegada de Seo, estava sendo sua salvação. Por mais que não quisesse isso, para começo de conversa.

Falando nele, o mesmo ouviu tudo com a mais perfeita atenção, e sentiu muita raiva da amiga, e mais ainda do mau caráter do Choi Wook. Jooyoung tinha nada que ficar dessa forma, aos pedaços por causa dele. Compreendia a situação, mas ela estava uma lastima. Com as maiores olheiras do universo, o rosto mais magro, assim como o resto do corpo. Lee nem devia ter se alimentado de verdade nesses últimos tempos, e se sentiu um grandessíssimo filho da puta por ter ficado fora por tanto tempo.

 

- Jooyoung, você sabe que estou aqui pelo o que der e vier. Pode contar comigo para superar isso que está passando. - pousou sua mão na dela

- Qualquer coisa? - perguntou séria

- Sim.

- Então que quero que você transe comigo. - ao dizer isso, apertou a mão do rapaz, e ficou encarando para ver se o mesmo não iria vacilar

- Quê?!

- Você disse qualquer coisa, e eu disse que quero que transe comigo. Quero que faça amor comigo, quero que me faça sentir amada por você. 

 

Wang ficou sem saber o que fazer, por isso estava paralisado na frente dela. Afinal, como responder uma coisa dessas?! Nunca foi preparado para tal coisa. 

Quando deu por si, Jooyoung havia se levantado, e andando até si. Puxou sua cadeira para trás, tirou a roupa na frente dele, vendo que o amigo não fazia nada, só tirou a roupa dele junto. Foi aí que sentou em seu colo. Ainda tinham muito o que fazer para que suas intimidades sentissem algo, e Jooyoung estava ansiosa por isso. Realmente queria sentir o que pediu ao amigo.

Seo sentiu-se um monstro, e usado. Mas não queria parar, e não iria. Por isso começou a beijar Lee, em seu pescoço, enquanto apertava seu quadril com vontade. Que aliás, estava se movendo sozinho para frente e para trás, friccionando suas intimidades uma na outra. Suspiros pesados da parte dele, deram-se inicio. O caso dela era mais embaixo, que ainda estava na mesma. 

O rapaz segurou suas pernas, e foi até o quarto dela novamente. Para sua sorte, trocou a roupa de cama antes de arrumar o lanche, enquanto ela tomava banho. E a deitou, deixando beijos em toda a parte de seu corpo. Nem se importou com os pelos crescidos, isso não fazia diferença. Seus lábios tocaram cada mamilo dela, e lhes chupou. Nesse momento, já se encontrava duro. Jooyoung também estava molhada. Esperando que o amigo finalmente lhe penetrasse. 

Tentava de verdade sentir prazer, por isso sentia. E quando finalmente estavam colados um no outro, só sabia gemer com o vai e vem gostoso que Wang sabia fazer. Era devagar, mas bem forte, lhe tirando grunhido do fundo da garganta toda vez.

Isso acabou com os dois bem suados, e em outra posição, onde Jooyoung estava por cima, comandando tudo. Mexia o corpo como nunca, querendo alcançar o tão esperado orgasmo. Só precisava disso, para relaxar de verdade. Com isso, pediu que Wang lhe tocasse o clitóris, e depois disso não teve mais volta. Os sons que saíam de sua boca era alto, e muito verdadeiros, estava mesmo aproveitando aquele momento. E o rapaz não passava longe, e segurava para não gozar como nunca antes. Vê-la no controle. e por cima daquela forma foi demais para ele.

Quando finalmente gozaram, a moça caiu para o lado, e queria voltar a dormir. Seo lhe abraçou, ficando de conchinha com ela.

 

- Eu te amo! - falou sincero, e beijou suas costas

 

Era uma pena, mas Lee Jooyoung não o amava.


Notas Finais


FOI ISSO!!!!!!!!1 AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH
eu amei de verdade escrever essa drabblezinha angst, por ser muito depre. e espero que seja o mesmo caso de vocês, meus queridos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...