História Not Made For This World. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kizashi Haruno, Konan, Mebuki Haruno, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Mistério, Sasusaku, Tragedia, Violencia
Exibições 246
Palavras 1.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem pela demora para atualizar, eu estava com um bloqueio criativo.
Perdão.

Capítulo 10 - Obediência.


Capitulo Dez –Obediência.

 

POV Sakura

 

Acordo com uma terrível dor no pescoço, coloco minhas mãos nele, e me lembro do que tinha acontecido para ele ficar tão dolorido, logo percebo o lugar onde estava, era frio, estava deitada em uma maca, olho as paredes e me arrependo logo em seguida, estavam sujas de sangue, começo a rezar mentalmente, onde eu fui me meter? Será que eu sairia viva daqui, estou tão assustada.

-Finalmente acordou! –viro minha cabeça o olhando.

-Porque está fazendo isso comigo, Sasuke? –fico com medo, não queria apanhar, se ele teve coragem de me enforcar, o que mais ele poderia ter coragem? Enfim, isso eu não queria nem saber.

-Não é obvio? –ele sorri se aproximando e fecho meus olhos por antecipação esperando um tapa ou algo do tipo. –Eu amo você. –ele acariciava meu rosto.

-E é assim que você demonstra seu amor? –pergunto agora abrindo os olhos, o olhando brava.

-Sabe qual é o seu problema, Sakura? –ele não me espera dizer nada e vai logo respondendo a própria pergunta. –Você fala demais, o que você acha de cortarmos essa sua língua? –ele ri de mim, pelo meu espanto.

-Você é um louco! –cuspo as palavras.

-Sou. –sorri de canto. –Louco por você. –após falar isso, me dá um soco no rosto, sinto uma forte dor e grito. –Ah, doeu? –ele ria. –Eu nem senti, lindinha. –ele ia se afastando, porem, realmente eu tenho um serio problema, eu falo demais.

-Monstro imundo, eu odeio você. –falo mortalmente e após uns segundo me arrependo o vendo voltar.

-Eu não entendo você, neném. –segura meu maxilar fortemente. –Uma hora me odeia, outra me ama! Que bipolaridade em. –ele ri me soltando e estapeando, eu gritava, esperneava e ele não parava. –GRITA, GRITA MESMO! NINGUEM VAI TE OUVIR, DESGRAÇADA. GRITA.

-MONSTRO, EU ODEIO VOCÊ, ODEIO VOCÊ, EU QUERO QUE VOCÊ MORRA, FILHO DA PUTA. –tanto ele quanto eu estávamos fora de si.

-Isso, me xinga mais, eu ia te levar pra sair sua cadela. –dá um puxão em meu cabelo.

Fico quieta no mesmo instante, essa talvez seria minha chance de fugir. Denunciar Sasuke e voltar pra casa.

-Oh. –ele me olhava estranho. –Ficou quietinha! Vou repensar se te levo ou não, sei que é muito orgulhosa pra pedir. –sorri e sai me deixando só.

Eu me sentia dolorida, afinal, acabei de levar vários tapas por esse monstro imundo. Queria minha casa, minha família, queria ficar o mais longe possível de Sasuke, ele é totalmente aquilo que tentei evitar durante minha vida toda.

Começo a sentir sono, e logo adormeço.

 

POV Sasuke

 

Eu estava perdendo o controle, eu tinha que ser mais paciente se não acabaria com a vida do meu brinquedinho novo. Sakura era tão burra em vez de apanhar calada ela revidava com xingamentos, quando eu ia ver já tinha batido.

Resolvo que á levarei a um restaurante caríssimo, vou a um shopping comprar roupas a ela, ontem tinha passado o dia todo limpando a mansão, por isso a deixei livre a tarde toda, quando fui procura-la eu vi um objeto metálico, era minha serra, eu cortava as arvores, o fogão era a lenha. Eu tinha deixado essa casa abandonada, achei que conseguiria parar com essa vida, mas, obviamente não é algo tão fácil de se largar, a ultima pessoa que entrou aqui foi minha ex, Karin. A vadia não gostava de mim, e sim do meu status, me achava atraente, ela sofreu muito, eu a deixei jogada em um lixão, quase morta, mas depois fiquei com pena, e voltei, busquei ela, e me redimi de um certo jeito. Enfim, Karin é passado, meu foco é em Sakura, agora.

Chego do Shopping, era um saco, sempre vinham varias mulheres se oferecendo pra mim, entre novas e até senhoras idosas. Era nojento isso tudo, sou do tipo que escolhe a dedo quem quero. Na realidade, em minha vida inteira não me envolvi com muitas mulheres, só as que eu de alguma forma pressentia que iriam aceitar o meu verdadeiro eu(durante um tempo) , eu sei que isso é apenas questão de tempo. Ou seja é apenas questão de tempo para Sakura me aceitar. E é apenas questão de tempo para deixa-la livre e se não livre: morta.

Deixo varias sacolas de roupas em cima da mesa e vou até a pequena sala, cheia de sangue nas paredes(ainda não tive tempo de limpar) com duas sacolas que separei.

-Oi neném, voltei. –sorrio fechando a porta, e ela fica em silencio, me irrito e quando vou para xinga-la a vejo dormindo.

Ela estava cheia de marcas, fico com um pouco de pena, ela era tão delicada, parecia uma boneca, sua pele era branca como papel, infelizmente estava cheia de hematomas, mas isso o tempo resolveria.

-Hora de acordar. –distribuo vários beijos nela e ela logo abre aqueles belíssimos olhos me fitando.

-Vai me matar? –perguntava seria.

-Nossa, pensa tão mal assim de mim? –sorrio debochado e me afasto levantando as duas sacolas que estavam em minhas mãos, as balançando. –Vamos sair hoje.

-Sério? –seus olhos se iluminam.

-Porque eu mentiria, amor? Sei que fui um menino muito mal, mais cedo. –olho mais uma vez os hematomas.

-Certo. –ela entende. –Me mostra o que você comprou pra mim. –olhava as sacolas, acho que ela estava puxando assunto sobre as sacolas com medo de apanhar, se caso ela ficasse em silencio ou continuasse aquela assunto que eu mesmo comecei.

Era evidente que Sakura descordava daquilo tudo. Abro a primeira sacola a mostrando um vestido prata, era brilhante. Sakura faz uma careta.

-O que foi? Não gostou? –a olho.

-Não é isso... é só que.. chama muita atenção, você sabe, odeio chamar a atenção. –suspira fechando os olhos, ela achava que eu iria bater nela.

Agora que percebo, ela é tão frágil pra mim, é como uma boneca, não quero danifica-la.

-Me perdoa por mais cedo. –me aproximo e a solto.

Ela se senta, alongando as costas, essas que estralam.

-O que tem na outra sacola? –muda o assunto novamente.

-Um salto alto. –o tiro da sacola, era branco. –Trouxe uma maleta de maquiagem. –tiro a grande maleta rosa com azul e a entrego.

-A casa esta cheia de baratas. –ela lembra, me olhando.

-Serio Sakura? Com um psicopata do seu lado você vem lembrar de baratas. –começo a rir.

-Achei que tivesse parado. –se levanta, se afastando de mim, assustada.

-Estou dando um pequeno tempo e tentando ser legal com você, neném. Só isso.

-Okay –sua expressão era de pura tristeza.

-Limpei a casa, passei veneno, relaxa, as baratas foram mortas e as que não morreram foram embora.

-Isso por um acaso tem um duplo sentido? –Sakura era muito esperta.

-É por isso que eu amo você, neném. –sorrio a olhando.

Minha pequena, doce e inocente Sakura. Eu sabia que não seria sempre que eu a mimaria com passeios e presentes, eu sei que tenho uma parte muito feia, mas, apostava todas as minhas fichas em Sakura. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capitulo.
Prometo não demorar para postar o próximo.
Obrigado pelo carinho.

Recentemente reativei meu facebook, quem quiser pode me adicionar, aceito todos <3
https://www.facebook.com/beatriz.scaratto


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...