História Nobody Knows - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 12
Palavras 2.694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Special Happy Birthday Mary


Olá aliens ❤

Capítulo 3 - 0.3


"Ainda sou infantil, não sei bem sobre o amor, mas
Sei sobre a sua grande beleza
Preenchendo o meu coração palpitante
Para mim hoje, e amanhã também. ( Christmas Day - Jungkook & Jimin ) "


História Jikook - 2 anos antes.

Jimin sempre levou a vida com muita ousadia, vivia rodeado de amigos, o bajulando. Nunca se apaixonou e nem pretende se apaixonar um dia, quer viver livre, sem que nenhum homem o enche o saco. Não pretende fazer faculdade e nem perde o seu tempo pensando no futuro, ele só quer viver cada momento, a vida é curta, se ela for triste, a anime, é você quem faz a diferença, é você que domina o seu corpo e mente.

Com apenas 17 anos, Park Jimin sente como se tivesse alguma experiência na vida, passou noites fora de casa, quando discutia com os pais, a rua o acolhia de um jeito que só ele sabe, já passou por dificuldades, problemas com drogas e até mesmo bebidas.

Se Park Jimin é um garoto problema? Eu diria que sim!


- Garoto, eu já falei pra você não voltar mas aqui, tá querendo me trazer problemas é?

- É a última vez, me arruma só essa, vai?

- Garoto, o que você está fazendo da sua vida? volta pra casa e vê se dorme!

- Eu já disse que é a última vez, caramba, você é a merda de um traficante, então me arruma a porra dessa droga e eu não volto mais aqui!

- Aí cara, não tô afim de arrumar confusão, vai pra casa e me deixa trabalhar.

- Droga!

Jimin saiu frustado daquele beco, ele não se aguentava em pé, então foi cambaleando pelo beco, até sair dele por completo e esbarrar em alguém, Jimin estava fora de si, não tinha mais família e os amigos que tinha, não eram os verdadeiros, aqueles que você pode contar pra tudo! Jimin não tinha nada disso, madrugava na rua e sobrevivia de seu porte... sua única companheira naquele momento... a droga!

- Não vê por onde anda? - perguntou Park meio zonzo.

- Ei? você está bem? - perguntou Jeon preocupado, estranhava um menino tão novo, naquele estado deplorável.

- Sai da minha frente, não preciso do seu olhar de pena e nem do de ninguém!

Park continuou a caminhar e Jeon apenas o acompanhou com o olhar, até vê o menino cair a poucos metros de distância dele, correu em direção ao menino e viu que ele se encontrava desacordado. Agarrou em seu corpo gélido e se assustou com a temperatura de seu corpo magro. Mas e agora? Pra onde levá-lo?

[...]

Park Jimin P.O.V's

Acordo me sentindo quente e com algo macio debaixo de meu corpo, estranho, nas ruas não existe mordomias. Olho em volta e estranho o lugar, não era o meu quarto e muito menos um beco qualquer. Era tudo muito bem organizado, limpo, e cheirava a perfume masculino!

Levanto com um pouco de dificuldade, ainda estou com as mesmas roupas sujas e fedidas! Pelo menos não fui torturado ou estuprado, também quem iria querer comer um merda, drogado e doente.

- Sei o que está pensando. - alguém fala da porta, me viro e vejo o mesmo garoto da rua.

- Ótimo! então o que eu estou pensando?

- Onde estou? De quem é esse quarto? Quem é o moreno bonitão a minha frente? - diz enquanto finge contar nos dedos.

- As duas primeiras sim, a última... Não tenha muita certeza.

Ele sorri e eu admito... um sorriso lindo!

- Está se sentindo melhor? - pergunta se aproximando e se senta ao meu lado, na cama.

- Depende, o que exatamente, aconteceu comigo?

- Bom... Nos esbarramos na rua, você foi meio rude pra falar a verdade, mas eu sentia que precisava de ajuda, então quanto eu fui perguntar, você teimoso ignorou e foi embora, mas desmaiou no meio da rua e bom... eu te trouxe pra minha casa, então... bem vindo!

- Me sinto envergonhado.

- Não sinta, faria isso por qualquer um.

- Não tem medo? digo... um completo estranho na sua casa.

- Não! Se sente grato por eu ter lhe ajudado, não faria nada que me irritasse.

- Convencido demais! - ri

- Sua risada é linda, deveria sorrir mais. - falou, até aí percebi que ele me encarava.

-  Se não for incômodo, eu gostaria de um banho. - falei disfarçando a vergonha.

- Claro! você está mesmo precisando, vou pegar algo meu, que dê em você.

- A proposito, me chamo Park Jimin. - me apresentei, lembrando que não nos apresentamos formalmente.

- Jeon Jungkook, aqui. - esticou o braço e me entregou duas peças de roupas.

- E onde ele fica?

- Terceira porta, a esquerda. - disse se retirando do quarto.

[...]

Jungkook P.O.V's

Ele realmente me passa uma insegurança, não sei se ter trago um estranho para a minha casa, foi boa escolha, mas quero saber mais sobre você, sua vida e o motivo para ele está naquele estado, onde o encontrei.

desço e resolvo preparar alguma coisa para ele comer, me pareceu tão magro, pálido, ele realmente tem alguma coisa. Lembro que só o entreguei as roupas e a toalha... esqueci! Subo rapidamente e entro no quarto, pego a toalha no armário e bato na porta do banheiro... sem resposta, bato novamente e recebo o silêncio como resposta, é errado eu sei, mas ele está sem toalha, eu preciso entregar, abro uma frecha da porta e escuto uma voz aguda ecoar pelo banheiro.

- Gyeote meomulleojullae Naege yaksokhaejullae

Son daemyeon naragalkka buseojilkka

Geobna geobna geobna

Siganeul meomchullae

I sungani jinamyeon

Eobseotdeon iri doelkka neol irheulkka

Geobna geobna geobna

Butterfly, like a butterfly

Machi butterfly, bu butterfly cheoreom

Butterfly, like a butterfly

Machi butterfly, bu butterfly cheoreom

Sério isso? Ele canta! Que voz, que afinação, Ele é bom!

- Jimin, licença, mas você esqueceu a toalha e eu trouxe pra voc... - eu vi o meu mundo paralisar em uma raba.

- JUNGKOOK, SAI!

- Desculpa, eu... eu... toma! - estiquei o meu braço e ele pegou rapidamente, escondendo suas partes íntimas.

[...]

- Desculpa pela invasão. - falei assim que o vi descer a escada.

- A casa é sua, quem tem que pedir desculpa, sou eu!

- Não precisa, senta aqui, eu fiz isso. - estiquei o braço, entregando o prato com Lamen dentro, se ficou bom? Hospital será necessário hoje.

- Obrigado! Eu estava mesmo com muita fome.

Fiquei observando Park comer, ele não parecia nada com aquele garoto rude, da rua, ele era delicado, até comendo. Queria muito perguntar sobre a sua vida, mas estava com medo de afetar ele de algum jeito e isso fazer com que ele vá embora... eu não quero isso.

- Eu sei o que quer perguntar Kookie. - adorei o apelido.

- Não quero te machucar.

- Muitas pessoas já me machucaram, não será diferente!

- Eu quero ser diferente, quero saber o que tanto te machuca, por que vive na rua? eu quero poder cuidar de você. - falei sentando na sua frente, vi quando abaixou a cabeça e enxugou uma lágrima, com a palma da mão.

- Por que ajudaria um estranho? Você não tem obrigação com nada, Kookie.

- Porque eu gostaria que fizessem comigo, se eu estivesse no seu lugar.

- Mas você não está e nem nunca estará.

- Conta pra mim, chim Chim.

- Chim Chim?

- Não enrola.

- Quando eu tinha 6 anos, meu pai foi internado em uma clinica de reabilitação para alcoólatra, 2 meses depois, minha mãe ficou com pena e achou que ele melhoraria em casa, então o tirou de lá. Em uma noite, acordei com um barulho de coisa se quebrando, sai do meu quarto e vi meu " pai " bater na minha mãe, eu achei que ela já estava morta, então gritei por ela, meu pai até então, estava virado, mas assim que gritei, ele me notou e então veio em minha direção, eu corri para o meu quarto, mas não adiantou muito, então... - ele chorava.

- Jimin... Não precisa continuar, é sério.

- Bom... desde então, eu comecei a ser estuprado pelo o meu próprio pai, todos os dias, todas as noites, quando completei 17 anos, fugi de casa e eu... eu... me encontrei no mundo das drogas, me tranquei pra tudo e todos. Eu sou um dependente químico, um sem teto, um ser excluído da sociedade, eu não encontro o meu propósito e não sei se algum dia encontrarei, eu não me encaixo nesse mundo, eu vivo na noite, atrás da minha morte, eu procuro por ela todos os dias, é só uma questão de tempo e eu nunca mais viverei nesse mundo sujo.

Fiquei em silêncio por alguns minutos, minha garganta estava fechada, minha boca seca, eu queria chorar?

- Chim Chim, você tem a mim e eu não te decepcionarei.

- Lindas palavras, já ouvi muito isso.

- Eu serei diferente, será diferente.

- Por que? Eu não sou alguém da sua família, ou algum amigo seu, você não tem obrigação comigo!

- Você é mais que isso, acredita em paixão a primeira vista?

- Nem nos conhecemos direito.

- Isso ninguém sabe.

[...]

6 meses depois

- KOOKIE-AH - a felicidade de Park Jimin é nítida, ele corre em direção ao seu namorado, a saudade dele era imensa.

- Senti sua falta, Chim Chim. - ele o abraça tão forte, que foi possível vê um Jimin vermelho.

- A recuperação dele foi um sucesso, temos um Jimin novinho e folha, ele está 100%. - disse a médica e acompanhante de Park Jimin.

- Eu estou bem Kookie, eu estou bem! - disse ele animado, agarrado no pescoço do namorado... agora oficial.

- Eu fico tão feliz por você!

- Bom... tenho que entrar, fique longe das drogas Jimin. - disse a médica brincalhona.

- Obrigado mais uma vez. - agradeceu Jeon e a médica apenas sorriu.

- Bom temos que comemorar.

- Antes, eu queria agradecer Kookie, por tudo, por ter me esperado sair da clínica, por nunca ter desistido de mim e por aceitar quem eu sou, eu nunca tive a oportunidade de lhe falar isso com tanta certeza, mas acho que chegou o momento...

- Chim Chim, não preci...

- Eu te amo...  eu amo você Jeon Jungkook e é tão bom poder dizer isso, finalmente pra você, foi em você que eu encontrei a força para continuar dentro daquela clínica, nosso lance aconteceu tão rápido e eu só quero poder ficar ao seu lado, então eu peço... Não me abandone!

Se Jeon Jungkook tinha palavras? NÃO!

Ele tinha ação!

Em um movimento rápido, Jeon puxa Park pela cintura, colando seus corpos, ambas respirações falhas.

- Eu amo você Park Jimin e por isso repito... Seja somente meu!

Park então sorriu de uma forma tão aberta, fazendo com que seus olhos formem pequenas linhas. Jeon acariciou a maça de seu rosto e sussurrou um " Me beija ", Park então riu, riu tanto que Jeon não achou maneira melhor, de fazer com que o mais baixo cale a boca. Então os dois se beijaram, se beijaram tanto, que ao se separarem, ambas as bocas se encontravam vermelhas... De desejo.

[...]

ALERTA: SMUT

- Você tem certeza disso Chim Chim? - perguntei, eu estava ofegante, esse garoto me cansava.

- Rápido, tem que ser rápido. - ele falava devagar, ofegante...

- Preparado? - perguntei e me posicionei.

- VAI!

Park saiu disparado pela pista do condomínio, corri tentando o alcançar.

- ANDA SEU MOLENGA. - ele debochava e ria bastante.

- Eu te pego Chim Chim.

- Quero só vê.

- Ok... Ok, vamos parar um pouco.

Park parou de correr e voltou, parando de frente para o namorado.

- Não aguentou, amor? - debochou, agachando, ficando do tamanho do namorado, sentado no chão.

- Vamos voltar pra casa, só quero um banho.

- Ok.

Park ajudou Jeon a levantar, Jeon entrelaçou suas mãos e assim caminharam de volta para o apartamento do mais novo.

[...]

- Eu vou subir e tomar um banho, você vem? - perguntou Jeon e encontrou um Park corado no sofá.

- Juntos?

- Algum problema com isso? moramos juntos a 2 meses, acho que já temos intimidade o bastante pra isso, relaxa que eu não faria nada, que não quisesse. - disse parado na metade da escada.

- Pode ir na frente, vou beber água primeiro.

- Ok.

Park sorriu nervoso e seguiu para a cozinha, ele soava frio, confiava em Jeon, mais tinha medo de decepcionar o mais novo, de não ser bom o bastante, ou até mesmo... não ser experiente o bastante, Já que sua inocência foi roubada aos seis anos.

Foi até a pia e molhou a nuca, afastando certas lembranças, respirou, inspirou e então subiu. abriu devagar a porta do banheiro, encontrando Jeon de costas, sentiu seu corpo queimar, ao observar o corpo nu de Jeon molhado, ele queria gravar e gravaria em sua mente.

Tirou lentamente sua roupa e abriu a porta do box, Jeon virou e observou Park corar, sorriu, ele achava aquilo extremamente encantador, o efeito que ele tinha sobre o mais baixo, gostava de dominar!

- Não se preocupe, você é lindo!

Park então sorriu aliviado, se aproximou de Jeon, ficando na ponta dos pés, beijou o queixo de Kook e então fez uma trilha de beijos, até a boca do mais novo, selou seus lábios, Jeon agarrou em sua cintura, colando seus corpos nus, pediu passagem com a língua, o que foi aceita por Park rapidamente.

Os dois então iniciaram um beijo quente, com bastante desejo, Park se sentia estranho, ele queria mais que aquilo... ele queria Jeon Jungkook!

- Por favor Kookie, me dê mais que isso. - implorou e isso fez corpo de Jeon esquentar e sua ereção começou a dar sinal.

Jeon ligou o chuveiro no quente e então virou Park de costas para si, começou uma trilha de beijo quentes pela sua branca e macia... pele, mordeu no local, deixando uma pequena marca vermelha, que no dia seguinte ficaria roxa, virou Park, mordeu seu lábio inferior e desceu uma de suas mãos, até o membro ereto de Park.

Começou a masturba-lo, em movimentos lentos.

- Por favor... Kookie-ah, mais rápido!

- Shiu Chim Chim, eu falo aqui.

Jeon colou novamente seus lábios e aumentou a velocidade de seus movimentos.

- Eu quero que você gema pra mim, Chim Chim.

Park então obedeceu o mais novo e gemeu, sem se preocupar em poupa-los, ele realmente se sentia necessitado daquilo.

- Eu preciso que você faça uma coisa, ajude o seu Daddy.

Park rapidamente entendeu o que seu Daddy pedia e agachou, se posicionando de frente para o membro ereto de Jeon.

lambeu lentamente a cabeça do membro de Jeon, sem mais demora, abocanhou o membro de Jeon de uma só vez, Jeon gemia de prazer e isso fazia Park aumentar os movimentos, agora ele sabia que estava fazendo um bom trabalho. Jeon o puxou pelas coxas fartas de Park, colocando uma perna de cada lado, de sua cintura, a entrelaçando.

- Faça logo isso Daddy, faça de mim, somente seu!

- Eu farei! - sussurrou.

Jeon lambeu dois de seus dedos e lentamente, o enfiou na entrada apertada de Park, o mais baixo gemeu de dor, mas assentiu sussurrando um: " Está tudo bem, continue Daddy ".

- Isso irá doer um pouco, você confia em mim, amor? - sussurrou em seu ouvido.

- Mais que tudo, nessa vida.

Jeon apenas sorriu, segurou em seu membro e o encaixou na entrada apertada de Park, o mais baixo arranhou as costa do mais novo e gemeu, gemeu muito, Jeon aumentou a velocidade das entocadas, gritos eram nítidos ali, sendo abafados apenas por uma porta de vidro e a fumaça do chuveiro quente.

- Eu tô quase lá, Chim Chim.

- Eu vou... ah Kookie.

- Eu... só mais um pou... ah Chim Chim.

Park desceu do colo de Jeon e sorriu, mas sorriu muito.

- O que foi?

- Eu amo você!


Notas Finais


Feliz aniversário amiga, eu amo você e espero que goste do capítulo. ❤

ISA🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...