História Not over yet- Neutral ending (Sans x Frisk) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Flowey, Frisk, Mettaton, Napstablook, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Tags Alphyne, Asgoriel, Chariel, Frans, Sanrisk, Sansxfrisk, Undertale
Exibições 225
Palavras 880
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


*Hey, galera!
*Avinha só quem tem 2 documentarios ara fazer um relatorio pra amanha e só ta no comecinho do primeiro? Enfim... Fiquem com o cap!

Capítulo 13 - The letter indecipherable


Fanfic / Fanfiction Not over yet- Neutral ending (Sans x Frisk) - Capítulo 13 - The letter indecipherable

   “—Alphys! — Alphys que estava em sua mesa de trabalho, muito concentrada, olhou para Sans, que colocou o papel de frente para a monstra para que pudesse ver — Ela sabe! A kiddo sabe!

—C-c-ca-calma S-sans! V-você tem certeza di-disso?

—Claro! Isso estava no quarto dela! — Falou colocando o papel em cima da mesa com brutalidade.

—T-t-t-t-talv-vez  e-ela... T-tenha a-achado jogado p-pela sua casa! — Dizia, tentando acalmar Sans — V-você não tem provas  concretas d-de que ela s-sabe!

—Ela passou correndo por mim antes de sair...

—I-isso não prova nada! — Alphys disse enquanto Sans suspirava e despencasse em cima de uma cadeira próximo a ele —O-o-o que diz?

—Eu não sei — Disse pondo o papel em mãos — Faz tempo que não vejo esta língua!

E........ A...a.. e........

.... .a.e.e .e. ...e..e..a..e...

E..a ..vem .em ma g.a..e f...e .e ...e....

.ma g.a..e f...e .e.... . E . E . M . . A . .  .

C.m. va. .eq.e.a....

..em.. ... .ee.c....a., ... .e ..e.c..e.

.a.ece a.....a.a... Ve.ha c., c..an.a... F.... ... ..  ... q.e .... e..e me...

—É-é-é t-tu-tudo que consegue ler?

—É...

—N-mão se sinta o-ofendido m-mas... P-pareceu que você est-tava conjugando as vo-vogais!

—Eu sei... Bom, de qualquer forma... Eu... vou levar isso pra casa pra tentar decifrar isso daqui — Disse se levantando da cadeira — Alias, Alphys... Onde esta Undyne?

—E-ela... Esta em Waterfall, n-não pode ficar aqui por muito tempo! É m-muito quente!

—Então como ela dorme aqui... ?

—E-eu projetei uma c-cama d’agua p-para Undyne!

—Cama... D’agua?

—É-é! C-como aqui é bem quente... A c-cama fica apenas úmida! P-perfeito para ela!

—Hum... — Falou fazendo uma cara de quem tinha achado aquilo muito estranho — De qualquer forma... Tchau Alphys... — Falou e sumiu em uma de suas portas.

 

->->-> Nas ruínas<-<-<

 

—Eu tenh... Deter... Minação! — Falou  tentando respirar e segurando a raiz com os dois braços, tentando tira-la do local que lhe apertava, em vão. 

   Flowey Viu como a menina já estava quase desmaiando, então soltou a raiz que apertava a garota e sumiu com as almas. Frisk iria cair com tudo no chão quando usou seus braços e pernas para se apoiar, ela estava arfando, ela tentou se manter firme, mas então... Desmaiou...

   Frisk, ainda um pouco tonta, acordou ouvindo alguns sussurros. Pôs-se de pé e seguiu os sons quase inaudíveis. Os sons a levaram até a cama de flores, mas não era a cama de flores das ruínas... Era a cama de flores... Do castelo de Asgore...

—Por favor, não me mate! — Disse uma voz chorosa. Frisk foi cuidadosamente até a porta da sala do trono e La pode ver... Ela? E FLOWEY? Ela estava com... um olhar frio... E com alguns cortes no seu corpo. Os sussurros atrás de Frisk continuavam. A garota olhava para Flowey parada, até que Frisk “2” estende uma mão onde na qual segurava uma faca, e golpeou Flowey, e outro golpe, outro, outro. Frisk não conseguia olhar, cobriu seu rosto com suas mãos e se encolhia toda vez que ouvia outro golpe ser disparado. Quando Frisk já não ouvia mais nenhum som tirou suas mãos da frente, e pode ver uma menina na frente de seu “clone” ela parecia meio transparente... Talvez fosse um espectro... Ela possuía o mesmo corte de cabelo que Frisk, e usava um suéter verde, com apenas uma listra amarela e usava short marrom da mesma coloração de seus sapatos.

—Saudações! — Disse a menina desconhecida — Eu sou-

   Frisk acordou com a alma paciência batendo em seu rosto tentando acordá-la.

 —Hum? — Falou se sentando no chão — Era só um... Sonho?   — Flou olhando para as almas como se elas tivessem a resposta — Espera! Como vocês... ? Não importa! Enfim... Vamos para casa! — Se levantou e seguiu para a sua casa. Dessa vez andando calmamente, tendo tempo para cumprimentar a todos com um sorriso.

    Frisk, quando chegou em casa, foi recebida por Papyrus

—OLA, HUMANA! — Falou empolgado

—Ola, Pap! Como vai?

—EU, O GRANDE PAPYRUS, VOU BEM! POR ONDE ESTEVE?

—Uh... — Tentou procurar uma desculpa — Sai pra ver a paisagem!

—OH... AH SIM! ANTES QUE EU ME ESQUEÇA! ASGORE PEDIU PARA QUE VOCÊ O VISITASSE MAIS TARDE!

—As... Gore?

—SIM!

—Ele ressuscitou?

—O QUE? COMO ASSIM? OH... VOCÊ TAMBÉM ACHA QUE ELE MORREU NÃO É?

—...? — Frisk o olhou como se dissesse “E não foi isso que aconteceu?”

—ELE NÃO MORREU! APENAS FEZ A BARBA E MUDOU O VISUAL!  Parou, e olhou para o lado por um segundo — APESAR DE SUA VOZ TER SOFRIDO ALGUMAS MODIFICAÇÕES... ELA FICOU MAIS... AGUDA... —Oh! Ok! Ele estava falando de Toriel! Pobre Papyrus... Quem dera a sua visão fosse a verdadeira...

—Oh... Ok! Então... O que ela- quer dizer ele- quer dizer... ENFIM! O que queria comigo?

—EU NÃO SEI! ELE SÓ PEDIU PARA QUE EU A AVISASSE!

—Ta bom... Então... Eu vou indo, Pap! Tchau!

—ATÉ LOGO! HUMANA!

    Frisk foi em direção a Hotland. Pegou os elevadores para ir mais rápido. Chegou no local onde tinha travado sua batalha com Mettaton. Andava calmamente por aquele lugar, observando cada centímetro, até que, ao olhar para frente ela, juntamente com as outras 2 almas avistam mais uma alma, esta de cor amarela. A alma da paciência correu até ela como se aquilo fosse um “abraço” A afeição dessas duas almas... Parecia até que já se conhecessem! 


Notas Finais


*Bem, gente... Muito obrigado pra quem favoritou <3 de vdd, vlw mesmo
*Eu tenho uma pergunta pra vcs: Vocês querem que eu conte a historia das almas azul e amarela ou deixe pra la?- Respondam por favor!

FLW!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...