História Nossas Gêmeas - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~anny_majo1

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate, Rebelde (RBD)
Personagens Alfonso Herrera, Anahí, Christian Chavez, Christopher Uckermann, Dulce Maria, Isabela Junqueira, Joaquim Vaz, Maite Perroni, Manuela Agnes, Téo Cavichioli
Tags Chaverroni, Jobela, Mateo, Ponny, Vondy
Exibições 67
Palavras 2.045
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura

Capítulo 10 - A verdade


( Argentina )


Depois do almoço, lá estava Paula e Poncho no píer conversando e namorando

Paula: Amor – abraçada nele – o que acha de adiantarmos nosso casamento? – Poncho naquela manhã tinha lhe pedido em casamento – Pedro e isa estão se dando tão bem – Poncho olhou para ela sorrindo – quero vir morar com você o quanto antes – selando os lábios nos dele

Poncho: Seria ótimo, antes temos que contar para os garotos – apontando para Manuela e Pedro que vinham empurrando um ao outro de brincadeira, manu subiu nas costas de Pedro que chegou ao píer rindo

Pedro: Você é muito pesada – riu da cara que ela fez – é brincadeirinha pequena – tentou abraçar ela que correu para Poncho

Manu: Papai, ele me chamou de gorda – Pedro e Poncho riram da atitude dela de correr e dedurar o rapaz,  manu também riu

Poncho: Você não toma jeito – saiu dos braços de Paula e abraçou a filha – eu vou te pegar moleque, por magoar a minha princesa – falou em um tom bravo, é claro que sabiam ser brincadeira – vou pegar e bater nele filhota – riu e foi correr atrás de Pedro que ao perceber saiu correndo gritando socorro,manu ria tanto que teve que se encostar na grade de madeira do píer

Manu: Pega ele, papai – gritava ao mesmo tempo que ria, olhou para Paula que estava sorrindo – Papai é muito engraçado

Paula: Eu sei – continuou olhando para os dois correndo

Manu: Ah! Queria te agradecer de novo por ajudar Atena – sorriu, Paula olhou para ela

Paula: Só fiz o meu trabalho querida – sorriu falso – vejo que você esta se dando bem com Pedro

Manu: É! Ele é um garoto bem legal – falou sincera

Paula: Que bom que gostou, porque logo serão da mesma família – manuela olhou sem entender

Manu: O que? – realmente não tinha entendido

Paula: É querida, seu pai íamos esperar para falar com vocês juntos, só que já que esta aqui – sorriu vitoriosa – quero lhe dizer que seu pai e eu resolvemos nos casar – Manuela se assustou no momento

Manu: Casar? Vocês só estão namorando por alguns dias – olhou para o pai ainda correndo atrás de Pedro

Paula: É, só que sei pai quer logo ter uma mulher que lhe der muito amor e que lhe ajude aqui na fazenda, coisa que sua mamãezinha não fazia – manu ao ouvir ela falar da mãe fechou a cara mais ainda

Manu: lava a sua boca para falar da minha mãe sua bruaca – Paula ia levantar a mão para bater no rosto da menina, mas viu Poncho voltando depois de ter pego Pedro pela cintura e ter colocado ele nos ombros – você só quer o dinheiro do meu pai, isso sim – estava se alterando e viu Poncho se aproximar delas.

Poncho: O que esta acontecendo aqui? – olhou a filha alterada e com os olhos brilhando por conta das lagrimas que queriam rolar pelo rosto. Colocou Pedro no chão e tentou se aproximar da filha que recuou e correu para perto de Pedro – Filha?

Manu: Não acredito que vai casar com essa ai – apontando para Paula como se ela fosse um nada

Poncho : Isabela Herrera – repreendeu ela depois de ver que Paula tinha se “ofendido” – peça desculpas a Paula – falou autoritário

Manu: Não – cruzou os braços, estava prestes a chorar ali – não quero que se case com ela – bateu os pés no chão indignada

Poncho: Tenho que ser feliz – suspirou tentando se acalmar vendo a filha um pouco exaltada

Manu: Ser feliz? – sorriu irônica – comigo não é feliz? – algumas lagrimas escorriam de seu rosto

Poncho: Você esta falando como sua mãe – falou irritado – pode ir baixando esse ar de superior, eu sou o seu pai e você tem que aceitar Paula, porque eu a Amo – Paula atrás de Poncho sorriu vitoriosa

Manu : Ótimo, então fica com essa coisa ai – limpou as lagrimas do rosto.


Poncho: Já falei para não falar assim com ela – bastante irritado foi para cima dela, ninguém sabia se ela para bater ou talvez outra coisa, Pedro com reflexo entro na frente de Poncho

Pedro: Se acalma Poncho – parado na frente de Manuela que se encolheu com medo de Poncho – esta assustando ela – Poncho viu ela um pouco assustada e passou as mãos no rosto

Poncho : vá para seu quarto, só saia de lá com uma segunda ordem – manu nunca tinha ficado de castigo – E fique os dois sabendo, a partir de hoje eu e Paula somos noivos e vamos nos casar em breve – Paula sorria abertamente, manuela se virou e foi correndo para o casarão, Pedro a seguiu.

Paula: Não queria que tivesse brigando com sua querida filha, meu amor – fingiu se preocupar

Poncho: Essa menina esta muito mimada, esta precisando de umas palmadas – se virou abraçando Paula pela cintura.

Manuela entrou no quarto nervosa e se jogou na cama, Pedro ficou parado na porta só ouvindo ela chorar e soluçar, Pedro entro no quarto encostando a porta, caminhou até a cama e se sentou no chão ao lado da cama passando as mãos no cabelo dela

Manu: Quero ficar sozinha – falou com dificuldade e meio abafado

Pedro: você nem vai perceber minha presença – falou baixinho e continuou a fazer o carinho na cabeça dela. Manu não chorou mais, apenas ficou sentindo o carinho e virou a cabeça para ele

Manu: Porque você esta aqui? – Pedro olhou para ela e viu ela com os olhos úmidos, vermelhos e inchados – Porque não esta á comemorando com eles? – Pedro deu um sorrisinho

Pedro: você é cheia dos por quês – ele passou a mão no rosto molhado dela – tenho um porque sim – suspirou – se Paula e Poncho se casarem terei que dar Adeus ao meu amor por você – ele falou naturalmente e com um sorriso perfeito no rosto, manu no primeiro momento pensou ter sido fruto da imaginação dela, se sentou na cama e deu um pequeno sorriso tímido

Manu: como você é bobo – deu um tapinha na cabeça dele

Pedro: Pelo menos te fiz sorrir – se sentou ao lado dela na cama – não é mentira – pegou a mão dela – seu pai nunca vai querer um namorado seu morando debaixo do teto dele

Manu: Pedro – suspirou limpando o rosto – você não pode gostar de mim – se afastou um pouco dele e levantou da cama

Pedro: Porque não? – se levantou e foi até ela – você não tem ninguém , eu não tenho ninguém – pegou de novo as mãos dela – não posso te ver triste que meu coração dispara como se fosse sair pela minha boca – ela tentou se afastar de novo, só que ele levou as mãos dela ao peito dele – sente – manu nunca imaginou que poderia sentir um coração bater tão rápido

Manu: Pedro – ela olhou para baixo, tirando aos mãos de perto dele, olhou nos olhos dele

Pedro: Eu vejo que estou causando os mesmos sentimentos em você pequena – passando a mão no rosto dela – eu quero que fique comigo

Manu: posso estar gostando de você, só que você não sabe quem realmente sou – suspirou, não queria contar a verdade, só que o seu coração estava batendo tão quão ou mais rápido que o dele

Pedro: Eu te amo, quero ficar com você – sorriu feliz – por enquanto não sei, só que quando aceitar ser minha pequena, vamos nos conhecer muito melhor – abraçou ela pela cintura e beijou a bochecha – me aceita pequena? – sussurrou no ouvido dela, manu fechou os olhos

Manu: Desculpa Pedro – se afastou dele – vamos ser parentes agora – tentando arranjar uma desculpa

Pedro: Parentes? Não seremos parentes isa só vamos morar na mesma casa meu amor – manu sentiu um grande baque ao ouvir o nome isa, não era isabela e sim manuela , não queria enganar ele

Manu: Pedro, por favor – se afastou dele – não podemos ficar juntos – procurou o celular, queria muito falar com isabela

Pedro: Por que não? Me diga apenas um por que? – fazendo um com o dedo indicador, manu suspirou

Manu: Tenho que te contar uma coisa, só que deve ficar entre a gente – suspirou se sentando na cama – será outro segredo nosso – viu ele se sentar na cama – não sou a isabela, me chamo Manuela– Pedro ia falar alguma coisa – deixa eu terminar – isabela contou toda a história para Pedro que estava de boca aberta pela história toda – Fim! Sei que pode ficar chateado comigo, só que ...

Pedro: quando vamos começar o plano – interrompendo ela – quero ficar com você custe o que custar – manu sorriu meiga e abraçou ele com força

Manu : Pedro, é sua irmã, não precisa fazer isso – falou sincera – só quero que esteja comigo quando a bomba estourar

Pedro: Estarei sim – colocou a testa com a dela – queria te ajudar, só que Paula é minha irmã, já que você falou vou preferir ficar apenas como cúmplices – sorriu – mas essa historia é muito louca, seu pai nem desconfia – Manu sorriu e lhe acariciou a face – É bom estar assim com você – de olhos fechados deu um selinho nela que retribuiu.

Autora narrando :

Manuela e Isabela já tinham planejado o “grande” plano, com a ajuda dos atuais namorados, Pedro estava cada vez mais apaixonado por Manuela , Joaquim infernizava e fazia chantagens para isabela , só que no fundo os dois estavam amando poder ficar ás vezes.

Manuela tinha dito para isa que seu pai iria fazer um pequeno jantar em um hotel, para poucos convidados, iria anunciar seu casamento, Paula estava radiante de vitória. Manu ainda estava de castigo, só saia do quarto para comer, não estava nem olhando para a cara do pai direito, só falava o essencial

( Argentina )

Manu: É amanhã – suspirou e levou o polegar a boca para roer a unha, andando de um lado para o outro.

Pedro: Assim vai fazer um buraco no chão pequena – parou ela e a beijou na bochecha

Manu: Pelo menos morro antes de todos descobrirem tudo – sorriu nervosa

Pedro: Não diga besteiras Manu – deu risada – olha sua mãe com certeza vai querer vir destrocar vocês, então vocês começam o verdadeiro plano – piscou para ela

Manu: Será que vai dar certo amor? – abraçou ele pela cintura e deitou a cabeça em seu peitoral

Xxx : O que vai dar certo? – Manuela se assustou e pulou para bem longe de Pedro, sorriu nervosa e olhou para Pedro

Manu: Papai ... – Pedro estava nervoso, mas a interrompeu

Pedro: Olha Poncho, a isa estava ensaiando como lhe pedir desculpas – Manuela olhava nervosa para o pai confirmando tudo. Poncho abriu um sorriso e foi até a filha e sem que ela esperasse abraçou com carinho

Poncho: Ensaiando? – afastou a filha um pouco para olhar seu rosto – não precisa ensaiar pequena – voltou abraçar ela

Manu: Papai, me desculpas – também abraçava ele, Pedro olhando contente chegou perto deles e abraçou eles também

Pedro: Como é bom abraçar a quem se ama – sorrindo

Poncho : Sai daqui moleque – rindo e empurrando ele pra longe da filha – eu te desculpo princesa, desculpa ter sido grosso com você

Pedro: Oh! Que lindo – fazendo voz feminina

Poncho: Falando assim, vou começar a achar que em vez de estar namorando minha filha escondido estão brincando de moda – Pedro arregalou os olhos e Manuela ficou vermelha – O que gente? Não acredito que vocês pensavam que eu era tão ingênuo de pensar que vocês não tinha nada – falou naturalmente – alias ... quais são suas intenções com minha filha? – ele deu uma risada enquanto Pedro ria sem graça.

( Londres )

Isabela nem imaginava como iria contar toda a verdade para any , estava andando de um lado para o outro na porta do escritório da mãe e com a mão na cabeça.

Isa: O que eu vou fazer, o que eu vou fazer? – repetia a cada momento para si mesma

Xxxx : assim vai acabar fazendo um buracão no chão querida – Se assustou com a voz atrás de si

Isa: Vovô – assustada

José: te assustei? Me desculpa – se aproximou dela – esta querendo falar com a any ?

Isa: Sim – sorri – estou sem coragem – suspirou

José: Esta com medo de lhe contar a verdade? – Isabela arregalou os olhos – as paredes tem ouvidos querida – deu uma risada, foi até isa e abraçou ela com carinho – É tão bom ter a pequena isabela nos braços de novo

Isa: Vovô ... como soube? – estava bastante assustada de ter sido pega

Notas Finais


Até mais ....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...