História Nobody Knows - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 5
Palavras 724
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


meus pais se abraçando.
olhem as notas finais.
boa leituraaaaaa

Capítulo 4 - Let's be kind to who we love.


Na minha Terra, o "bom dia" costuma vir antes de um "eu te amo".

Pk P.O.V.

Acordei com uma luz me cegando, era Thiago me irritando, como sempre. Abri meus olhos, ele estava a centímetros de distância de mim. Logo me levantei, me distanciando mais dele. E, ah, como ele estava lindo, já tinha se arrumado, colocou uma camiseta preta que tinha alguns desenhos, uma calça da mesma cor, rasgada nos dois joelhos, e um boné, que ele estava sempre levantando e mexendo no cabelo. 

– É sério que já vai me acordar assim? - resmunguei, esfregando o rosto. 

– Ah, você é um fofinho dormindo. - disse rindo. 

revirei os olhos, mas ri logo em seguida. 

– Você é um idiota, Thiago Elias. 

– Eu sei, doido. - ele continuou rindo, sem perceber que eu havia parado. Apenas estava vendo cada detalhe de seu rosto, enquanto seu sorriso estava aberto. 

– Bom dia, mangolóides! - Alan saiu do quarto, Maethe veio logo depois, indo diretamente pra cozinha.

– Alan, você precisa ir na padaria! 

– Ah, sério? - reclamou. - Alguém vai comigo! 

– Eu posso ir! - me ofereci. 

– Vamos, Matheus. E os princesos arrumem a mesa. 

Fomos até a pequena garagem de Alan, onde lá estava seu carro, que eu já conhecia perfeitamente. Tantos eventos que já fui com ele. Aquele carro é conhecido por muitos youtubers! 

– Adoro sua casa, Alan, me traz paz! - falei, quando já estávamos quase chegando. 

– Talvez não seja minha casa que te traz paz, e sim alguém que lhe acompanhou até lá! - ele riu de leve. 

– Não entendi. 

– Vai entender quando parar pra pensar. - ele me olhou sorrindo. 

Chegamos à padaria, Alan pegou alguns pães e também uma torta não muito grande. Também pegou alguns salgados que vinham embrulhados em saquinhos parecidos com os antigos. A padaria parecia tão rústica. 

Alan foi pagar. A fila não estava tão grande, até porque era apenas 09:43 da manhã, e vamos combinar, pra um domingo era cedo! 

Entramos no carro novamente. Fui olhando a janela como sempre fazia, adorava ver o horizonte e as paisagens logo de manhã cedo. O sol nascendo, as pessoas acordando e caminhando nas ruas. Fomos o caminho todo sem dizer uma palavra, e eu pensando no que Alan me havia dito. 

Calango P.O.V.

— OLHA AQUI, VOCÊS DECIDAM! - Maethe começou a berrar. 

— Decidam nada! Não vou arrumar a mesa. - Guaxinim parecia bem mais calmo. 

— Meu Deus, gente, que confusão! - Falei, sentando no sofá. 

— Olá gente calma e tranquila, dá pra ouvir os gritos de lá de fora! - Alan, sempre com sua ironia. 

— Tá aí a pessoa que vai nos arrumar a mesa! 

— Já fui na padaria, nem vem! 

— Ai gente, credo, deixem que eu arrumo. - Pk disse com seu humor maravilhoso de sempre. 

Ele realmente arrumou. Nos sentamos na mesa e começamos a tomar café. Todos pareciam mortos de fome, nem abríamos a boca pra dizer uma só palavra. Apenas comíamos. De vez em quando, um olharzinho aqui, uma risadinha lá. Mas apenas isso. 

Pk come tão pouco e em tão pouco tempo, deve ser por isso que está seco daquele jeito. Foi o primeiro a terminar de comer, e se sentou no sofá, olhando pro nada. Logo depois, terminei meu café e fui pro sofá, junto à ele, que vestia um moletom preto e uma calça marrom, com uma touca combinando com seu moletom. 

Pk P.O.V. 

Thiago saiu da mesa e veio se sentando ao meu lado, vi cada movimento que ele fez. Depois que se escorou, olhou pra mim, e fez um gesto de "afirmação" com a cabeça. 

— Que foi? - perguntei. Ele ainda me olhava. 

—Nada. - riu 

Por um segundo, parou de me encarar, mas voltou novamente. Segui sua onda e o olhei de volta, e sorri. 

(...)

Depois disso, nada mais de diferente aconteceu no meu dia. Almoçamos na casa de Alan, e logo vim embora para o meu apartamento, ainda pensando em tudo que havia acontecido entre eu e Thiago, que não foi o suficiente pra eu chegar em algum conclusão. 

Deitei em minha cama, cansado, e só me vinha uma pessoa na cabeça. Adormeci ali mesmo, tendo os melhores sonhos, apenas com uma única pessoaMinha vida era boa, e não parecia mais um sonho. 

Mas fica a seu critério, descobrir o que eu quis dizer com isso. 

 

 

 

 

 


Notas Finais


socorro, eu sumi sim. Me perdoem por isso. eu simplesmente fiquei sem vontade de escrever, mas não parei de shippar nao ta gente, Pklango é minha religião.
favoritem se gostarem, e não me abandonem como eu fiz com vocês, sejam pessoas boas jshdjshd
um beijo na boca de cada um de vocês.
Não esqueçam de conferir minha outra fanfic, "Obsession", também com o Thiago Elias!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...