História No regrets, just love - 2 Temporada. - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katy Perry, Orlando Bloom, Rihanna
Personagens Katy Perry, Orlando Bloom, Rihanna
Tags Amizade, Amor, Brigas, Fenty, Katyanna, Katycat, Katyperry, Navy, Rihanna, Rihannafenty, Rihkaty, Romance, Suspense
Exibições 149
Palavras 2.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey ..

Boa leitura :)

Capítulo 17 - Nada está como antes


POV KATY.

 

— Robyn Rihanna Fenty, com ferimentos a bala, possivelmente com um ou mais órgãos atingidos. - Exclamava me tirando do lado de Rihanna. — Os batimentos dela estão fracos. - A paramédica falava calma, mas eu podia sentir a aflição em sua voz, fazendo ficar mais nervosa ainda.

— Pulsação 80 e diminuindo, pressão 75 por 40, pulso filiforme. - Outro paramédico exclamava.

— Ponha o respirador dela imediatamente. - Exclamava ela. —Pulsação 75. - Exclamava preocupada.

— Acompanhe a respiração. - Um dos paramédicos pedia.

Meus olhos acompanhavam o que estava acontecendo, mas era como se eu estivesse fora de mim, o medo de perder a Rihanna dominava meu corpo.

— Ela está com taquicardia. - Falava a paramédica.

— Nós não vamos perde-la, vamos Rihanna. - Falava com tom de voz calmo.

Fechei meus olhos pedindo para que tudo desse certo e que logo Rihanna estaria bem e todo aquele inferno ficaria para trás. Chegamos no hospital Rihanna logo foi levada para dentro de uma sala.

— A senhora não pode entrar, desculpe. - O médico falava com um sorriso fraco nos lábios segurando meu ombro.

— Eu quero ficar com ela. - Exclamava limpando minhas lagrimas.

— Não tem nada que você possa fazer, agora é com a gente, eu dou notícias logo que possível. - Me deu as costas entrando rápido na sala.

Sentei em uma poltrona que ali estava, todos no local me olhavam com curiosidade, cada segundo que passava pareciam ser horas, eu não aguentava mais ficar sem notícias dela, cada segundo que passava minha aflição aumentava, já eram quase 1 hora da madrugada, a mais de uma hora eu não tinha notícias de Rihanna, aquilo estava me matando.

— Srta. Katheryn. - Exclamava o médico saindo da sala.

— Sim, como ela está? - Perguntei me levantando rápido da poltrona.

— As condições de sua esposa são bastante críticas. - Me olhava cautelosamente. — A nossa equipe está toda com ela nesse momento estam....

— Eu posso vê-la? - O interrompi.

— No momento não, estamos tentando estabilizar seu estado clinico e assim que possível você poderá vê-la. - Respondeu.

— Como assim estabilizar? Ela não está estável? - Perguntei nervosa.

— Um dos tiros acertou o pulmão, o fígado também foi afetado, ela perdeu muito sangue. - Explicou.

— Ela vai sobreviver? Por favor, me diga que ela vai sobreviver. - Olhava em seus olhos em forma como se estivesse pedindo por piedade.

— Estamos fazendo todo o possível. - Exclamou. — Vá para casa, tome um banho, tire essas roupas sujas, tente relaxar, infelizmente não tenha nada que você possa fazer por sua esposa no momento, quando você voltar espero ter boas notícias para você. 

— Eu não vou deixa lá sozinha. - Falei.

— Eu prometo que nos cuidaremos dela, ela vai precisar de você bem quando estiver estabilizada. - Falou me dando as costas.

Senti uma pontada no meu coração com suas palavras, eu não sabia como a Rihanna iria me receber, não depois daquela noite, não depois de eu ter visto ódio em seus olhos. Decidi fazer como o médico havia falado, eu não poderia passar toda a madrugada ali todo suja de sangue. Caminhei em direção a saída do hospital e para minha sorte haviam taxis disponíveis, entrei em um deles e fui em direção a minha casa.

— Katy. - Rose exclamou espantada assim que me viu abrir a porta.

— Rose. - Comecei a chorar antes mesmo de pôr o pé dentro de casa.

— O que aconteceu? - Foi em minha direção me abraçando forte.

— A Rihanna, ela... - Comecei a falar, mas fui interrompida pelo meu choro.

— Meu Deus, o que tem a Rihanna, o que aconteceu? - Perguntou novamente. — Vem senta aqui, vou buscar um copo de agua para você. - Me guiou até o safa indo em seguida em direção a cozinha.

— Obrigada. - Agradeci pegando o copo de agua de sua mão.

— Respira, e me conta o que houve, você saiu daqui com o Orlando. - Falou passando a mão em meu rosto na tentativa de me deixar calma.

— Então. - Respirei fundo. — Orlando e eu fomos jantar e sem saber ele escolheu o restaurante da Rihanna. - Expliquei.

— Meu deus, não me diga que eles brigaram e aconteceu uma tragédia. - Me encarou.

— Não, Rihanna nem falou com a gente. - Falei tentando ficar calma. — Durante o jantar, quatro bandidos entraram no restaurante, teve uma troca de tiros e a Rihanna foi baleada e.... - Deixei novamente as lagrimas rolarem em meu rosto

— Katy, eu sinto muito. - Me abraçou.

— Ela está no hospital nesse momento correndo risco de vida, eu não posso perder ela Rose, eu não posso. - Chorava feito uma criança nos braços de Rose.

— Ei, olha para mim. - Segurou meu rosto. — Você não vai perde-la, vai ficar tudo bem, você vai ver. - Me abraçou novamente.

— Eu não vou aguentar perder ela para sempre. - Falei.

— Vou preparar um banho para você, você tem que relaxar um pouco. - Levantou indo em direção ao banheiro. Fiquei sentada por alguns segundos e logo em seguida fui em direção ao quarto de Alice que dormia feito um anjinho, entrei sem fazer barulho para observar seu sono um pouco.

— Eu te amo tanto minha pequena. - Beijei sua testa cobrindo seu corpinho.

— Mamãe. - Ouvi a voz sonolenta de Alice.

— Oi meu amor, a mamãe está aqui, volta a dormir. - Passei a mão em seu rosto vendo-a fechar os olhos novamente.

— Seu banho está pronto. - Rose sussurrou na porta.

— Obrigada. - Sorri fraco me levantando. — Muito obrigada. - Beijei sua bochecha passando por ela indo em direção ao banheiro.

 

 

No outro dia eu levantei antes do nascer do sol, coloquei a primeira roupa que vi na frente, minha cabeça e meu corpo pediam por mais horas de descanso, mas eu não iria deixar a Rihanna sozinha naquele hospital, eu não ia deixar a Rihanna sozinha nunca mais.

— Bom dia. - Rose falou da cozinha assim que me viu.

— Bom dia, obrigada por ter ficado aqui. - Me aproximei dela dando um abraço.

— Imagina, eu não deixaria você sozinha no estado que estava. - Respondeu. — Fiz seu café da manhã.

— Obrigada, mas estou sem fome. - Exclamei. — Será que você pode ficar aqui com Alice enquanto eu vou no hospital saber notícias de Rihanna? - Perguntei.

— Claro, sem problemas. - Respondeu com um sorriso nos lábios.

— Mamãe. - Ouvi a voz sonolenta de Alice se aproximar.

— Oi minha pequena, bom dia. - A peguei no colo dando um beijo em sua bochecha.

— Mamãe, o que aconteceu com a mamãe Rih - Perguntou. — Ela tá no hospital? -

Às vezes eu esquecia o quanto Alice era inteligente.

— Está meu amor, mas ela vai ficar bem. - Respondi sem falar muita coisa.

— Eu quero ver a mamãe Rih. - Fez bico.

— Hoje você não pode meu amor, mas depois eu levo você, prometo. - Respondi ajeitando seu cabelo atrás da orelha.

— Quem quer panquecas? - Rose perguntou mudando o assunto.

Alice ficou com Rose e eu aproveitei para finalmente ligar para os pais de Rihanna e avisar sobre o acontecido, em seguida peguei as chaves do meu carro para ir para o hospital, eu não aguentava mais ficar sem notícias dela.

— Ali, a mamãe já volta está bem? - Perguntei e Alice apenas concordou com a cabeça. — Obrigada. - Sussurrei para Rose que abriu um sorriso largo. Dirigi rápido em direção ao hospital, eu só queria saber se ela estava bem e se estava fora de perigo.

— Bom dia. - Exclamei assim que me aproximei da recepcionista. — Eu sou esposa da mulher que deu entrada aqui ontem à noite, o nome dela é Robyn Rihanna Fenty, será que poderia me falar como ela está? - Perguntei.

— Bom dia senhora. - Respondeu. — Eu não tenho muitas notícias sobre pacientes, se a senhora quiser esperar um pouco eu irei chamar o médico de sua esposa.

— Claro, claro, eu espero. - Respondi. Que tipo de pergunta era aquela, obvio que eu ia esperar para falar com o médico, era para isso que eu estava ali. Sentei na poltrona aguardando o médico.

— Bom dia. - Exclamou com um sorriso nos lábios.

— Bom dia, como ela está? Ela está bem? - Perguntei.

— Ela está estável, estamos esperando os resultados de alguns exames, para sabermos como prosseguir, mas ela está bem. - Respondeu.

— Eu posso vê-la? - Perguntei.

— Por pouco tempo. - Exclamou.

Minha barriga gelou, depois de tudo que tinha acontecido eu iria finalmente encontrar a Rihanna sem qualquer tipo de raiva ou magoa, apenas amor e medo de saber como ela iria reagir a me ver. O médico me guiou até uma sala. Ver a Rihanna deitada naquela cama, com tubos de ar ajudando-a a respirar era como uma facada no meu peito.

— Rihanna, meu, am.... e.... eu estou aqui. - Me aproximei pegando em sua mão.  Rihanna abriu os olhos e me encarou com alguns segundos me fazendo gelar, ela não teve qualquer reação.

— Vai ficar tudo bem com você, eu prometo. - Exclamei deixando uma lagrima cair pelo meu rosto. Rihanna puxou lentamente a mão da minha fazendo o nosso contato de acabar.

— Precisamos ir agora. - O médico exclamou. Não disse mais nada apenas segui o médico.

— Ela vai ficar bem, não vai? - Perguntei

— Nós estamos fazendo o possível para isso. - Respondeu. — Olha, os resultados saíram. - Começou a falar.

— E? - Perguntei nervosa.

— Bom, ela tem fragmentos de bala perto da coluna vertebral, se alguns desses fragmentos se mover, ela corre risco de...

— De ficar paraplégica? - Perguntei nervosa.

— É uma possibilidade. - Respondeu. — Nós iremos submeter ela a uma cirurgia para a remoção desses fragmentos, para não correr qualquer risco no futuro. - Exclamou.

— Por favor, não deixa que nada de ruim aconteça com ela. - Pedi.

— Ela está em boas mãos. - Sorriu em despedida e saiu, voltei para a sala de espera, eu só iria sair dali depois de saber que a cirurgia dela tinha sido um sucesso e que ela iria ficar bem. Os minutos pareciam horas, eu andava de um lado para o outro, não aguentava mais aquela situação toda. A imagem de Rihanna puxando a mão da minha não me saia da cabeça, ela estava com muita raiva de mim, e eu não podia tirar a razão dela, eu fui uma total filha da puta com ela nesses últimos meses. Fui até a cafeteria do hospital comer alguma coisa e tomar um café forte e tentar distrair a mente.

— Com licença, você que é a esposa da Robyn Rihanna Fenty? - Ouvi uma voz me perguntar.

— Sim, sou eu. - Respondi encarando um homem na minha frente.

— Bom, eu sou o cirurgião que está cuidado do caso da sua mulher. - Exclamou.

— Como ela está? Como foi a cirurgia?

— Bem, a cirurgia foi um sucesso, os fragmentos foram retirados...

— E as balas? - Perguntei curiosa.

— Bom a do fígado foi retirada também, já a outra, acredite em mim é melhor não mexer nela. - Respondeu.

— Mas e se....

— Não, não se preocupe, não haverá nenhum problema quanto a isso, o preocupante eram apenas os fragmentos. - Explicou.

— Eu posso vê-la? - Perguntei.

— Claro, mas aviso que será por pouco tempo, ela está no CTI, não pode se cansar. - Respondeu.

— Claro, claro, eu entendo. - Respondi.

O cirurgião me guiou até uma sala grande e fria, respirei fundo antes de passar pela porta, eu queria ver a Rihanna, mas algo me deixava insegura.

— Bom, vou deixar você e sua esposa a sós, não demore. - Exclamou ele saindo me deixando sozinha em frente a porta.

— Vamos lá Katheryn. - Falei para mim mesma. Entrei na sala, Rihanna estava encarando o teto, ainda com os tubos ligados em seu corpo, eu não gostava nada daqueles tubos ligados nela.

— Hey. - Sorri me aproximando. — Você vai ficar bem. - Exclamei pegando em sua testa. Rihanna permanecia encarando o teto.

— Rihanna não, não tira é para te ajudar a respirar. - Exclamei assim que vi sua mão tentando tirar a máscara do rosto.

— Sai daqui. - Ouvi a voz falha de Rihanna.

— Rihanna.... - Falei baixo.

— Vai embora. - Pediu novamente com a respiração falha, sua voz era quase inaudível. Porém, meu coração tinha ouvido aquelas palavras muito bem, o que fez ele se quebrar em milhões de pedacinhos.

— Eu te amo. - Falei antes de deixar a sala.

Sai da sala direto para saída do hospital, entrei no meu carro e deixei que todas as lagrimas caíssem, a Rihanna podia estar viva, mas eu tinha a perdido, eu perdi a mulher que amo, e culpa era toda minha, apenas minha, ela me odiava. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, beijos e até mais <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...