História Nosso ódio - Pklango - H i a t u s - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Felipe "Febatista" Batista, Matheus Neves "Pk Regular Game", Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Felipe "Febatista" Batista, Matheus Neves, Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango"
Tags Aloid, Amor, Cellke, Clichê, Felxinim, Foudasse, Ódio, Pactista, Pkalango, Pklango, Saikum
Visualizações 468
Palavras 827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLAAAA BOLINHOS
OLHA QUEM VOLTOU!

pera pera, dexa eu faze um troço aqui:

*põem a mão sobre o peito*

Eu Camila prometo que essa versão sairá melhor que a primeira e prometo não desistir ou abandonar novamente essa fic!

Pronto!

Agora vão lê cambada
~ camz

Capítulo 2 - || Eu ainda te amo ||


Fanfic / Fanfiction Nosso ódio - Pklango - H i a t u s - Capítulo 2 - || Eu ainda te amo ||

"Nosso ódio"

Capítulo 1

"Eu ainda te amo"

Matheus Neves (Pk)


Minha cabeça estava baixa e a touca do casaco que usava chegava perto de meus olhos, me atrapalhando um pouco enquanto eu traçava riscos aleatórios sobre o papel a minha frente.

Puxei de leve a manga de meu casaco, encondendo o pingente que estava aparecendo da pulseira que estava usando.

Senti a touca do casaco ser puxado e, por impulso, fechei o caderno que estava em minha frente.

— Olá, Pk. - Aquela maldita voz, que antes me trazia belos sonhos, e hoje é um dos meus maiores pesadelos.

— Thiago, já lhe falei que para você é Matheus. - Respondi ainda de cabeça baixa, cerrando os dentes.

— Está estressado Pk? Por quê? Papai e mamãe não estavam lá para dar bom dia? - Perguntou com certa ironia na voz. - Aé, tinha esquecido que você é emancipado. - Completou e, em um movimento rápido, me levantei do banco, ficando frente a frente com o garoto.

— Eu nunca te dei o direito de falar sobre minha vida! - Gritei e cerrei meus punhos. - Idiota! - Completei, levantando meu pulso em direção ao seu rosto.

Vi seus olhos se arregalarem, enquanto estes estavam focados em meu pulso. Olhei na direção do mesmo e vi que a manga do casaco havia descido, deixando a pulseira a mostra.

Abaixei meus punhos e, em seguida, a manga do casaco. Voltando a me sentar onde estava.

Ouvi passos se afastando e deduzi que Thiago havia voltado para a sua ridícula rodinha de amigos.

— Bom dia. - Ouvi outra voz, essa que me fez relaxar, e vi Rafael se sentando a minha frente.

— Bom dia Guaxinim. - Sorri de leve para ele, tirando a touca do casaco da minha cabeça.

— O que está desenhando hoje? - Perguntou, enquanto eu ainda mantia minha concentração nos traços que estava fazendo.

Dei de ombros e Guaxinim, como denominado Rafael, puxou o caderno de minha mão e começou a avaliar o desenho, fazendo algumas caretas que me arrancavam risadas baixas.

— Espera aí... - Falou, deixando o caderno em frente a seu rosto, parecendo realmente analisar o desenho. - Esse não é o Calango?

— O quê?! Mas é claro que não! - Falei um pouco alto, arrancando o caderno de sua mão e logo em seguida ouvindo o sinal ecoar. - Bateu o sinal, vem vamos para a sala. - Falei rápido, me levantando, pegando minha mochila, e saindo correndo para a sala de aula, vendo que Guaxinim me seguia.

Antes de adentrar a sala olhei o desenho que tinha feito. 

— Não, Matheus, você não desenhou o Thiago. - Falei a mim mesmo, suspirando e fechando o caderno, logo adentrando a sala de aula.

(...)


Depois de quase cinco horas de sofrimento o sinal tocou, avisando a todos que as aulas daquele dia haviam acabado.

Eu, como sempre, esperei com que todos saíssem da sala de aula, para me levantar, pegar minha bolsa, e sair também.

Não tinha visto Guaxinim no pátio, então deduzi que este já havia ido embora.

Estava perto do portão da escola quando senti meu pulso ser envolvido por uma mão e meu corpo ser puxado para fora da escola.

Apenas parei de ser puxado ao parar em um beco próximo a escola e ser prensado contra a parede.

— Por quê ainda usa isso? - a voz era baixa, mas eu podia identificar a quem ela pertencia.

— Isso o quê Thiago? Está ficando louco é? - Perguntei tentando o empurrar.

— Isso! - Ele elevou o tom de voz, pegando meu pulso e mostrando a pulseira, levantando seu olhar para meu rosto.

— Não acredito que está perguntando isso. - Falei, sentindo minha voz falhar, eu sabia que queria chorar.

— Me responda! - Gritou, apertando meu pulso.

— Me larga idiota! Está machucando! - Respondi ao mesmo tom, sentindo sua mão apertar ainda mais meu pulso.

— Por quê ainda usa isso Matheus?

— Quer saber o porque? - Gritei, já com os olhos marejados. - Porque quando eu prometi o para sempre, a dez anos atrás, eu não menti. Quando falei que nunca jogaria isso fora, quando prometi isso, eu não estava mentindo! - Continuei gritando, enquanto sentia as lágrimas escorrerem pelo meu rosto. - Agora me larga! - Puxei meu pulso e empurrei Thiago, saindo correndo para fora do beco.

(...)


Thiago Elias (Calango)


— Merda! - Gritei depositando um soco na parede, sentindo minha mão formigar após tal ato.

Encostei minha testa na parede e fechei meus olhos, sentindo as lágrimas escorrerem pelo meu rosto.

— Eu juro Matheus, eu não queria, eu não queria te decepcionar. Não queria ir embora e ter que te deixar, e não queria ter te magoado um dia antes de ir embora. - Passei minha destra nas lágrimas que estavam em minha bochecha. - Me desculpa, eu ainda te amo Matheus, me desculpa. - Finalizei, abrindo meus olhos e me afastando da parede.

Passei novamente minhas mãos em meu rosto, e logo em seguida em meu cabelo. Logo saindo do beco e indo para minha casa.

Onde outro inferno começava.


Notas Finais


AHHHHH
VÃO ME DIZER SE ISSO NAL TAH BEM MELHOR QUE A PRIMEIRA VERSÃO?

Ain voltei a ficar animada com essa fic💗

Amo vcs por terem permitido que eu reescrevesse, 6 são foda💗

Otra fic que amo escreve: https://spiritfanfics.com/historia/o-vizinho-da-frente--alelps-9886218

Oneshot recente: https://spiritfanfics.com/historia/i-love-you-9919143

Bom eh isso

AMO VCSSS💗

~beijins


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...