História Nosso amor proibido - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Sabrina Carpenter
Exibições 73
Palavras 3.763
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem

Capítulo 29 - Treta maligna!!


Fanfic / Fanfiction Nosso amor proibido - Capítulo 29 - Treta maligna!!

Eu estava realmente chateado com aquela situação da May, e eu não sabia o motivo, não entendia o que eu sentia por ela, afinal ela é minha irmã. Eu estava com raiva, e minha moto estava tão rápido que quando um cachorro enorme passou na frente dela quase não deu tempo de parar.

E apesar de quase ter sido atropelado o cachorro nem pareceu ligar e continuou o caminho dele para um prédio, parou na porta dele e parecia estar com fome. Eu não sabia se ele tinha dono, e também não sabia se o fato de ter passado no meio dos carros era bravura do cachorro ou talvez loucura, mas ele era um cachorro bem bonito, o tipo de cachorro que eu teria.

Então estacionei a moto na frente do prédio, tirei o  capacete, coloquei no braço e andei até o cachorro. Ele já começou a abanar o rabo, o que é estranho porque eu pensei que ele fosse ser mais agressivo, cheguei um pouco mais perto e ele levantou e veio até mim abaixando a cabeça pedindo carinho, então acariciei ele e quando parei ele pulou em mim, o que fez com que eu perdesse o equilíbrio e quase caísse para trás, no entanto consegui me equilibrar rapidamente.

Fiquei fazendo mais carinho nele, até que um cara da minha altura que aparentava ter uns 16 anos se aproximou e o cachorro correu até ele.

— Oi amigão?! — O rapaz passou a mão no cachorro

— Ele é seu? — Pergunto ao observar como o cachorro pareceu feliz na presença dele.

— Não, mas ele sempre fica aqui na porta e eu dou comida pra ele

— Ata.... já deu um nome pra ele?

— Não, faz pouco tempo que ele apareceu aqui na rua... Ah e falando nisso meu nome e Dylan — Ele estendeu a mão.

— O meu e Castiel! — Olho pra mão dele e faço uma cara feia.

— Mas de qualquer maneira, parece que ele gostou de você, por que não leva ele? — Ele disse e colocou as mãos no bolso.

— Até que não é uma má idéia, sempre quis ter um cachorro.

— Então leva ele... se quiser tenho um coleira lá em casa.

— É que agora eu não posso.. eu to indo pra casa de um amigo, e eu estou de moto, então não dá...Vamos fazer assim, eu te pago pra fica cuidando dele e mais tarde eu venho aqui pra buscar ele?

— Okay. — Dylan faz carinho nl grande cachorro.

— Falou cara. — Falo começando a me afastar.

— Falou! — Ele fala olhando o cachorro por algum tempo.

Montei na moto, coloquei o capacete, liguei a moto e fui seguindo meu caminho de novo mas agora sem interrupções.

                        (....)

Cheguei na casa do Lysandre, na porta tinha duas garotas e uma criança, estacionei a moto na porta da casa e vi que elas perceberam que eu estava ali. Sai de cima da moto, tirei o capacete e coloquei no meu braço novamente, fui até elas conhecia uma que era a Rosa, a outra eu sentia como se já tivesse visto em algum lugar, e a menininha que estava segurando a mão da menina estava com medo de mim porque ela se escondeu atrás das pernas da maior.

— Oi Castiel, tudo bem? — a Rosalya disse dando um aceno.

— Oi, tudo sim... quem é? — Aponto pra menina que estava me olhando com uma cara nada amigável.

— Sério? Você não lembra da Rebecka? — A Rosa faz uma cara de deboche.

Faço uma cara de confuso e faço que não com a cabeça arrancando um suspiro frustado da Rosalya.

— A menina que chamou a polícia pra prender você, dizendo que você estava bulinando ela só pra você ficar loge porque ela não aguentava mais as suas cantadas.

Quando ela falou isso levei um susto, ela tá muito gata, nem parece que faz só um ano e meio, ela parou de pintar o cabelo de laranja e tenho que adimitir que ela fica bem mais bonita assim, então essa era a Rebecka que o Lys estava falando, e ele até que tem bom gosto.

— Ah... E aí Becka? — Dou um sorriso de lado.

Ela so deu um sorriso irônico como resposta e quando ela ia falar alguma coisa a porta abre e o Lysandre aparece, ele olha direito pra Rebecka e dá um sorriso tão grande que podia jurar que ele ía beijar ela à qualquer momento, até que ele olhou pra menininha que estava atrás da Becka e os olhos dele brilharam.

— Oiii Lys, tudo bem? — A Rosa vai dá um abração nele... E se eu não conhece-se eles diria que eles são namorados.

— Oi Rosa, sim eu tô bem... vem vamos entrar? — Ele retribui o abraço e abre mais a porta.

Todos entram inclusive eu, o Lysandre fechou a porta e eu já puxuei ele pra conversar longe das garotas.

— Essa que é a tal Rebecka?

— Sim, é ela... Bonita não é? — Olha pra ela que estava sentada com a menininha no colo.

— Sim, mas não é isso, é que eu já conheço ela. — Olho pra ele com uma cara de deboche.

— E o que tem? ...— Ele faz cara de confuso.

— É que cara, você tá fudido! — Encosto na parede.

— Por que? — Cruza os braços.

— Cara, ela é muito difícil, tipo se você quiser namorar ela você vai viver de punheta...É serio! — Não pude conter um riso pela frase que eu falei.

— E você acha que eu não sei? Eu tô tentando pegar ela à dois meses e ela não me dá nem bola... e também eu não quero namorar ela, eu só quero pegar, é diferente. — Revira os olhos.

— Ata sei...Você acha que eu sou burro? Eu percebi como você olhou pra ela... eu até vi coração sobrevoando sua cabeça. — Peguei um cigarro e acendi.

— Não pode fumar aqui! — Ele pega o cigarro, apaga e joga em um lixinho que tinha do lado dele, eu fechei a cara.

Mas logo peguei outro cigarro e acendi de novo, dei uma tragada funda e soltei na cara do Lysandre.

— Cof cof... Não vai adiantar nada não é?— Abana a mão na frente do rosto tentando afastar a fumaça — Mas falando sério, eu não estou apaixonado.

— Veremos.

O Lysandre só fez uma cara seria e ficou me olhando até a campainha tocar e ele ir atender.

Quando ele abriu a porta e eu vi quem era já começei a ficar nervoso, e quando a outra pessoa passou pela porta eu já estava tremendo de raiva, apaguei o cigarro, joguei ele no lixo e andei até aquele indivíduo que estava conversando con o Lysandre, quando o Kentin me viu já vi o medo nos olhos dele.

— O-oi Castiel — Fala com a voz tremula pelo medo.

— Oi Kentin — Dou um sorriso cínico, então levanto minha mão e dou um soco na cara dele.

O soco foi tão forte que ele caiu no chão e o nariz dele começou a sangrar.

— O que é isso cara? O que eu te fiz? — Levanta meio cambaleante e fica na minha frente com a mão no nariz.

— À mim? Nada! Mas pra Maya voce fez... e agora eu vou fazer um estrago na sua cara. — Vou pra dar um soco nele de novo mais sinto uma mão segurando o meu braço.

— Pra que isso cara? — O Nathaniel fala com a cara seria

— Não te interessa lourinho. — Dou um soco bem no olho dele também, ele se desequilíbra e encosta na parede com a mão no olho.

Volto a minha atenção ao Kentin, ele vai se afastando, mas depois de algum tempo ele para de andar e me encarar e eu seguro na gola da camisa dele.

— Pode me bater, eu mereço! — Levanta mais a cabeça

Ele parecia que ia chorar, que patetico!

— Então você esta falando que fez alguma coisa mesmo com a Maya ontem? — Levanto a minha mão que já estava preparada pra dar um soco nele.

— Eu não fiz nada... mas pensei, e pra mim isso é o suficiente...— Abaixa a cabeça triste

— Você não fez mesmo nada com ela? Ou você ta mentindo? — Levanto mais ainda meu punho.

— Não, eu não transei com ela se e isso que você quer saber — Levanta a cabeça pra me encarar.

— Espero que isso seja verdade, para o seu próprio bem, porque se eu descobri que está mentindo, você pode se considerar morto. — abaixo a minha mão e souto ele. — E então? Nós vamos ensaiar ou não? — Vou andando ate o Lysandre.

— V-vamos claro! — Fala ainda meio assustado com o que acabou de acontecer.

— Ah é! Falando nisso...onde que ta minha guitarra que eu deixei aqui àquele dia?

— Na sala de musica...

— Tá vou lá pegar — Me afasto.

Antes de ir pro corredor olho pro Nathaniel, ele estava com a mão no olho encostado na parede. Dou um sorriso debochado pra ele e entro no corredor.

*Lysandre on*

Fui atender a porta e vi uma pessoa que eu não esperava ver aqui hoje, o Nathaniel. Não sei o que ele está fazendo aqui, eu evito ter ele e o castiel no mesmo ambiente, porque sempre dá merda quando os dois estão no mesmo lugar, então me assustei e sei que vai da merda, mas não podia expulsar ele, então deixei ele entrar e vi que logo atrás vinha o Kentin.

Ele estava com uma cara muito ruim como se alguém tivesse morrido, ele veio na minha direção e me cumprimentou e entrou logo em seguida atrás do Nathaniel. Vi o castiel vindo na minha direção, e eu percebi o olhar que ele mantinha, claramente ele ia matar alguém. O Kentin ficou com medo, e pelo jeito o problema é com ele.

Ele falou "Oi" pro Castiel, e o Castiel respondeu com um "Oi" pra ele também, mas era diferente, era como se fosse possível sentir toda a raiva na voz dele. E em depois de os dois se olharem um pouco o Castiel um soco na cara do Kentin, eu olhei pra Rebecka ele estava com um olhar de puro odio pro Castiel, ela segurava a irmã menor no colo e a garotinha parecia querer chorar, a Rosa estava espantada.

Olhei pra frente de novo e vi o Castiel dando um soco no Nathaniel, adimito que aquilo estava ficando sério e eu queria me meter, só que pelo que eu entendi o Castiel acha que o Kentin transou com a Maya ontem, na festa eu também achei bem suspeito o Kentin subir lá pra cima logo depois da Maya, mas o Kentin nunca faria isso, ainda mais com ela bebada ele não seria capaz. Achei estranho quando de um momento para o outro o Castiel simplesmente abaixou a mão e perguntou se agente ia ensaiar, fiquei bem confuso, mais fiquei mais confuso ainda quando ele perguntou onde estava a guitarra e saiu da sala, vi a Rosa correr ate o Kentin e a Rebecka até o Nathaniel.

— Só o que me faltava, sair da minha casa para trazer minha irmã menor pro meio dessa idiotice. — Escutei a Rebecka resmungando.

Ela olhava a marca roxa do Nathaniel e parecia preocupada, então ela ajudou ele a se sentar no sofá, e veio até mim.

— Tem alguma coisa pra eu limpar os machucados do Nath?

— No banheiro. Segundo porta à esquerda. — Apontei pro corredor e ela foi.

Depois de alguns minutos ela voltou, cuidou dos machucados do Nathaniel, e ele não parava de resmungar e reclamar. Quando ela acabou a Rosa começou a limpar os do Kentin, a Rebecka voltou a se aproximar de mim, ela parecia chateada.

— Quem e Maya? É a namorada do Castiel?

— Não, a Maya é a irmã dele.

— O Castiel tem uma irmã? — O Nathaniel pergunta, ele parecia estar bem confuso .

— Na verdade ele tem duas, são gêmeas. — Pego meu celular e mostro uma foto que eu tirei no dia da festa.[foto na capa do cap]

— Elas são bonitas — A Becka fala pegando o meu celular e olhando mais de perto, no entanto depois ela fez uma cara estranha e me devolveu.

— Elas parecem ser o oposto do castiel... Primeiramente porque elas são loiras e o Castiel é moreno. — O Nathaniel dá de ombros.

— Porque a mãe do Castiel é loira e o Pai dele é moreno... — Pego meu telefone de novo com a Rebecka

— E como elas são? — Fala a Becka indo até o sofá onde o Nathaniel estava sentado e sentou do lado dele

— Elas são bem legais, sabe conversam e são bem divertidas.

— É elas são bem legais mesmo, e se vestem muito bem. — Fala a Rosa ficando do lado da Rebecka.

—Você conheceu elas?— coloco as mão nos bolsos

— Sim elas passaram na loja do leigh mais cedo.

— Falando nisso a Maya me pediu pra perguntar se vocês querem ir na praia amanhã? — O Kentin senta do lado do Nathaniel.

— Tá, pode ser...Eu topo! — Tiro a mão do bolso e arrumo meus cabelos.

— É, ela falou pra mim também... e ela disse pra perguntar que horas vai ser. — A Rosa falou olhando pro Kentin.

— Ela pediu pra gente ir buscar elas em casa as 12:00

— A Becka pode ir? — Cutuca ela com o cotovelo

— Não, imagina deve ser encontro só de amigos... eu não quero atrapalhar eu odeio atrapalhar. — Fala um pouco nervosa.

— Não, que isso? Ela falou pra eu convidar todo mundo e você esta incluida nesse todo mundo.

— Tem certeza? Não quero atrapalhar mesmo. — A Becka disse jogando os cabelos pro lado.

— Sim, tenho, relaxa!

— Tá bom, eu vou!

Olho pra ela com um olhar sedutor, ela pareceu nem ligar. Tá muito difícil sério... O castiel tinha razão.

— E você Nathaniel, vai? — A Rosa pergunta e todos olham pra ele.

— Não sei... Você viu o que acabou de acontecer? Sempre acontece isso quando eu to perto do castiel, então eu não sei. — Ele coloca a mão no olho

— Vamos!! É so você ficar bem londe dele, você sabe como ele é.

— Tá, eu vou!

A gente continuou conversando até a campainha tocar.

* Lysandre Off*

*Rebecka On*

Quando eu vi os socos eu juro que meu sangue ferveu, a Viih queria chorar, e se eu visse que ela deixou cair uma lágrima eu iria pular no Castiel. No entanto ele do nada largou o Kentin e falou umas coisas com o Lysandre antes de entrar pra um corredor da casa dele.

Eu coloquei a Viih no chão e fui até o Nath. O olho dele com certeza iria ficar roxo depois daquilo, e eu estava com muita raiva do Castiel por causa disso, afinal, depois do Alexy e da Rosa o Nath era um grande amigo meu.

Então eu resmunguei um pouco, ajudei o Nath a se sentar no sofá e perguntei ao Lys se tinha algo pra limpar os ferimentos do Nathaniel. Fui buscar, quando eu voltei eu limpei os pequenos cortes na cara devido ao soco e depois fui falar com o Lys novamente.

— Quem e Maya? E a namorada do Castiel? — Perguntei estressada com o que tinha acabado de acontecer.

— Não, a Maya é a irmã dele. — O Lysandre disse dando de ombros.

— O Castiel tem uma irmã? — O Nathaniel perguntou, ele não estava entendendo nada assim como eu.

— Na verdade ele tem duas, são gêmeas. — O Lysandre pegou seu celular do bolso, desbloqueou, e mostro uma foto que eu ele tinha delas.

Claro que eu senti uma pequena pontada ao me perguntar o motivo de ele ter foto da duas, afinal elas eram bem bonitas.

— Elas são bonitas — Eu peguei o celular da mão dele, ele pareceu distraido.

As duas loiras eram lindas, e sinceramente não pareciam em nada com o Castiel. A tela do celular ía apagar, então eu toquei na tela pra evitar isso, mas a foto mudou e eu pude ver o Lysandre beijando uma garota. Ela era extremamente bonita, o que me fez sentir um pouco de inveja, e eu admirto que eu estava com ciúmes, mas o Lysandre não era meu namorado, então empurrei o pensamento pro lado e voltei pra foto das garotas antes que ele pensasse que estava invadindo sua privacidade.

A verdade é que antes da repentina mudança do Lysandre eu me arriscaria a dizer que gosto dele, me arriscaria a ter algo com ele. No entanto ele parece querer ser alguém que não é, isso me deixa frustada e eu prefiro me afastar, se ele não consegue ser quem ele realmente é, eu não vou me envolver, não gosto de farsas.

— Elas parecem ser o oposto do Castiel... Primeiramente porque elas são loiras e o Castiel é moreno. — O Nathaniel falou tirando minha atenção do celular.

— Porque a mãe do Castiel é loira e o Pai dele é moreno... — O Lysandre pegou o celular da minha mão.

— E como elas são? — Falei indo me sentar ao lado do Nath.

— Elas são bem legais, sabe conversam e são bem divertidas. — Ele falou e eu sentia pequenas pontadas a cada palavra.

— É elas são bem legais mesmo, e se vestem muito bem. — A Rosa disse vindo sentar ao meu lado.

—Você conheceu elas?— O Lysandre disse e colocou as mãos no bolso.

— Sim elas passaram na loja do Leigh mais cedo.

— Falando nisso a Maya me pediu pra perguntar se vocês querem ir na praia amanhã? — O Kentin disse e eu comecei a me sentir excluída.

— Tá, pode ser...Eu topo! — O Lys arrumou os cabelos platinados.

— É, ela falou pra mim também... e ela disse pra perguntar que horas vai ser. — A Rosa falou olhando pro Kentin.

— Ela pediu pra gente ir buscar elas em casa as 12:00

— A Becka pode ir? — A Rosa me cutucou, e logo eu senti vergonha.

— Não, imagina deve ser encontro só de amigos... eu não quero atrapalhar eu odeio atrapalhar. — Era horrível quando a Rosa fazia isso, eu acabava me sentindo deslocada no meio deles.

— Não, que isso? Ela falou pra eu convidar todo mundo e você esta incluida nesse todo mundo.

— Tem certeza? Não quero atrapalhar mesmo.

— Sim, tenho, relaxa!

— Tá bom, eu vou! — Me rendi já que era mais fácil inventar uma gripe no dia qe discutir com a Rosa.

O Lysandre me olhou de uma maneira estranha, eu senti muita vontade de rir naquele momento, ele estava agindo com um completo babaca e era engraçado.

— E você Nathaniel, vai? — A Rosa pergunta eu vibrei, se ele fosse eu não ficaria tão deslocada.

— Não sei... Você viu o que acabou de acontecer? Sempre acontece isso quando eu to perto do castiel, então eu não sei. — Ele colocou a mão no olho, estava chateado.

— Vamos!! É so você ficar bem londe dele, você sabe como ele é.

— Tá, eu vou! — Eu me segurei pra não pular no loiro, ia parecer estranho, apesar de ser só uma amizade as pessoas logo iam imaginar coisas.

A campainha tocou e o Lys abriu a porta, o Armim entrou e logo atrás o Alexy, a Rosa correu e pulou no Alexy e por um segundo eu pensei que eles iam cair. E depois de eles trocarem umas palavras e o Armim sentar no outro sofá o Alexy andou até mim, me puxou do sofá e me deu um dos abraços que só ele dava.

— Eu to vendo a traição. — Ouvi a voz da Rosa que logo se meteu no nosso meio.

— Tá bom, chega dessa viadagem. — Falei e me separei deles e voltei a sentar.

A Rosa logo sentou do meu lado e o Alexy sentou do lado do Kentin. Eu quase comecei a rir da cara que o Kentin fez, mas me segurei. A Rosa pareceu procurar alguma coisa no bolso.

— Becka, você pegou meu batom ou viu ele por aí?

— Não... Nem sabia que você tinha trago um.

— Lógico que eu trouxe, eu tinha colocado no bolso mas aí a Vitória pegou e começou a brinc... — Ela parou de falar, olhou ao nosso redor e depois olhou pra mim de novo. — Cadê a Vitória?

Foi a minha vez de olhar ao redor pra procurar minha irmã menor e ela realmente não estava alí, e eu senti o medo passar pelo meu corpo, então eu levantei.

— Me ajudem a procurar a Vitória, ela deve está por aqui.

Então começamos todos a procurar, o Lys foi olhar na cozinha e depois de olhar a sala junto com os outros garotos eu fui golhar nos quartos, eu procurei bastante e já estava ficando desesperada.

Então eu vi o Castiel saí de uma porta, provavelmente a sala de música, ele parecia assustado, e quando eu cheguei mais perto tinha batom no rosto dele.

— O que foi isso? — Perguntei sem conseguir segurar uma risada.

Ele me olhou de cara feia e apontou pra dentro do que era a sala de música. Eu cheguei mais perto e vi a Vitoria com o seu ursinho de pelúcia em uma mão e o batom na outra rindo. Eu fui lá e peguei ela no como, voltei pra perto do Castiel e ele parecia assustado.

— Essa garota é do mal, olha o que ela fez na minha cara.

Eu comecei a rir mais alto, e me afastei de lá e voltei pra sala.

— Onde ela tava? — A Rosa perguntou.

— Tava na sala de música. Eu não sei o que aconteceu lá mas agora o Castiel tá com medo da Vitória... Essa é a minha garota.

— Com certeza é sua irmã, já tá até pegando meus batons sem  pedir. — Ela pegou o batom da mão da Vitória.

*Rebecka Off *


Notas Finais


Capítulo da praia esta chegando!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...