História Nosso vizinho - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor Proibido, Casal, Desejo, Paixão, Romance, Sexo, Vizinho
Visualizações 39
Palavras 2.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 30 - Grávida?


Fanfic / Fanfiction Nosso vizinho - Capítulo 30 - Grávida?

Nem sei por quanto tempo chorei e nem quando peguei no sono. Acordo no outro dia com o rosto inchado pelo choro. Lembro do que aconteceu na noite passada e olho em volta, só encontro minha caixa de bombons.

Desço e vejo meu buquê em um vaso na mesa do corredor. Encontro minha mãe na cozinha – milagre - Conto tudo sobre o tal convite que recebi do coordenador

- Que ótimo isso Isa, muito bom – Ela sorri – Mas e aquelas flores que encontrei no seu quarto?

- Ah, foi de um amigo – Sorrio ao lembrar

- Amigo... sei. Isabela – Ela me olha de canto

- Amigo mãe... São lindas né? – Sorrio e ela me abraça – Vou pra aula – Digo ao me levantar

- Cuidado, juízo menina

[...]

Já faz três dias desde que falei com o Carlos. Até agora não veio ter a tal conversa. Não é só ciúmes, sei que não. Ele tá distante de mim, como eu tinha medo disso acontecer. Talvez tenha percebido que não sente nada por mim.

É um domingo, finalmente uma folga. Amanda me liga chamando para dar um rolê no shopping, Essa não me larga nem aos domingos.

Coloco um vestido solto, um calçado confortável e vou até o local que combinamos. Damos uma volta e vemos um filme.

- É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, talvez esteja confuso – Ela diz enquanto tomamos um milk-shake

- Um abraço custava? Sério, me odeio por ter me metido com ele – Reviro meus olhos – Tenho vontade de largar tudo pro alto, mas quando vejo ele... me perco totalmente

- E o Jorge, onde fica nisso?

- Ai Amanda, não complica mais. Vamos voltar pra casa vai – Digo levantando

- Vamos chata, vou dormir na sua casa, nem me olha com essa cara – Amanda diz andando na minha frente

- Cachorra – Sorrio

Voltamos para minha casa, entro e fecho o portão atrás de nós. Ouço uma voz conhecida, e como conheço...

- Ele tá aqui – Sussurro pra Amanda que me olha colocando a mão na boca aberta – Não vou entrar por aqui – Digo indo em direção aos fundos

- Vai sim Isabela – Ela me puxa – Para idiota, vamos – Ela me empurra e paro bem na sala

- Vou te matar – Digo me virando.

Vejo meu pai, Carlos e Igor, um amigo deles. Estão empolgados conversando que nem nos ver, ao menos é isso que penso

- Oi tio – Amanda diz chamando atenção deles, FDP quero matar ela

Logo os olhos de Carlos param me olhando, sinto minhas pernas tremerem ao ver seu sorriso que se desfaz um pouco ao me olhar, ele está me matando fazendo isso.

- Olha aí a nova palestrante – Diz meu pai me fazendo corar

- Para com isso – Digo séria e ele sorrir, olho para o Carlos que está tomando sua cerveja sem nenhuma atenção para mim

Vou em direção a escada e percebo que Amanda ainda fala com eles

- Vem logo Amanda – Digo revirando os olhos e ela corre ao meu encontro

Subimos para meu quarto, me jogo na cama sem forças nas pernas.

O que causa em mim Carlos? – penso

- Chama logo ele – Amanda diz sentando ao meu lado pegando o celular da minha mão

- Não, ta louca? – Digo tentando pega-lo de volta

- Vai logo Isa – Revira os olhos – Tem uma mensagem

- De quem? – Digo deitada com preguiça demais para levantar

- Anonimo – Ela diz e me sento esperando ela ler – “Você não tem noção do quanto ta linda Isabela, como queria te ter pra mim” Humm... admirador secreto

- Ai idiota, me dá isso – Olho e leio novamente – Recebi algo parecido esses dias, quem será que ta mandando isso?

- Isabela a arrasadora de corações – Amanda diz com um gesto das mãos

- Engraçadinha

Ficamos até tarde conversando e resolvemos ver outro filme. Desço para fazer uma pipoca e percebo que meus pais já dormem, me assusto com o barulho de mensagem no celular.

“-Acordada? – Carlos.”

Ah! Ainda tem meu numero? – penso

Não respondo e volto para o quarto

- Que foi? – Amanda diz ao ver minha expressão nervosa

- Carlos, mandou mensagem

- Finalmente, o que quer?

- Não sei, não respondi – Dou de ombros e como a pipoca

- Fala sério Isa, responde isso logo meu – Ela diz irritada e só a olho – Vaaaai – Ela me bate

- Ta bom – reviro os olhos suspirando

**Sim, oq quer?

- Falar com vc, posso?

**Fale

-Pessoalmente

**Agora?

-Pode?

**Posso, não sei se quero.

-Arrumei uma desculpa, n sei quando vou conseguir outra

**Ta bom, onde está?

- Em frente sua casa

**OK, já desço”

- Satisfeita? – Pergunto

- Só quando voltar de lá e me disser que arrancou um belo de um beijo nele

- Cheia de graça – Reviro os olhos

Visto uma roupa, peço pra que ela me dê cobertura e desço sem fazer barulho.

- Oi – Digo ao vê-lo sentado de costas. Logo se levanta e vem perto. Minhas pernas tremem

- Vamos ali – Carlos mostra um canto mais escondido no meu jardim

- Pode falar – Digo seca, odeio ser assim com ele, mas ta pedindo

- Não sei por onde – sorrir nervoso e volta a expressão séria

- Que tal me falando por que está assim?

- Er... – Ele suspira – primeiro quero te agradecer por tudo, pelo Lucas, por mim...

- Já disse que não fiz nada que outro faria

- Não faria – Ele sorri de canto – Foi muito importante pra ele

- Gosto muito dele, é o mínimo que pude fazer – Olho em volta e ficamos em silencio

- Eu lembro sim de tudo, da gente, se você tem alguma duvida – Continua sorrindo e só olho – De tudo – Repete

- Eu esperei tanto por isso, eu implorava todas as noites antes de ir dormir. Eu implorei pelo seu abraço quando te vi, e você nem me olhou direito. Por que? – Sinto meu olho lacrimejar, não vai chorar agora Isabela

- Desculpa – Só o que diz e sorrio desacreditando

- Fala logo o que queria, preciso entrar – Digo com a voz embargada

Meu coração ta destruído, ele me magoou muito agora.

- Não me lembro de muita coisa de quando estava sem memória, mas... A Carolina me contou que você estava comigo quando desmaiei

- Sim

- Sinto que foi por sua causa que tudo voltou – Ele diz e me sinto bem ouvindo isso, mas não demonstro

- Não fiz nada, foi o tratamento

- Lembro quando te vi lá no hospital, sentia algo, te achei tão linda

Por um momento o vejo aproximar sua mão do meu rosto, mas se afasta, por que faz isso?

- E quando tudo voltou, entendi o por que – Ele sorri – Fiquei louco pra te encontrar

- Eu senti tanto medo de te perder – Digo já chorando e ele me olha sério – Quando minha mãe contou, queria correr pro seu abraço, mas... só queria que me olhasse, falasse algo e você...

- Desculpa... – Ele diz me olhando e seca minhas lágrimas

Sinto tanta coisa junto ao sentir seus dedos em meu rosto, que saudade

- Me abraça por favor – Digo sussurrando implorando com um olhar

Ele demora mas me puxa pra um abraço, o abraço que me sinto segura. O abraço que tanto tive medo de não sentir mais. Desabo em lágrimas presa em seus braços. Ficamos um bom tempo ali, até me acalmar. Me solto e o olho

- Senti tanto medo, tanto... – Passo a mão em seu rosto e sorrio – Por que ficou longe? Por que não me procurou antes?

- É por isso que te chamei aqui – Ele diz serio colocando aos mãos no bolso - Eu sei de tudo que tivemos. Sei o quanto gostava de você - Sorri

- Gostava? – O interrompo

- Esse acidente serviu pra mim pensar muito sobre isso – Ele diz olhando em volta

- Acho que já ouvi isso antes, você quer parar não é? – Sinto novamente o choro vim, mas seguro

- A Carolina... Ela foi tão ótima esses dias, ela cuidou de mim, me trouxe de volta para casa, segurou toda barra... Eu não sei se consigo a enganar mais – Carlos diz e fica em silencio

- Sabia que esse dia chegaria, eu sempre soube que era errado e mesmo assim continuei, sou mesmo uma burra – Sorrio nervoso

- Para, não é. Para com isso – Ele segura meus braços – A gente se envolveu, até hoje não consigo explicar o por que fiz isso. Eu odeio mentir, odeio esconder as coisas, ainda mais agora depois de tudo. Eu me vi perdendo minha família Isa, eu ouvia o choro do meu filho e não podia fazer nada – Carlos diz e posso ver uma lagrima em seu rosto

PQP nunca o vi chorar, sinto um nó no estomago.

- Nunca mais quero imaginar de perde-lo, não poso fazer algo que ponha em risco a nossa união. Logo mais agora que...

- Que o que? – Pergunto e ele suspira

- No dia do desmaio, quando acordei e contei que lembrei de tudo... A Carolina me contou uma coisa... – Ele me olha e vejo um sorriso se abrir - Eu... Eu vou ser pai novamente, ela está gravida

- Gra... Gravida?

Me sinto tonta, uma dor enorme no peito, como uma facada. Meu ar se vai

- Sim – Carlos diz sem conseguir esconder sua felicidade

- Mas... Nossa – Sorrio nervosa

- Ela iria me contar na viajem, só sua mãe sabia. Foi por muito pouco que ela não perdeu no acidente. Ele ou ela, é um milagre

- Que... Que bom, parabéns – Digo com um sorriso tentando esconder minha tristeza

- Isa – Ele se aproxima – Eu não posso mais continuar com isso, vou me sentir... vou me sentir horrível – Ele abaixa a cabeça

- Tudo bem... eu entendo – Digo firme secando uma lagrima e respirando fundo

- Me desculpa – Carlos diz e segura meu rosto – Eu te adoro tanto... Não queria que fosse assim, mas não quero magoar ninguém. Muito menos você

- Ok – é o que consigo dizer

- Vai ser difícil, mas... Mas sei que vai ficar bem, você é linda, jovem, tem toda uma vida pra viver. Espero realmente que você seja muito feliz, muito. E não quero que fique clima ruim entre a gente, por mais que eu saiba que vai ser difícil, e saiba que pode contar comigo pro que for

- Quer ser meu amigo? Jura? – Digo séria – Não dá, sinto muito – Me solto de seus braços

- Isa, por favor – Ele segura meu braço – Tá sendo tão difícil fazer isso, vou lembrar de você todos os dias, vou querer você – Ele diz como um sussurro e me abraça

- Eu... meu medo foi real, te perdi. Por que fez isso comigo? Por que me fez se apegar?  – Digo sentindo raiva e ele percebe

- Não fica com raiva de mim, te imploro, não me odeie. Você foi minha maluquinha, e sempre vai ser. Só quero que lembre dos bons momentos, dos sorrisos

- Não faz isso por favor, a gente pode tomar mais cuidado. Podemos ir pra longe nos ver... eu preciso de você Carlos, só um pouco, mas preciso – Digo chorando

- Eu vou ta sempre por perto ok? – Carlos diz e posso ver seus olhos lacrimejar – Sou seu vizinho né? – Ele sorri e beija minha testa

- Pela ultima vez? – Digo com nossos rostos próximos e ele entende o que quero – Eu preciso, por favor...

Sinto sua respiração pesada e então ele me beija. Era o ultimo, e como ele fez ser o ultimo. Tinha jeito de despedida, uma despedida querendo ficar, uma saudade, uma mistura de desejos. Não queria que aquele momento acabasse mas Carlos afasta nossos lábios me dando um longo selinho

- Te adoro muito – Digo ainda de olhos fechados

- Seja feliz Isa... – Ele diz já afastado – Espero que o garoto cuide bem de você

Carlos diz e quando me dou conta ele já está correndo em direção a sua casa. Me sento ali mesmo, sem forças nas pernas e logo as lágrimas descem descontroladamente. Acabou...


Notas Finais


E chegamos num ponto importante da história
A partir dai muita coisa vai mudar, muitas reviravoltas
Aguardem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...