História Nós somos feitos de estrelas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Fama, Japao, Naruto, Revelaçoes, Romance, Sasusaku
Exibições 502
Palavras 692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Josei, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá! :D
Eu deveria estar postando fanfic nova? Não, não deveria! Mas sou ousada mesmo e aqui estou com mais uma hahahahahaha

Antes de tudo, gostaria de deixar claro que essa fanfic é algo experimental, ou seja, é algo novo para mim (a começar pela narrativa em terceira pessoa). Por isso peço a compreensão de vocês e, claro, estou bem aberta a sugestões.
Além disso, por favor, estejam atentos aos avisos da história. Caso se sintam desconfortáveis com qualquer um deles, aconselho que não prossigam.

Por enquanto é isso. Caso lembre de outros comentários, os farei no primeiro capítulo.

Espero que gostem do prólogo (é curtinho, eu sei!) e até o próximo!

Capítulo 1 - Prólogo


Três anos, cinco meses, onze dias.

Era um registro tóxico que não carregava nenhum significado profundo. Apenas dias contados no calendário, registrando — de forma dolorosa, no início, para depois se tornar um hábito despretensioso — quanto tempo tinha se passado desde que Uchiha Sasuke foi embora e partiu seu coração.

— Quase três anos e meio — seu devaneio repentino atrai a atenção de Hinata, e logo um par de olhos cinzentos está mirado em sua direção.

As sobrancelhas escuras se arqueiam numa inquisição silenciosa, mas Sakura permanece alheia à atenção.

— Quase três anos e meio e ele volta como se nada tivesse acontecido!

— Ah — A amiga ofega, rapidamente tomando consciência da motivação lamuriosa. Ela abaixa a tela do notebook e descansa o queixo sobre a palma da mão, inclinando suavemente o rosto em direção à outra. — Está falando dele?

Sakura suspira. — Nós não estamos falando de Voldemort, por deus.  — As órbitas esmeraldinas deslizam de volta ao celular, onde liam ininterruptamente a notícia pessoal que anunciava a inesperada volta. — Uchiha Sasuke pode e deve ser nomeado.

— Então a menção do nome não te faz mais perder o juízo? — Ela sorri um sorriso parvo, mas Sakura opta por ignorar a sugestão contida naquele trejeito.

— Onde você esteve nos últimos anos? No mundo da lua, por um acaso? É claro que o nome não me afeta mais! — Os lábios estalam um som indócil ao mesmo passo em que o dedo pressiona o botão para bloquear a tela do telefone. — Nem o nome, nem a pessoa, caso queira saber.

— Eu quero mesmo é saber porque você estava resmungando sozinha. Se não te afeta mais, não tem necessidade de ficar tão aborrecida com o retorno dele. — Hinata se apoia no próprio joelho para ficar de pé. Uma breve pausa se segue antes que ela atravesse o caminho da sala até a cozinha — Tóquio é grande o suficiente para que vocês sequer corram o risco de se esbarrar por aí.

Sakura ouve o palpite enquanto a amiga se afasta preguiçosamente.

— Sim, você tem razão. — A voz diminui de tom, logo em seguida, para carregar uma inflexão enervada. — Você sempre tem razão.

A resposta ácida vem da cozinha, abafada — É claro que eu tenho razão! Mas me diz, você tem alguma coisa além de frutas e verduras nessa casa?

Sakura resiste ao impulso de agarrar o celular outra vez e procurar mais informações sobre a chegada de Sasuke, levantando-se do chão e deixando desabar o próprio corpo sobre o sofá.

O smartphone permanece com a tela virada para baixo sobre a madeira da mesa de centro, seguramente longe de suas mãos furtivas.

— É claro que não. Eu tenho uma dieta a ser seguida, você não lembra?

— Às vezes eu esqueço que sua dieta é igual aos hábitos alimentares de uma vaca.

Sakura ri da observação crítica feita por sua amiga, e levanta as pernas quando recebe dois tapas nelas. Hinata se senta no espaço livre e tomba a cabeça para trás, pouco empenhada em mascarar a feição ansiosa.

— O que foi agora? — Com um único impulso, ela está sentada.

Os olhos acinzentados permanecem cerrados por algum tempo antes de serem voltados para o lado.

Azul cristalino encontra o verde, e ambos carregam a mesma diligência silenciosa.

— Você vai mesmo ficar bem?

Sakura não se sente confortável para sustentar o olhar indulgente que a analisa com tanta cautela, e logo assume a mesma posição da amiga.

Estão ambas recostadas no sofá, as cabeças pendendo para trás como se a resposta pairasse logo acima.

Ela poderia ser sincera. Poderia dizer que não tinha certeza, porque na verdade não tinha confiança alguma sobre sua paz de espírito agora que corria o risco de encontra-lo.

As chances eram baixas, mas não inexistentes.

Mas colocar a insegurança em palavras era como assumir que ele ainda lhe causava esses efeitos. Era como anular seus esforços progressivos em substituir seus sentimentos feridos por trabalho e ganância.

Para ela, não importava quanto a resposta soasse falsa ou insegura.

Não poderia admitir, em bem de seu próprio orgulho, o quanto estava afetada.

Então, com um suspiro que carrega o peso de suas ambiguidades, a resposta vem num sussurro frouxo.

— Vou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...