História Noivo De Fachada - Em Pausa - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Josyanneh

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Nikora "Plue"
Tags Nalu, Sadomasoquismo, Sexo
Exibições 691
Palavras 1.749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem do cap, Boa leitura!

Capítulo 9 - Solução


Aquela foi a melhor noite da minha vida, fiquei observando Lucy dormir em meus braços, ela parecia um anjo, e eu estava encantado, o que estou sentindo por ela eu nunca senti por ninguém, estava fazendo carinho em seu cabelo quando meu celular começa a vibrar, levanto da cama e o apanho, ainda estou nu quando o atendo, visto apenas a minha calça de moletom e vou pra sala.

Mestre me explica que consegui uma vaga de emergência para Lucy no hospital onde trabalha, o pneumologista Gildarts vai atende-la, já ouvi falar desse cara, confirmo a consulta, e volto ao quarto e encontro Lucy acordada mexendo no closet, vou por trás e a abraço, acho que nunca imaginei ser carinhos assim, ainda mas com ela.

- Ei o que faz acordada já está tarde – digo beijando sua bochecha.

- Eu sei, mas acordei sentindo calor e resolvi tomar um banho – diz ela enrolada no lençol, enquanto procura alguma coisa.

- Boa ideia – digo soltando-a, vejo que está com uma de minhas camisas na mão e sorrio.

- Espera, você não vai tomar banho comigo! – ela diz.

- Ah eu vou sim – digo dando risada, já com a box preta e a calça de moletom limpa na mão.

- Não Natsu, eu tenho vergonha – ela diz correndo para o banheiro, corro atrás dela e evito que ela fecha a porta, empurro um pouco a mesma, e ela se afasta me olhando.

- Já fiz mas do que isso Lucy, e vamos só tomar banho – eu digo trancando a porta, o que é totalmente sem necessidade já  que só há nós dois aqui.

- Babaca – ela diz indo ao box e eu dou risada. Tomamos banho, apenas banho. Depois nos deitamos, ela me parecia cansada.

- Você está bem? – ela sorriu pra mim e assentiu com a cabeça

- Você me deixou c-cansada – corou e eu a puxei para um beijo. A vi dormir novamente e me senti mal, pela possibilidade dela ser internada, isso tudo me machuca mas do que imaginei.

Dormi mal aquela noite, tive pesadelos com Lucy, só de imaginar perde-la uma dor tão aguda toma posse de mim que não consigo evitar as lagrimas. Acordei e ela não estava do meu lado, já passa das sete e meia, espero que ela não tenha ido trabalhar, desço apressado, e no meio das escadas a escuto cantarolando baixinho, solto um suspiro aliviado, entro na cozinha sem fazer barulho, e a vejo dançando ainda vestida apenas com minha camisa, a abraço por trás, e ela solta um gritinho dando um pulo, seguido por uma gargalhada que a faz parecer uma criança, ela se vira e me beija, um beijo calmo e carinhoso, despois deposita vários beijos pelo meu rosto, me fazendo rir.

- Bom dia Dragneel – ela diz e se vira, voltando a fazer seja lá o que ela estava fazendo de café, meus braços ainda estão depositados em sua cintura.

- Sabe Heartphilia, você fica muito sexy com essa minha camisa – digo dando-lhe um beijo casto em sua bochecha – Mas, ainda mais sexy sem ela. – digo sacana a fazendo rir e me dar um tapa no braço.

- Pervertido – ela diz rindo.

- Mas você gosta – sussurrei em seu ouvido, e ela corou, a soltei e voltei ao quarto.

Fiz minha higiene matinal, por fim decidi tomar um banho, sai do box com a toalha enrolada na cintura, e encarei o meu reflexo no espelho, me perguntando como contarei a Lucy sobre o a consulta e uma possível internação, mas antes de tudo isso eu tenho que lhe contar sobre a doença, só de pensar nisso me sinto apavorado, e mas uma vez o desespero tomou conta e eu sucumbi as lágrimas. Não sei quanto tempo fiquei chorando sozinho no banheiro, poderia ser só alguns segundos ou horas, mas senti uma calma irrevogável ao sentir os braços dela ao meu redor e sua cabeça em minhas costas, depois de algum tempo assim, sem dizermos qualquer palavra, ela depositou uma beijo em minhas costas nuas, se afastou uma pouco sem me soltar, ergui a cabeça e pude ver seus olhos me observarem através do espelho.

- Conversa comigo – ela pediu delicadamente, eu nada respondi, só encarrei aqueles lindos olhos castanhos, agora um pouco opacos, sua pele branca ainda mais pálida, ela esta mais magra, mestre disse que esses eram os primeiros sinais da doença.

- Natsu por favor – ela suplicou – Me diz o que se passa, por favor. Por favor, eu faço qualquer coisa, só... Me diz como te ajudar – ela diz, me sinto derrotado, vê-la assim me destrói, então assenti, ela saiu do banheiro e fui atrás, por um momento achei que ela estaria me esperando no quarto, mas não, ela está me dando tempo pra me organizar, um tempo que por mas que seja pouco, é necessário, tiro a tolha, e a jogo em qualquer lugar, visto uma box vermelha, jeans black, e uma camisa social azul clara, e vans preto, vou até a parte de Lucy e sigo a recomendação de mestre e deixo uma bolsa de roupas dela pronta, respiro fundo três vezes, bagunço meus cabelos e desço. Hora da verdade.


Lucy Pov’s


Ver Natsu daquele jeito me assustou, era um choro carregado de dor. O mesmo choro que derramei quando o Loke me abandonou. Aquele choro me atraiu de tal forma, foi a mesma coisa ontem a noite, vê-lo sentado no chão daquele jeito, aquilo moveu algo dentro de mim que só me fez querer me aproximar, estar com ele, eu não podia e não iria deixa-lo sozinho, hoje de novo, o pior que nada me tira a certeza que isso tem algo haver comigo, algo que ele realmente não quer me contar. Sou arrancada de meus pensamentos, pelo barulho de passos, olho em direção as escadas o vejo se aproximando, ele esta todo vestido, imagino que vá sair, ele vai até sala e deposita uma chave no potinho que tem ali, uma chave que reconheço, afinal é a minha, ele vem em minha direção, puxa a cadeira e se senta, meus olhos nunca deixando os seus, fico em silêncio esperando ele falar, mas ele não o faz, ficamos assim por longos minutos, até a cafeteira apitar, solto um longo suspiro, me levanto, pego uma xicara, sirvo e coloco em sua frente, vou até o forno e retiro de lá o bolo que fiz, é um bolo de fubá com erva doce, excelente pro café da manhã, simples mas uma delica. Corto alguns pedaços e mas uma vez o coloco em sua frente, vou a geladeira e pego o suco me servido, sinto seus olhos me acompanhar, pego um pedaço de bolo de seu prato e o observo me sentando, ele bebe um pouco de seu café, come um pedaço do bolo, e logo suspira, termina de comer, e coloca a xicara na mesa.

- Lucy – ele começa, mas logo em seguida, para e coça sua nuca, pouso meu copo na mesa e o encaro, suspira novamente e continua – Lembra que ontem o Makarov pediu pra falar comigo em particular? – assenti e dei sinal para continuar – Então, ele disse que a falta de ar foi por causa da batida...

- E isso é bom não é? – o interrompi, se foi por causa da batida não tem porque se preocupar, espera isso quer dizer que todo aquele desespero era porque eu não estou doente? Estreito os olhos pra ele, já ficando na defensiva – Continue.

- Sim isso é bom, mas ele também disse que encontrou alguns vestígios que indicam um possível começo de tuberculose, ou algo assim, e marcou uma consulta pra você hoje a dez – ele disse isso tudo sem me olhar, eu estou em choque, não acredito que estou  doente, não é possível, mas se estou doente, ainda mas essa doença, ele também está.

- E você? – perguntei de repente e ele que me observava se assustou.

- Eu o que? – perguntou ainda me olhando.

- Tuberculose é contagioso Natsu. Se for isso mesmo e você.

- Vou fazer alguns exames hoje também. – ele disse serio, assenti olhei o relógio e estava dando nove horas, me levantei, e ele veio atrás – Aonde vai? – perguntou preocupado.

- Tomar banho – disse sem lhe olhar, estou assustada, céus como estou assustada.

Entrei no banheiro, escovei meus dentes depois fui tomar banho, deixei meu choro rolar junto da água, deixando que ela lavasse não só meu corpo mas minha alma, me senti aliviada depois de chorar, mas sei que o medo ainda esta ali. Saio do box me enrolo na toalha e vou ao quarto, Natsu esta sentado na cama, com uma bolsa perto dele, vou ao closet, pego uma lingerie rosa simples e um vestido longo rosa claro, coloco uma sapatilha branca, deixo meus cabelos soltos, solto um suspiro, pego o lápis de olho, o rímel e um batom rosa claro, e os passo, depois de pronta olhei ao redor, e vejo Natsu escovando os dentes, entro e penduro as toalhas, e começo a sair do quarto, quando ele me agarra e me beija, é um beijo desesperado, que eu correspondo avidamente, nós separamos pela falta de ar, então ele junta as nossas testas, vejo que tem lagrimas nos olhos.

- Eu estou aqui tá – ele diz, levei mão ao seus cabelos, e o beijei novamente não contendo as lagrimas.

- Você vai comigo – perguntei olhando pra baixo – Não quero estar sozinha lá.

- Eu não te deixaria ir sozinha nem que você me mandasse embora. Eu não posso perde-la Lucy – ele me beijou mas uma vez, apanhou a bolsa e desceu, enquanto eu fui lavar o rosto, pois a maquiagem borrou.

Quando sai do banheiro ele me esperava apoiado na porta do quarto, me aproximei e ele me abraçou e beijou minha testa, descemos de mãos dadas, eu nunca imaginei que o Natsu poderia ser tão carinhoso.


Notas Finais


Capítulo feito por Josy... Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...