História No Regrets - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Halsey
Personagens Cristiano Ronaldo, Halsey, Personagens Originais
Tags Cr7, Cristiano Ronaldo, Futebol!, Halsey, Real Madrid, Romance
Exibições 111
Palavras 2.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, tudo bom com vocês?
Não pretendia ter demorado tanto para postar esse capítulo, mas acabei ficando ocupada.
Quero agradecer os comentários do capítulo anterior, fico muito feliz que tenham gostado. :D
Teremos meu primeiro momento escrito em primeira pessoa :o e uma surpresinha ;)
Espero que gostem e que eu continue tendo o apoio de vocês.

Boa leitura

:D

Capítulo 2 - 'Cause night is dark and full of surprises


Fanfic / Fanfiction No Regrets - Capítulo 2 - 'Cause night is dark and full of surprises

Quando Lya chegou em casa, encontrou sua amiga Luciana no sofá conversando no whatsapp. As duas eram colegas de faculdade e dividiam o apartamento desde o primeiro semestre do curso.

— E ai? Como foi lá? Suas coisas estavam ok?

— Se eu te contar você não vai acreditar!

— Nossa! Espera ai. – Luciana encerrou sua conversa no celular e voltou toda sua atenção para Lya, que havia sentado a seu lado.

— Me conta, o que foi?

— Bom, o professor não estava em casa, mas quem me recebeu foi o jogador de futebol, Cristiano Ronaldo.

— Ai meu Deus! Mentira! O que o CR7 estava fazendo lá?

— Ele é amigo do professor.

— Sério? Gente, tô pretérita. Mas e ai, o que mais?

— Ah, a gente conversou um pouco, tomei café da manhã com ele. – Luciana a olhava com olhos arregalados e maliciosos.

— Não acredito! Gente... e ai?

— Ah, ele foi bem atencioso e simpático.

— Ele é um gato!

— É, ele é bem bonito.

— Ai, conta tudo.

— Bom, foi isso. Ele disse que o professor vai dar um jantar hoje a noite para ele e os outros que vieram junto e ele me convidou. – Lu abriu a boca.

— Pára tudo! Que babado! O CR7 afim de você! – Lya corou.

— Que ideia, não é nada disso. Ele só foi educado.

— Aham, sei. E ai?

—Ele pediu meu número. – Lya estava com o rosto em chamas, Luciana deixou o queixo cair.

— Eu tô é morta, Brasel! Lya é claro que você deu né?

— Sim.

— Amém! O jantar é hoje? Que horas?

— Às 21.

— Ótimo, temos tempo para arrumar você.

— Eu não sei se vou. Disse a ele que não tenho roupa adequada.

— Você tá louca? Deve ter algum vestido que sirva para a ocasião.

—Não acho que tenha e mesmo se tiver, o que eu vou fazer lá? É loucura tudo isso.

— Lya, loucura é você ficar em casa. Ele tá afim de você, to sentindo isso. Não desperdiça essa chance.

— Ele não está afim de mim. Quem sou eu?!

— Você é Lyanna Sampaio. Pode não ser rica e famosa, mas é linda e tem um ótimo coração, além de ser um amor de pessoa. – Lya soriu, mas não estava convencida.

— Não vou.

— Vamos fazer o seguinte, entra, faz suas coisas e lá pelas 18 horas a gente olha o seu guarda roupas, se não tiver nada adequado, beleza. Ok?

— Ok. Com quem estava conversando?

— Ah, com o carinha lá.

— Lu, por que faz isso?

— Isso o que?

— Trair o Flavio. - Lu deu de ombros.

— Ah gata, sei lá. – sorriu para Lya que retribuiu e saiu.

Foi para o quarto e ficou pensando na amiga, Luciana e Flavio já estavam juntos há quase dois anos e Lu já havia tido pelo menos uns três ‘carinhas’ desde então. Ela alegava que não podia colocar a mão no fogo pelo namorado, mas Lya não conseguia entender aquilo. Estava há um mês sem muitas notícias de Alan, seu namorado, tinham dado um tempo, mas ainda não tinham conversado realmente a respeito e Luciana lhe dizia que não tinha porque ela se prender a isso, já tinha dado o que tinha de dar, ‘vai curtir Lya’, ela dizia frequentemente. Lya concordava, mas a verdade é que lhe faltava coragem para viver novas possibilidades.

Arrumou seus livros, fez alguns afazeres domésticos e então anoiteceu, enquanto olhava as redes sociais, chegou uma mensagem no whatsapp, era do português. Lya arfou, ele queria saber se ela realmente iria ao jantar. Luciana entrou no quarto.

— Lya, já são 18 horas. Vamos olhar suas roupas? Que foi?  - Perguntou ao ver que Lya tinha a expressão assustada.

— O Cristiano acabou de me mandar uma mensagem. Quer saber se eu vou. – Luciana riu.

— Estou te dizendo, essa alma quer reza.

— Ai Lu,sabemos muito bem que tipo de reza é essa. – Luciana revirou os olhos.

— Ai Lya, e se for, qual o problema? Quando foi a última vez que você se aventurou hein? Pode ser errado o que eu faço com o Flavio, mas sei lá, eu vivo, dou a cara a tapa.

— Tá, eu sei. Não vamos entrar nesse meu mérito, vamos olhar minhas roupas. – Lu sorriu, já era uma pequena vitória.

Reviraram o guarda roupas e três vestidos foram colocados em cima da cama, todos eram curtos, um pouco acima dos joelhos e justos no corpo, um era preto com detalhes em branco, o outro era lilás com mangas compridas em renda, no estilo boho e o último era rosa sem mangas , com aplicações brilhosas no mesmo tom do tecido nos ombros e colo, marcando ligeiramente a cintura e terminando numa saia um pouco rodada estilo anos sessenta.

— São ótimas opções. – Lu falou.

— É, acho que sim.

— Respondeu a mensagem dele?

— Não.

— Então por que não responde com fotos dos vestidos e pergunta qual fica melhor?

— Acha que devo fazer isso? – Lya parecia insegura.

— Por que não? Ele entende de moda, tem bom gosto.

Lya então fotografou as peças e mandou para Cristiano, perguntando qual ficaria melhor para o jantar. Depois de alguns minutos ele respondeu dizendo que os três eram muito bonitos, mas o rosa deveria ficar perfeito no corpo dela. Lya corou ao ler a mensagem, mostrou a Luciana que sorriu maliciosa, experimentou o vestido e decidiu ir com ele mesmo. Cristiano mandou outra mensagem perguntando se ela já havia decidido, Lya respondeu que sim e disse que iria com o rosa. Começou a se arrumar e optou por um sapato alto preto, maquiou-se marcando bem os olhos claros e pediu a Lu para fazer uma trança grega lateral, perfumou-se e pediu o táxi.

— Você está tão linda amiga, vai arrasar!

— Obrigada.

— Curte essa noite Lya, se joga! E não esquece, a noite pode ser escura, mas é cheia de surpresas e algumas podem ser boas. – piscou para a amiga que revirou os olhos.

— Tá certo.

 

Durante o percurso até a casa do professor Ulisses, Lyanna sentia-se tão nervosa que vários pensamentos passavam por sua cabeça, dentre eles, o de pedir ao motorista que voltasse. Ela simplesmente não conseguia digerir o que tinha acontecido naquela manhã e o que estava acontecendo agora. Como ela, uma garota simples, tinha conhecido o famoso e grande craque Cristiano Ronaldo e como ele poderia estar tão interessado na presença dela? Eram questões que lhe pareciam bastante difíceis de ser respondidas. Imaginou que se ele estava interessado, deveria ser em tê-la por apenas uma noite, era assim que os jogadores de futebol se comportavam, pelo menos essa era a fama e ele não deveria ser diferente. “Deixarei claro que esse tipo de divertimento, não posso oferecer, não consigo”, pensou.

Finalmente o táxi chegou ao seu destino, Lya pagou a corrida e desceu, ficou alguns segundos na calçada respirando fundo, tentando criar coragem, sabia que ficaria deslocada e talvez o português nem lhe desse atenção.

— Droga! Estou aqui querendo a atenção dele?! Fala sério! – suspirou e tocou a campainha.

 

Lyanna Pov’s On

— Lyanna, seja bem vinda! Está linda!

— Obrigada professor.

— Venha querida, entre, estávamos esperando você.

Eu assenti e sorri sem graça, o professor fez um gesto com a mão para que eu entrasse primeiro, assenti e logo estávamos na sala. Vi três pessoas que não conhecia e Giulianne, a namorada novinha do professor, ela é uns três ou quatro anos mais nova que eu, enquanto o professor está na casa dos sessenta. Foi uma polêmica na família dela quando souberam do namoro, não queriam aceitar a diferença de idade, mesmo sabendo que eles se amavam e que ele a tratava muito bem. Já estão juntos há cinco anos e só recentemente os pais dela voltaram a procurar um contato. Fiquei muito feliz pela Giulianne, ela é uma ótima pessoa e acho eles dois um casal muito fofo.

— Amigos, essa é minha aluna Lyanna Sampaio. Estes são Raul Medina, Carlos e Adriana Peixoto. – o professor me apresentou, eu corei um pouco mas sorri e os cumprimentei.

— Boa noite. – eu disse e eles responderam em uníssono.

— Lya, desculpe não ter estado aqui de manhã. Espero que o gajo tenha sido uma boa companhia. – ele piscou e eu me senti um pouco constrangida.

O professor Ulisses era o típico malandro carioca, boêmio e muito inteligente. Adorava fazer saraus e nos encher de bons vinhos, alguns alunos diziam que ele era o mais fiel discípulo de Baco, por nunca deixar faltar sua bebida  e histórias da sua vida, e olha que eram muitas e em quase todas, havia mulheres bonitas no meio, era quase que um Bond, só que ao invés de um revólver, ele sempre andava com uma bengala, na juventude, enquanto fugia da polícia na ditadura, pulou um muro e caiu em cima de uma cerca, machucou uma perna e ficou com esse ‘presente’, como ele dizia, mas a verdade é que a bengala de carvalho lhe dava um certo charme.

— Ele foi muito educado. – consegui responder

  — Ótimo. Amanhã podemos marcar para que eu veja seu trabalho.

— Ah, ok.

— Bom, eu vou sentar ali, fique à vontade, você é de casa. – piscou e sorriu e saiu.

Eu fiquei ali olhando para os lados, até que Giulianne veio falar comigo.

— Lya, você está uma princesa!

— Que exagero! Você está linda! – e ela estava, na verdade ela é linda.

— Obrigada. Ei, ali tem petiscos e bebidas, fique à vontade.

— Ok. – fui até a mesa que ela havia indicado e reparei em quanta coisa que lá havia. Uísques de vários tipos, sei lá, não entendo disso, cervejas e até cachaça, achei o vinho e estava bem geladinho, do jeito que mais gosto. Enquanto me servia reparei que uma pessoa se aproximava, virei para ver e era Thábata, a filha do professor, uma garota de dezesseis anos e com uma cabeça de trinta ou mais, adoro essa menina.

— Lya!

— Oi! – nos abraçamos e ela me elogiou, fiquei sem jeito e retribui a gentileza, ela se serviu de salgadinhos e nos sentamos num sofá.

— Ele me falou que você vinha.

— Ele quem?

— O Cristiano Ronaldo, oras. Também disse ao papai que adorou você.

— Ah. – aquilo estava estranho.

— Caprichou na produção para ele?

— O quê? Não, eu só, a Lu quem fez essa trança, não é nada demais. Além do que, é um jantar né, eu tinha que vir mais ou menos. – ela riu e disse.

— Bom, não sei se você se arrumou para ele, mas ele se vestiu pensando em você.

— O que quer dizer? – o que tinha de errado com aquelas pessoas? Pareciam estar criando um clima impossível entre aquele jogador e eu.

— Logo vai saber. – sorriu enigmática e eu achei melhor me servir de uns salgadinhos também. Quando estava colocando alguns em um prato, senti um cheiro maravilhoso encher minhas narinas e não era da comida, me virei e olhei para a escada, percebi que alguém vinha descendo e era ele. Estava divino com uma calça clara, camisa de um tom rosa claro e blazer marinho com um lenço na lapela, os sapatos estavam muito bem engraxados ou haviam acabado de sair da loja, eu não tinha como saber, os cabelos estavam com aspecto molhado que poderia ser do banho ou do gel, mas ele estava lindo, incrivelmente lindo.

Cristiano ainda descia a escada quando me viu e sorriu larga e lindamente, eu sorri também porque era impossível não ver aquele sorriso e não sorrir de volta, era como um imã, ou sei lá o que. Ele veio até mim e falou comigo.

— Oi Lya. Está lindíssima.

— Oi. Você já sabia que roupa eu usaria. – brinquei e ele sorriu, em seguida me olhou dos pés a cabeça e falou.

— Uma coisa é ver por foto, outra é ver ao vivo e eu sabia que ficaria perfeito no seu corpo. – nem preciso dizer que corei, ele sorriu e pegou minha mão, eu puxei de volta e me sentindo boba, decidi me desculpar.

— Está suja de salgadinho. – que vergonha!

— Tudo bem. – ele sorriu. Começou a se servir também e eu fiquei pensando se o esperava ou não,  decidi voltar para o sofá.

— Eu, estou sentada ali. – apontei para onde Thábata estava.

— Ok.

Quando sentei queria estar morta, eu não sei que frio era aquele que insistia em não deixar minha barriga. Thábata sorria.

— Ele está lindo né?

— Sim.- ele estava divino.

— Não reparou em nada? – eu havia reparado em muitas coisas e todas me assombravam, mas precisava ter certeza do que ela se referia.

— O que?

— A roupa dele. – além de muito bonita e com certeza equivaler ao PIB de um país pequeno, ah sim, ele estava combinando comigo!

— Ah. – foi o que consegui falar, ela riu e ele sentou em uma poltrona em frente a nós, sorriu e começou a comer.

A profecia de Lu estava certa, a noite estava cheia de surpresas, eu logo saberia bem.

 

 


Notas Finais


E ai o que acharam?
Até o próximo

xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...