História Nossas Decisões - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Kentin, Kim, Letícia, Li, Lysandre, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Tags Amor, Amor Doce, Aventura, Docete, Sweet Amoris
Exibições 38
Palavras 994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem, peço que comentem a opinião de vocês.

Capítulo 1 - Foi mais ou menos assim.


Fanfic / Fanfiction Nossas Decisões - Capítulo 1 - Foi mais ou menos assim.

                                              P.O.V Marianna Witchen
   Estou muito cansada, acabei de me mudar pra Paris, bom, meus pais são riquinhos mimizentos então tive que escolher com quem ficar pelos próximos 6 meses, eles se divorciaram, não gosto tanto deles, meu pai é rígido demais, minha mãe me irrita mas pelo menos com ela posso sair pros lugares sozinha.
   E está ficando cada vez mais complicado, faço meus 16 anos daqui a 3 meses, e eles já estão enchendo o saco com "Como vai querer sua festa querida?". Eu particularmente, preferia ficar com meus amigos, mas tive que deixa-los no Brasil.
   Me matricularam numa escola, dizem ser a uma das melhores, então prevejo um monte de nerds. Fico até desanimada. Sweet Amoris o nome.
   Foi mais ou menos assim:
          - 2 dias antes -
   Acordo assustado com gritos, e vou imediatamente até a sala de estar para ver o que estava acontecendo.
 - Não dá mais, não posso continuar aguentando isso ! -Minha mãe tentava falar mais alto, mas as lágrimas a impedia.
 - Acha que eu estou satisfeito com isso? Nossas brigas me cansam, eu quero o divórcio.
 - Tudo bem, eu... -Minha mãe foi interrompida com o bater da porta, sim, meu pai saiu, ele ficou muito alterado nos ultimos meses.
   Eu voltei pro quarto correndo pra não me verem, me deitei em minha cama e fingi estar dormindo, já que escutei o som de salto agulha batendo levemente no chão.
 - Querida... -Ela tirou uma mecha de cabelo do meu rosto. -Espero que entenda, tô aqui pra fazer você feliz, partiremos amanhã. - Ela saiu um tempo depois, e eu abri os olhos, tentando achar meu celular o mais rápido possível.
   Achei e logo fui num grupo do WhatsApp, que estavam meus melhores amigos, logo tentei dar a notícia, queria me despedir.
            " Pessoal, precisamos nos encontrar, meus pais brigaram e parece que vou me mudar"  ~ Marianne.
          " Mas, Anne por que? Peça a eles pra ficar, eu não quero deixar você " ~ Ken
         " Todo mundo na minha casa então, hoje ás 4:00PM, precisamos arrumar um jeito, não quero te perder" ~ Viktor.
       " Estarei lá, vou fazer o que eu puder Anne :( " ~Lety

   Eu não queria me despedir deles, foram a melhor coisa que me aconteceu depois daquele monte de problemas que tive. Mas não vou pedir pra ficar, quero que meus pais se resolvam, se eu fizer birra vai causar mais dor ainda.
    Eu puxei a manga da minha blusa de frio e vi as cicatrizes dos meus cortes, estavam ficando velhas, achei que tudo ia melhorar mas...
                                         [Na porta da casa de Viktor, ás 4:00PM]
   Assim que fui pra casa do Viktor, cheguei e eles estavam todos lá, menos a Lety (sempre atrasa). Subimos para o seu quarto, Ken estava triste com seu pacote de biscoitos na mão, e um ursinho muito fofo.
 - Anne, daqui á uma semana vou ir pra uma escola militar, meu pai voltou de uma missão especialmente pra cuidar de mim, e eu juro que te verei de novo, vou sentir saudades. Esse ursinho de pelúcia é uma lembrança para que não se esqueça de mim. - Ele me entregou o ursinho e me deu um abraço forte, que simplesmente senti minha blusa ficar molhada, é, ele estava chorando.
 - Eu sempre vou lembrar de você Ken, obrigada.
   Viktor observava a cena encostado na parede.
 - Eu tenho que ir, meu pai está me treinando um pouco, e ele não me deixou ficar por muito tempo. - Ele me abraçou novamente, passei a mão em seus cabelos Lisos e castanhos, eu realmente sentiria saudade.
   Ele foi embora um pouco mal, e o que ele não sabe é que fiquei mais triste ainda por isso, Viktor continuou a me encarar dessa vez de um jeito intenso.
 - Eu sei como você é, você vai realmente ir não é? - Viktor perguntou arrumando algumas mechas do meu cabelo.
 - Eu vou, eu não posso ser tão ruim pra eles, você me entende? - Ele balançou a cabeça em sinal positivo.
 - Mas eu quero te dar meu presente para não me esquecer também. - Ele me olhou com ar determinado.
 - Não precisa, eu nunca vou... - Ele me interrompeu, colando nossos lábios e me dando um beijo carinhoso, mas de tirar o fôlego.Eu estava vermelha.
   Ele levou minhas palavras junto, não conseguia mais dizer nada, ele simplesmente riu e me beijou outra vez, outra vez e outra vez. Estava bom, mas eu quis parar, e ele me encarou com uma expressão de dúvida.
 - Não gostou?
 - Eu gostei mas, Viktor eu não... - Lety chegou me agarrando pelo pescoço e me jogando no chão.
   Ela me envolveu em um abraço tão aconchegante, não poderia xingar, ela começou a falar rápido atropelando as palavras.
 - Desculpa, atrasei pq um daqueles boy chato me barrou na porta da minha casa, mas to aqui. - Ela respirou. - Vai ficar com a gente né?
   Viktor observava tudo de novo, ele parecia irritado, e isso me incomodava.
 - Desculpa Lety, eu queria mas não dá, juro que venho visitar vocês. -Ela ficou meio triste, mas logo sorriu.
 - Mantenha contato, e por favor, me diz se lá tem meninos gatinhos.
   Depois de um tempo conversando, Viktor não falava uma palavra sequer, ás vezes um "sim" ou um "não", e mantinha o olhar fixo em mim, minha mãe me ligou dizendo que me queria em casa, afinal, eram 8:00PM e ela queria me contar algo (que eu já sei).
   Lety insistiu em me levar em casa, por sorte, não queria a presença de Viktor agora.
   Depois minha mãe conversou comigo, e eu apenas concordei com tudo, Iriamos comprar uma boa casa, perto da casa da tia Agatha, arrumamos nossas malas e partimos no outro dia bem cedo, chegamos por volta de umas 5:00PM, e fui tentar arrumar algumas coisas, a casa já era mobiliada.
                                                                  -> Próximo Capítulo
  


Notas Finais


Obrigada *u*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...