História Nós vamos conseguir - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lady Gaga, Taylor Kinney
Personagens Lady Gaga, Personagens Originais, Taylor Kinney
Tags Amizade, Amor, Ficção, Gaylor, Lady Gaga, Nós Vamos Conseguir, Romance, Tayga, Taylor Kinney, We Will Make It
Exibições 33
Palavras 2.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá xuxus, voltei o mais rápido, assim como prometi! O cap. de hoje está meio fofo e meio dramático (já peço desculpas por isso). Na metade da história, recomendo que ouçam musicas como "Choose Your Battles" da Katy se encaixam bem, pois foi escutando ela que eu escrevi essa parte :)

Espero que gostem e desculpem qualquer errinho...
Boa leitura :*

Capítulo 16 - Um antigo conhecido


Gaga acordou bem cedo, tinha algumas coisas pra resolver na Born This Way Foundation, mais uma música pra finalizar com RedOne e ainda precisava passar no shopping para renovar o guarda-roupas – Mãe, você pode me encontrar no shopping daqui a algumas horas com a Anna? – perguntou enquanto trocava a filha

- Ai querida, eu ia sair com a sua irmã – a senhora dizia sentada na poltrona do quarto colorido - Ela pediu para que eu a ajudasse a comprar a decoração pra festa do Alex ou algo assim...

- Tudo bem, eu dou um jeito, não tem problema! – disse terminando de vestir Anna com um conjunto azul e branco de florzinhas – Acho que as pessoas na BTWF não vão se importar de ter uma gordinha ajudando nos negócios, certo? – ergueu a bebê, ouvindo a gargalhada que ela tanto ama.

- Desculpa filha, se tivesse pedido antes... – Cynthia se levantou e ajudou a arrumar a bolsa com os brinquedos da neta

- Eu sei mãe – sorriu sem jeito – Mas vai dar tudo certo, de verdade.

- Qualquer coisa nos ligue, então – ambas saíram do quarto e desceram as escadas – Se você tiver qualquer problema ou ela te atrapalhar em algo, a gente tenta te encontrar...

- Pode deixar que eu ligo... É melhor nós irmos, mais cedo terminarmos os problemas, mais tempo pras compras a gente vai ter! – sorriu, arrumou as bolsas dentro do carro, ajeitou Anna no bebê-conforto e saiu.

Chegando à BTWF, Gaga e Anna foram recebidas muito bem, como sempre. Os funcionários não viam a menina desde seu nascimento e se encantaram com a beleza e a falta de timidez que a criança tinha. A cantora deixou a filha brincando com alguns funcionários enquanto ia para uma reunião importante para resolver problemas com fundos para uma nova campanha.

Após duas horas e meia, a loira tinha terminado tudo na fundação e estava pronta para correr para o estúdio finalizar mais algumas músicas do novo álbum. Pegou a filha, entrou no espaçoso carro e percorreu um trecho de 15 minutos até o próximo destino. Chegando lá, alguns paparazzi a esperavam na porta, juntamente com alguns fãs. Gaga posou com alguns deles enquanto segurava Anna em um dos braços. A garotinha amava os flashes e não se importava nem um pouco com a alta movimentação e barulho.

Assim que Gaga entrou no estúdio foi recebida por RedOne e DJWS que estava lá para ajudar na mixagem das músicas – Vejam quem veio trabalhar comigo hoje... – anunciou – Espero que ela não atrapalhe – colocou a criança e seus brinquedos no sofá e as bolsas ao lado, no chão.

- Crianças são muito bem vindas aqui! – Paul disse, indo em direção a Anna – Oi fofa – sorriu e levemente apertou o delicado pé da bebê, ganhando sua atenção – Que olhos lindos você tem – fingiu espanto – São iguais os meus – arregalou os dele, tirando uma gargalhada alta da menina

- Meu Deus, ela é a mistura perfeita do Taylor com você! – RedOne tombou a cabeça, encostado na mesa de mixagem – Se não se importa de eu dizer...

- Sem problema – sorriu gentilmente – Todos dizem isso – mordeu o lábio – Parece que ela gostou de você, Paul – Gaga riu ao ver o homem fingindo dor enquanto Anna puxava sua longa barba.

**

Algumas horas se passaram. Nenhum dos três sabia ao certo quanto tempo ficaram enfurnados dentro daquele cômodo. Anna se comportou perfeitamente bem, além de ficar encantada ao ver mãe cantando as maravilhosas letras que só havia ouvido em casa, acompanhada do som do piano. Tudo era novo, encantador, chamativo. Paul e RedOne tiveram a ideia de por a gargalhada da pequena em uma das músicas, seria como um presente, tanto deles para Gaga, quanto dela para os fãs que certamente iriam a loucura ao ouvir aquilo.

- Caralho! Eu amei! – a cantora exclamou ao ouvir o som que tanto adorava acompanhar o som de sua voz – Será o primeiro single, tenho que mostrar isso a eles o mais rápido possível – disse com os olhos marejados – Viu anjo, não é só a mamãe que sabe cantar – pegou a filha no colo – Agora você também sabe! – e gargalhou junto aos outros colegas ao ver a menina bater palmas de felicidade

- Acho que terminamos por hoje – Paul avisou – Pode ir curtir sua filha e o resto do dia. Você merece – foi até as duas, ajudou a arrumar as coisas e deu um abraço em cada.

-Até final de semana pessoal – a pequena se despediu com Anna no colo, que ia acenando até que a porta do estúdio se fechasse – Vamos gastar um pouquinho agora? – perguntou recebendo um grito de animação da filha – Assim que se fala anjo!

**

Chegando ao shopping, a loira escolheu um lugar o mais próximo da porta possível, sair com sacolas de compras e uma criança de um ano e 3 meses a procura do carro não ia ser uma boa ideia. O lugar era sossegado, Gaga pode andar nas lojas tranquilamente, como se fosse uma pessoa “normal”. Era mais ou menos 4 da tarde, Anna começou a reclamar, provavelmente de fome, na correria do dia, Gaga havia dado apenas algumas frutas para a menina, além de não ter se alimentado de nada e só passado o dia na base da água. Era a hora perfeita para ir almoçar.

Subiu as escadas rolantes, se encaminhando para a praça de alimentação. Como já era um pouco tarde, o lugar estava quase vazio, todos os restaurantes estavam com poucas filas, perfeito. A cantora passou em frente do restaurante que sempre ia com Taylor, sentindo o cheiro da comida deliciosa, mas se recusou a fazer a refeição lá. Foi então para o ‘Pizza Hut’ – Sei que minha dieta não está me permitindo essas coisas e nem um bebê deveria comer isso, mas ninguém precisa saber disso, certo filha? – Gaga sussurrou para a morena em seu colo, que tinha seus olhos vidrados nos outdoors das guloseimas chamativas – Agora já era – riu para a atendente, que retribuiu sorrindo também – Vamos querer a de peperonni com muito queijo e um suco de maracujá, por favor – pagou e esperou o pedido ser feito.

Gaga se sentou nas mesas com bancos de couro que havia no canto da praça, ficando mais confortável para Anna poder se deitar do jeito que fazia em todo lugar que ia. A loira não se sentia daquele jeito a tempos. Não que sair com Taylor era chato, entediante ou incomodo, mas aquela situação, mãe e filha, era um tipo de tranquilidade e sossego diferentes, também era algo bom, algo novo. A companhia de Anna era tudo que ela precisava no momento. Após alguns longos minutos, ambas estavam bem alimentadas. Gaga devolveu a bandeja e se dirigiu novamente a parte de lojas de roupas.

- Aqui tem roupas pra nós duas, gordinha! – mostrou a vitrine – Olha que lindo aquele vestido rosa... Vovó e tia Naty iriam comprar para você sem pensar duas vezes – riu e entrou na loja. Após rodar algumas araras de modelos variados, a jovem achou uma ala favorita, roupas em estilo boyfriend, cheias de camisas xadrez de todas as cores, camisetas largas e super confortáveis.

Após escolher algumas roupas para ela, foi ao provador e colocou Anna sentada em um dos bancos da cabine – Achou que essa camisa ficou bem na mamãe? – perguntou retoricamente enquanto fazia pose vestindo uma camisa xadrez vermelha, preta e branca, com as mangas rasgadas. Anna tombou a cabeça e fez bico – Sério? Não gostou? – repetiu o gesto e experimentou as outras peças até achar as quais ambas gostassem.

Saiu do provador e foi até a sessão infantil, era a hora de encontrar um novo guarda-roupa pra pequena princesa. O lugar era decorado com nuvens com rostos sorridentes e algumas borboletas coloridas. Gaga se encantou, assim como Anna. Enquanto olhava nas araras de vestidos, com Anna pegando tudo o que via pela frente, uma voz familiar a chamou.

- Stef... Essa deve ser Anna, certo? – a loira congelou quando olhou para a figura muito bem conhecida parada em sua frente

- Lu-Luc? Q-Que surpresa... ahm... Agradável – gaguejou sendo um pouco sarcástica no final de sua frase – O que faz aqui? – colocou Anna do outro lado de sua cintura, dando um passo para trás.

- Fazendo compras, oras. Assim como vocês duas – se aproximou tentando passar a mão nos cabelos negros da criança, tendo mais um passo para trás de Gaga como resposta – Calma! Está vendo aquela outra loira ali no caixa 2? É minha esposa – apontou para a mulher ao longe e depois mostrou a aliança – Não se preocupe, não farei nada a você, nem a esse precioso anjo.

- Você não é lá de grande confiança – Gaga segurava Anna com precisão em seus braços – Da ultima vez que pensei em confiar em você, lembra bem o eu aconteceu, não lembra? – ela já se preparava para ir embora quando foi segurada pelo braço – Me larga, por favor, não quero chamar atenção, mas aposto que você quer... – disse entre os dentes

**

 

8 anos atrás

 

- O QUE VOCÊ QUER DE MIM AFINAL? ANDA! ME DIGA! – Gaga gritava dentro do pequeno apartamento, gesticulando em frente ao namorado que mal ligava – NÃO ESTÁ FELIZ COMIGO? NÃO SENTE MAIS NADA POR MIM? SE QUISER TERMINAR ISSO AQUI – apontou para si mesma e depois para ele – POR MIM TUDO BEM! PREFIRO SER SOLTEIRA QUE CORNA!

- E QUEM DISSE QUE EU TE TRAI? VOCÊ VIU O QUE ALI? HÃ? NADA, OK, NADA! – foi a vez do rapaz com cabelos longos e pretos aumentar alguns oitavos – Ela estava chorando do meu lado e eu a ofereci uma bebida, o que tem de mais nisso Stefani? Você está paranoica, louca, maluca de tudo e tão nova, que desperdício – foi para a cozinha deixando a menina sozinha na sala.

- Se eu sou tudo isso, você é o dobro por ainda estar comigo – deitou-se no sofá – Ou vai dizer eu está comigo por pena? Isso sim é de dar tristeza – começou a mexer no celular

Luc voltou revoltado do outro cômodo, pegando-a pelo braço, levantando-a com violência – Veja como fala comigo – serrou os olhos – Quer saber por que eu ainda estou com você? De verdade mesmo – ele tinha os olhos estáticos e frios a menos de um palmo do rosto da loira – Sua carreira, minha linda pérola. Seu dinheiro... Aaah seu dinheiro é tão lindo e todo o luxo que ele trás também – a largou – Ou você acha que iria te deixar e perder tudo isso? Prefiro estar com alguém como você, rica e carente, do que voltar para aquele emprego de merda e ficar metade do meu tempo servindo bebidas para pessoas mais fracassadas do que eu!

Gaga não conseguia se quer dizer uma palavra. Tremia de raiva, os olhos já se encontravam marejados, mas ela lutava para que não caísse uma lagrima se quer. Não valia a pena – Sai da minha frente! Sai do meu apartamento! AGORA! – conseguiu finalmente tomar um passo na situação

- Acho que não doçura... – ele abriu uma cerveja, sentou-se no sofá e pôs os pés na mesa de centro – Você tem aquele evento do lançamento de Poker Face, lembra? Sou seu acompanhante – piscou sarcasticamente enquanto dava um gole na bebida.

- EU VOU SOZINHA! NÃO TE QUERO MAIS PERTO DE MIM. NÃO QUERO SENTIR SEU CHEIRO, SEU ROSTO PERTO DO MEU, SUA MÃO NA MINHA CINTURA. ACABOU! – empurrou os pés dele

- Mas aposto que ainda quer um pouco de mim naquele quarto, não é mesmo? – encostou sua barba rala no rosto da namorada, que se encolheu – Vamos, uma rapidinha, o que acha? Só pra aliviar essa tensão – puxou os cabelos da loira com um pouco de força

- NÃO! VOCÊ É DOENTE? CHEGA! EU NÃO TE AGUENTO MAIS – começou a se debater contra ele – SAI DA MINHA VIDA! – as lagrimas não podiam mais ser controladas e caiam sem restrição

- A doente aqui é você! – apertou-lhe o rosto – E quer saber mais uma coisa, perola? – sussurrava de um jeito assustador – Você não é tão boa assim na cama. Por isso trazia algumas mulheres de verdade para cá, quando você não estava – ainda continuava apertando o delicado rosto da pequena menina que se afogava nas próprias lágrimas – E as pagava com o dinheiro que você deixava escondido no guarda-roupa!

- Por que você tá fazendo isso comigo? Com a gente? – dizia em meio aos soluços

- Não sei ao certo, mas é tão bom ver você assim, tão frágil, dependente de mim, acuada – riu com descaso – Mas pensando bem... – largou o rosto da namorada, que se encontrava vermelho e marcado – Quem cansou de você e suas frescuras fui eu! Só sabe chorar e ficar de mimimi, céus – revirou os olhos – O que eu quero ver é você se afogando na própria fama, no seu próprio dinheiro. Sozinha e sem amor. É isso! – disse, arrumou as malas com as poucas roupas que tinha no apartamento e bateu a porta, deixando Gaga jogada no sofá, com dores no corpo de tanto que chorava.

**

 

Atualmente

 

- Eu também não quero escândalo, mas já que você está aqui, não posso perder essa oportunidade de ouro que o destino me deu – ele ainda segurava Gaga, arrastando-a para um canto sossegado da loja, quando Anna começou a chorar – Então trate de acalmar sua cria – serrou os olhos, assim como fazia a tempos atrás.

- Falando assim vai ajudar muito – Gaga tremia de nervoso, mas tentava não demonstrar por causa da filha – Xiiiiiiu – ela sussurrava enquanto embalava a filha devagar – Daqui a pouco a gente vai voltar pra casa... Xiiiiu

- Assim é melhor, já estava começando a ficar com dor de cabeça – o rapaz estava com as mãos no bolso, balançando uma das pernas freneticamente – Vamos aos negócios então – limpou a garganta – Como disse, aquela linda mulher no caixa é minha esposa. Acabamos de nos casar e... – foi interrompido

- Quer os parabéns? – a loira revirou os olhos, fazendo bico.

- Aaah Stefani, você não mudou nada não é mesmo? Por isso aquele caipira de olho azul te largou não foi? – riu com descaso – Isso não importa mais. O que eu quero de verdade é seu dinheiro – disse com naturalidade, arrumando a jaqueta jeans que usava.

- O que? – riu de nervoso – Você só pode estar brincando – olhou para baixo, enquanto ainda ninava a filha, e balançou a cabeça negativamente – E por que diabos eu faria isso Luc?

- Você tem de sobra, é rica agora, não é mesmo superstar? – sorriu – Preciso pagar minhas contas, mas fui demitido daquele caralho de bar assim que casei. Além do mais, Elene não gosta de trabalhar. Então essa é a única opção...

- Você realmente está dizendo essas palavras? Você é jovem, tem outras habilidades, pode muito bem trabalhar de novo. Não sou nenhum banco, como pode perceber – disse com sarcasmo, torcendo a boca – Batalhei muito para estar onde estou e ter tudo o que tenho hoje, assim como você também pode.

- Mas eu não quero, essa é a diferença – estralou a língua – Então, vai fazer o cheque agora ou eu passo na sua casa mais tarde para pegar?

- E se eu não te der nada? Vai fazer o que? – serrou os olhos

- Então esse anjo vem comigo – passou as mãos sobre o braço de Anna

- Agora você passou dos limites! – disse com desespero – SOCORR... – tentou gritar, mas teve a boca tampada pelo bar tender.

- Opa, não não. Gritar agora não vale! Qual é, estávamos quase num acordo, não vai querer estragar tudo isso agora, vai? – ainda tampando a boca da mulher que negou com a cabeça – Certo, então agora eu vou te largar e podemos negociar um pouco mais, certo? – ela concordou

- Quanto você quer? – disse tentando se recompor, sempre preocupada com a filha em seu colo, que cochilava

- Um milhão já dá pra começar – ajeitou o cabelo

- UM MILHÃO? Começar? – Gaga não conseguia acreditar no atrevimento do ex – Isso é muito, não dá!

- É isso ou esse serzinho vem comigo. Você escolhe – apontou para Anna, piscou e foi saindo – Elene está me procurando... Ah sim, esqueci-me de dizer, você tem até quinta pra pensar ok? Eu te procuro quando o tempo acabar – jogou um beijo e saiu da loja junto da esposa.


Notas Finais


É melhor eu começar a correr? Não podia esquecer de colocar esse personagem na história né... Espero que a parte do flashback não tenha ficado muito confusa, tentei mostrar um pouco de relacionamento abusivo. Não me perguntem como eu tenho essas ideias de cenas, por que as vezes até eu me espanto kkkkkk E já vou avisando que o próximo terá cenas com o Taylor sim, ele não foi esquecido, ok?

Obrigada do fundo do meu coração por todos os comentários lindos e feedbacks sobre essa história e pelos 19 favs também!!! Tá chegando a reta final e já tenho tudo planejado, não desistam de mim <3

Qualquer coisa, aquele alô aqui nos comentários ou no meu twitter (@mayfernandes97) é sempre bem vindo
Beijos e até a próxima att :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...