História Nós - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 2
Palavras 722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - 01


Acordei com o som da campainha e olhei para o celular, me perguntando quem me procuraria às nove horas da manhã. Olhei para a janela e vi um dia de sol, típico do verão carioca. Levantei e, enquanto andava até a porta me lembrei que era o Bernardo quem estava tocando a campainha. Ele passou para a faculdade de Jornalismo e, como nossas famílias são amigas e eu moro sozinha, nós vamos dividir o apartamento.

- Oi! Bom dia. Te acordei? - Ele estava com uma mochila e uma mala no chão. O cabelo loiro estava meio bagunçado, como sempre, e os olhos azuis estavam vermelhos e inchados. 

- Bom dia. Acordou sim, mas não tem problema. Entra aí. Você já tomou café?

- Já, mas estou com um pouco de fome. - Eu fiz dois sanduíches, e nós conversamos sobre sua viagem enquanto comíamos. Depois eu mostrei o apartamento e onde seria o quarto dele.



Eu tinha acabado de chegar da praia e estava indo tomar um banho. Assim que entrei no banheiro vi uma bagunça na minha frente. Tinha produtos espalhados na pia e roupa jogada no chão. Pensei em não reclamar, mas já que iríamos morar juntos achei que era necessário haver um acordo, para que as coisas não perdessem o controle. Bati em sua porta e me deparei de novo com seus olhos inchados e vermelhos, mas dessa vez não tinha como eu ignorar. Estava na cara que ele tinha chorado. Meu coração pesou. Eu odiava ver as pessoas tristes. Principalmente pessoas com quem eu me preocupava. Nós não éramos melhores amigos, mas ele já esteve do meu lado em diversas situações. Eu me importava com ele.

- Você tá bem?

- Eu não sei. Eu vivi toda a minha vida com meus pais. É difícil dizer adeus assim. E tem toda a situação com a Duda. Será que eu fiz a coisa certa em vir para o Rio de Janeiro? - Ele começou a chorar. Eu sabia que nada que eu dissesse o faria se sentir melhor, então apenas o abracei. E ele me abraçou de volta e me apertou. Ficamos assim até ele ae acalmar. 

- Tenho uma ideia. Por que você não toma um banho para a gente dar uma volta? Tenho certeza que vai gostar! - Qualquer coisa seria melhor do que ele ficar em casa fazendo nada. Apesar de estar triste, ele sorriu.

- Tá bom, não vou demorar. - Pelo eu tom de voz, percebi que tentava se animar.

Eu tomei um banho rápido e me arrumei de forma bem simples. Nós iríamos ao Arpoador, não era preciso ir muito arrumada.

Enquanto estávamos no metrô ele disse como tudo aquilo tudo era novo para ele e que nunca tinha passado muito tempo na cidade. Eu expliquei como as coisas funcionavam e que podia ir para a faculdade comigo, já que nossos horários eram quase os mesmos. Eu só conseguia lembrar de quando nos conhecemos, éramos tão novos e tão distantes. Agora dividiriamos um apartamento. Eu estava ansiosa com isso, sentia que teríamos uma boa amizade.


- Esse lugar é lindo demais! - Eu podia ver como ele estava encantado com tudo aquilo. O sol já estava se pondo e como sempre, o Arpoador estava lotado. 

- Eu amo vir aqui. É como um refúgio, apesar de não parecer um. - Nunca tinha contado isso para ninguém, mas aquele lugar era realmente algo pessoal para mim. Não sei porque, mas eu me sentia bem e em paz ali. E eu confiava nele. Ele sorriu e isso era o importante.

- A Duda sabia do meu sonho de fazer Jornalismo. Ela sabia o quanto eu queria isso e ela parecia me apoiar. Não entendo ela ter terminado comigo por eu ter que morar longe. Não faz sentido na minha cabeça. Me sinto um idiota.

- Você não é idiota por gostar e confiar em alguém. Deve ser importante para ela, mesmo não fazendo sentido para você. Se for para ficarem juntos, algo vai cooperar para que voltem. Só não pensa muito nisso tá? Pensa que tá vivendo o seu sonho. Faltam algumas semanas para as aulas começarem, você pode aproveitar bastante o sol até lá e eu vou fazer o possível para te distrair. 

- Obrigada. Por tudo. - Ele me abraçou e a única coisa que eu queria naquele momento, era estar naquele abraço.







Notas Finais


É apenas o primeiro capítulo, mas espero que tenham gostado. Essa é também a minha primeira fanfic, ainda estou pegando o jeito. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...