História Notas sobre ela - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Quem é o casal da capa?
#Descubra

Capítulo 5 - Fazendo papel de trouxa


Fanfic / Fanfiction Notas sobre ela - Capítulo 5 - Fazendo papel de trouxa

Ela ama o mar, a praia, e ninguém mais esquenta sua cabeça além do sol.

Eu amo passear na praia, principalmente de manhãzinha, tiro o calçado e ponho os pés na areia, sempre faço isso quando estou pensativa. O sol estava raiando, estendi a toalha e me deitei, até sentir que alguém estava me fazendo sombra.

- O que você está fazendo aqui, não estava passando mal? - Perguntei.

- Melhorei. - Falou Bruno se sentando do meu lado.

- Ah Bruno. - Me sentei. - Você não começar a lembrar do passado né?!

- Porque você não me conta? Eu nem sei o que realmente aconteceu.

- Aaii! - Resolvi contar. - Está bem. Eu estou mesmo precisando desabafar.

- Estou ouvindo.

- Você sabe que eu e a Nicole sempre fomos melhores amigas, mas aí chegou o Kauã e as coisas mudaram. Na verdade eu sempre gostei dele mais do que só um amigo, mas eu nunca contei pra Nicole, e nem ela tinha me contado que gostava dele. De tanto ele me encher o saco pra ir nas festas que ele frequentava, eu a aceitei, só que eu não sabia que ela também estava lá, mas fui. No começo eu estava meio tímida, fui me soltando quando experimentei bebida alcoólica. Aí você já sabe o que aconteceu, paguei o maior mico, mas também, a bebida me deu coragem de roubar um beijo do Kauã, na verdade ele que me roubou um beijo, mas eu gostei, e quando ele começou a me agarrar, não me importava mais com os outros, apenas curti o momento. Porém a Nicole viu, e não gostou nada, tanto que no outro dia ela veio tirando satisfação, tentei explicar mas ela não queria saber. Contei pro Kauã, ele ficou surpreso mas não disse nada. Na semana seguinte, a Nicole veio falar comigo, pedir desculpas e contou que eles estavam namorando, eu fiquei de boca aberta, mas aceitei. Ontem ele vem e diz que terminaram porque o relacionamento esfriou, eu não entendi, assim do nada eles terminam, ele desiste do curso e volta pra Balneário Camboriú.

- Nossa! Que rolo. - Disse surpreso. - Mas você ainda gosta do Kauã?

- Não sei, ele me deixa confusa. O que você acha que eu devo fazer?

- Eu acho que você deve seguir sua intuição, deixa rolar e vê o que acontece.

- Ah, você é meu melhor concelheiro. - Abracei ele.

Na manhã seguinte, era segunda-feira, levantei e fui me arrumar pois tinha aula. Cheguei na escola com cara de sono, como sempre, mas o que me animou foi saber que o Kauã estava na minha sala. Era a única coisa que me dava ânimo pra ir para a escola. Percebi que realmente nossa intimidade havia voltado, nós parecíamos um casal, mas nada tinha rolado ainda.

- Então formem duplas. - Disse a professora de Biologia.

Nós nos olhamos, era óbvio que um seria a dupla do outro, ele se levantou e veio até mim.

- Oi estranha.

- Oi bebê. - Comecei a zuar com ele.

- Vai começar a me chamar de bebê, bebê.

- Sim, você é meu bebê, bebê. - Rimos juntos.

- Ei você entendeu o assunto?

- Sim porque?

- Ainda bem. - Disse aliviado. - Eu não entendi.

- Se não sou eu na sua vida. - Disse com um sorriso no rosto.

- Se não fosse você na minha vida. - Falou apoiando a cabeça no meu ombro.

Na hora do intervalo, nós deitamos na grama e naquela hora tudo parecia estar indo bem.

- Eu estava com saudades de você sabia? - Ele falou olhando fixamente em meus olhos.

- Sério?

- Sim, você é a minha melhor amiga, sempre me dá os melhores concelhos.

- Pois é. - Não esperava que ele dissesse a palavra "amiga", meu sorriso se desfez na hora.

- E agora eu preciso de um. - Falou com um meio sorriso.

- Pode falar.

- Você acha que fiz certo, terminando com a Nicole? - Perguntou.

- Você ainda gosta dela? - Respondi com outra pergunta.

- Não sei, como eu disse parece que o relacionamento esfriou, mas de alguma forma eu sinto a falta dela.

- Eu acho que você deve seguir sua intuição. - Agradeci quando o sinal bateu.

Depois dessa eu fiquei o resto da aula de cara fechada.

- O que aconteceu Aline? - Ele me perguntou, acho que percebeu minha cara de insatisfação.

- Nada, só estou preocupada com umas coisas lá em casa. - Disfarcei.

- Então tá. - Disse mesmo sem ter se convencido. - Vamos tomar um sorvete depois da aula?

- Não tô afim, deixa pra próxima.

- Okay.

Cheguei em casa só deitei na cama e fiquei pensativa, não chorei porque não consegui chorar, no fundo eu já sabia que não devia criar espectativas. Isso foi o destino mostrando mais uma vez que estou errada. O Bruno como me conhece, entrou no quarto e me perguntou deitando-se na cama do meu lado.

- Porque a moça tá triste?

- Fiz papel de trouxa novamente. - Não tinha motivos para esconder.

- O que aconteceu?

- Eu criei expectativas com o Kauã, e hoje ele veio me dizer que ainda gosta da Nicole.

- Ele disse isso?

- Na verdade ele perguntou o que eu achava de eles terem terminados, se ele fez a coisa certa, eu só falei pra ele seguir a intuição. Ai Bruno, eu sou uma trouxa mesmo.

- Claro que não, azar o dele trocar você por ela. Apenas pense que foi ele que perdeu, não você.

- Eu já disse que você é demais? - Nós rimos.

No jantar eu fiquei quieta pensando o que ia fazer. Meus pais já haviam voltado da viajem de negócios, e logo "soltaram a bomba".


Notas Finais


Gostaram? Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...