História Nossa doce baby doll - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Monsta X
Tags Bts, Exo, Fantasia, Harem, Jimin, Jin, Kook, Magia
Exibições 170
Palavras 1.407
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Harem, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa tarde!
Hoje tem extra aeeeee hehehe
Boa leitura!

Capítulo 3 - EXTRA - Me salve


Fanfic / Fanfiction Nossa doce baby doll - Capítulo 3 - EXTRA - Me salve

 

Por que esse lugar sem você é tão escuro?
É perigoso, minha aparência arruinada
Me salve, eu não consigo nem me pegar, não consigo...

 

 

  Jin não tinha conseguido dormir direito, não, sabendo que ela estava lá, com eles e provavelmente enfurnada no quarto do Tae. Ele dividia atualmente o quarto com o Jimin e quando ele chegou e o encarando olhando para o nada e com cara de morto vivo ele disse ao mais novo o óbvio que remoeu sua mente a noite toda.  Morango estava ali, com eles.

  Sabia que Jimin era quase um Tae dois sobre ela e tinha plena consciência de seus próprios sentimentos sobre a criança, algo que jamais poderia acontecer, algo muito ruim que ele se envergonhava profundamente.

 Ele era um monstro. Por isso se mantinha o mais longe possível da garota desde a primeira vez, contudo como continuaria fazendo aquilo, como iria se manter longe e frio quando ela estava sob o mesmo teto e pior o deixando quase doido por estar na mesma cama com o V?

  Sua parte racional sabia que ele a amava como uma irmã, a relação deles era clara como a água para quem quisesse assistir, mas como explicar aos seus instintos algo óbvio que sua mente sabia?  Ele não era nem o mais próximo de racional quando se tratava da pequena bruxa delicada e dona dos olhos mais lindos do mundo.

  Ele não podia. Fora que tinha no mínimo treze anos a mais que ela. Era de fato um monstro... E por mais que tentasse tirar aqueles pensamentos e desejos do seu ser ele não conseguia porque bastava olhá-la e lá ia seus instintos mais primitivos e digno de homens das cavernas saltar da prisão insana que construiu desde a primeira vez que a viu. Se permitisse fazer o que desejava, ele a roubaria para si e não deixaria que mais ninguém a tocasse a não ser ele, aliás nem ele. Deixaria liberto todo o seu ciúme sobre a menor, tudo, o que seria no mínimo inescrupuloso da sua parte.

  Ele desejava ser o único para quem ela sorriria, ou conversaria. Ela era sua fraqueza e a causa de suas mudanças bruscas de humor... E do seu medo de tê-la ali.

  Sabia que Kook não gostava de bruxas e fingia que esse era seu caso também, mas a verdade... Era bem pior, porque ele amava aquela garota e jamais poderia admitir nem para si mesmo. Ele podia ser sereno e amável diante das câmeras, porém seu verdadeiro eu era horrível... Seu verdadeiro eu que só ele conhecia.

  Era doente? Estava começando a acreditar que era...

  Saiu da cama e se arrastou até a cozinha, iria pegar algo para comer e se trancar no quarto para treinar seu psicológico, era isso, precisava fingir que estava tudo bem... Era apenas Tae...Tae tinha dona, era quase um...

  E então ele viu tudo vermelho e todas as suas boas intenções desapareceram quando a viu no colo de Jimin e aparentemente desacordada.

  Ele ia matá-lo!

— O que você fez?

  Ele sabia que estava quase vociferando, mas era mais forte que si, ela estava de pijama daqueles cheios de lacinhos e ele sentiu ímpetos de arrancar os braços do mais novo. Por que ele estava a tocando? Ele queria morrer?

— Ei Jin, calma cara...

— COLOCA ELA NO SOFÁ AGORA ENQUANTO ESTOU CONTROLADO! E EXPLICA PORQUE ELA ESTÁ NO SEU COLO! AGORA, PARK JIMIN!

— Jin?

  Ele escutou a voz dela macia e confusa e logo ela se mexia no colo do Jimin que acabou colocando ela de pé. Ele respirou fundo mais aliviado do que pretendia demonstrar pelo menor a libertar, ela estava bem?

— Por que você está aqui só de pijama?

  Perguntou mantendo a voz bem mais baixa, ele gritaria com Jimin, mas nunca com ela. Morango era sua para cuidar e proteger...

  De onde veio aquele pensamento?

  Ele ofegou e ela veio para ele fazendo o quase sair correndo dali. Tinha medo de suas próprias reações, mas por algum motivo foi impossível se mover... E acabou se ajoelhando para ficar no nível dos olhos dela. Aqueles olhos que pareciam varrer tudo dentro de si e ler a sua alma até seu âmago.

  Ela tocou seu rosto e ele só fechou os olhos meio tonto.

— Porque esteve fugindo? Agora que eu vejo seus olhos de verdade... Tem sido difícil, não é, lidar com todos esses sentimentos?

  Ele assentiu, ela sabia... Como ela sabia?

  Claro que ela sabia, ela era uma bruxa e pelo o que V dizia depois da mãe ela era a mais poderosa, só não parecia ser, só isso.

— O que está acontecendo, Candy?

  Jimin tinha a noção de como ele odiava que o menor a chamasse daquele jeito?

— Jin... – Ela o chamou, contudo ele ainda queria fugir, aquilo estava errado, errado... Mas era tão bom... Ele não devia gostar tanto de ter a mão dela em seu rosto. Era doente... - Kim Seokjin!

  Ela o chamou por seu nome verdadeiro e ele abriu os olhos obediente. A verdade era que ele faria o que ela pedisse, sem exceções. Era um louco possuído!

— Hun...

 Sussurrou, ela sorriu doce.

— Pare de pensar assim.  Isso não é dessa forma, me deixe explicar ok?

— Você pode ler a minha mente?

— Não, posso ler seus olhos e eles são muito francos sobre seus sentimentos...

— Eu sou um monstro doente!

  Resmungou estremecendo, ela se curvou abraçando seu pescoço de forma delicada, tudo nela era delicado e ele quase desmaiou ali mesmo. Ela ia destruí-lo, já estava vendo e ele não poderia fazer nada porque era como encontrar a paz mais profunda, dentro do círculo macio que era os braços dela ao redor do seu pescoço.

— O que está sentindo é apenas o que uma alma gêmea sente ao estar perto da outra. Isso é amor não dá maneira romântica comum, é mais... Muito mais profundo.

  Jin abriu e fechou a boca chocado, aquilo era aquela coisa de consorte?

— Eu sou seu consorte? Como o J e o Suga com a princesa e o V com a bruxa estranha?

  Ela riu baixinho e assentiu.

— Tia Sofhie não é estranha Jin. Ela só e diferente. Mas sim, isso é assim.

— Eu também sou, assim não fique mais louco ao me ver com ela ok? Você me assusta de vez em quando com esses surtos do nada!

  Jimin reclamou. Ele estreitou os olhos.

  Droga, compartilhar?

— Seja bonzinho com o Jimin, Kim Seokjin...

—  Ele estava tocando você!

Acusou irritado e ela riu de novo... Ele gostava do som... Gostava muito.

— Sim. Ele é meu consorte. Tocar é algo natural, não acha?

— Eu estava com ela no colo, não estava levando ela para matar e esconder no armário. Não surte!

— Não a toque desse jeito!

  Disse encarando o outro mortalmente sério. Jimin suspirou.

— Eu não penso nela assim seu idiota!

— Você acaba de voltar de um encontro, idiota! - Disse bravo e um segundo depois se arrependeu. Morango recolheu a mão e ele quis se socar! Mas era um imbecil mesmo... - Desculpa!

  Ele se afastou dela aflito, mas ela apenas suspirou aparentemente cansada, ela parecia tão mais velha do que era... Aqueles olhos eram tão profundos...

— Tudo bem, vamos lidar com isso juntos ok? Jimin não sabia assim não o julgue, assim como não deve ser julgado pela confusão dos seus sentimentos intensos. Cada pessoa reage de uma forma aos laços de companheiro. Logo nós acharemos o equilíbrio...

— Então foi por isso que veio. Por isso está aqui!

  Jin se voltou para a porta e Kook estava lá a encarando pálido. Droga!

  Ele se ergueu e foi para perto dela percebendo que Jimin fazia o mesmo. O Maknae deles tinha problemas com magia, ele não suportava e Morango era a epítome do que ele se irritava mais profundamente.

— Que foi? Agora que sabem que os dois são cãezinhos dela piraram de vez? Eu não vou tocar na pequena bruxa seus idiotas, parem com isso.

  E ele passou por eles, pegou um suco na geladeira e voltou para o corredor dos quartos. Jin só relaxou quando a porta fechou em um baque alto.

— Isso vai ser complicado – Ouviu Jimin falar e ela suspirou alto fazendo com que ele percebesse que tinha mais ali do que imaginava... – Sim Jin, Kook é o terceiro, Morango tem três consortes, nós três. Eu, você e o Kook.

  Jin fechou os olhos e evitou xingar. Droga, por que diabos tinha que ser o Maknae?

 

 

 

 

 


Notas Finais


E é isso amores!
Beijocas!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...