História No meio de um 'Ódio' nasce o amor mais lindo que existiu - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Bellatrix Lestrange, Draco Malfoy, Fred Weasley, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Regulus Black, Ronald Weasley, Scorpius Malfoy, Severo Snape
Tags Draco Malfoy, Harry Potter
Exibições 363
Palavras 4.308
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Fluffy, Magia, Shoujo-Ai, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Incesto, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá

Capítulo 1 - Guerra


Fanfic / Fanfiction No meio de um 'Ódio' nasce o amor mais lindo que existiu - Capítulo 1 - Guerra

Mansão malfoy …

Estava tendo uma importante reunião na mansão Malfoy pois Voldemort iria anunciar que teria que viajar atrás da varinha das varinhas e que só era para o chamar se achassem Harry Potter, Draco Malfoy o jovem que fora obrigado a se tornar um comensal por seu pai Lucius Malfoy não conseguia parar de se sentir apreensivo, amava muito Potter e quando estavam estudando em Hogwarts tentava de qualquer maneira chamar atenção do moreno e a melhor maneira que ele achou de fazer isso era o provocando e fazendo picuinhas  já que quando pediu para o mesmo para ser seu amigo ele não quis preferindo Rony Weasley o que deixou Draco furioso e achando nos primeiros anos que o odiava cegamente, mas desses anos pra cá já não achava mais isso, se sentiu atraído pelo seu pior inimigo, em todas as aulas que tinham juntos o loiro não parava de olhar para o moreno  admirando seus traços só que nunca contara para ninguém e sempre implicava com Potter para tentar fazer com que Harry prestasse atenção nele.

- Draco porque está tão apreensivo meu querido – Narcisa pergunta para Draco que estava com cara de preocupado fitando o nada.

- Nada de importante mãe – Draco diz frio tentando parecer convincente.

- Está bem então – Narcisa Malfoy diz e volta sua atenção para Voldemort e Severo Snape que discutiam onde Harry Potter poderia estar.

- Lembrem-se que não é para me chamar por coisas inúteis – diz o lorde das trevas e aparata junto com sua cobra Nagini, os comensais começam a ir embora aparatando, na casa ficaram só a família Malfoy, logo Draco subiu rápido para seu quarto sem conseguir  esconder o conflito que havia dentro de si deixando sua mãe preocupada mas seu pai pareceu nem perceber, Draco não queria que Potter fosse pego o amava muito e nem queria pensar na hipótese dele morrer, o loiro pensava que se Harry  morresse sua vida não teria sentido mesmo não falando com ele muito e nem sendo correspondido ( era o que o loiro achava) tinha plena certeza que Harry era o amor de sua vida.

Bem longe da mansão Malfoy Harry Potter, Rony Weasley e Hermione Granger estavam atrás de horcruxes esse era o único jeito de derrotar você-sabe-quem, e no momento estava na casa de Luna atrás de informações sobre as relíquias da morte, mas o pai de Luna desesperado porque sua filha Luna fora levada a força para mansão dos Malfoys, chamou os comensais para capturar Potter mas o mesmo conseguiu fugir junto com Ron e Mione aparatando para uma floresta, assim que chegaram Rony se apressou para fazer os feitiços de proteção, parou de repente se deparando com vários comensais, correndo em direção a Hermione que corria logo atrás de Harry, correram por mais ou menos uns 3 minutos até Rony cair e fazer com que Hermione vá atrás dele preocupada tentando o levantar, os comensais pegaram eles e logo conseguiram pegar Harry também pois o mesmo tentava ir ajudar os amigos mas caiu e na mesma hora Hermione apontou a varinha para o rosto do mesmo lançando uma azaração instantes depois o rosto do moreno foi ficando redondo, seu olhos ficaram  inchados e seus lábios tortos, entendendo o que Mione fizera pegou seus óculos e colocou no bolso.

- Quem são vocês ? – perguntava um comensal chegando bem perto de Harry o olhando com nojo, nenhum deles respondeu, mais quando o homem chegou um pouco mais perto pode ver a cicatriz pouco visível do moreno.

- Eles vão adorar te ver Potter – disse o homem e logo todos aparataram e se viram em frente a portões grandes e Belatrix do outro lado das grandes com um olhar confuso, o homem dá um sorriso vitorioso e levanta a franja do moreno que cobria a marca de sua cicatriz, Belatrix olha e se espanta, sussurra algo que parecia “chame o Draco ¨ logo os três amigos foram levados para dentro da mansão, lá  estavam Draco que olhava assustado e triste o que Harry não conseguiu entender, Narcisa que encarava Harry um pouco surpresa e confusa, e Lucius que olhava espantado e com um pouco de alegria.

- Vê se este é o Potter Draco, sei que depois de tantos anos estudando com ele vai saber me dizer se é ele ou não – Belatrix falava com um sorriso divertido olhando para Draco que chegava perto de Harry com um olhar desesperado, olhou dentro dos olhos do moreno e sentiu uma imensa vontade de o agarrar ali, Harry estava confuso pela expressão de Draco podia jurar que o loiro o entregaria, o que deixaria o moreno triste pois amava Malfoy desde o terceiro ano não conseguia tirar o loiro dos pensamentos e agora que estava tão perto de Malfoy tinha uma vontade enorme de o agarrar e o beijar até perder o fôlego.
- Ahh ... Potter – Draco suspirou assim que Belatrix se afastou, Harry continuou calado fitando os lábios de Malfoy - Por que está aqui em – Draco dizia triste, Harry sentia que o loiro estava mudado e que não parecia a mesma pessoa arrogante e mandona que conhecera anos atrás, o que deixou Potter mais apaixonado ainda.

- E então é ele ? precisamos ter certeza pra não chamar o lorde das trevas à toa – Belatrix se aproximou e encarou Draco.

- Não ... Não é ele se enganaram feio em – Malfoy se levantou e deu uma ultima olhada em Harry antes de se virar sentando no sofá, todos suspiraram pesado desconfiando do que o loiro disse.

- O que é isso que você esta segurando? – diz Belatrix assustada.

- Achei na bolsa da garota – o homem diz e abri um sorriso amarelo, logo Belatrix joga um feitiço nele que o faz voar longe, pegando a espada do chão, todos a olharam assustados.

- Leve os meninos para a sela quero falar com essa garota – Bela fala e joga Granger contra a parede, no momento Draco tentava pensar em um plano para tirar Potter de sua casa o mais rápido possível antes que chamem o Lorde da Trevas, o loiro estava muito desesperado não podia deixar que nada acontecesse a seu moreno senão sua vida não teria mais sentido.

Depois de algum tempo que Bela torturava Hermione e Weasley gritava por ela, Bela chama Draco e pedi para seu sobrinho chamar o duende que trabalhava em gringotes, essa era a chance que Malfoy tinha para tirar seu grande amor daquele lugar, então Draco desceu as escadas até a sela e viu Weasley sentado e Harry no portão quando o moreno viu Malfoy seu coração acelerou de uma forma violenta e o loiro sentiu o mesmo.

- Vou ajudar vocês a sair daqui – Draco  falou rápido antes que qualquer um questionasse, ainda estava lá o Sr Olivaras e Luna que ao verem o loiro se olham confusos.

- Como ? – Harry olhou para Draco e chegou perto do mesmo que corou.

- Vocês tem que fingir que pegaram minha varinha e que estou rendido a vocês e depois que saírem peguem a sangue ... quero dizer Granger e aparatem – Draco falava ainda sem tirar os olhos dos lábios de Potter.

- Porque está nos ajudando ? – diz Harry olhando fixamente para Malfoy que corou de leve.

- N... Não te interessa Potter, você quer ou não sair daqui ? – diz o loiro e Harry apenas assentiu encarando o chão.- Ande logo ou virão atrás de mim – Draco diz e entrega a varinha a Potter e o mesmo aponta para a cabeça do loiro e sobe as escadas no meio delas Harry olha para o Sr Olivaras e para Luna e diz aparatem para o chalé de Gui e de Fleur, e os dois assentiram e logo em seguida aparataram.

- Bem pensado Potter – Draco dizia pelo que Harry pode perceber ele parecia orgulhoso.

O plano foi seguido como  Draco falara e os três conseguiram ir para o chalé sem problemas, pois assim que Lucius chamou o Lorde Das Trevas eles conseguiram aparatar, assim que chegaram lá Harry não conseguiu tirar o sorriso do rosto enquanto Ron contava tudo que aconteceu incrédulo desde que Malfoy foi os ajudar para Mione, Harry tinha várias dúvidas, por que Malfoy tinha o ajudado, porque quando perguntou o pra ele o motivo de estar fazendo isso ele não quis dizer mas mesmo em meio de tantas dúvidas o moreno se sentia feliz pelo teu amor ter o ajudado mesmo sem saber o motivo.

Potter queria ter insistido mais, talvez agora não estaria com tantas dúvidas em mente.

Semanas depois …

Harry já teria conseguido algumas Horcruxes, e agora estava em Hogwarts pra achar mais uma que era a tiara que estava na sala precisa mas quando Potter colocou a mão na tiara Malfoy apareceu.

- Potter!! – Draco diz e sorri de lado.

- Malfoy, o que quer aqui.

- Quero minha varinha de volta você a levou e não me trouxe de volta – Harry colocou a tiara no bolso.

- Até devolveria a você mas não está comigo no momento – o moreno diz e chega mais perto de Draco – Eu queria que você me esclarecesse uma dúvida e nem adianta me enrolar ou mentir porque de qualquer jeito eu vou saber – Harry diz já bem perto do loiro - Porque me ajudou?

- F... Foi porque me deu vontade só isso algum problema Potter? – o loiro diz e tenta desviar o olhar.

- Esta mentindo, acha que não sei quando uma pessoa está mentindo Malfoy – diz Harry encarando Draco.

- Eu.. Eu só não queria que você morresse só isso – Draco disse com a voz baixa olhando para o chão.

- Por que? Você não me odeia? – Na mesma hora em que Harry perguntou Hermione e Rony chegaram apontando suas varinhas para Malfoy e o mesmo ficou com um pouco de medo pois estava com a varinha de sua mãe e a mesma não lhe obedecia da maneira que esperava, o loiro podia ter certeza que Potter não iria fazer nada contra ele pois o mesmo o salvou antes, mas Granger e Weasley ele já tinha muitas dúvidas, não trouxera Crabbe e Goyle consigo pois sabia que o moreno não iria lhe fazer nenhum mal mas agora com Granger e Weasley aqui se arrependerá de não ter trazido eles.

- Calma gente, vocês podem me dar licença quero falar uma coisa com Malfoy – Potter dizia sem tirar os olhos do loiro o deixando corado.

- Mas a gente tem que procurar a última Horcrux... – Mione dizia desconfiada fitando Harry mais o mesmo não a deixou terminar.

- Não vou demorar, pode me esperar lá fora, só quero esclarecer algumas coisas com o Malfoy - o loiro o encarava surpreso e envergonhado vendo Hermione e Rony saírem, a vontade que tinha agora era de agarrá-lo e esquecer que a guerra estava acontecendo lá fora mas tinha medo de não ser correspondido e Harry se afastar, agora o loiro se via numa enrascada Potter queria saber o porquê dele está o ajudando e parecia ver quando Malfoy estava mentindo.

- Vamos Malfoy me conte o porque disso tudo, mas agora sem mentiras por favor – Harry chegava cada vez mais perto a vontade de agarrar Malfoy estava dominando ele e o mesmo sabia que não aguentaria muito tempo, antes que Harry pudesse pensar o loiro o agarrou e selou seus lábios em um beijo cheio de desejo e paixão, ao contrário de que Malfoy esperava Harry continuou o beijando e colando mais ainda seus corpos, depois de alguns segundos se separaram por falta de ar e o moreno abraçou o loiro.

- Eu te amo Potter – diz o loiro com receio de que agora o eleito o desprezaria.

- Também te amo Malfoy – diz Harry sem pensar duas vezes,  ainda surpreso com a declaração do loiro mais feliz como nunca estivera antes, com ninguém nem mesmo com Ginny que andara beijando esses dias, só que não sentia nada só fazia porque sabia que a ruiva gostava dele e não queria magoar ela.

Draco corou surpreso pelo que o moreno disse, uma alegria imensa explodiu no peito loiro e o mesmo selou novamente os lábios com o de Potter, com certeza para ambos era o melhor dia de suas vidas, não poderia sentir sensação melhor do que estar um nos braços do outro colados como imãs, nesse momento nada mais importava para os jovens só o que importava era o amor que ambos sentiam a tanto tempo um pelo outro e que só agora fora revelado, ficaram ali por volta de dez minutos abraçados e se dando selinhos longos, de repente Hermione e Rony entram bravos na sala assustando Draco e Harry que ainda estavam abraçados.

- O que está acontecendo aqui, você falou que não iria demorar, esqueceu que tem uma guerra acontecendo lá fora– diz Rony olhando com um olhar mortal pra Malfoy.

-  Tem razão podem ir na frente já alcanço vocês – diz Harry e Hermione assentiu entendendo a situação e puxando Rony que ainda estava muito indignado.

- Tenho que ir Malfoy – Harry acariciava seus cabelos triste por saber que talvez nunca mais veria o loiro que tanto amava.

- Me chame de Draco Harry – diz Draco com os olhos marejados – Ganhe essa maldita guerra, por favor não vou suportar se você morrer – Draco falava em meio as lágrimas que teimavam descer.

- Vem para meu lado – Harry acariciava o rosto do loiro tentando o acalmar.
- Não posso se fizer isso ele vai matar meus pais – Diz Draco e olha para Harry que estava mais triste do que nunca, mal ficaram juntos e já vão se separar.

- Então tome cuidado, não posso perder você – Diz Harry e pega na mão do loiro o levando para fora da sala precisa - Quando a gente sair corre ninguém pode ver você comigo entendeu – Diz Harry e o loiro assente.

Assim que saíram da sala Malfoy correu para um lado do castelo, Potter estava muito triste com a possibilidade de não ver mas o seu tão amado Draco Malfoy, Rony olhou para Mione confuso, o olhar da garota se mantinha preocupado pois a mesma já sabia o que estava acontecendo só que não queria questioná-lo nesse momento tão importante para o mundo bruxo e nem perto de Rony.

- Porque a doninha saiu correndo cara? – Diz Rony.

- Longa história, agora vamos temos que achar a cobra de você-sabe-quem ela é a última Horcrux – Diz Harry.

- Entra na mente dele precisamos saber onde ele está – A garota diz e Harry assentiu, logo em seguida fazendo esforço para conseguir, viu um barco e Lucius Malfoy que pedia para cancelar o ataque, num instante viu Voldemort lhe lançar um tapa forte em seu rosto.

- Vá atrás de Severo traga ele para mim – Voldemort dizia furioso para Lucius e o mesmo aparatou.

- Eu sei onde ele está, mais primeiro tenho que fazer um coisa – Diz Harry tirando a coroa de seu bolso, Rony  entregou a ele a presa do basilisco e Potter fincou na tiara a jogando longe e com muita dificuldade se levantou e correu em direção a saída do castelo com Mione e Ron atrás, logo chegaram a um lugar onde Severo Snape e  Voldemort conversavam depois de muitos minutos em que Harry se esforçava para ouvir alguma coisa mas não conseguia finalmente ouviu Voldemort dizer:

- Ela não me obedece e creio que matando o dono dela que acho ser você pois foi você que matou o dono antigo eu consiga que ela me obedeça – Diz o Lorde, antes que o mesmo lançasse qualquer feitiço Severo aparatou e conseguiu escapar, o que deixou o Lorde furioso e aparatou junto a cobra também, os jovens se levantaram, só que antes que fizesse qualquer coisa Snape apareceu com algumas gotas de lágrimas dele e pediu para Potter levar para benzera e fora em direção a Hogwarts e assim Harry fez voltando ao castelo, chegando a sala que antes era de Dumbledore colocou as lágrimas dentro da benzera e mergulhou a cabeça dentro da mesma e em meio a tantas visões e revelações uma se destacou, Dumbledore dizendo a Snape que Harry era uma Horcrux e que na hora certa Voldemort teria que matar o menino. Nesse momento Harry sentou no chão e começou a chorar lembrou da promessa que tinha feito a Draco que tentaria vencer mas agora sabe que isso não poderá acontecer já que tem que morrer para derrotar Voldemort, de repente se ouve a voz do mesmo.

- ‘ Isso é muito covarde de sua parte não acha Harry Potter invés de me enfrentar pessoalmente manda seus amigos irem lutar com meu exército para serem todos mortos, vamos venha a floresta proibida pra que acabamos com isso logo e ninguém mais irá morrer Potter’.

Harry temeu mas decidiu ir e entregar a responsabilidade de matar a cobra pra Rony e  Hermione já que teria que destruir mais uma Horcrux que era ele, então o moreno seguiu até o corredor e já não havia nenhum comensal parece até que a guerra teria acabado, avistou Ron e Mione sentados na escada abraçados e no momento sentiu inveja como ele queria estar assim com o amor de sua vida, foi em direção a eles,  Hermione já entendendo que ele pretendia ir a floresta proibida o barrou.

- Aonde pensa que vai, não está pensando em ir a floresta né? – Harry assentiu olhando para Rony que agora o olhava indignado– Eu sou uma Horcrux e  Voldemort tem que me matar para  ⁠⁠⁠conseguirmos acabar com ele, quando eu estiver morto e vocês conseguirem matar a cobra Você-sabe-quem finalmente vamos conseguir destruir ele -Harry disse e Mione foi em sua direção chorando e o abraçou, logo depois Harry foi andando até a floresta.

Como demorou o Lorde das Trevas já achava que Potter não iria mais, o que deixou Malfoy que estava lá junto com os demais comensais aliviado, se Potter aparecesse ele seria morto com certeza, depois de alguns segundos todo mundo se surpreendeu ao ver que o moreno estava lá parado, o mesmo se assustou ao ver Draco escapar uma lagrima, mas decidiu que isso era por um bem maior os dois pararam de se olhar quando ouviu alguém gritar.

- Avada Kedavra – Gritou o Lorde das Trevas e Harry voou longe, todos que estavam lá se espantaram e ficaram olhando por muito tempo o jovem caído incrédulos, Draco se segurava o máximo possível para não desabar em lágrimas por não queria que ninguém o visse chorando, só que algumas lágrimas ainda insistiam em cair.

- Vá ver se realmente está morto  – Voldemort falou para Narcisa, ainda olhando desconfiado para Potter caído ao chão, o mesmo estava pensando que fora fácil demais.

Narcisa foi indo até o menino que estava um pouco longe de todos e colocou a mão em seu coração para ver se o mesmo batia, depois de alguns segundos verificando, arregalou os olhos e seu queixo estava praticamente no chão ao saber que o menino Harry estava vivo, agora ela tinha a plena certeza que quem iria vencer a guerra era Potter, então ela decidiu ajudar o garoto era uma comensal por que o marido era, mas não queria estar do lado do Lorde das Trevas, queria estar do lado do menino pois amava muito o mundo bruxo e Hogwarts também.

- Está morto – A loira disse tentando parecer alegre, no mesmo instante todos começaram a rir, mas Voldemort continuava de boca aberta.

- Vamos até Hogwarts agora todos vão se declarar a mim – Diz Voldemort e sai com todos indo atrás dele.
Malfoy ainda tentava conter suas lágrimas ver o seu amado carregado por Hagrid morto estava lhe matando por dentro.

Rony e Hermione estavam abraçados na porta do castelo quando viram várias pessoas de preto chegando, logo deram passos pra frente com suas varinhas, junto com eles todos que lutaram ao lado de Harry saíram também para ver o que estava acontecendo.

- Venham, Venham se declarem a mim Harry Potter está morto – Disse e todos os comensais inclusive ele começaram a rir, só Draco que continuava sério contendo as lagrimas.

Todos se chocaram Hermione encostou no peito do namorado e começou a chorar, estavam todos abalados.

- Venham, ou vão ser mortos – Voldemort dizia em meio a risos.

Neville começou a andar em direção ao Lorde e todos os amigos abaixaram a cabeça envergonhados, podiam esperar de qualquer um essa rendição menos dele que se tornou uma pessoa incrivelmente corajosa, Simas o chamou mandando ele parar mais o mesmo não deu ouvidos e continuou caminhando até parar no meio do ⁠⁠⁠caminho.

- Esperava coisa melhor – E todos deram risada – Mas tenho certeza que daremos um lugar a você mesmo não sendo muito útil – Lorde dizia com olhar de desdém o mesmo pensava na primeira luta esse garoto morre.

- Não vou me juntar a vocês, só quero dizer uma coisa – Neville dizia e pegou uma bolsa que estava no chão.

Voldemort fechou as mãos em punho.
Todos desviaram sua atenção de Neville quando em passos decididos Draco Malfoy vinha em direção ao garoto que estava confuso, parou ao lado dele e olhou a Voldemort com um olhar desafiador.

- Draco querido venha nós vencemos – Dizia Narcisa desesperada.

- Não mãe dessa vez não – Dizia Draco com os olhos marejados – continue a falar por favor – dizia Malfoy ao menino Neville, ele o olhou e assentiu.

- Não importa o Harry ter morrido, é perdemos o Harry mais pessoas morrem todos os dias mas mesmo assim esse é o seu fim – Neville disse e tirou da bolsa a espada de Godric Grinffindor, e olhou para o Lorde que agora ria.

Parou imediatamente de rir quando viu que Potter se jogou no chão pegando sua varinha e gritou ‘Estupefaça’, a maioria dos comensais aparataram e foram embora deixando a menoria ali, Harry Potter corria em direção ao castelo mandando todos irem também, porque estavam imóveis com um sorriso bobo inclusive Malfoy que começará a correr em direção do menino que sobreviveu chegando bem perto o beijou rápido, Potter pegara na mão dele e saíram correndo para dentro do castelo.

- Eu te amo testa rachada – Draco disse com a varinha em punho enquanto Harry subia as escadas na esperança de encontrar Nagini.

- Eu te amo meu medroso – Harry olhou para trás e sorriu – E muito – continuo e voltou a subir.

Logo estava num corredor escuro e silencioso, ouvira barulhos como se alguém esperasse para atacar ele, quando olhou para trás seu coração gelou lá estava ele’ Voldemort’ sem mais demoras os inimigos começaram a duelar, depois de minutos de desespero da parte do moreno, eles estavam perto de um “precipício”.

- Vamos acabar logo com isso Tom Riddle – Disse Harry pegando no pescoço dele e caiu junto de Voldemort, caíram fora do castelo e rastejando pegaram suas varinhas e lançaram um feitiço no mesmo segundo.

Enquanto isso o casal Rony e Hermione estavam prestes a morrerem na tentativa de matar a Cobra do Lorde, mas foram salvos por Neville saltar na frente da cobra e lhe cortar o pescoço com a espada de Gryffindor.
O feitiço de Voldemort estava ficando fraco assim como ele, parara de lançar o feitiço e olhou pro seu peito com o olhar de desespero, Harry se apressou a tirar a varinha do seu adversário e viu depois de segundos ele se transformar em cinzas.

 10 meses depois …

- Aguenta firme amor, nós vamos conseguir - Dizia Harry segurando firme na mão de Draco, que estava prestes a ter seu bebê.

Muitos gritos se ouvirá de draco o loiro estava sentindo muita dor e a cada cinco segundos as contrações vinham sem piedade, Harry que segurava a mão do marido já não aguentava mais pois o mesmo estava apertando muito.

Depois de muitas longas horas se ouve o choro de um bebê Scorpius Severo Potter Malfoy.

11 anos depois …

⁠⁠⁠Chegará Harry, Draco e Scorpius Severo Potter Malfoy na estação do expresso de hogwarts eles estavam felizes até demais eles pois se amavam muito, sentiam um sentimento muito grande um pelo outro e o fruto desse amor era o filho de deles que agora iria virar um grande bruxo pois estava indo a melhor escola de bruxos do mundo.

- Vocês estão aí – Dizia Rony com Hermione e a filha deles.

- Oi – disse Draco e Harry em coral.

- Creio que vão ter grandes aventuras como a gente – Disse Hermione e todos deram risada, olhando os filhos entrarem no trem.

Todos estavam ali até avistaram Luna e Neville acenando  para o filho deles que estavam no trem, e Fred e Jorge abraçados mesmo que não tinham nenhum filho eles queriam ver esse momento.

Estavam todos lá, sobreviventes da guerra, felizes, ainda mais Draco e Harry que estavam explodindo de felicidade, finalmente estavam juntos assumidos e com um filho que jamais sonhariam que iriam ter.

- Eu amo tanto você e o nosso filho Harry, não sei o que seria sem vocês – Dizia Malfoy com a cabeça encostada no ombro do moreno.

- Eu te amo muito mais, você e o nosso filho são tudo pra mim, não imaginaria minha vida diferente.

Como previstos esses pequenos bruxos filhos de pessoas que salvaram o mundo tiveram inúmeras aventuras.
⁠⁠⁠⁠⁠



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...