História No Pressure - Camren - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila, Camila Cabello, Camren, Girlxgirl, Homofobia, Lauren, Lauren Jauregui, Violencia
Visualizações 61
Palavras 2.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


YAAAY
OLAAAAR
COMO ESTÃO?
OBRIGADA PELO OS 24 LEITORES, E PRINCIPALMENTE PELO O APOIO <3

Capítulo 2 - No pressure II


Fanfic / Fanfiction No Pressure - Camren - Capítulo 2 - No pressure II

Camila Cabello
Narrando.


Arregalei os olhos e empurrei Lolo a tirando de cima de mim e me levantei em um pulo, assustada vendo Lucy em choque ao vê o que estávamos a fazer.

—Lucy.


Chamei, mais já era tarde de mais, ela saiu correndo para fora, olhei para Lauren apavorada, ficando com lágrimas nos olhos só de imaginar o castigo, Lauren se levantou e antes mesmo de eu dizer qualquer coisa ela saiu do quarto.

Com medo, caminhei até a porta e coloquei a cabeça pra fora, abracei meus braços saindo do quarto devagar para não chama atenção, no fim do corredor vi Lauren trazendo Lucy pelo os cabelos enquanto a mesma estava desmaiada.

—Meu Deus Lolo, o que aconteceu? —Perguntei e fechei a porta quando ela entrou com Lucy.

—Dei uma boa noite cinderela a ela. —Ela respondeu cansada e se jogou na cama.

Me sentei na minha cama olhando pro corpo da Lucy no chão começando a fica preocupada.

—Ela vai fica bem? —Perguntei. Lolo apenas assentiu.

Suspirei abaixando a cabeça me perdendo em meus pensamentos, eu estava vendo o mundo se derreter á minha volta enquanto apreciava os lábios de Lauren. Mas, agora esses beijos foram interrompidos.

Era bom esquecer os problemas, eu sabia que era errado, eu vi o que aconteceu com Halsey e Bella, eu estava apavorada e já imaginava a confusão que ia ser no dia seguinte.

—E agora? —Murmurei olhando para Lucy assustada.

—Ela vai dormi, provavelmente acordará amanhã. E então, amanhã resolvemos isso.

—Você não tem medo? —Perguntei dessa vez olhando para ela.

— Sabe do que eu tenho medo? Eu tenho medo de me perde em minha própria mente. —Ela falou e me arrepiei de medo e fiz um beicinho choroso.

—Estou com medo. —Choraminguei indo até ela e pulei em cima dela agarrando-a.

—Não precisa, vai da tudo certo. Prometo. —Lolo falou baixinho e começou fazer carinhos em meus cabelos.

O que seria de mim, ou o que seria de Lauren se a Senhora Vilma descobrisse? O meu coração batia forte, e comecei a fica nervosa. Preciso vomitar. Me levantei correndo e fui até o banheiro que tinha no quarto.

Quando eu sai do banheiro eu não vi mais a Lauren e nem o corpo de Lucy, e quando virei para a porta do meu quarto, dei de cara com a Senhora Vilma e me assustei e quase dei um grito, mais tampei minha boca antes desse tal ato.

—O que está fazendo de pé nessas horas? —Ela perguntou rude.

—Eu...eu...huh, eu, eu estava, estava no banheiro. —Me engasguei com minhas próprias palavras assustada.

—Fazendo o que? —Ela cerrou os olhos se aproximando de mim.

—Levantei-me para fazer pipi. —Falei baixo mentindo, sentindo meu rosto queimar de vergonha e medo.

—Hum... eu estava checando os quarto, e o quarto 204 está vazio, viu a Senhorita Jauregui?


Engoli em seco e abanei a cabeça rapidamente negando.

—Não Senhora. —Murmurei.

—Ok, volte a dormi. Bons sonhos Camila. —Ela falou a ultima frase dando um sorriso mal.

Assim que ela saiu eu peguei a copia da chave que eu escondia para momentos assim, e tranquei a porta com as mãos tremendo. Depois desse tal ato, me encostei na porta e suspirei aliviada ao ver Lauren entrando no quarto pela a janela.

—Ai, Lauren, que susto que levei. —Falei cansada e caminhei até minha cama.

—Assim que vi passos pelo o corredor eu sai pela a janela e fiquei no telhado, e ouvi tudo, ela é uma cabra. —Lolo resmungou enquanto puxava o corpo de Lucy para dentro.

—Se eu fosse você, eu estaria desesperada. —Falei me ajeitando na cama e puxando o lençol enquanto ouvia o riso frouxo de Lauren.

—Você é muito medrosa. —Ela zoou.

—Hey, não sou. —Protestei enquanto me deitava. —Deita aqui.

Lauren fechou a janela e se deitou ao meu lado junto de seu ursinho de pelúcia, me juntei a ela e fechei os olhos.


—Posso apaga a luz? —Ela perguntou.

—Pode sim, mais deixa o abaju ligado. —Sussurrei ficando sonolenta.

—Esse foi um diabo de beijo Camila Cabello.   —Abri um olho e a vi sorrir e fiz o mesmo.

—Por que esta sorrindo? —Perguntei a olhando de canto.

—Só por que iremos nos ferrar, não quer dizer que eu não tenha gostado do que aconteceu. Por isso o sorriso.

Eu também gostei do beijo. Lucy tinha visto o corpo de Lauren em cima do meu. E julgando pelo o que eu sabia dela, ela iria definitivamente contar á Senhora Vilma. Não posso acreditar que isso aconteceu, eu não planejei que esse beijo acontecesse. Eram os lábios de Lauren, o trovão da sua voz rica, a suavidade da sua pele. Isso era tudo o que eu tinha presente nos meus pensamentos.  
 
Agora o que estava no meu pensamento era a preocupação iminente sobre o possível castigo, e o pavor de tudo aquilo em que eu podia estar metida.

(...)

Assim que eu acordei, Lauren estava sentada ao meu lado na cama, a sua expressão cresceu e um sorriso surgiu quando ela me viu acordando. Sorri de volta. Mas tirei o sorriso assim que olhei para o chão, para certificar-me que Lucy ainda estava lá. Olhei para Lauren e ela me olhou.

—Cadê a Lucy? —Perguntamos uma para a outra.

—Eu acho que ela escapou. —Falei ficando nervosa.

—A gente não iria deixa-la aqui presa, uma hora ou outra iriam descobrir, agora temos que rezar para que ela não abra a boca. —Lolo falou se levantando. —Bom, melhor eu ir antes que a Senhora Vilma apareça por aqui. —Ela sorriu e caminhou até a porta e acenou antes de sair do meu quarto.

Me levantei e fui para o banheiro me banhar antes das aulas começarem. Imagem dos lábios de Lauren surgia em minha mente e bufei frustrada. Terminei o meu banho e coloquei o uniforme -o que era obrigatório nesse lugar- escovei os dentes e arrumei meus cabelos.

Entrei na sala com Lauren atrás de mim carregando minhas coisas e coloquei meu café em cima dos livros que ela segurava.

—Você podia me ajuda ner?


—Ah não, você está engraçada assim. —Dei risada.


—Espero que ninguém tenha visto eu caindo no corredor. —Ela murmurou.


Dei risada enquanto pegava minhas coisas com ela e coloquei em cima de minha mesa, Lolo escorregou, mais antes mesmo dela chega ao chão eu a segurei. Iria ser um tombo grande e bem feio, vou me arriscar a dizer engraçado também.

—Estou legal, irei tomar mais cuidado.

Concordei rindo dela vendo suas bochechas ficarem vermelhas, não conseguir saber se era de raiva ou de vergonha, Lolo se sentou em seu lugar e colocou sua bolsa em cima da mesa. Lolo viu  Dua Lipa e acenou e sorriu para ela.

—Oi Dua. —Ela falou com ela.

—Fala comigo de novo que eu te arrebento.

Arregalei os olhos e puxei Lauren para longe dela.

—Por que eu não consigo fazer ela ser minha amiga de novo? —Lolo murmurou chateada.

Elas eram amigas no primeiro ano, mais aconteceu uma briga, Lauren foi acusada de rouba-lhe o namorado, e Dua preferiu acreditar nas tops girl (Três meninas cobras desse lugar) do que na melhor amiga.

E também Lolo gostava dele, mais ela nunca ficaria com ele sabendo que esse menino pertencia a sua melhor amiga. Dua Lipa.
Eu entendo a raiva de Dua e entendo também a tristeza de Lauren.

Depois da aula fui-me descansar, por eu ter dormido muito tarde e acordado muito cedo, meu corpo implorava para ser descansado. Deite-me e suspirei sentindo o colchão macio em minhas costas.

Bufei quando tive que levantar para atender a porta do quarto.

—Pois não? —Respirei fundo tentando não fica zangada.

—A Senhora Vilma quer falar com você. —Bella me avisou e eu assenti saindo do quarto.

Comecei a fica em pânico enquanto eu caminha para a sala da Senhora Vilma. O meu estômago afundou-se com o peso do medo. A minha repentina felicidade estava lentamente a começar a desaparecer, como se estivesse a ser substituída por chumbo, tornando cada passo mais difícil que o último. 

Finalmente, através de uma sequência de grandes corredores, chegámos ao escritório da Sra.Vilma. Caminhei pelas portas duplas e entrei naquele grande espaço, fazendo o meu coração acelerar.  
 
A cara da Senhora Vilma parecia cinicamente divertida assim como a de Lucy que estava ao seu lado.
 
Lauren estava sentada em uma cadeira em frente a Senhora Vilma, sentei-me ao seu lado quando a Senhora Vilma pediu para eu me sentar. Quando me sentei na cadeira, atrevi-me olhar para Lauren. O seu cabelo estava à volta da sua cara em longas ondas. Ela estava tão linda.

—Lucy disse-me que vocês duas estavam se beijando as escondidas. —Senhora Vilma falou com desgosto quebrando o silencio.

Nenhuma de nós se atreveu a falar alguma coisa, eu estava ficando com vontade de vomitar, por conta do nervoso.

—Lauren, fui ao seu quarto ontem, e não te vi por lá, onde estava? —Lauren ficou em silêncio e não respondeu.

—Eu apenas fui no refeitório, pôs eu não fiz a ultima refeição e tive fome. — Por fim, Lauren falou, mas mentiu.

Estava tudo calado agora, enquanto a Senhora Vilma nós olhava, com os seus lábios apertados enquanto pensava.

—Não tenta mentir. —Ela falou em voz alta fazendo-me encolher os ombros. —Lucy é uma ótima funcionaria, e acredito mais nela do que em vocês. Não me importo que vocês adolescentes se beijam, mais não desse jeito.

—Como assim? —Lauren perguntou com voz baixa.

—Assim, menina com menina, menino com menino, isso é nojento. —Vila falou com todo o nojo que conseguia passar.

—Nojento? Nojento é esse seu preconceito. —Lauren explodiu. Arregalei os olhos e peguei na mão dela por debaixo da mesa tentando deixa ela calma.

O silêncio na sala era tão evidente como a tensão. Lauren estava pensativa e logo depois respirou fundo falando tais palavras que me deixaram assustada.

— Senhora Vilma, não castigue a Camila. — Engoli em seco sabendo que ela não suportaria ver mais nenhum de seus amados amigos serem machucados. — Castigue-me. Eu confesso. Ontem a noite, eu fui no quarto da Camila e.... eu, ataquei-a, Eu beijei ela a força. Foi toda minha culpa. Pode olhar as câmeras, fui eu.

A sala ficou silenciosa. Eu não podia deixar ela sofrer todas as consequências. Não podia.O meu olhar pousou em Lauren para a sua cara. Ela estava a segurar o seu lábio superior com os dentes com os olhos nervosos enquanto me encaravam.

—Bom, nesse caso, terá o castigo que merece. Por ter saído de seu quarto depois da ultima refeição quebrando as regras, entrando em outro dormitório e por ter me desrespeitado segundos atrás e principalmente por ter beijado uma menina. — A Sra. Vilma falou.

Eu apenas estava ali sentada sem saber o que fazer e falar, perguntando-me o que raio ela lhe poderia fazer. Olhei para a Lauren mas ela estava a olhar para a Sra.Vilma, e o meu olhar seguiu o dela encarando a mulher a nossa frente. Ela estava fixada entre mim e a Lauren. Por fim ela falou:

— Coloque as algemas nela por favor.

Dois seguranças pegaram Lauren um de cada braço colocando seus braços para atrás. Eles rasgaram a parti de cima de seu uniforme expondo tudo o que estava acima da sua cintura. A minha respiração foi interrompida enquanto eles a puxavam para a frente, empurrando ela para o chão, de modo a ela ficar de joelhos.

A Sra.Vilma levantou-se e a minha respiração preencheu-se quando eles tiraram as algemas do bolso, trancando um par para cada uma das suas mãos, ligando os seus pulsos aos espaços padronizados nas bordas da mesa da Sra Vilma.

— O que vão fazer? — Perguntei. Mais ninguém me respondeu me deixando ainda mais apavorada. Sra.Vilma pegou uma longa vara da gaveta de sua mesa o que me deixou assustada. Não era uma simples vara, era um chicote. —Vai chicota ela? —Falei quase gritando com minha voz ficando turva por conta do choro que estava por vim.
   
— Eu não vou. — Eu quase senti um alivio quando ela falou isso. — Você vai. 
  
 


Notas Finais


Fudeo
que clima tenso
não sei quando irei atualizar ela, como falei no capitulo anterior não tenho dias exatos, mais tentarei atualiza ela o quanto antes <3
Sou insegura com minha escrita, então me digam se ela esta boa, criticas construtivas por favor, sou muito sensível e não consigo lidar com grosseria.
Espero que tenham gostado anjos <3
Beijooooooooos
XCabelloWalk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...