História Not over yet- Neutral ending (Sans x Frisk) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Frans, Sanrisk, Sansxfrisk, Undertale
Exibições 207
Palavras 969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


*Hey, Galera! Primeiramente Feliz dia das crianças pra você que é criança, pra vc que não é mas gostaria de ser, PRA VOCÊ QUE É QUE NEM EU QUE NÃO SABE SE É CRIANÇA ADOLESCENTE OU SE É ALGUMA COISA!
*Enfim! Fiquem com o cap

Capítulo 12 - Darker yet darker


Fanfic / Fanfiction Not over yet- Neutral ending (Sans x Frisk) - Capítulo 12 - Darker yet darker

   “Essas foram as palavras de Undyne e Alphys, em suas cartas que deixaram em cima da cama para que a outra pudesse ler... Esse é o inicio de um belo relacionamento!”

  Alguns dias já haviam se passado no Underground. Durante esse tempo Alphys contou a todos sobre os Amalgamates e agora eles passeavam livremente por todo o lugar. Undyne e Alphys estavam cada vez mais grudadas e viviam um “amor perfeito” (CLARO NÉ! TEM COISA MELHOR DO QUE AMAR E SER CORRESPONDIDO? Na verdade tem mas deixa assim...)Alphys avançava cada vez mais nas pesquisas para conseguir ressuscitar Asgore. Frisk e Sans continuavam cada vez mais próximos, porém Katie sempre conseguia estragar quando eles estavam sozinhos  e olhava Frisk com um olha ameaçador. Chris claro, sempre a par de tudo e com cada vez mais raiva de Katie, Mettaton tentava incentivar Frisk para tentar “flertar” com Sans, mas ela sempre recuava.

  

   Frisk estava na cama de flores das ruínas, ao olhar para baixo ela percebe que esta saindo algo das flores... Algo como... SANGUE!? As flores começaram a girar em torno de Frisk rapidamente, como um tornado. Frisk fechou seus olhos cobriu seu rosto com um de seus braços. As flores começaram a se desintegrar, ainda rodeando Frisk. Quando o “tornado de areia” se foi Frisk descobriu seu rosto e ao olhar para frente percebeu uma textura diferente das paredes das ruínas... Era Waterfall! Ela não se lembrava de uma sala assim... Era um longo corredor um pouco estreito, no meio de uma das paredes, havia uma porta branca, aparentava ser de madeira. Frisk foi chegando cada vez mais perto da porta, mas ao encostar na maçaneta, a porta sumiu, fazendo vários símbolos aparecerem. A garota agora estava em uma sala completamente escura, ela olhava para os lados tentando analisar o local, e ao olhar para frente, viu um mostro... de forma completamente deformada... Possuía pele branca, suas mãos eram furadas, seu rosto era constituído por uma boca “feliz” um de seus olhos possuía a forma de uma meia lua com uma rachadura para cima, já seu outro olho tinha a forma de uma lua cheia com uma rachadura que ia até sua boca. Ele vestia uma roupa da cor preta, que ia até o chão. A garota chegou perto e ao abrir a baça para tentar falar algo... O monstro abriu a sua boca e arregalou seus olhos, fazendo aparecer duas esferas brancas em seus olhos (provavelmente suas pupilas), soltou um grito ensurdecedor, e sumiu.

    Frisk abriu seus olhos assustada, sua respiração estava ofegante e seu coração acelerado, mas se acalmou ao ver que era apenas um sonho.Se levantou, vestiu  sua roupa costumeira, e pegou um papel qualquer e um lápis para anotar os símbolos que havia visto em seu sonho, aquilo realmente havia a deixado intrigada, quando já tinha anotado todos os símbolos no papel, ficou analisando-o cautelosamente mordendo o lápis e batendo um de seus pés, pensativa. A alma da integridade passou pela janela do quarto de Sans a procura de Frisk. A alma cutucava Frisk, fazendo com que a mesma olhasse para a alma com um sorriso a alma se acalmou e ficou parada flutuando no ar enquanto Frisk a observava, de repente a alma foi rapidamente para a porta e em seguida para o corredor.
 

—Ei! — Frisk disse a seguindo até a sala.

—Ola Kiddo! Como — Frisk não deixou Sans terminar sua frase pois já havia saído de casa em alta velocidade — Vai...

   Frisk corria atrás da alma tentando alcançá-la. As pessoas por quem Frisk passava não tinham tempo nem de cumprimentá-la. Frisk seguiu a alma, rindo, até as ruínas. Ao chegar na parte das ruínas onde Frisk encontrou a faca de brinquedo na primeira vez que caiu no Underground, Frisk avistou mais uma alma, e desta vez a alma brilhava em azul claro (paciência pra quem não sabe). As almas foram para o corredor anterior, e onde deveria estar um froggit, estava um bilhete

“Escolhas...”

   É o que dizia nele. Frisk guardou o bilhete, um pouco confusa, e passou a observar as almas brincando a sua frente.

—Ora, ora, ora... — Frisk se virou bruscamente, por causa do susto que levou ao ouvir aquela voz — Vejo que não esta sozinha, não é — Falou olhando as almas que paereciam observar tudo assustadas.

—Flowey... — Disse Frisk num tom triste. Como se pedisse para não fazer nada.

—Bem... Se não se incomoda... — Falou lançando algumas raízes para pegar as almas — Eu fico com isso.

—Nã- Frisk tentou correr para alcançar as almas, mas Flowey fez surgir mais uma raiz surgir jogando Frisk para a parede e a segurando, com força, pelo pescoço.

—I D I O T A — Disse fazendo sua cara macabra — Acha mesmo que consegue me vencer? — Falou apertando mais as raízes que sufocavam Frisk.

—Eu... Não... Vo... Desistir... Eu tenh... Deter...Minação! — Falou  tentando respirar e segurando a raiz com os dois braços, tentando tira-la do local que lhe apertava, em vão. 

 

->->->Na casa dos irmãos Skeleton <-<-<

 

—Vai... — Sans tentou falar com Frisk, mas ela não deu ouvidos, saindo antes que ele pudesse concluir a frase.

   Estranhou a atitude da humana, mas decidiu deixar pra lá. Foi em direção ao quarto onde a menina dormia. Ele gostava de entrar no quarto dela quando não estava apenas para poder... Sentir o cheiro de sua Kiddo no ar. Mas ao entrar no quarto se deparou com um papel escrito com uma língua diferente... E ele conhecia MUITO BEM aquela língua. Pegou o papel surpreso. Estalou seus dedos, ainda olhando para o papel, fazendo uma porta aparecer. Abriu a porta e entrou no laboratório de Alphys.
—Alphys! — Alphys que estava em sua mesa de trabalho, muito concentrada, mirou para Sans, que colocou o papel de frente para a monstra para que pudesse ver — Ela sabe! A Kiddo sabe! 


Notas Finais


*FUDEO pra Frisk, meu povo!
*Beeeeeem, de qualquer forma eu estava pensando em fazer um jogo com vcs, mas isso só mês que vem, porque esse mês eu to atolada de trabalho da escola.
*Então! Toda gripada como eu estou agora eu encerro o cap!

FLW!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...