História No Ritmo das Ondas (yaoi) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Alexy, Amor Doce, Amordoce, Boyslove, Dakota, Girlslove, Hard, Hardyaoi, Lemon, Mar, Musica, Praia, Romance, Vidaescoloar, Yaoi, Yuri
Exibições 3
Palavras 3.839
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo 2 - Segunda-feira (22022016) - CONTINUAÇÃO


Fanfic / Fanfiction No Ritmo das Ondas (yaoi) - Capítulo 3 - Capítulo 2 - Segunda-feira (22022016) - CONTINUAÇÃO

22/02/2016

-Ei! Não adormeças no meu colo! - Ashley comentou, puxando suavemente os cabelos azuis do rapaz, que estava deitado no chão com a cabeça no sobre o seu colo, fazendo com que abrisse os olhos, a fitasse e rebentasse uma bolha de ar que dez com a chiclete que mastigava. - O novo aluno gosta de ti.

-O novo aluno gosta de mim?

-Okay, talvez não goste de gostar, mas ele acha-te giro. - ela comenta, brincando com os cabelos do rapaz e fazendo pequenas tranças.

-Eu sou giro!

-Que modesto! - Alexy deitou a língua de fora para a rapariga, como uma demonstração da sua alta maturidade. -Apanhei-o a olhar imenso para ti. Ele nem escondeu.

-Não me importa.

-Ele é giro.

-Eu sou melhor. - Tornou a fazer uma bolha de ar com a chiclete e a rebenta-la.

-Estás assim tão irritado com ele?

-Ele estragou-me os headphones... - Ash suspirou, pegando nos phones estragados que se encontravam a lado dos dois, olhando-os. Não havia conserto possível. Uma vez Alexy estragara-os sem querer, mas Ash tinha conseguido compô-los com alguma ajuda de conhecidos do pai, mas daquela vez não havia mesmo solução.

-Mas ele é totalmente o teu tipo.

-E o que é tu sabes?

-Tudo? Literalmente tudo. Até o tamanho do teu...

-Okay! Okay! Sabes tudo! Escusas de continuar.

-... amiguinho. – Continua.

-Ash! - Alexy ergue-se envergonhado, olhando a rapariga com certa raiva. - Já disse para parares!

-Sabias que o do teu irmão é maior que o teu?

-Preferia ficar sem saber!! Para de falar essas coisas!

-Mas eu só estou a dizer verdades! O dele é maior! - Ash ri - Pergunto-me como será o do Dake... - Alexy agarra-a pelos braços, empurrando-a para trás e ficando sobre ela, com ela deitada no chão. Olha-a nos seus olhos castanhos que brilham de forma divertida. Era adorava provoca-lo.

-Tu tens namorado!!! Cala-te com isso! - Alexy cora, não evitando corar ainda mais e relembrar as cenas do outro dia. Escondeu o rosto. Não acreditava que estava mesmo a pensar naquilo.

-Eu sabia que me estavas a esconder algo! Conta tudo. Já! - Ashley proclamou animada, notara que Alexy ficava nervoso quando se falava no novo aluno. Alexy era um bom ator, mas Ash conhecia-o bem demais.

O rapaz olhou-a em silêncio, soltando-a e deixando-se cair deitado ao seu lado, fechando os olhos e respirando fundo de forma a acalmar o seu rosto corado.

-Lembras-te de eu te ter contado o que vi na festa de sexta?

-Lembro-me... AH NÃO!!!

-Yup. O Dakota era um deles. - Ashley caiu na gargalhada no preciso momento em que ouviu a confirmação de Alexy. Aquilo era o destino! Era o destino a dizer que eles os dois estavam destinados um para o outro!

-E já agora conta-me lá o que aconteceu entre ti e o Dake? Como ele te estragou os phones?
Alexy solta um suspiro, sentindo um enorme ódio nascer-lhe do fundo do coração.

-A Putamber apareceu e começou a dar em cima dele quando estávamos à tua procura. Eu estava com pressa e estava decidido a abandonar o soldado para continuar a missão. Quando ele decidiu que não queria ser sacrificado perante um inimigo tão nojento e decidiu agarrar-me... Pelos phones. Ao puxar, como eu estava a ir para um lado e ele para o outro, ao puxar e no meio de toda a confusão. Os phones partiram-se. E depois disso ele vem com uma conversa de "são só uns phones".

-Ele não sabe o quão valiosos aqueles phones são!

-Estou-me pouco a fuder para isso! Ele nem me devia ter tentado impedir de ir embora!!! E agora tenho os phones estragados!

-Bem, temos que ver que era pedir por salvação ou enfrentar a Amber. Acho que qualquer pessoa prefere lutar pela vida do que a enfrentar.

-Mesmo assim!

Fez-se silêncio conforme o som de uma campainha se espalhou por todo o pátio. Era hora do intervalo e agora o som calmo da natureza e o silêncio da ausência de seres humano era quebrado pelo aparecimento do ser humano. De repente todos os corredores, pátio e bar eram ocupados por adolescentes de todas as formas, tamanhos e feitios, que falavam, gritavam, corriam, brincavam entre si, numa barulheira saudável para aquela idade. No meio deles surgiu um rapaz de pele morena e cabeleira loira reconhecível. Dakota caminhava ainda não integrado no meio de tantos alunos pelo pátio, conseguindo avistar ao longe os dois amigos que haviam faltado à aula. Olhou-os durante um bocado, até ver um grupo de alunas aproximar-se cheias de perguntas para lhe fazer sobre o seu pais de origem e sobre si mesmo. Sorriu-lhes e esqueceu momentaneamente os dois amigos.

-Como foi com o Ice? Continua um gelo por fora e um doce por dentro? - Alexy questionou, olhando para Ashley.

-O mesmo de sempre. Esteve a contar-me sobre a última corrida que fez no estrangeiro. Ao que parece esta a ganhar bastante fama por toda a Europa...

-Isso é bom.

-É. Excelente para a carreira dele... - Ash fez um pouco de silêncio, fitando o céu. - Mal posso esperar para que eles compitam cá! Quero muito vê-lo correr a sério! Faz séculos que não corremos os dois, quando ele vem cá só se quer manter afastado das pistas.

-Quando correrem ou ele vier cá correr, avisem para eu ir assistir!

-Obviamente!
Fez-se um silêncio entre os dois que se mantinham a olhar o céu azul com nuvens brancas espalhadas por todo o lado. Estava frio mas era um frio agradável. Aquele friosinho que vinha antes do verão e que ameaçava desaparecer a qualquer momento sem aviso algum.

-Amanhã vais lá a casa?

-Obviamente, a tua mãe está a contar comigo! Não podia simplesmente desiludi-la! - Alexy riu, olhando Ash.

-Dormes lá, sabes disso.

-Se não dormisse, tu e o teu irmão pegavam em mim, fechavam-me no vosso quarto e não me deixavam sair até que eu aceitasse dormir lá!

-É, eu lembro-me quando nós fizemos isso!

-Já não escolheram o nome para a pequena?

-Ainda não. O Armin só propõe nomes de personagens dos jogos. No outro dia veio com o nome Jinx! Jinx!! Quem daria esse nome a um anjo? Os meus pais ainda não aceitaram nenhum dos nomes que eu propus! E também não se decidem com os nomes que querem!

-Hum... Já lhes falas-te de Mary?

-Muito curto.

-Samantha.

-Demasiado longo.

-Laila.

-Parece nome de cão.

-Nicole? Helena? Daisy?

-Também propus esses e eles também não aceitaram. - Ashley bufou pensativa, enquanto procurava lembrar-se do máximo de nomes femininos que lhe era possível. Ia precisar de uma folha de papel...

-Eu vou achar o nome perfeito para ela! Vais ver! Amanhã apareço lá com o nome ideal! - Alexy riu, abanando a cabeça como se não acreditasse, provocando a rapariga.

-Isso queria eu ver.

-Vais ver!

Foram novamente interrompidos pelo toque da campainha anunciando que estava na hora de voltar para as aulas. Rapidamente o pátio e corredores se esvaziou, tendo a maioria dos alunos a dirigirem-se para as salas enquanto falavam entre si.

-Vens para a aula?

-É artes, não é?

-É sim.

Ashley soltou um suspiro preguiçoso. - Vou. - respondeu, esperando que Alexy se levantasse para que ela pudesse fazer o mesmo e ambos se dirigissem para a sala. Este assim fez e foram ambos em direção da sala.

Apressaram o passo e chegaram mesmo a tempo de se esconderem ao ver a diretora sair da sala a sorrir para o professor de artes, fazendo Alexy sussurrar um não e Ash sorrir. Alexy apostava um milhão de euros em como o novo aluno tinha ficado na sua turma. Apertou os phones na sua mão direita e ambos esperaram que a diretora saísse ara entrarem na sala. Tinham sorte no professor que possuíam aquela disciplina, bastante espiritualista, adorava mentes abertas e liberdade de expressão. Atrasos na aula dele não eram problema e confusões eram quase sempre bem-vindas.

Ash caminhou para o seu lugar, mas Alexy cortou caminho para se aproximar de Dakota, pousando os phones estragados em cima da mesa.

-Fico à espera de uns novos. Se precisares que te diga uma marca, sente-te à vontade para perguntar. Sairam uns headphones novos no mês passado que eu ia amar ter. - Alexy ia dizendo, com um sorriso claramente falso e um tom desafiante, deixando os phones em cima da mesa do rapaz de cabelos loiros e saindo para se sentar junto de Ash.

Dakota olhou os phones, olhando de seguida para Alexy e voltando a olhar para os phones e abrindo um pequeno sorriso de lado. Sentia vontade de rir. Levantou-se, pegando nos phones e na sua mochila e foi para a mesa atrás dos dois amigos, chamando-lhes a atenção com cuidado para não ser apanhado pelo professor.

-Eu não vou pagar pelos phones. - Disse mal os outros dois se viraram para trás, pondo os phones estragados na frente de do rapaz de cabelos azuis. Alexy e Ash olharam-se em silêncio e Alexy revirou os olhos.

-Vais sim.

-Vais-me obrigar? Não vou pagar os phones. Vocês os dois devem-me por eu ter mentido à diretora para vos proteger. São vocês que me devem favores.

-Oh por favor, cresce e aparece! - Alexy proclamou, revirando mais uma vez os olhos e virando-se para a frente, com Ash a imita-lo até Dakota repetir.

-Eu não vou pagar pelos phones! E se vocês insistirem, ainda mudo de ideias e vou falar com a diretora. E um de vocês vai expulso.

Ashley procurou aguentar o riso, desviando o olhar para fitar Alexy que mordeu levemente o lábio inferior. Ash piscou-lhe o olho e Alexy acabou por abrir um grande sorriso, fitando o loiro.

-Muito bem, vamos resolver isto por um desafio. - Nem Ashley nem Alexy precisavam de palavras para se entender um ao outro. A conversa entre os dois tinha sido perfeitamente compreendida por ambos. Limitava-se a: " Ele esta mesmo a chantagear-nos? " " Ele está. " " Não o vamos deixar sair impune, vamos? " "Obviamente que não" - Se tu ganhares, não tens que comprar uns phones novos ou pagar por eles e nos ficamos a dever-te. Se Alexy ganhar, compras-lhe uns phones novos de qualidade superior aos anteriores. - Ashley propos com um sorriso aberto no rosto, fitando Dakota com um ar animado e divertido, ansiosa para que este aceitasse o desafio.

-Acham mesmo que estão em posição para me desafiar?

-Estás com medo? - Alexy provoca, como era bom provocar. Ver a forma como inocentes palavras, ditas da forma certa acabavam por influenciar imenso uma pessoa, de uma forma tão... Divertida.

-Conta comigo. - Alexy e Dakota apertam as mãos como se dissessem que agora não havia como voltar a trás, tinham aceitado agora precisavam de levar aquilo até ao fim.

-Sexta feira, às três da tarde, no fliperama. - Ashley anunciou ao dois rapazes que acenaram em concordância. - Não faltem! Não estejam atrasados!

-Certo. - Os dois disseram e Alexy e Ashley viraram-se para a frente, concentrando-se na tarefa que o professor tinha dado. Estavam a ter desenho e naquele tinham que representar uma flor da forma que quisessem. Apenas tinham que expressar no papel algo que se parecesse com uma flor. Artes era a aula mais importante do dia. Ou uma das mais importantes, uma das poucas aulas às quais eles se dedicavam verdadeiramente, embora naquela disciplina, Ash nem precisasse. Tinha um talento natural para aquilo. Fosse pelo abrangente conhecimento de arte, se pela genética, a rapariga conseguia sempre destacar-se ali. Juntamente de outra rapariga.

-Miss Chloe... Achava que o trabalho era sobre uma flor. - O professor comentou, examinando o trabalho cuidadosamente.

-Tem uma flor. - A rapariga de cabelos azuis, curtos e gorro preto comentou, apontando para uma ponta do desenho, aonde uma pequena flor branca se destacava num canto no meio se sombras e tons negros.

-Hum... O ambiente da flor... A brancura, o brilho no meio de tanta escuridão. A forma como uma flor pode brilhar e reluzir, como se fosse a esperança, a luz ao fim do túnel! Uma ótima representação, não da flor, mas do seu significado, do que ela transmite...

-Certo... Isso tudo 'stor.

- Excelente trabalho miss Chloe! Como sempre, surpreende-me. - A rapariga apenas deu um pequeno sorriso, voltando a olhar o seu trabalho enquanto o professor seguia em frente para ver os trabalhos dos restantes alunos. Alexy e Ashley entreolharam-se e Ash sorriu, abanando a cabeça num ar divertidoe levantou-se para ir observar o trabalho de Chloe, e falar um pouco com a mesma. Alexy por sua vez decidiu acabar com um certo incómodo.

-Se é para ficares a observar-nos mais vale que tires uma fotografia, que dura mais. - Alexy comentou, virando-se para trás, para Dakot, que fazia algum tempo que os olhava em silêncio. O mesmo sorriu levemente, pousando o lápis e fitando aqueles intrigantes olhos rosados.

-Prefiro o original.

-Lamento informar, o original já tem dono. - Alexy encheu e rebentou uma bolha de ar de chiclete, antes de abrir um sorriso e se virar para a frente. Não demorou até que Dakota abrisse um sorriso de lado e voltasse a concentrar-se no seu trabalho.

O tempo passou a correr, incrivelmente rápido para uns, vagarosamente lento para outros. De repente a atenção de todos os alunos é roubada pelo toque da campainha que soava por toda a escola, anunciando que as aulas haviam acabado. Quase que de imediato de ouve o som de livros a fechar, canetas a entrarem no porta-lápis, vozes, passos, cadeiras a serem arrastadas, casacos a roçarem contra as mochilas e em segundos todos aqueles som se perdiam numa barulheira harmoniosa dos alunos a saírem das salas e a passearem pelos corredor, rumo ao portão de saída ou à cantina para irem almoçar.

Alexy arrumou o seu material e o de Ash que falava com mais alguém na turma ou com o professor, ele já nem sabia ao certo. Pegou nas mochilas de ambos e aproximou-se da porta e pondo-se a procurar a rapariga com o olhar. Estava a falar com o professor. Olhou-a, paciente, despedindo-se de alguns colegas que passavam por ele. Ashley por fim despediu-se do professor, aproximou-se do paciente amigo, pegando na sua mochila e pondo o seu braço em redor da cintura do mesmo enquanto este punha o braço por cima dos seus ombros e saiam assim os dois juntos da sala.

-Onde está o Armin? - a rapariga comentou mal puseram os pés fora do portão da escola, olhando para os lados.

-Ele tinha saído na frente para ir buscar o carro... Está ali! - o rapaz exclamou apontando para um carro, uns metros à frente. Os dois aceleraram o passo até ao carro, entrando Ash no lugar da frente e Alexy no lugar de trás. Armin já se encontrava no volante.

-Oi Armin. - Ash comentou, depositando um pequeno beijo no rosto do rapaz.

-E eu, em uns minutos, acabei de receber o que todos os rapazes desejam. Um beijo da nossa gloriosa Deusa da rebeldia. - Armin comenta, com uma expressão dramática que lhe ficava extremamente engraçada.

-Exagero.

-Quem te ouvir dizer isso ainda acha que és um mulherengo, mano.

-Tenho que tentar a minha sorte.

-Porque não tentas com Dajan, então? - Armin virou-se para trás, olhando Alexy com um ar irritado, mas sem ser levado a sério devido às bochechas coradas. Virou-se para a frente sem dizer muita coisa. Alexy conseguia ouvi-lo respirar fundo.

-Mas vamos ao menos admitir que a Ash é desejada por todos os rapazes da escola. - Comentou numa tentativa de voltar ao assunto original e deixar aquele de lado. Alexy e Ash sorriram e cederam.

-Mentira. Os dois rapazes mais giros e interessantes da escola jogam na minha equipa. - Ashley comentou, fazendo um pequeno beicinho.

-Não insistas muito, olha que por ti viramos héteros em dois segundos.
O grupo riu-se e decidiu-se em arrancar e irem para casa saborear um bom almoço antes das aulas da tarde. Com Armin ao volante, não demorou muito a chegarem a casa dos gémeos ao ritmo de uma boa música eletrônica de Alexy. Saíram do carro e Alexy imediatamente puxou Ashley para perto de si.

-Alexy, tratas do almoço? Quero mostrar algo para a Ashley! - Nem deu tempo ao irmão de responder, puxando apressado a rapariga atrás de si.

Os gémeos viviam numa vivenda de um só andas, mas larga. Quando se entrava pela parte, entrava-se num longo corredor logo para a direita e para a esquerda com uma porta que dava a um escritório mesmo em frente da porta de entrada. Do lado direto, ao fundo, o corredor curvava-se para a esquerda, dando lugar a dois quartos, cada um a pertencer a cada gémeo. O quarto na esquerda era de Armin e o da direita e Alexy. Ainda do lado direito do longo corredor havia uma porta no fim deste que dava à cozinha. Do lado esquerdo do corredor, no seu final ele dividia-se para a direita e para a esquerda. Em frente no corredor havia a sala de jantar, do lado direito a uma saleta com um sofá e TV, e o quarto dos pais, com uma casa de banho la incluída. Do lado esquerdo havia duas portas, uma para a casa de banho e outra para a o quarto das visitas.

Alexy puxou Ashley para o seu quarto, apressado, fazendo-a sentar-se na cama e puxando o computador portátil. O seu quarto não era muito grande e nele predominava a cor azul. Notava-se, mal se entrasse no quarto, que o mesmo apreciava música, devido à enorme quantidade de CD's, disquetes, cassetes, discos de música, às enormes colunas e diferentes aparelhos musicais. Também tinha ali uma guitarra que pertencia ao pai do rapaz a enfeitar, pois Alexy não sabia tocar o instrumento...

-Ouve isto - Disse, puxando o computador portátil para junto da cama e entregando uns headphones a Ashley, carregando de seguida no play.

... Mas sabia trabalhar muito bem a música. Confirme ia ouvindo, um sorriso ia-se iluminando no rosto de Ashley que gostava do que ouvia, começando a mexer a cabeça ao ritmo da música. Podia ouvir os altos e os baixos, o estilo "robótico" da música, um tanto futurista que dava vontade de dançar e mexer o corpo. Era impossível não adorar aquilo. Até que a música parou.

A rapariga tirou os phones dos ouvidos, abraçando o rapaz maravilhada.

-Ainda só tenho dois minutos, mas estou a caminhar rumo ao sucesso.

-Alexy, está incrível! Podias meter inveja aos melhores com esses dois minutos aos melhores dos melhores. E pensar que fizeste tudo isto sozinho!

-É. Ainda preciso de treinar mais e dedicar-me mais à melodia.

-Mesmo assim! - Abraçou-o de novo - Quem diria. Sou a melhor amiga de um futuro músico famoso!

-Não exageres!

-Qual exagero, qual que! Viste bem o que fizeste? E eu já ouvi as tuas misturas de música e trabalhos de DJ cá em casa! Agora só te falta seres lançado ao mundo.

-Ainda não sou bom o suficiente, Ash!

-Tretas! És bom até demais! Vamos ter que te apresentar ao mundo. - Ash subiu para cima da cama, fechando a mão em punho e colocando-a em frente da boca como se segurasse um microfone. - "DJ Alexy aqui com vocês! Preparados para boa música? Vamos começar a festa!!!" e nesse momento todos gritavam! - Pondo uma mão junto do ouvido, começou a repetir os gestos que Alexy fazia quando estava a misturar e trabalhar músicas - E ai tu punhas a música a dar e era loucura, as pessoas gravam, poem no youtube. Cada vez pedem-te para ires a mais festas e quando deres por isso tens um palco só para ti com milhões de pessoas! É o caos, a loucura da música eletrônica! Todo o mundo enlouquece! E mesmo na fila da frente, mesmo em frente ao palco vou estar eu! - Ash deixou-se cair na cama com um sorriso nos lábios e um olhar infantil e sonhador, sentindo o seu corpo ser lançado milímetros para o ar antes de se estabilizar totalmente na cama e poder olhar para Alexy que estava mesmo do seu lado a sorrir-lhe.

-Não. - Disse num murmuro, beijando-lhe a testa. Ashley gostava daquele carinho. Costumava repetir que beijos na testa significavam que queríamos proteger essa pessoa e cuidar dela. Eram sinal de confiança. - Tu vais estar naquele palco mesmo ao meu lado, a sorrir e a exibires o quão incrível és! Não importa o que aconteça, vais estar sempre do meu lado!

Os dois sorriram e Ash aproximou-se, encostando a sua cabeça ao do rapaz de cabelos azuis, ambos com um largo sorriso no rosto, um brilho sonhador nos olhos e um coração quente e cheio de energia a bater-lhes nos peitos. Estariam sempre lado a lado. Isso era uma promessa que não pretendiam quebrar acontecesse o que acontecesse no futuro. Nada os poderia separar.

-Assim, até fico magoado. Não me excluam do vosso mundo de sucesso. - Armin proclama, aparecendo na porta com ar ofendido. - Não acredito que no auge da fama, te lembras dessa louca ai, mas nem pensas no teu irmão! Traidores. Havia de vos matar à fome! - Alexy e Ashley correm para abraçar Armin, que dramatizava de forma exagerada a ofensa que nem sentia verdadeiramente e sorrindo levemente por ver o irmão e a amiga a mimarem-no e contribuírem para o aumento do seu belo e nada pequeno ego. Ser um campeão em vídeo jogos não deixava o ego de uma pessoa baixo.

- Obviamente que não me ia esquecer de ti irmão!

-Claro que não! Estas sempre connosco na nossa mente e no nosso coração.

-Interesseiros. - Armin acusou observando as caras dramaticamente inocentes dos outros dois faziam, nenhum deles conseguindo aguentar a gargalhada por mais de cinco segundos.

-Mas afinal o que é a comida?

-Um delicioso prato, feito por mim, trazido das nobres e sábias terras orientais, acompanhadas com os animes e mangas, um prato digno dos Deuses, que só os melhores têm a honra de provar.

-Espera ai, tu cozinhaste?!? - Alexy assustou-se. Armin tinha tanto jeito com uma panela como tinha nas compras. Da última vez que o moreno estivera na cozinha conseguira dar totalmente cabo da salada! Uma salada, em que só tinha que lavar a alface, cortar o tomate e ralar a cenoura. E até isso ele arruinara sem que ninguém naquela família conseguisse saber exatamente como ele fizera essa proeza.

-Não. Ele apenas aqueceu os noodles e as salsichas. - Ash, que enquanto Armin falava se adiantara para a cozinha para ver essa proeza, trazia agora a notícia que fez Alexy respirar fundo de alívio e Armin fazer um beicinho aborrecido.

-Meu deus, nem me deixam ter os meus cinco minutos de sucesso. - Proclamou, vendo-se abraçado pelo gémeos e pela rapariga que o faziam rir e o acompanhavam à cozinha para uma refeição rápida antes das aulas da tarde.


Notas Finais


Espero que gostem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...