História Northern Lights (Jren) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias NU'EST
Personagens Jr, Minhyun, Personagens Originais, Ren
Tags Choi Minki, Jren, Junior Royal, Kim Jonghyun, Ren
Exibições 40
Palavras 1.894
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Northern Lights (Capítulo 1)


Choi Minki (Ren/Minki) ~

 

Choi Minki é um garoto de 19 anos. Tem traços delicados e femininos, mas atitude de homem. Terminou o ensino médio em uma escola pública e morou sua vida toda em um bairro humilde. É muito popular com as meninas, embora nem quisesse que fosse assim já que era homossexual.

Mora com seus pais numa casa de 4 peças. Seu pai está com um problema de saúde que o imobiliza e sua mãe não trabalha, ficando difícil de sustentar a família com o pai afastado. Minki, como era chamado pelos mais próximos, está exausto de tudo aquilo. Não quer mais ver os pais daquela forma, afinal ele já tinha idade para se virar. Arrumaria um lugar para morar e trabalhar, nem que isso custasse muito a ele.  Não queria mais dar despesas aos pais, sem que colocasse dinheiro dentro daquela casa.

Ren procurava sempre pelos jornais e andando pela rua oportunidades de emprego. Não havia nenhum lugar que aceitasse seu nível de instrução. Ele tinha apenas ensino médio e nunca pôde pagar por um curso. Além disso, tentou algumas vezes passar com bolsa em algum vestibular, mas não conseguiu. “Se pelo menos eu entrasse em uma faculdade, conseguiria um estágio” pensava.

Até que um dia ele recebe uma ligação. Era uma moça simpática que se chamava Hyuna, queria falar com ele para saber se ele ainda tinha interesse na vaga de mordomo. Claro que tinha, e muito. Aceitou e anotou o dia da entrevista, seria na terça-feira, às 15hrs. Aquela vaga na qual ele se candidatou era a de mordomo na casa do Sr. Kim. Sabia que era em uma mansão e não tinha tanta certeza se conseguiria passar da entrevista, pois se considerava alguém mal arrumado e simples demais para aquele cargo. Com aqueles pensamentos Minki quase desistiu, querendo ligar para a moça e desmarcar a entrevista, mas não o fez. Seu desejo de ter um emprego e ajudar seus pais foi maior, ele tentaria passar.

 

 

Kim Jonghyun~

 

Kim Jonghyun é um homem muito rico e ocupado. Sempre teve tudo o que quis, mas como fruto de muito trabalho e também herança. Vive numa mansão, onde mora apenas ele e seus empregados. Acabara de completar seus 20 anos e havia cansado de ser um cara festeiro como foi pela adolescência. Vivia nas festas, ficando com várias garotas e garotos e levando até em casa. Agora vivia apenas ele sozinho sem que ninguém tivesse saco para aguentar aquele mulherengo cheio de si. Ele também não se envolvia com ninguém de maneira romântica. Tinha pavor de se apaixonar. Apenas ficava, nunca com a intenção de ter algo sério com alguém. Antes de se apaixonar, ele já dava um jeito de se enfiar em outras relações, em cortar contato, enfim.

Seus pais moram na cidade vizinha, resolveram que deixariam o filho se virar até que arranjasse algum juízo. Dentro da mansão havia uma empregada chamada Sara, que era quase como uma avó para ele. Uma senhora muito educada, elegante e gentil, que cuida dele como se fosse da família desde que seus pais o deixaram ali por si mesmo. Há outros empregados na casa, a maioria mulheres que trabalham com a administração dos bens dele, que recebem um salário até decente e alguns benefícios.

 

Mansão do Sr. Kim e seus empregados~

 

Aquela casa era quase como uma empresa, diversas pessoas trabalhavam desde a manutenção, limpeza, organização, decoração, segurança e administração naquele espaço.

A mansão tem um espaço verde de jardim bastante amplo no térreo, onde há também garagem e entrada. Há duas piscinas, uma no térreo e outra no segundo andar, na varanda, em uma parte não coberta onde era possível observar o céu e o restante da casa. Local bastante organizado e limpo, também bem decorado com tapetes, esculturas e quadros. O teto era bastante alto e os móveis caríssimos e confortáveis. Na mansão há quartos para os empregados, todos eles moram neste local.

Os empregados têm direito a férias, a todas as refeições dentro ou fora da casa, além de água, luz e telefone inclusos. Seus salários eram bons e tinham seus momentos de folga.

Hyuna cuida da parte de RH da empresa e da recepção, junto com mais 4 colegas.

Francis é o senhor que cuida da equipe de cozinha. Ele é chef de cozinha e comanda toda a equipe para que eles preparem os mais maravilhosos pratos para as refeições do Sr. Kim.

A sala de jantar é bastante ampla, com lustre e mesa comprida com diversos lugares, apesar de não serem ocupados na maior parte do tempo. Dificilmente a sala de jantar está cheia quando Sr. Kim está por lá. Os empregados adotaram um comportamento, embora não tenha sido exigido, de comer ali somente quando ele está em outro lugar, para não o incomodar. De alguma forma, eles tinham respeito por ele e também algum medo de perder seus empregos. Sr. Kim as vezes parece estar sendo sarcástico, como quando disse aos empregados que comessem em sua mesa.

Cada parte da casa tem câmeras, fora os banheiros e quarto do Sr. Kim. Há dentro da casa uma sala onde ficam concentradas as Tvs que captam toda a gravação das câmeras. Há um empregado que fica com a função de observar a movimentação, mas que agora não precisava mais permanecer dentro desta sala, podendo verificar qualquer câmera por um aplicativo de celular.

Todos os quartos têm suítes que possuem uma ducha e uma banheira de hidromassagem.

Os empregados assim que começaram a trabalhar na casa receberam treinamentos, roupas, equipamentos, enfim. Tudo o que precisariam para exercer suas funções e garantir um pouco de sua dignidade. Há quem diga que aquela casa oferece o melhor dos tratamentos, e também quem diga que é pura escravidão.

Isso se deve ao fato de que, alguns consideram ser intolerável ficar de “plantão” quase o tempo todo, e além disso, permanecer longe da família. E há quem veja isso como uma vantagem, pois não terá que ficar viajando de casa para o trabalho e assim por diante.

 

 

Dia da entrevista~

 

Minki passou um bom tempo se arrumando e pensando se realmente seria uma boa ir até lá. Se olhava no espelho tentando ficar o mais elegante possível, coisa que não conseguia, mesmo alisando o cabelo com sua chapinha e colocando sua melhor roupa. Ainda assim não era nada que deixasse sua imagem adequada à empresa. Ele iria assim mesmo, seria ele mesmo de seu próprio jeito, se o aceitassem estava ótimo, se não, procuraria outra vaga.

 

-Oi mãe, oi pai.

-Oi Minki. Por que está tão arrumado?

-Vou fazer uma entrevista de emprego.

-Onde é?

-É em uma loja de calçados.

 

O garoto mentiu. Ainda não tinha conversado com a mãe sobre aquilo. Aquela oportunidade o daria um bom dinheiro, mas ele teria que morar lá, além de ser um trabalho extenuante. Sua mãe não aceitaria isso com facilidade.

Lembrou-se que o anúncio pedia que o candidato fosse homem, coisa que estranhou de início, mas depois esqueceu. Pensou se poderiam confundir ele com uma mulher e dispensá-lo sem nem ter oportunidade de falar alguma coisa.

Mesmo com aqueles pensamentos, foi andando até onde pegaria seu ônibus.

Depois de uma longa viagem de duas horas, chegou até a rua da mansão. Ao chegar até ela, não pode acreditar no que via. Era uma mansão deslumbrante. Nunca havia visto nada assim, exceto na televisão.

Um homem que parecia ser o segurança do local chegou próximo a ele.

 

-Qual o seu nome?

-Choi Minki.

-hmmm. – o homem alto de uniforme azul escuro começou a procurar o nome dele em uma lista.- está bem, pode entrar por ali - apontou-lhe a porta.

-Obrigado.

 

Continuou caminhando. Estava usando uma blusinha solta branca azulada, e calça jeans preta. Usava também alguns acessórios como colar e cinto, mas tudo de lojas baratas. Seus cabelos estavam loiros e amarrados, com a franja solta e um pouco enrolada. Havia passado um pouco de maquiagem no rosto, e delineador preto nos olhos.

Chegando até a recepção da casa, que era enorme por sinal, foi atendido por uma das empregadas.

 

-Sr. Choi Minki? –Perguntou a moça docemente-

-Sim.

-Ah, seja bem-vindo. Sou a Srta. Hyuna que falou com você pelo telefone, se lembra?

-Lembro sim.

-Levarei o Sr. até a sala do processo seletivo. Me acompanhe.

 

Conforme acompanhava a moça, observava cada pedaço daquele lugar, que o surpreendia a cada passo. Tudo aquilo, piso, paredes, móveis, eram encantadores, mas nada que o deixasse se sentindo familiarizado. Estava desconfortável, sabia que não era um lugar onde ele pertencia.

Chegando até a sala, a moça o indicou um local onde ele esperaria.

 

~~

 

Sr. Kim olhava pela imagem da câmera do local, escolhendo quem ocuparia o cargo apenas pela aparência.

-Eu já escolhi, podem chamar o loirinho Choi Minki, e façam a proposta. –o Sr. Kim deu as instruções a Srtª Hyuna, que saiu de lá as pressas-

 

~~

 

-Sr. Choi Minki. Por favor me acompanhe.

 

Acompanhou a moça novamente, sem saber que tipo de processo seletivo era aquele e se conheceria o seu chefe. Para onde estaria indo agora? Quase se cansava de tanto que precisava andar para se locomover de uma peça para outra da casa.

 

-Sente-se

 

Minki sentou-se onde a moça indicou, num sofá de frente a uma escrivaninha e uma cadeira.

 

-Vejamos então, Sr Choi. –Disse analisando uns papéis que continham informações sobre ele- Você mora em um bairro muito humilde não é mesmo?

-É, sim. Moro com meus pais.

-Seria incrível para você vir trabalhar aqui. Terá acesso a confortos que jamais teve...

-Acredito que sim. – Minki não entendia o por que dela estar dizendo aquelas coisas-

-Bom, nós temos uma proposta para fazer a você. É o seguinte. O Sr. Kim ele é o dono aqui dessa casa, e é ele quem contrata seus empregados, é ele quem os escolhe, quem determina as funções, etc. E foi ele quem te escolheu hoje.

-Como assim? Eu nem conheci ele ainda, acho que você se confundiu e chamou a pessoa errada.

-Sr. Choi, o Sr. Kim não precisa que você o conheça para te conhecer. Ele tem acesso as suas informações e pôde observar você desde seu primeiro passo aqui dentro.

-O que isso quer dizer?

-Quer dizer que ele já escolheu você para o cargo.

-ahh! Nossa, eu não acredito! –colocou uma mão em frente a boca, escondendo um grande sorriso- Então eu vou ser contratado?

 

A moça acalmou-o, segurando levemente sua mão.

-Isso só depende de você. Vamos à proposta. –Trouxe um papel para perto dele-

- Este cargo – a moça não deixou transparecer seu nervosismo - se refere a funções muito específicas que ele quer que você cumpra. Eu quero saber se você está disposto a cumpri-las. –Disse colocando o papel ainda mais próximo dele, para que ele lesse-

 

As palavras eram claras, serviços sexuais.

Minki quase gritou, mas se manteve paralisado, não acreditando que a pouco esteve tão feliz com o que havia conseguido. O documento basicamente dizia que ele teria de servir ao seu chefe sexualmente, na hora, no dia e do jeito que ele quisesse.

 

-E então, Sr. Choi?

-E-eeu...eu não sei.

-Eu darei um tempo para que o Sr. pense bem sobre a proposta. Você pode ler todo esse documento, que inclusive contém o valor da remuneração e seus benefícios. –disse saindo da sala-

 

Continua~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...