História (Not) So Innocent - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pentagon (PTG)
Personagens Yan An, Yeo One
Tags Danone, Pentagon, Yan An, Yanone, Yeo One
Visualizações 151
Palavras 2.887
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Lemon, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Queria agradecer o Vi, por essa plot maravilhoso!!! Ele me enviou tudinho, eu só betei e adicionei algumas coisas!! ♥

BOA LEIITURA!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Yan an POV

Mais um dia "comum" se passara desde que Changgu parou de mandar notícias suas, nós estamos juntos já faz um tempo, mas com o passar do tempo ele ficou sobrecarregado e ocupado a ponto de não me dizer se está bem ou não, nem uma mensagem de "Eu te amo" não mandara. Os dias eram tediosos, o que já havia se tornado comum para mim.

Na noite de Sábado meu celular toca, sai do banheiro as pressas na esperança que fosse Changgu, mas não, mais uma vez a operadora liga oferecendo pacotes. Após desligar o celular, meu humor cai drasticamente, todas as minhas esperanças foram jogadas no lixo ou melhor, trituradas, queimadas! Já em meio a lágrimas sentado ao chão refleti comigo mesmo.

Será que ele esqueceu de mim? 
Ele não se importa mais comigo?
Ele ainda me ama ao menos?

Fui tirado de meus devaneios ao lembrar que havia deixado o chuveiro ligado, sequei as lágrimas e fui em direção ao mesmo. Adentrei o banheiro, fechei a porta -mesmo não precisando já que estava só-, coloquei em meu celular a melhor playlist para tirar qualquer pessoa da bad, entrei no box enquanto dançava e cantava, esquecendo por um momento o quão triste estava com tudo aquilo acontecendo.

Yeo Changgu POV

Já faz quatro dias que não vejo meu Yanzinho, nem tempo para enviar mensagens estou tendo. Hoje é meu dia de folga e irei fazer uma surpresa ao amor da minha vida.

                             ...

Chegando em frente a casa de Yan An bato na porta e nada dele aparecer, porém, como tinha as chaves da casa entrei sem dificuldade e escutei a música alta que me parecia vir do banheiro de seu quarto. Subi as escadas sem fazer barulho e entrei no quarto lentamente. A porta do banheiro se encontrava fechada, mas imaginei que não estivesse trancada. Apenas por imaginar ver meu Yanzinho pelado dançando enquanto se banha, meus pelos ficaram eriçados pela bela imagem que veio em minha mente. Tirei minhas roupas para poder entrar no banheiro, abri a porta lentamente e me deparei com aquela cena já tão desejada por mim, Yan an pelado dançando enquanto se banhava.  Entro e fecho a porta devagar, abro o box e quando ele nota minha presença se vira para mim. O agarro iniciando um beijo calmo, apaixonado e cheio de desejo. Ele retribui o beijo sem pestanejar, quebro o ósculo por falta de ar, quebrando junto o silêncio entre nós:

-Eu te amo tanto você não sabe quanta falta tive de você! Tive diversas vezes vontade de largar tudo e vir aqui te encher de beijos e carícias -Falei com nossas testas grudadas, Yan An parecia surpreso ao me ver, acho que não esperava por isso.

-Yeo... -os olhinhos se encheram de lágrimas e ele passou a me abraçar forte - eu estive com tanta saudade de você, achei que havia me abandonado... Que não me amava mais -fiquei surpreso com suas palavras, não esperava que fosse tão importante na vida do Yanzinho.

Retribuí o abraço e beijei o topo de sua cabeça, distribuindo beijos por seu rosto logo após.

-Não se preocupe meu amor... Eu nunca irei te abandonar! Eu sempre estarei aqui ao seu lado -Sorri ao ver que ele já não chorava mais.

-Obrigado amor, eu também te amo muito -me deu outro abraço forte -mas acho que agora devemos cuidar desse seu probleminha aqui embaixo - se desvencilha dos meus braços enquanto sorri maliciosamente, eu nem havia notado, mas estava duro - estou te esperando no quarto para matar a saudade -Ele saiu rapidamente do banheiro e foi até o quarto.

Yan an era muito sentimental, mas quando seu outro lado despertava, não havia mais aquele ser puro que chora por tudo, era realmente incrível como mudava de personalidade rápido.

-Okay, já estou indo - sorri malicioso, desligando o chuveiro e saindo do banheiro - Antes eu vou pegar umas coisinhas!

Sai do quarto e fui até a cozinha. Peguei no refrigerador um pouco de gelo colocando-os em um recipiente e algumas balas extra-forte, voltando para o quarto em seguida. Quando entrei no cômodo me deparei com um Yan An já seco, depois de ter acabado de sair do banho, e deitado de frente para a porta com orelhas de gato e meias até as coxas fartas. Era uma cena tão... Era impossível resistir. Coloquei o que havia pego no criado-mudo ao lado da cama e subi em cima do mesmo.

-Você realmente quer me deixar louco não é?

-Sim oppa quero te deixar completamente louco de desejo por mim.

Pronto, adeus sanidade. Comecei um beijo quente e cheio de desejo, enquanto nossas línguas travavam uma guerra. Sua mão foi de encontro aos meus fios negros e logo passou a puxá-los a fim de aumentar o contato. Minhas mãos o percorriam, desenhando o contorno de seu corpo enquanto arfava-mos entre o beijo. Quebrei o ósculo para retomar a respiração saindo de cima dele logo após.

- Oppaaaa volta aqui meoww - pediu, imitando um gatinho manhoso.

-Você vai pagar por me deixar louco por você dessa forma! -falei apontando para o meu membro teso que latejava de desejo - vou pegar uns brinquedinhos para te dar um castigo - Ditei malicioso enquanto pegava a caixa de brinquedinhos que como sempre estavam guardados em uma das gavetas do guarda roupa.

Peguei duas algemas e duas cordas, algemei as mãos do gatinho e em seguida fiz o mesmo com seus pés. Tirei da caixa um chicote, peguei o gelo que havia colocado no criado-mudo, aproveitando também para colocar a bala extra forte na boca. Comecei a passar o gelo pelo seu peitoral o que fez o gatinho arquear as costas e gemer com o contato do objeto gelado. Desferi em si uma chicotada na coxa esquerda.

-Não não não nada de se mover e gemer enquanto eu não permitir - olhei para o garoto que me olhava em súplica para acabar com o fogo que se alastrava cada vez mais sob seu corpo.

-O-okay oppa p-por favor continue eu q-quero você -Gaguejou em meio as palavras, se esforçando não soltar nenhum gemido.

-Gatinho bom vai ganhar uma recompensa depois.

Voltei a passar o gelo pelo peitoral do Yan An passando o mesmo sob seu mamilo esquerdo, era prazeroso ver seu esforço para não gemer, mordia os lábios com força, mas seus esforços foram por água abaixo quando passei a lamber seu mamilo direito coma bala extra forte ainda em minha boca. Desferi em Yan An outra chicotada em resposta e  mesmo entendeu o recado na mesma hora, voltando a morder os lábios enquanto eu continuava me divertindo e brincando com os seus mamilos com o gelo e minha boca. Passei a descer o gelo pela barriga do mesmo, descendo até chegar ao seu baixo ventre. Soltei o pedaço de gelo que já estava a ponto de derreter totalmente devido a sua pele quente, pegando outro em seguida continuando a passa-lo por seu baixo ventre. Passei o gelo pela base de seu membro e desci até passar por entre suas bolas, era realmente engraçado e prazeroso o ver lutando tanto para não gemer, ele judiava de seus lindos lábios com os dentes. Desci o gelo mais abaixo chegando perto de sua entrada, o provocando e encostando o objeto gelado na área. Yan An não aguentava mais, deixou um gemido alto sair de seus lábios. Desferi-lhe um tapa não muito forte, mas o suficiente para deixar algumas marcas. Parei de brincar com o sei mamilo e ouvindo deixar um gemido de reprovação escapar. Ao sentir que havia encostado o gelo em suas preguinhas novamente, curvou as costas buscando por mais contato.

-Gatinho mau! O que eu disse sobre gemer antes que eu permitisse?

-N-não v-vai ma-mais acontecer o-oppa -Falou tentando conter seus gemidos.

-Isso bom gatinho - Falei em tom malicioso e brincalhão, pois era divertido o ver ali, tão entregue, tão meu.

Voltei a encostar o gelo em sua entradinha, dessa vez ele segurou o gemido, mordeu os lábios com todas as forças, judiando dos mesmos o que me deu mais vontade de tê-lo ao ver seu rostinho cheio de prazer. Forçei o gelo contra seu local apertadinho o fazendo fechar os olhos com força e morder os lábios da mesma forma. Forcei o gelo em sua entradinha apertada e agora risadinha pelo contato com a pedra de gelo, não o adentrei, mas o deixei ali para tortura-lo mais de prazer. Coloquei outra bala extra forte na boca uma vez que a outra havia acabado, e assim que o gelo derreteu me aproximei daquela entradinha deliciosamente rosada e passando a língua em por todo o lugar. Ele não gemeu, mas arqueou suas costas. Sorri realizado com suas reações. Começei a passar a língua no local imitando uma penetração, fui subindo deixando selares em suas bolas e cheguei até seu membro que se encontrava totalmente eréto e latejante, o segurei começando a depositar selares em sua glande, passando a observar cada feição de Yan An, era tão lindo. sabia que ele queria poder gemer alto e até mesmo gritar, mas não ia deixa-lo far isso, não agora.

Após beijar e lamber a glande inchada do membro teso de Yan, o coloquei por inteiro em minha boca chegando quase a minha garganta, começando com movimentos de vai e vem lentamente, observando a força que o mais novo fazia para não gemer.

-C-chan-g-u...p-por f-avor - Falou enquanto prendia os gemidos.

Tirei seu membro de minha boca e fiz uma cara de dúvida.

-O que deseja yanzinho? - Perguntei como quem não quer nada, deixando uma chupada estalada por sua glande em seguida.

-P-por favor rá-rápido.

-Seu pedido é uma ordem gatinho.

Abriguei novamente seu membro teso minha boca, e como havia entendido o pedido, acelerei meus movimentos o fazendo gemer contra seus lábios. Ao perceber que ja estava quase no seu ápice, parei os movimentos retirei seu membro de minha boca, o soltando em seguida. Tirei suas meias e as orelhinhas de gatinho e subindo em cima do mesmo.

-Você foi um bom gatinho agora ja pode fazer o que quiser - ao terminar de falar Yan An soltou um gemido necessitado, colando nossos corpos em seguida -agora vem a recompensa por ser um bom gatinho - disse por fim.

Começamos um beijo lento, mas quente e cheio de desejo. Puxei seu couro cabeludo para cima deixando seu pescoço a mostra, logo começando a marcar sua pele leitosa com mordidas e chupões. Voltei até sua boca começando a sugar seu lábio inferior, deixando vários beijos onde ele havia machucado devido a tentativa de controlar seus gemidos.

Começei a descer pelo seu corpo deixando um rastro com minha língua, direcionando-a novamente a seus mamilos, o fazendo arfar pesadamente. Yan An agora livre não se segurava mais, marcava minhas costas com gosto enquanto gemia alto contorcendo seu corpo em prazer.

Continuei o trajeto passando por seu membro, deixando breves chapadas estaladas, seguindo até sua entrada rosada. Passei a brincar com minha língua, deixando algumas lambidas lentas por ali, hora ou outra pressionando-a contra seu Buraquinho apertado. Yan An gemeu alto chamando meu nome, era tortuante ouvir isso sair de sua boca daquela forma. Após estocá-lo com a língua, voltei até sua boca tomando-a com meus lábios, dessa vez de forma necessitada como se fosse perdê-lo a qualquer momento.

Tomando em minhas mãos outra pedra de gelo, passei-a por seus lábios, chupando os mesmos em seguida. Era incrível observar o quão rápido aquele pedaço de água congelada derretia ao tocar seu corpo quente. Voltei a pressionar o gelo sob sua entrada, o pressionando sob a mesma e o fazendo afundar ali aos poucos. Yan An mordeu meu lábio inferior em resposta, marcando minha cintura com seus dedos e gemendo necessitado contra minha boca. Logo atendi seu pedido ausente de palavras.

Pegando naquela caixinha um recipiente contendo um óleo corporal que deva uma certa sensação de refrescância, como as pedras de gelo, e despejando-o por entre meus dedos. Levei-os até sua entrada, introduzindo um dos dedos aos poucos, brincando um pouco por ali enquanto Yan An pressionava seu quadril contra minha mão em busca de mais contato.

Meu dedo era esmagado por suas preguinhas, era uma sensação deliciosa. Passei a introduzir outro dedo em si, e depois de brincar um pouco ali o alargando, passei a pegar outro cubo de gelo, aproveitando antes que se derretessem por completo, e introduzindo-o em sua entrada. Yan An arqueou as costas, e já se encontrava rouco de tanto soltar sons nada castos.

Me posicionei em meio as suas pernas enquanto ainda o beijava, afastei as mesmas deixando assim sua entrada rosada ainda mais exposta. Comecei a penetra-lo vagarosamente até estar totalmente dentro do mesmo, não me demorando muito e logo começando a estocá-lo. Comecei devagar a cada segundo que meu membro saia e entrava em seu buraquinho ainda apertado, tendo total contato com suas paredes internas me fazia delirar. Milhões de ondas elétricas percorriam meu corpo a procura de mais.

-Oppa mais rá-rápido por favor- Disse em meio a um gemido arrastado.

Ouvir isso me deixou completamente feliz, comecei a estocá-lo como havia pedido rapidamente entrava e saia de si, observando meu membro escorregar por sua entrada que ja se encontrava inchada. Percebi que havia encontrado o ponto doce de Yan An quando o mesmo deu um gemido alto, soando quase como um grito.

-O-OPPA A-A-AII- sibilou gemendo descontroladamente.-

Como havia pedido voltei a estocá-lo rápido, forte e fundo tocando no seu ponto doce a cada estocada dessa vez passando suas pernas por cima de meus ombros. Parei os movimentos depois um tempo e me retirei de seu interior ouvindo alguns resmungos em troca.

-De quatro -Falei em tom autoritário e ele o fez sem reclamar.

Ao estar de costas pra mim de quatro com sua entrada inchada completamente exposta adentrei-o rápido e forte atingindo seu ponto doce em uma única estocada. Yan An impulsionava seu quadril contra mim tornando as estocadas cada vez mais rápidas, fortes e fundas. Ele havia enfiado a cabeça nos travesseiros se empinando mais ainda para mim deixando  entrada ainda mais exposta. Passei a segurar suas bandas o mais afastadas possível, observando meu membro sair e entrar com toda a pressão de seu Buraquinho agora não tão apertado, mas que me fazia delirar mais do que nunca, sempre me abrigando tão bem. Apertou os lençóis como forma de liberar todo o prazer estava sentindo, mas era inútil, tudo o que fazia era gritar meu nome. Pelo quarto só o que ecoavam eram nossos gemidos e os sons de nossos corpos se chocando.

Ao perceber que estava quase chegando ao meu ápice segurei seu membro esquecido entre os dedos e comecei a masturbá-lo, era rápido como as estocadas.

Yan gritava cada vez mais alto, e  não demorou muito até liberar meu prazer dentro daquele daquele buraquinho delicioso de Yan, sentindo suas paredes comprimindo meu membro. Continuei a estocá-lo e a masturbá-lo o quanto consegui depois de um orgasmo daqueles, até finalmente Yan An se desfazer em minha mão sujando seu abdômen e a cama. Sai de dentro de si com cuidado e me deitei ao seu lado tentando recuperar o fôlego. Respirava pesado.

-Yeo-oppa esse foi o melhor castigo que ja recebi.-Fala tentando recuperar o fôlego que também havia perdido.

Havia acabado de ter o melhor orgasmo de minha cida e já estava ficando duro novamente. O mesmo percebendo isso, subiu em meu colo começando a penetrar a si mesmo com meu membro já disperso.

-OOOOH YAN POR Q-QUE. PORRA AAAH -Gemi enquanto o mesmo passava a se penetrar completamente.

Após sentar completamente em mim, Yan An passou a se apoiar com as mãos sobre meu peitoral, começando a se levantar lentamente para depois soltar seu corpo com toda a força que tinha.

-OH OPPA AAAAH -Gemia feito louco.

Segurei sua cintura do mesmo forçando assim as estocadas para irem mais a fundo. Notei ter atingido novamemte o ponto doce de Yan, passando a estocá-lo cada vez mais fundo, enquanto ao mesmo tempo Yan An descia e subia em meu membro cada vez mais rápido. Peguei novamente seu membro já duro passando a masturbá-lo no mesmo ritmo que as cavalgadas que se encontravam em um ritmo totalmente insano. Não demorou muito para para nos desfazer-mos, dessa vez juntos. Yan se retirou de cima de mim aos poucos se deitando por cima, seu rosto estava próximo. Com a cabeça ao lado do rosto do mesmo recuperando a respiração e se sujando do próprio gozo que estava em meu abdômen. Passei um dos dedos por sua entrada sensível a ponto de senti-la pulsando sorrindo vitorioso, uma vez que ainda havia vestígios de meu prazer por ali.

-Yan eu te amo e sempre te amarei, sem você eu não sou nada simplesmente nada -Ditei rapidamente, puxando seu queixo com uma das mãos e depositando um leve selar sob os mesmos.

-Eu também te amo meu Yeo -Fala sorrindo ao mesmo tempo que recebo outro beijo.

Depois de ficarmos trocando juras de amor abraçados, tomar um banho rápido e limpar toda aquela sujeira, logo Yan havia pegi no sono, o observei soreindo, era tão lindo. Arrumei  a coberta sob nós, ajeitando Yan An sob meu peito e logo acabei por cair no sono também.


Notas Finais


OBRIGADA POR LER, EU TB MORRI COM ESSA FIC, ATÉ A PRÓXIMA!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...