História Not That Innocent - ABO - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jackson, Jimin, Jungkook, Mark
Tags Abo, Alfa, Baekhyun, Baekyeol, Bangatanboys, Bts, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Escola, Exo, Got7, Jackson, Jackson Wang, Jark, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mark, Mark Tuan, Markson, Ômega, Park Chanyeol, Park Jimin, Yaoi
Visualizações 1.474
Palavras 2.728
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


hola mis fubá como estan?
espero que gostem desse cap e blá blá blá
PS: SE PREPAREM PORQUE LÁ VEM BOMBA.

------- BOA LEITURA ---------

Capítulo 4 - 4 - Four


[Byun Baekhyun’s life...]

 

Os lábios do alfa roçaram contra os do ômega. Ele pode sentir como o menor em seu colo estava tremulo e aquilo o excitou mais ainda. Estava maluco. Só podia estar. Se envolvendo com um estudante. Mas já era tarde para voltar atrás. Park não queria voltar atrás.

 

Ele finalmente transformou aquele breve contato em um beijo. Puxou o lábio inferior de Baekhyun. Mordeu de leve. O que fez o rapaz gemer abafado. Suas bocas se moviam apressadas. Chanyeol obviamente controlava o selar. Explorava cada pedacinho do interior alheio. Estava se deliciando com o gosto do ômega. Tão inocente. Ou nem tanto assim.

 

Byun levara uma de suas mãos até a ereção do professor.

Ele sentira a rigidez em baixo de si e não resistira a toca-la.

Mesmo que por cima da roupa.

 

Os dois enroscaram suas línguas. O mais alto rosnou. Estava tão excitado que não sabia como ainda estava sentado. Deveria estar no chão naquele momento. Ele apertou as nádegas de Baek com mais força. Queria rasgar as roupas do outro. Vê-lo completamente despido.

 

Entretanto, ainda lhe restava algum bom senso. E sabia que o que estava fazendo era arriscado. Alguém podia entrar na sala e os dois estariam em maus lençóis.

 

O beijo se intensificou. O de cabelos brancos chupava a língua do mais velho. Estava tão perdido naquilo. Beijar nunca havia sido tão prazeroso, como naquele instante. Talvez fosse o misto de adrenalina, medo de ser pego e desejo pelo outro homem. Aquela combinação era com certeza deliciosa.

 

O selar se desfez.

A respiração de ambos estava fraca.

Seus olhares se encontraram.

 

Chanyeol sorria. Um brilho malicioso consumia seus olhos. Estava adorando ver como Byun ficava lindo com os lábios finos bem avermelhados e com uma carinha tão doce, mas com traços tão pervertidos quanto os seus.

 

- Você tem uma boca gostosa. –comentou lambendo os lábios.

 

O moreno levou uma mão até o rosto alheio. Fez alguns carinhos na bochecha do rapaz com o seu polegar. Depois em sua boca. No entanto, Baekhyun abocanhou o dedo de Park e simplesmente passou a chupa-lo. Aquilo fez o alfa rosnar. Seu membro ereto pulsou. Precisava sentir os lábios do rapaz em volta de sua ereção.

 

Com a sua mão livre, ele alcançou sua calça. Em seguida, o zíper. Abaixou o mesmo e abriu o botão. Os olhos do rapaz estavam fixos no que o outro fazia. Então, decidiu ajuda-lo. Ainda com o dedo de Chanyeol na boca, Baek deslizou suas mãos para dentro do tecido da cueca do professor.

 

Sem pensar duas vezes, retirou o membro do homem para fora.

Suas mãos agarravam o falo com força.

O polegar do alfa fora dispensado rapidamente.

 

- Posso? –pediu o de cabelos brancos, fazendo um biquinho.

 

- Vai em frente. –a voz dele saíra mais grave. Estava cada vez mais excitado. – É todo seu.

 

Byun saiu do colo alheio.

Sem liberar a ereção.

Ficou de joelhos entre as pernas do maior.

Mordeu os lábios ao ter o outro tão perto de seu rosto.

Então, quebrou a pouca distância e levou o membro de Park para dentro de sua boca.

 

Por sorte ainda restava um pouco de autocontrole no alfa. Do contrário, ele teria rugido de prazer. Mas acabara se contentando com rosnados comedidos. Ele fechou os olhos e pendeu a cabeça para trás.

 

A língua do menor circulou a glande inchada em sua boca. Parecia que o rapaz lambia, inocentemente, um sorvete. Mas para si, o gosto era do outro homem era melhor do que qualquer massa congelada.

 

Apertou a ereção com seus lábios. Sua língua teve uma folga. Byun passou a sugar o falo. Fazia pressão contra a carne que pulsava em seu interior. Sua cabeça se movia para cima e para baixo. Em um vai e vem que estava mexendo com os sentidos do professor.

 

O rapaz segurou a ereção do alfa com uma mão. A outra fora direcionada aos testículos alheios. Fez alguns carinhos nos mesmos.

 

O corpo de Chanyeol começava a exibir alguns sinais de que seu ápice estava se aproximando. Os espasmos musculares já tinham começado. Sua glande estava cada vez mais sensível. Era tão prazeroso que chegava a ser dolorido.

 

Baekhyun desencachou sua boca.

Levantou o olhar e encarou o homem.

Sorriu por ver que Park ainda estava de olhos fechados.

 

Suas duas mãos agarraram a ereção. Passou a fazer movimentos de vai e vem apressados. O alfa rosnou e depois mordeu seu lábio inferior. Ter o menor o de cabelos brancos o masturbando era incrível. Os movimentos do ômega continuaram.

 

Até que o clímax de Chanyeol fora atingido.

O professor liberou seu gozo.

Um pouco escorreu pela mão do rapaz.

Byun lambeu o mesmo.

Seu coração estava completamente acelerado.

O que havia feito?

Por que precisava ter sido tão bom?

 

O menor ficou de pé. Pegou sua mochila do chão e deu as costas ao outro. Simplesmente saiu andando em direção à porta. Puxou a maçaneta e saiu da sala. Não olhara para trás. Não vira o alfa sorrindo malicioso e guardando seu membro de volta nas roupas.

 

Baek correu pelo corredor. Queria sair da escola. Precisava de um banho frio. Precisava colocar seus pensamentos perturbados em ordem.

 

Ele chegou até a saída.

Notou que não estava sozinho.

Mas dois ômegas se aproximaram da porta de saída tão rápidos quando ele.

 

O rapaz reconhecera um deles. O moreno que Baekhyun quase derrubara mais cedo. Ele tinha uma expressão indescritível. Seus olhos estavam um pouco arregalados. O segundo ômega tinha cabelos rosa. Ele encarou Byun. Arqueou as sobrancelhas. Virou o rosto para encarar o moreno ao seu lado. Baek notou um chupão em seu pescoço.

 

Perguntou-se o que era aquilo.

Mas não era da sua conta.

Então, ele passou pelos dois e saiu da escola.

 

[Park Jimin’s life...]

 

Jeon apertou o traseiro do mais novo com força. Jimin gemeu contra os lábios do professor. Um sorriso se formou brevemente em seus lábios. Estava adorando aquele contato com o alfa. E louco para ir mais fundo.

 

O de cabelos rosa puxou o lábio inferior do mais velho. Seus dentes se cravaram na carne alheia com mais força do que deveriam. Jungkook rosnou. Porém, não estava bravo. Havia gostado daquilo. Ele tinha um lado que também se deliciava com certos níveis de dor.

 

Uma de suas mãos deslizou pelas costas do rapaz e fora parar na nuca de Park. O moreno agarrou o local com força. O que tirou alguns gemidos do outro. Seus olhares se encontraram. Aquele rosto de inocente só tinha a aparência. E o professor estava adorando aquilo.

 

O beijo recomeçou.

Sem um pingo de calma.

 

Jeon praticamente devorava a boca de Jimin. Moviam-se feito animais ensandecidos. Suas línguas travavam um pequeno confronto em seus interiores. Até que o ômega afastou o rosto. O selar parara.

 

O maior soltou um resmungo.

O outro sorriu.

Provocação estava em seu DNA.

 

Ele encarou os lábios de Jungkook. Exibiu seu sorriso mais inocente possível. Quem o visse nem imaginaria o quão era depravado. O rapaz se aproximou. Passou a língua pelo pescoço do alfa. Subiu até sua orelha e mordeu o lóbulo alheio, recebendo mais rosnados excitados.

 

O moreno puxou o outro pelos cabelos para que parasse o que fazia. Não que ele não estivesse gostando, apenas queria dar o troco. E assim o homem o fez.

 

Trouxe a face alheia para mais perto de seu rosto. Lambeu os lábios. Então, sem mais delongas, foi até o pescoço alheio. Beijou o local. Selinhos leves e estalados. Após isso, disferiu um chupão na pele leitosa do rapaz. Estranhamente queria deixar alguma marca no outro. Algo que lhe lembrasse de que havia tomado Park para si. Pelo menos naquela tarde.

 

O de cabelos rosa gemeu.

Um gemido arrastado e rouco.

Aquilo seria capaz de mexer com a sanidade de qualquer alfa.

 

Jimin saiu do colo alheio. Ficou de pé. Obviamente recebera alguns olhares bravos e rosnados mais ainda. No entanto, Jeon se esqueceu de tudo rapidamente. Seus olhos pousaram no corpo do rapaz. Primeiro em suas coxas grossas dentro da calça jeans apertada e cheia de rasgos. Queria toca-las. Morde-las. Deixar a pele do outro toda avermelhada.

 

Então, seus olhos foram desviados para outro lugar.

O ômega havia retirado o suéter largo que vestia.

Estava sem camisa por baixo.

 

A imagem do mais novo o deixou hipnotizado. Todo branquinho. Não tinha ombros muito largos, nem um peitoral super definido, mas também não era nada mão. O moreno encarou os mamilos alheios. Notou os piercings. Aquilo fora demais para si.

 

Esticou a mão e puxou o outro para si.

Talvez com mais força do que deveria.

 

Seus lábios abocanharam um dos mamilos do menor. O rapaz levou uma das mãos até os cabelos alheios e sorriu. Sentiu uma sucção em sua pele. A língua de Jungkook roçando contra seu mamilo sensível. Algumas breves mordidas. Precisou se conter para não soltar um gemido alto.

 

Ele sentiu algo vibrar em seu bolso.

O de cabelos rosa pegou seu celular.

 

- Droga. –resmungou e se afastou do homem. – Preciso ir. Meu motorista está me ligando.

 

- Deveria ter esquecido essa merda de celular em casa. –bufou o alfa. Park sorriu.

 

- Não se preocupe. Tem sempre uma próxima vez. –piscou malicioso. Em seguida, pegou seu suéter do chão e o vestiu. – Até amanhã, senhor. –provocou.

 

Ele pegou sua mochila na carteira.

Antes que alcançasse a porta, seu braço fora agarrado.

Jeon o virou para si.

A mochila despencara.

O mais alto pegou o rapaz no colo.

O prensou contra a porta fechada.

Seus lábios se encontraram novamente.

 

- Agora sim você pode ir. –disse.

 

O ômega voltou para o chão. Ajeitou sua roupa e passou as mãos no cabelo. Estava detestando ter que ir embora. Mas era melhor não abusar da sorte. Fora que teria outras oportunidades. Ele pegou sua mochila e então, finalmente saiu da sala.

 

Ao se aproximar da saída da escola, cruzou com um rapaz moreno. Eles se encararam brevemente. Jimin notou os lábios avermelhados e inchados do outro. Assim como sua expressão meio animada demais.

 

Já ia se preparar para sair, quando passos ecoaram.

Logo, um terceiro ômega deu as caras.

Cabelos brancos e uma expressão brevemente espantada.

Os três trocaram alguns olhares.

Então, o rapaz disparara para fora do prédio.

 

- Parece que alguém andou aprontando. –comentou Park para o ômega moreno. Ele notou o rapaz corar um pouco.

 

Talvez mais alguém tivesse se divertido naquele dia.

Além dele.

 

[Mark Tuan’s life...]

 

O mais novo beijou o pescoço do alfa. Alguns eram propositalmente demorados. O rapaz até mesmo deixara algumas mordidas leves na região. O que fizera Jackson respirar ofegante. A boca do moreno deslizou para a orelha alheia. Lambeu o lóbulo. Não conseguia parar de sorrir. Aquele contato com o diretor estava o deixando tão excitado.

 

Mark criou um caminho de selinhos da orelha até o queixo. Passando pelas bochechas e então, parando perigosamente perto da boca do mais alto. Sua língua provocava o lábio inferior alheio.

 

Até que o loiro rosnou.

E avançou contra o ômega finalmente o beijando.

 

As duas mãos do mais velho acariciavam a cintura do rapaz. Deixavam alguns apertões no local enquanto o homem se deliciava com o gosto de Tuan. Suas bocas pressionavam fortemente uma contra outra. O maior chupava a língua alheia. Ouvir o outro gemendo baixinho por sua causa o deixava maluco.

 

Wang desceu uma das mãos até as costas do moreno. Em seguida, foi descendo mais, até que adentrou o cós da calça alheia. Deslizou seus dedos pela cueca de Mark. Foi descendo mais, até que sentiu a entrada já úmida do ômega. Não conseguiu se conter e introduziu um dedo no rapaz.

 

O mais novo afastou o rosto.

Gemeu manhoso.

Então, o alfa introduziu um segundo dedo.

Passou a estimular a entrada.

Tuan gemia ofegante.

Rebolava no colo alheio para sentir os dedos em si com mais profundidade

 

- Eu quero seu pau dentro de mim. –soltou em um quase sussurro. Se se sentira um pouco envergonhado, mas o diretor ouvira tudo.

 

Jackson retirou sua mão da calça do rapaz. O fez ficar de pé. Mark sem perder tempo, abriu o botão e abaixou o zíper da roupa. O loiro sorriu. Estava mesmo prestes a fazer aquilo? Com um de seus alunos? Ainda podia voltar atrás. Deveria voltar atrás.

 

Então, seus olhos focalizaram a imagem do ômega retirando sua calça e cueca de uma vez só. Mark estava despido da cintura para baixo. Exibindo suas pernas branquinhas. Sua ereção melada. E o cheiro adocicado do ômega ficava mais forte. Dada a sua excitação e a produção de lubrificante natural em sua entrada.

 

O homem saiu de si.

Nada mais importava.

Moral, decência, nada.

Ele levou a mão até o seu cinto, abriu o mesmo.

Depois o botão e o zíper.

Em poucos segundos sua calça já estava abaixada.

Sua grande ereção estava de fora.

Pulsando.

Pedindo pelo mais novo.

 

Tuan sorriu. Não conseguia desviar o olhar do membro do diretor. Aquilo precisava estar em si. E rápido. Ele tornou a se sentar no colo alheio. Mas dessa vez, fora mais devagar, logo que, estava agarrado ao falo de Wang e o introduzindo em seu interior enquanto se sentava.

 

Quando sentiu tudo dentro de si, o ômega apoiou as duas mãos nos ombros do outro. Uma de cada lado. Então, passou a fazer movimentos de vai e vem em seu quadril. Sua entrada estava quente. Um pouco dolorida. O homem era muito maior do que qualquer brinquedo e alfa que já se divertira. Contudo, não deixa de ser prazeroso um segundo se quer.

 

Jackson tinha os dois braços em volta da cintura do moreno. Estava o abraçando. Sua boca colada ao pescoço alheio e enchendo a área de selinhos demorados. Queria deixar chupões ali, morder o rapaz, porém, não podia arriscar deixar marcas nele. Portanto, ficou apenas nos beijos.

 

Os ficaram daquele jeito por algum tempo.

O alfa abraçando e beijando o outro.

O ômega e subindo e descendo no membro alheio.

Ambos gemendo de prazer.

Até que sentiram seus corpos formigarem.

 

Wang foi o primeiro a atingir seu clímax. Sem aviso. O maior se derramou no interior do rapaz. Mark veio logo em seguida, atingindo seu ápice sem se tocar e sujando a camisa e gravata do diretor. Seus corpos foram tomados pelo prazer. Por espasmos causados pelo orgasmo. Os dois estavam ofegantes. O loiro permanecera abraçando o rapaz.

 

- Acho que... –o mais novo parou a frase. Suas bochechas estavam coradas. Não era vergonha. Apenas ficaram avermelhadas. Deveria estar arrependido. Se sentindo culpado por fazer aquilo com seu diretor, no entanto, não estava. – Acho melhor eu ir embora, senhor.

 

Não esperou que o outro dissesse nada. Apenas se levantou com cuidado, retirando o homem de sua entrada. Deu alguns passos tortos para trás. Pegou sua calça, cueca e calçados do chão. Vestiu um a um com certa pressa. Apanhou sua mochila e a pendurou nos ombros.

 

Queria se virar e encarar o alfa, mas sabia que se o fizesse, talvez não conseguisse sair dali. Ele abriu a porta, saiu, fechou a mesma e caminhou pelos corredores.

 

Jackson ficara para trás. Ainda com a calça abaixada. Sua ereção continuava rígida. Seus olhos estavam fechados e sua cabeça pendida para trás. Sentia-se culpado. Não por ter transado com um de seus estudantes, mas porque adorara cada segundo. E seu corpo já estava querendo mais.

 

Do lado de fora, Tuan chegou à porta de saída. Cruzou com um rapaz de cabelos rosa. O mesmo sorria. Estranhamente malicioso. Os dois trocaram alguns olhares. Iam sair da escola, entretanto, um terceiro ômega surgiu. Alguns fios brancos estavam colados a sua testa. O outro suava um pouco.

 

Ele passou pelos dois e saiu apressado.

 

- Parece que alguém andou aprontando. –disse o outro rapaz para Mark.

 

O moreno corou. Pensara no diretor. No que acabara de fazer. Sentiu seu corpo se aquecer. Estava ficando excitado de novo. Não podia. Tinha que ir para casa e tomar um banho frio. Talvez usar algum de seus brinquedos.

 

- Melhor sairmos. Antes que fechem a escola. –comentou.

 

- E ficar preso aqui? –o de cabelo rosa fez careta. – Que horror.

 

- Ah, seu suéter está ao contrário. –disse Tuan para o rapaz.

 

Então, finalmente, saiu da escola.

Com certeza, mais alguém andara aprontando naquele prédio.

 

- CONTINUA -


Notas Finais


espero que tenham gostado
vejo vcs semana que vem
paz no coração e uma paçoca para todos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...