História Nós Somos Os Piores - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Babz, Essenciais, Eu Sou Burra, Yoonmin
Exibições 180
Palavras 1.510
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


"Babz, você não está em hiatus, atolada de coisa, totalmente ferrada na faculdade e cheia de problemas?"
Tô sim, mas sou irresponsável.
Culpem a @luhxnz que fez um projeto maravilhoso que todo mundo deveria participar, vou deixar o link nas notas finais (em dezembro, quando eu começar a participar MESMO, vou postar um jornal sobre! Tenham essa oneshot como uma 'preview' fjdspofj)
E culpem a @agwstd também, que me inspirou (junto da música) a escrever isso. Ah, e obrigada pela capa <3

Yoonmin, sim! Tava com saudadinha desse couple e nem sabia.

Capítulo 1 - O acidente que esperei pra ver (único)


Quando você entrou naquela sala de aula, com um moletom cobrindo os fios — naquela época, tingidos em um rosa adorável —, expressão que servia como cerca de arame farpado para afastar as pessoas de você, olhar afiado e nariz empinado, eu soube que, juntos, nós seríamos um desastre.

Quando a professora Taeyeon nos obrigou a fazer dupla e você me encarou com aquela expressão entediada e os lábios estendidos em uma linha reta, suspirou cansado e juntou sua classe com a minha, eu soube que, juntos, nós seríamos um acidente.

Quando eu te dei um ‘oi’ animado, esbanjando meu jeito extrovertido e personalidade animada, e você me devolveu assentindo a cabeça, jogando seu jeito introvertido e personalidade chata na minha cara, eu soube que, juntos, seríamos uma tragédia.

E, quando eu te perguntei sobre uma questão qualquer de um trabalho qualquer, e você largou seu caderno rabiscado com letras de músicas estranhas só para me explicar toda a matéria, eu soube que estava começando a esperar por um desastre, por um acidente, uma tragédia.

Nós nunca fomos os melhores, na verdade, juntos, nós éramos os piores.

Ao contrário de você, eu acho muito engraçado pensar que nós começamos a conversar porque eu fiquei curioso sobre o seu caderno de rabiscos e pedi para olhar. Você disse um ‘não’ bem rude. Tão rude que até mesmo você se sentiu mal. Então, tu decidiste me mostrar uma página por dia, e eu fiquei tão animado; pensei que minha curiosidade seria saciada e, no fundo, bem no fundinho mesmo, você poderia ser alguém legal.

Mas aí você começou me mostrando a última página do seu caderno.

Ela estava em branco.

Ali, eu soube que, definitivamente, nós seríamos os piores juntos.

Você achou que eu iria desistir, mas, todo santo dia, eu te cobrava a bendita página da vez.

Até que, finalmente, em um dia chuvoso — que me impede de encher nossa história de pompa, dizendo que era um dia ensolarado, bonito, de primavera e que cheirava a flores e mel —, você me mostrou uma página que tinha uma palavra. Era apenas uma palavra, mas significou muito para mim.

Afinal, após cento e dezessete dias, eu vi meu nome escrito no seu caderno de rabiscos.

Era apenas isso: “Jimin”, escondidinho na margem do fim da página. Tinha um risco em cima, porém não me apego muito a essa parte; eu sempre soube que você me odiava.

Você se lembra do nosso primeiro beijo? Foi quando eu descobri que nosso ódio era tanto que não dava para demonstrar com raiva; beijos, carinhos escondidos, sorrisos tímidos e olhares risonhos eram os únicos capazes de transmitir todo esse ódio. Eu estava com meu melhor amigo, o Taehyung, e você chegou, dizendo que eu era um idiota. Obviamente, eu retribuí dizendo que você era um rabugento sem graça. Aí você me jogou contra a parede mais distante, juntando seus lábios nos meus com uma delicadeza que, sério, não condizia nada com a sua personalidade.

Eu estranhei, né? Mas, ao contrário de te empurrar e sair correndo como qualquer pessoa normal, eu segurei sua nuca com vontade e correspondi o beijo, como se estivesse com saudade de algo que nunca provei.

Recordo-me de pensar que você falaria comigo no dia seguinte, esperei até por um pedido de namoro, porque sempre fui bem apressado e sempre odiei esperar. Entretanto, você chegou à escola, sorriu para mim e sentou-se lá no fundo da sala, com seus amigos idiotas. Você não tocou no assunto comigo, você só sorriu e fingiu que nada tinha acontecido.

Aquilo foi tão cômico, eu nunca me senti tão mal como naquele dia.

Você se lembra, Yoongi? Dois dias depois, tu apareceste com aquele tal de Jeongguk, um guri qualquer alguns anos mais novo que nós. E eu só desejei que ele te valorizasse e fosse bom o suficiente para colocar sua foto na seção do obituário do jornal. Juro que até imaginei sua foto 3x4, colorida apenas em preto e branco, destacada entre tantos outros falecidos do dia.

E aí, sete dias depois, você voltou, dizendo que estava com vergonha e que se arrependia muito por ter feito o que fez. Então, eu te dei um tapa na cara e você voltou ao normal, confessando que, na verdade, só não sabia se eu gostava de você mesmo ou só estava a fim de beijar.

“Você é um belo de um filho da puta, Min Yoongi” disse com um tom raivoso.

“Tu que não me entendes, Park Jimin” gritou de volta.

“Eu te odeio” sussurrei e lembro-me de ter vistos seus olhos aumentarem. Sorri só com o cantinho da boca antes de continuar. “Mas é aquele ódio que se demonstra com amor, sabe?”

Você me respondeu com um beijo para, depois, murmurar com o rosto escondido em meu pescoço.

“Nós somos os piores juntos”.

E, realmente, fomos e somos.

Às vezes, eu te pedia pra comprar sorvete de morango, mas você chegava com um pote de sorvete de limão em casa — sério, que porras morango tem a ver com limão? Também tinha aqueles dias que eu queria sair, beber, dançar, mas aí você me abraçava por trás na cama e dizia baixinho para assistirmos ‘O Silêncio dos Inocentes’ no Netflix. Ou quando eu dizia que queria fazer um jantar de casal com Hoseok e Namjoon, Taehyung e Jeongguk, mas você abria a garrafa de vinho e dizia para aproveitarmos a noite sozinhos.

Havia os momentos onde você me pedia por silêncio para poder compor suas músicas, mas minha hiperatividade me obrigava a colocar Big Bang no último volume e dançar pela sala. E, no seu aniversário, quando você dizia que queria só algo legal, nós dois, música calma e uma cama bem decorada, mas eu ia lá e organizava uma festa surpresa para ti — não esquecendo de convidar toda a sua família e todos os nossos amigos.

Realmente, nós não temos e nunca tivemos algo em comum.

Mesmo agora, olhando o biquinho emburrado que você faz enquanto dorme, só consigo pensar no quanto eu te odeio, e no quanto isso me faz bem e me destrói ao mesmo tempo. Tirando o fato de você me irritar até o meu limite, excluindo todos aqueles seus ‘amigos’ insuportáveis, esquecendo todos os pensamentos diferentes, ignorando nossas personalidades tão opostas, e fingindo que você me diz tudo que eu gostaria de ouvir… É, até dá para dizer que você é perfeito para mim.

Contudo, como eu sempre digo, nós até podemos ser perfeitos um para o outro… Mas ainda existem mais sete bilhões por aí, né? E, como você sempre responde, seria difícil encontrar outro como você, no caso, eu.

Garoto convencido, devo admitir que, infelizmente, não acho que algum desses sete bilhões seja capaz de conquistar todo o ódio que meu coração pode sentir.

É claro que eu nunca vou dizer isso em voz alta, mas, sabe, você é a tragédia que eu mais pedi para acontecer.

— Por que ainda estás acordado, Jimin? — perguntou com a voz sonolenta, tirando-me de meus devaneios e me obrigando a olhá-lo.

— Porque sim — dei de ombros. — Você já pensou como uma foto sua ficaria bonita no meio do obituário do jornal?

— O quê?

— Nada.

— Se quer ficar acordado, desperdiçando seu tempo de sono por sei lá qual motivo, ok. Mas, ao menos, apague a luz — murmurou, virando-se para o outro lado da cama e deixando de me olhar.

— Se está tão incomodado, levante-se e apague.

Seu suspiro frustrado encerrou a conversa; o sono lhe possuiu novamente. A luz já não era mais um problema — acho que suas pálpebras faziam um bom trabalho.

Encarei suas costas pequenas, porém perfeitas para que eu pudesse me encaixar, e aconcheguei-me ali, abraçando-o com força. Inspirei profundamente, sentindo a fragrância incrível que se desprendia de seu pescoço — você nunca me contou como fazia meu perfume ficar cheiroso daquela forma. Sem muito esforço, penteei alguns dos seus fios cinza, sentindo quando seu corpo relaxou em meus braços; você sempre gostou de cafuné.

— Jimin… — sussurrou, chamando a minha atenção.

— Hm?

— Eu amo você.

— Também amo você — respondi.

— Mas nós somos os piores juntos — disse sua frase de sempre, arrancando um sorriso meu.

— Eu sei disso; você é a minha derrota favorita.

— E você é o desastre que eu nunca vou poder lamentar — entrelaçou seus dedos aos meus, que estavam sobre a sua barriga.

Yoongi, será que você se lembra do que estava escrito na página que eu li no centésimo octogésimo terceiro dia? Será que você se lembra de ter escrito que me amava em cada linha daquela página que eu tanto amei ver?

Parando para pensar agora, nós temos, sim, algo em comum: esse ódio todo que não dá pra expressar com raiva e é maior que todas as palavras que já existiram, existem e ainda existirão.

E olha que tem muita gente pra criar palavra nesse mundo.

— Yoongi… — sussurrei, chamando a sua atenção.

— Hm?

— Seu cabelo cinza me lembra fotos em preto e branco.

— Jimin, pare de imaginar meu rosto no meio do obituário do jornal e vá dormir.

 


Notas Finais


Link do projeto: https://spiritfanfics.com/perfil/luhxnz/jornal/essenciais-7134513
Música: https://www.youtube.com/watch?v=rdyvbeuO8ME (deem amor à banda tópaz, por favor, eles merecem todo o amor desse mundinho!)

Espero que tenham curtido! Ainda vou voltar com muitas fanfics inspiradas em músicas dessa banda (a minha nacional favorita atualmente!), pois decidi que vou participar do projeto só com músicas deles <3 mais tarde, postarei um jornal com todas que serão utilizadas e com os couples que farei!

O que acharam? ^.^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...