História Nossos Tesouros - Interativa - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Brothers Conflict
Exibições 6
Palavras 4.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Harem, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Punição


Fuuto pressionou Goo contra uma das janelas de vidro, beijando-a com vontade. A loira tentou resistir, mas acabou cedendo.

-“Droga, por que esse imbecil tinha que ter um beijo tão bom?” – Pensou. –“Mas espera aí Goo, você nunca beijou antes pra saber se é bom. Droga, mil vezes droga.”.

Fuuto e Goo continuaram se beijando por mais alguns segundos, quando ele começou a passar a mão por outros lugares, até que ela finalmente conseguiu derruba-lo no chão.

-Garota idiota, por que fez isso? –Fuuto perguntou irritado.

-Sou atacada por um moleque pervertido feito você, e ainda sou eu a ruim? Fica longe de mim, eu tenho nojo de você! –Goo respondeu raivosa. Fuuto a segurou pelos pulsos fixamente, encarando-a sem piscar.

-Percebi pela maneira que nos beijamos que você tem muito nojo mesmo. -0 ídolo respondeu irônico. –Goste ou não, vou te fazer me amar. E eu não estava brincando quando disse que ia roubar suas primeiras experiências, isso foi apenas brincadeira de principiante. Sua sorte é que está com esse vestido. –Fuuto saiu rindo, vitorioso. Goo se sentou numa espreguiçadeira e chorou de raiva, como nunca havia chorado antes.

A festa estava fazendo o maior sucesso, todos bebiam, conversavam e dançavam felizes. Aproximava-se a hora dos parabéns. Fumiko percebeu que algo estava errado, e ficou pensativa.

-Tudo bem minha querida? –Louis perguntou preocupado.

-Eh... Sim, claro, não se preocupe comigo. –A azulada sorriu forçado, mas continuou pensativa. – “Estou com uma sensação ruim, preciso encontrar Goo.” – Pensou.

Momoko estava mandando ver no som, a loirinha sabia agitar uma festa como ninguém. Micaela não saía de seu lado, pois era uma garota muito tímida e com dificuldades de se expressar, além de não estar acostumada com festas assim, o que sempre lhe rendia alguns problemas.

-Miquinha, você não está gostando da festa? –Momoko perguntou para a baixinha de cabelos rosa.

-Não enche loira, isso não é da sua conta. – A rosada respondeu agressiva.

-Foi mal. Mas se quer mesmo ficar isolada, gostaria de ficar no meu lugar, comandando o som pra galera, enquanto eu dou uma circulada? – Momo pediu com as mãos entrelaçadas, suplicando para Micaela.

-Que seja, mas não me incomode mais. – Micaela deu de ombros e se levantou, tomando o lugar de Momoko, que foi correndo para junto de Mizuki e Akira.

Kaname custava a acreditar no que seus olhos viam.  Por um breve instante ele sentiu seu coração disparar, se engasgando com sua cerveja. Jess estava ainda mais linda do que ele se lembrava, e também parecia estar mais madura e confiante. O monge esperou ela ficar num canto mais afastado, e foi atrás dela.

-O que você pensa que está fazendo aqui? Como soube dessa festa? –Kaname perguntou irritado.

-Não é da sua conta. – Jess respondeu tentando ser fria e indiferente.

-Me responde direito. – O loiro a segurava firmemente pelo braço, encarando-a sem piscar.

-Já que quer tanto saber, a Akira é minha kouhai, por isso foi convidada. Conheço algumas das meninas por causa da universidade. Satisfeito? – A esverdeada tentava não demonstrar qualquer reação, mas era difícil.

-Você parece muito bem. Onde está o seu namorado? Ah, lembrei: ninguém quer namorar uma covarde feito você, que foge quando as coisas ficam sérias. –Aquelas palavras a atingiram em cheio, mas era preciso se manter forte.

-Não seja hipócrita, além disso, você está perdendo seu tempo aqui comigo. Aproveite a festa, devem ter muitas meninas dispostas a fazer uma orgia contigo. – Jess disse de cabeça baixa e saiu correndo. Kaname ficou chateado e foi para onde estavam os trigêmeos e Subaru.

Na área externa Arya fumava seu cigarro tranquilamente, admirando o céu noturno. Depois do fim de semana que passou na praia com Lyle, ela teve a sensação de que estavam se distanciando. O rapaz viajava constantemente a trabalho.

-“Eu finalmente conquistei quase tudo o que desejava, e mesmo assim me sinto vazia. O que há de errado comigo?” – Pensou enquanto dava uma tragada.

-Ei, você tem fogo? – Um rapaz de cabelos alaranjados, olhos violáceos e expressão séria perguntou para Arya. Ela apenas entregou o isqueiro. –Obrigado.

-Não por isso. –Arya respondeu normalmente, enquanto mexia no seu celular.

Iori decidiu encarar Akira. Ele foi até a morena de olhos violáceos, que conversava alegre com Mizuki e Momoko.

-Boa noite meninas. Akira, tem um minuto? – Iori perguntou educado, como o príncipe que era.

-Boa noite. – As garotas responderam animadas. Akira se afastou das outras duas e foi conversar com o garoto de cabelos acinzentados.

-Feliz aniversário Akira, essas flores são pra você. – Iori a cumprimentou amavelmente, entregando-lhe um buquê de gardênias.

-Muito obrigada pelas flores, mas como é seu nome mesmo? – Akira perguntou cinicamente, chocando o garoto.

-Iori, Iori Asahina. –Respondeu aborrecido.

-É um prazer te conhecer, Iori Asahina. Com sua licença. –A morena fez uma pequena reverência e voltou para as amigas. Por dentro ela ria malignamente.

-“Essa garota é doida de pedra, é a única explicação racional que encontro pra isso.” – Iori soltou um muxoxo, indo pegar alguns doces pra melhorar o humor.

Stelly dançava animada com Kotarou. Os dois riam e conversavam bastante, o que não passou despercebido por Subaru, que os observava emburrado.

-É impressão minha ou você tá fazendo ciúmes pra alguém? –Kotarou perguntou desconfiado.

-Claro que não, bobinho. Estou apenas curtindo a noite na cia do meu melhor amigo, não posso mais? – A baixinha fez bico, fazendo o rapaz sorrir tímido.

-Tá, vou fingir que acredito. E por que a sua irmã tá olhando pra cá com uma tromba imensa? – Kotarou perguntou curioso.

-Digamos que eu atrapalhei um pouquinho os planos dela hoje. –Stelly sorriu vingativa.

 

(Flash Back On)

O jantar de Grace e Kaname corria as mil maravilhas, a escritora estava bastante solta e extrovertida com o monge, que também estava feliz com o encontro. Quando estavam saindo do restaurante, Kaname puxou a morena pelo pulso e fez o impensável: a abraçou com força. Grace se assustou com a atitude repentina, mas retribuiu.

-Me desculpe Grace, mas preciso te dizer uma coisa: eu gosto de você, e é sério. Sei que a minha reputação não é das melhores, mas eu quero você. –O loiro encarava fixamente a Arns mais velha, que não sabia como agir. Antes que Grace pudesse tomar qualquer atitude, Stelly apareceu do nada e derrubou o monge, que ficou atordoado.

-Bunny, o que significa isso? – Grace perguntou incrédula.

-Lamento Kaname, mas COM A MINHA IRMÃ VOCÊ NÃO FICA! –Stelly respondeu furiosa.

-Escute bem o que eu vou te falar: NÃO SE META NA MINHA VIDA AMOROSA! Se eu quiser ficar ou não com o Kaname, é problema MEU. Não te dou o direito de tomar essa decisão por mim. E agora sai daqui antes que eu perca a paciência. –Grace respondeu calmamente.

-E quanto a mim? Você permitiu que o Subaru me beijasse. –Stelly respondeu aos berros.

-A diferença é que todo mundo sabe que você ama o Subaru, então só dei um empurrãozinho. –Grace normalmente.

-Mas você gosta do Masa-fofo, não entendo... –A Arns mais nova pensativa.

-Você sabe muito bem as minhas razões, então não me contrarie. Agora vá concluir a sua parte do plano. –Grace ordenou. Stelly assentiu e foi embora. –Kaname, sinto muito por isso, mas a Bunny está parcialmente certa. Eu realmente gosto do seu irmão, mas é complicado. Preciso resolver algumas questões antes de falar com ele. Por favor, não me odeie.

(Flash Back Off)

-Ei Grace, tá na hora. – Momoko tirou a morena de seus devaneios. –Vem que as meninas estão esperando.

-Ok. –Grace respondeu indiferente e juntou-se a Momo, Mika e Tsubaki. Momoko sentou-se em frente ao piano, Mikaela tirou seu violino do estojo, enquanto Grace e Tsubaki testavam os microfones.

-Boa noite senhoras e senhores, é com muito prazer que anuncio que eu e as garotas preparamos uma surpresa para as aniversariantes. Espero que gostem! –Tsubaki anunciou empolgado. Grace e as demais assentiram. –Ah, irmão, a senhorita Arns dedica essa música pra você. – O platinado comentou debochado. Grace e Masaomi ficaram vermelhos feitos dois pimentões.

-Piadinhas à parte do senhor Asahina, por uma semana ensaiamos essa música. Fizemos alguns arranjos especiais. E quem ainda não se declarou, aproveitem que essa música é uma boa oportunidade. – A morena deu uma piscadela para os convidados, e todos aplaudiram, com direito a gritos e assovios. Ela se posicionou mais à frente, ao lado de Tsubaki, quando Momoko e Mikaela começaram a tocar.

Kimi to sugosu toki atto iuma

O tempo que passei com você é surpreendente

Kidzukeba de-to wa mou shuuban

Quando percebi isso, o encontro estava no fim

Hanaretakunai kaeritakunai

Não quero ir, não quero voltar

Toki wo tomete zutto isshoni itai

Quero parar o tempo e ficar com você para sempre (Tsubaki)

 

-“Esse porco espinho amestrado até que canta bem, e olhando melhor é tão bonito... Merda! Por que eu tô pensando isso?” – Momo pensou frustrada.

 

Terekakushi na serifu mo

As palavras que eu escondo em minha timidez

Mitsumeau shunkan mo

Os momentos quando nossos olhos se encontraram

Anata to iru jikan mo

As horas em que estou com você

Tarinai kedo

Elas não são o bastante, mas...

Saishuu densha miokuru

Até que eu veja o ultimo trem partir

Made nigiri shimete kureta te

Eu segurarei firmemente a sua mão

Sarigenai yasashisa ga ureshii yo

Sua bondade sem interesses me faz feliz (Grace)

 

Otogibanashi nara

Se isto for um conto de fadas

Sugu ni anata no iru asu e yukeru no ni ...

Rapidamente vou para o amanhã onde você exista...

Every time, everyday, everything...

Todo o tempo, todo dia, tudo...

Kotoba ni shinakute mo

Embora não se tornem palavras

Anata wa watashi no tokubetsu na basho

Você meu lugar especial

Moshi mo tatta hitotsu negai ga kanau nara

Se meu único desejo pudesse virar realidade...

Futari dake no jikan wo kamisama tomete yo ...

Deus, pare o tempo apenas para nós (Grace)

 

-A senhorita Arns é mesmo surpreendente. – Comentou Azusa.

-Ela é uma garota e tanto. Não é sempre que se encontra alguém assim por aí, não concorda Masa-nii? –Hikaru perguntou, cutucando o médico.

-É. – Masaomi nem prestou atenção no que o ruivo disse, seus olhos estavam vidrados em Grace. Ela e Tsubaki formavam uma bela dupla como cantores, e pareciam estar se divertindo muito.

 

Jikan yo tomare kono mama

Pare o tempo, apenas como

Boku no tatta hitotsu no wagamama

Meu único desejo egoísta

Dakedo sore wa kanawanai

Mas isso não vai se tornar realidade

Kono modo kashisa tsutaetai yo

Eu quero lhe falar sobre esta impaciência

Ichi nichi tatta nijuu-yon jikan

Existem apenas vinte e quatro horas num dia

Tarinai yo ato hyakku jikan

E não basta, depois de muitas horas

Sore dake are motto motto

Apenas isso é, mais e mais...

Mitsukeru yo kimi no ii toko

Encontrarei sua qualidade sem fim (Tsubaki)

 

-“Mizu sua vadia, isso é tudo culpa sua.” – A loirinha não tirava os olhos de Tsubaki, fazendo Akira e Mizuki perceberem. As duas riram divertidas.

 

Kondo wa itsu aeru no?

Quando nós iremos nos ver de novo? (Grace & Momoko)

Nando mo ittara shitsukoku omowaresou

Não importa quantas vezes eu tenha dito, continuo pensando nisso

Fuan to kibou hanbun zutsu

Metade de mim está ansioso e a outra esperançosa

Kono omoi wa kawaranai tabun zutto

Este sentimento não irá mudar, talvez, nunca

Kimi wa boku wo dou omotteiru no ka?

O que você acha de mim? (Tsubaki)

 

Every time, everyday, everything...

Todo o tempo, todo dia, tudo...

Koishii nukumori to

Se isto é uma adorável brisa quente

Kotoba ni naranai kokoro no koe wo

Não se tornando palavras, a voz do coração

Korekara wa sunao ni tsutaete miseru kara

Porque eu mostrarei para você honestamente de hoje em diante

Ugoki hajimeta toki wo kamisama tomete yo ...

Deus, por favor pare o tempo quando ele começar a se mover (Grace)

Wagamama de ii no

Está bem mesmo que seja egoísmo

Kaeshitakunai to itte yo

Eu direi que não quero voltar

Anata ga watashi wo nozomu no nara

Se você é o único que eu desejo

Mayowazu ni kokoro ni hana wo soeru yo

Sem hesitar, eu irei colocar uma flor em meu coração (Grace & Momoko)

 

Kaname percebeu a troca de olhares entre Grace e Masaomi, e riu derrotado. –“Eu jogo a toalha.” – Suspirou.

 

Every time, everyday, everything...

Todo tempo, todo dia, tudo...

Kotoba ni shinakutemo

Embora não se tornem palavras

Anata wa watashi no tokubetsu na basho

Você é meu lugar especial

Moshi mo tatta hitotsu negai ga kanau nara

Se meu desejo pudesse se realizar

Futari dake no jikan wo kamisama tomete yo ...

Deus, pare o tempo apenas para nós... (Grace)

 

Every time, everyday, everything

Todo o tempo, todo dia, tudo (Grace)

Moshi hanarete mo boku ga tsunagi tomeru yo

Mesmo que eu parta, eu irei conectar nós dois novamente (Tsubaki)

Anata wa watashi no tokubetsu na hito

Você é minha pessoa especial

Everytime everyday everything

Todo o tempo, todo dia, tudo (Grace)

Shinjiru yo toki ga tomaranakute mo

Acredite, mesmo que o tempo não possa parar (Tsubaki)

Unmei nara itsu datte meguri aeru yo ne ?

Se isto for o destino, iremos nos encontrar, certo? (Grace & Tsubaki)

 

Unmei nara bokutachi wa meguri aeru yo ne ?

Se isto for o destino, iremos nos encontrar, certo? (Grace & Tsubaki)

 

Assim que a música acabou foi a maior gritaria. Todos aplaudiram, assobiaram, gritaram, pediram bis. As garotas ficaram um pouco envergonhadas, mas Tsubaki não dava a mínima, pois adorava chamar a atenção. Azusa aproveitou o clima para conversar com Mizuki.

-Você sabia disso? –O gêmeo de cabelos escuros perguntou para a azulada.

-Sabia, mas confesso que estou chocada de ver a Momo e o Tsubaki dividindo o mesmo palco. – Mizuki riu, o que Azusa achou muito fofo. -É um milagre mesmo, Grace deve ter tido um trabalho enorme para que os dois não se matassem.

-Verdade. –Azusa também riu. –A propósito, você está muito bem hoje. –Mizu corou com o elogio.

-O-obrigada. – A azulada gaguejou.

Mikaela voltou para os braços de Ukyo, que a encheu de beijos. Os dois andavam tão grudados ultimamente que os outros até saiam de perto.

-Você toca violino e não me contou? Gostaria de ter ouvido antes. –O advogado fez bico. Mika achou graça e lhe deu um selinho.

-Não que eu estivesse escondendo, mas é que eu não toco com frequência, e como se tratava de uma ocasião especial, não podia recusar. Mas da próxima vez que viajarmos, eu prometo que levo e toco só pra você. – A morena riu travessa, fazendo com que o advogado a abraçasse com mais força.

No terraço Goo ainda soluçava de tanto chorar. Ela estava encolhida em um canto quando Grace a encontrou. A loira ficou assustada, achando que Fuuto havia voltado.

-Pelos céus, o que houve Goo? –Grace perguntou preocupada. Depois de respirar fundo e tentar secar as lágrimas, a cingapuriana lhe contou o ocorrido. A Arns mais velha ficou furiosa. –Mas isso é muito grave. Você precisa limpar esse rosto e se acalmar. Vamos sair daqui.

-Não Grace, por favor, eu não quero voltar para a festa e encontrar com ele de novo. –Goo segurava-a pelo pulso, implorando.

-Tudo bem, vou dar um telefonema e já volto. – Grace se afastou um pouco e fez algumas ligações. Em menos de cinco minutos Stelly, Mizuki, Mikaela e Arya estavam com as duas no terraço. Goo ficou envergonhada. –Meninas, sem perguntas. Apenas levem a Goo pro meu quarto, arrumem o rosto dela e deem uma água com açúcar. Mizuki e Arya, vocês ficam aqui comigo.

-O que você vai fazer? – Mikaela perguntou apreensiva.

-Tirem a Goo daqui, rápido. –A Arns mais velha pediu séria. Mika e Bunny assentiram e a levaram para o quarto de Grace. – Meninas, é o seguinte: o Fuuto fez algo muito grave, e eu vou dar uma pequena lição nele. Vocês me ajudam?

-Está bem, conte comigo. Pra ter ficado brava desse jeito é porque foi sério mesmo. –Arya normalmente. Mizuki assentiu. Grace explicou a situação e as duas também ficaram muito irritadas.

-Ah, mas esse filho da puta vai pagar caro por ter feito isso. E qual é o plano? – A azulada perguntou curiosa.

-Vou dar mais um telefonema, quando Fuuto chegar vocês o seguram. – Grace respondeu inexpressiva. As duas apenas concordaram. Minutos depois Fuuto chegou acompanhado de dois rapazes, um era Kotarou e o outro um desconhecido, mas muito parecido com o garoto de olhos bicolores.

-Quem são esses? –Mizuki perguntou curiosa.

-Sei lá, a Grace conhece gente de todo o tipo. –Arya deu de ombros.

Ao ver as três, o ídolo ficou todo empolgado, achando que a orgia ia rolar solta. Sua noite infernal tinha apenas começado. Fuuto se dirigiu para onde as três estavam, e ao chegar perto delas, Kotarou e os outros dois rapazes fecharam as portas.

-Espera aí, vocês não haviam dito que elas queriam apenas a mim? Por que continuam aqui? –Fuuto perguntou incomodado.

-Ora Fuuto, não seja antipático, eu gosto de ter uma pequena plateia. –Grace comentou com um olhar maléfico. –Kotarou e Hayato, segurem o pivete. Arya e Mizuki vigiem a porta, não quero distrações.

-Ah, mas eu também quero participar. – Mizu fez bico.

-Mizuki, por favor. Hoje o assunto é sério, e não quero responsabilizar mais ninguém além de mim mesma pelo que está prestes a acontecer. – Grace tinha os olhos sombrios e inexpressivos.

Imediatamente todos seguiram as ordens de Grace, e Fuuto ficou sem entender nada. O garoto tentou se livrar dos rapazes, mas eles eram mais fortes. Antes que ele pudesse dizer algo, Grace acertou uma joelhada precisa e eficiente em suas genitais, fazendo-o cair de joelhos. Grace tirou as sandálias e os brincos, prendendo os cabelos num coque. Seu rosto tornou-se sombrio e obscuro, nem parecia a mesma pessoa. Sua aura emanava raiva absoluta.

-Mas o que significa isso? O que pensa que está fazendo? É por causa daquela vadiazinha, não é? –Antes que Fuuto pudesse dizer mais alguma coisa, Grace acertou em cheio seu rosto com um soco.

-Escuta aqui moleque: a partir de agora você vai falar apenas quando EU MANDAR. Estamos entendidos? – Grace disse calmamente.

-Quem você pensa que é pra me tratar assim? Eu sou uma estrela, sua cadela! –Fuuto berrou indignado, levando outra bofetada.

-Qual foi a parte de “falar só quando eu mandar” que você não entendeu? –Grace perguntou impaciente, enquanto segurava firmemente o queixo do rapaz. Fuuto cuspiu na face da morena, que soltou uma risada assustadora. Grace iniciou uma sequência de tapas e socos, deixando a face do garoto bastante inchada e sangrando.

-Grace, será que você não pegou pesado? –Mizuki perguntou preocupada.

-Esse maricas vai aguentar o suficiente, não se preocupe senhorita. –Kotarou respondeu friamente. –Pode continuar senhorita Arns.

-Obrigada Kotarou. Olha garoto, eu estou tentando ser legal com você, mas se dificultar as coisas, eu vou chamar a Stelly, ela vai liberar a Emilly, e aí você vai implorar pra apanhar de mim. – Grace riu sadicamente. Fuuto rangia os dentes de raiva.

-Você vai me pagar, sua desgraçada. Vou te fazer apodrecer na cadeia. – O ídolo ameaçou a escritora, que teve um ataque de risos.

-É mesmo moleque? Vejo que adora falar de sua posição, mas que tal falarmos da minha? Como já sabe eu sou Grace Arns, filha de uns homens mais poderosos do planeta, mas isso é o de menos. Para o bem ou para o mal, eu conheci muita gente nesses meus 23 anos de vida, o que me faz ter certa imunidade, sabe? – A morena respondeu ironicamente.

-Não importa quem você é, o que está fazendo comigo é crime. –Fuuto tentou ameaça-la, mas Grace parecia não se importar.

-E tentativa de estupro não é? Nem tente me enganar, minha casa é cheia de câmeras, e eu tenho tudo gravado. Imagina que bonito ficaria pra você se descobrissem que o incrível Fuuto Azakura tentou estuprar uma pobre e indefesa garota? Seria o fim da sua carreira. Enquanto eu seria a heroína da história, por defender uma amiga em perigo, mas infelizmente as câmeras não estão gravando essa parte. Que pena né? – Fuuto estava começando a ficar com medo da italiana, sua calma e firmeza nas palavras eram impressionantes.

-Cretina, garota dos infernos. Vou contar tudo aos meus irmãos, e eles vão te odiar para o resto da vida. –Fuuto tentou ameaçar Grace, mas ela pareceu não se importar.

-Não precisa se preocupar com isso, que eu mesma contarei. Talvez eles até me agradeçam, pois estou te dando a surra que eles mesmo deveriam ter te dado quando era mais novo, talvez assim você se tornasse um homem com mais caráter, mais honra. Eu teria vergonha de ter um irmão como você. – Grace comentou com escárnio.

-Piranha de quinta, meu irmão jamais vai ficar com uma mulher tão baixa assim. – Dessa vez Grace acertou o estômago de Fuuto, que berrou de dor.

-Moleque malcriado, tá precisando lavar essa boca suja com sabão. –Grace o pegou pelos cabelos, e apesar dos ferimentos, o jovem Asahina mantinha sua postura arrogante e insolente. –Vou te contar um segredinho: você já ouviu falar em Robert Arns?

-Ele é uma lenda do jiu jitsu, e daí? –Fuuto perguntou indiferente.

-E daí? E daí que ele não é só uma lenda do jiu jitsu. No submundo titio Rob é conhecido como o “caçador de bicho papão”. Eu e Stelly tivemos treinamento especial dele desde pequenas. Então nem ouse mexer comigo ou com a minha irmã, ouviu bem? E se eu ouvir que você encostou um dedo na Goo ou em qualquer outra garota contra a vontade delas, não há cirurgião plástico nesse mundo que conserte a sua cara. Fui clara? –Grace perguntou calmamente. Fuuto disse alguns palavrões e levou mais algumas bofetadas. –Vou perguntar de novo: fui clara?

-Sim, senhorita Arns. –Fuuto respondeu contrariado, mas já estava sem forças. Seu rosto estava tão inchado que mal conseguia abrir os olhos.

-Ótimo. Rapazes levem o pivete daqui, e deem um jeito na cara dele antes. Quanto ao resto, deixem comigo. –Grace se arrumava para voltar a festa, como se nada tivesse acontecido.

Mizuki olhava apavorada para Grace. –Nossa, nunca vi a Grace tão assustadora como hoje. Por que será que ela ficou nesse estado? –Perguntou para Arya.

-É que ela perdeu alguém dessa maneira, e se sente culpada por não poder ter feito nada na época. –Arya séria.

-Entendo. – Mizu respondeu triste. As garotas retornaram pra festa como se nada tivesse acontecido.

A pedido de Stelly, Momoko, Tsubaki e Azusa continuaram animando a festa com suas canções. Todos riam quando a loirinha e o gêmeo mais velho brigavam pela escolha da música, pareciam crianças.

-“Como esses dois são irritantes.” – Pensou Azusa.

Abraçada em Ukyo, Mikaela observava a movimentação das meninas, que aos poucos retornaram pra a festa.

-Está tudo bem Mika? –O advogado perguntou preocupado.

-Sim, só estou um pouco cansada. – A estudante de biologia mentiu.

-Alguém viu o Fuuto? –Yusuke perguntou, procurando o irmão mais novo.

-Parece que ele encontrou umas “fãs” e foi embora. Deve estar longe a essa hora. – Iori normalmente. O ruivo mais novo deu de ombros e foi pegar uma bebida.

Grace e Arya foram direto para a cozinha. Pegaram vodca e suco de laranja, e misturaram um pouco. Antes de ficar muito bêbada, a morena decidiu falar com Masaomi. Por sorte ele estava vindo em sua direção naquele exato momento.

-Oi, tem um minuto? –O médico perguntou desajeitado.

-Sim, podemos ir até o meu quarto? –Grace perguntou sem malícia. Masaomi ficou meio envergonhado, mas aceitou. Eles chegaram até o quarto da morena, e Goo estava dormindo em sua cama. –Antes de eu conversar sobre nós, você precisa saber o que Fuuto fez com ela. –Grace contou sobre o ataque do ídolo a cingapuriana, deixando Masa-fofo chocado. –Mas não é só isso: eu bati nele. Não foi tão grave, mas seu rosto ficou bastante machucado. Espero que me perdoe, mas eu não podia deixar aquele moleque impune, o que ele fez foi imperdoável.

-Entendo. O que Fuuto fez é muito grave, e do jeito que você encontrou a pobrezinha, deve ter ficado traumatizada. E onde meu irmão está? –O Asahina mais velho perguntou preocupado.

-Meus amigos o levaram, e um deles cuidará dos ferimentos, pois é médico. – Grace respondeu, sentindo-se culpada. –Me perdoa, por favor, mas é que eu fiquei tão irada na hora, e ainda tive que controlar a fúria da minha irmã, que tem uma outra personalidade bastante violenta e hostil. Se a Stelly tivesse liberado a Emilly teria acontecido uma tragédia. – Grace começou a chorar. Sem pensar duas vezes, Masaomi a abraçou forte.

-Eu não concordo com o que você fez, acho que pegou pesado com ele e tudo mais, mas eu te perdoo, tá? Tem muitas coisas que eu quero te dizer, muitas coisas que eu quero saber sobre você, mas agora não é o momento. Quando a poeira baixar, podemos nos encontrar e conversar? –O médico perguntou sério.

-Dentro de algumas horas eu estarei indo para New York, vou ficar um mês por lá. Quando eu voltar, me espere aqui, exatamente onde estamos, pode ser? Quero que você seja a primeira pessoa a me abraçar quando eu voltar pra casa. – Grace sorriu, e o médico a beijou gentilmente. Depois de alguns minutos retornaram para a festa mais alegres, o que não passou despercebido por algumas pessoas.

Stelly estava bebendo com Arya, quando Subaru apareceu. O rapaz estava extremamente corado e sem jeito para falar com a baixinha, que também ficou corada.

-Stelly, eu... –O jogador de basquete começou a falar, mas a Arns mais nova tascou-lhe um beijo tímido e delicado, pegando-o de surpresa.

-Agora estamos quites, mas você quiser, pode pedir permissão pra namorar comigo, quando minha irmã voltar de viagem. – Stelly respondeu travessa, fazendo Subaru rir. –Agora vamos dançar, vem.

Nesse ritmo a festa seguiu até às cinco da manhã. Fora tão boa que muitos ainda estavam se perguntando como voltaram para casa. Grace e Arya nem dormiram, pois elas saíram no meio da festa, rumo ao aeroporto. Pela janela do jatinho, a morena pensava nos problemas que teria que resolver quando retornasse a Tóquio, mal sabia ela que seus fantasmas retornariam para assombra-la na Big Apple.

Continua...

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...