História Nothing Like Us - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski
Tags Sterek, Teen Wolf
Visualizações 108
Palavras 3.114
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


A partir deste capítulo a fic conterá palavras xulas e de baixo calão.
Sorry not Sorry.

Capítulo 7 - Preliminary


Eu precisava ir devagar. Tínhamos que levar isso um dia de cada vez. Dizia para mim mesmo isso, mas a verdade era que eu queria entrar na mesma vida que eu tinha com Derek, menos a arrogância e a maneira que ele pensou que eu deveria viver a minha vida.

Minha garganta estava apertada. Senti o quão duro ele estava por mim. Eu poderia ter parado e ido embora.

"Me foda", eu disse de novo.

E antes que eu soubesse o que estava acontecendo Derek tinha arrancado toda minha roupa. Ele retalhou as roupas com suas garras, seu lobo estava bem na superfície. Mas ele não iria me machucar, não fisicamente pelo menos.

Senti o ar frio escovando ao longo do meu corpo superaquecido. E então ele foi tirando a roupa também. Por longos segundos eu só podia observar seu corpo sendo revelado, do jeito que me lembrava com clareza vívida. Corpo de Derek era tenso, tonificado. Como um lobo, ele era enorme, talvez até mais porque ele era um alfa. Ele tinha músculos enormes, linhas marcadas e eu estava preparado para ele, tão quente. Ele era grande e duro, com uma pitadinha de pelos no peito cobrindo seus músculos peitorais, e outro rastro escuro começando abaixo de seu umbigo e vai bem deliciosamente até seu monstruoso membro que estava duro e apontando para mim.

"A maneira que você está me olhando me deixa louco, Stiles."

Eu não disse nada, só continuei a olhar para o corpo masculino e poderoso que me lembrava. As bolas eram enormes, penduradas abaixo do monstro entre as coxas. Havia uma gota de pré-sêmen saindo da ponta de seu membro que deixou a mim e a minha boca molhada. E então ele pegou o pau dele e começou a acariciar-se da raiz a ponta.

"Você gosta de olhar para isto?" ele perguntou enquanto ele se agarrava.

"Você imagina isso tudo dentro de você, baby?"

"Deus, Der” eu sussurrei.

Ele ainda tinha uma boca suja.

Eu adorei.

Minha garganta e minha boca ficaram secas enquanto eu observava o cretino, sabendo que ele estava pensando em nós. Eu levantei o meu olhar para seu rosto e vi o olhar intenso de excitação cobrindo a expressão dele.

"Você quer preliminares, baby?"

Eu balancei minha cabeça.

"Bom, porque eu não posso lidar com isso agora. Eu preciso de você."

Ele estava na minha frente um segundo mais tarde. Ele me empurrou contra a parede outra vez, seu duro, quente e longo pau pressionando minha barriga.

Deus, ele era enorme.

Como eu me lembrava.

Ele tinha a mão entre minhas coxas um segundo depois, e eu ofeguei com o contato, com calor do seu corpo. Os dedos dele eram tão grandes e meu mebro estava tão molhado que eles deslizavam facilmente.

"Onde você me quer?" ele perguntou com a boca colada em minha orelha. Eu agarrei seu pulso, mantendo seus dedos na minha entrada, mas ele deslizou os dedos para fora até que os senti pincelando.

"Diga-me, Stiles."

"Eu quero você aqui, Der."

Ele escorregou o dedo grosso em mim e eu gemia. Ele começou a me foder com os dedos em um movimento lento e constante, mordi meu lábio, como era bom.

"Deus, Der. Sim."

"Você quer que eu encha você com meu esperma, para marcá-lo por dentro, Stiles?"

"Derek". Eu ofeguei seu nome enquanto ele aumentava a velocidade.

"Você se lembra como era bom quando eu te enchia com a minha porra?"

Balancei a cabeça.

"Você se lembra o quanto você queria a marca de minha mordida em seu pescoço e as marcas de minhas mãos em sua pele?"

Concordei novamente, não confiando em minha voz. Não pude parar o som que escapou.

"Você sabe quem e o que sou para você. Você sabe que nós pertencemos um ao

outro."

Eu mordi meu lábio quando senti que ele retirou seu dedo da minha entrada e de meu membro, mas ele não limpou o creme que cobria seus dedos. Em vez disso ele levou os dedos à boca e chupou limpos.

"Você tem o mesmo gosto... tão gostoso, porra."

Sua voz estava distorcida por causa de seu lobo se levantando. Eu podia ver o flash da sua alternância humana e animal perante a mim, e eu queria desesperadamente sentir o intenso animal por quem tinha me apaixonado tão duramente.

Antes de saber o que estava acontecendo, ele me virou e tinha a mão no centro da minhas costas, pressionando-me totalmente na parede. Olhei por cima do ombro para vê-lo.

Eu precisava.

"Se espalhe para mim, querido. Deixe-me vê-lo."

Ele me olhou nos olhos, as pupilas tomando conta da cor verde de suas íris. O verdr era vermelho agora, todo olho estava se lançando na escuridão, o que me disse que ele estava próximo da transformação. O som que ele fez vibrou direto em meu pênis, deixando-o formigando. Eu precisava que ele me tocasse. Ele segurou meu quadril com uma mão e eu descansei a minha cabeça na parede, esperando o êxtase que eu sabia que estava por vir. E então eu senti a ponta do seu pau se alinhar na minha entrada.

Um gemido saiu de mim.

"Preciso sentir você todo querido, como antes. Igual como costumávamos ser."

Minha resposta foi um pequeno gemido de necessidade. Ele cravou os dedos em meus quadris, eu sabia que haveria contusões de manhã. Eu queria essas marcas azuis e roxas, porque elas me fariam lembrar o que estamos habituados a ter... aquela paixão crua.

Deus, isto pode ser um erro, mas eu queria me perder com Derek.


***


' Foda, Stiles" Derek rosnou contra meu pescoço. "Eu senti tanto a sua falta."

Ele correu a língua ao longo do lado do meu pescoço.

"Queria que esta primeira vez, depois de tanto tempo, fosse doce, gentil..."

"Você não é esse tipo de homem" eu sussurrei, um arrepio tomou conta de mim. "E você e eu sabemos o jeito que você é. Não gosto de doce e gentil."

"Oh merda" ele disse com uma voz distorcida e animalesca. "Você quer algumas marcas de mordidas, alguns arranhões, baby?"

Eu respirava com dificuldade.

Sim. Eu queria isso. Precisava disso. Eu queria arranhões, marcas de mordida e qualquer outra coisa que vinha por estar com um macho alfa. Ele usou o pé para empurrar minhas pernas mais abertas. Seu domínio sempre me fez mais quente. Era apenas seu pensamento da década de 1950 que tinha estragado tudo entre nós.

"Está pronto?" ele sussurrou ao meu ouvido.

"Foda-me agora, Derek".

Ele resmungou e em seguida já estava empurrando para dentro mim com um lento, mas profundo impulso.

"Ah" eu gemia.

Eu estava completamente cheio, esticado até o ponto em que parecia

que iria me dividir em dois. Ele mantinha um aperto na minha cintura, suas garras cravando em minha pele, causando um flash de dor misturado com o prazer.

Isto é como era estar com Derek, meu lobo.

"Você quer mais?" ele dizia respirando pesado.

"Você sabe que eu quero."

Ele soltou-se de um dos meus lados, e espancou minha bunda, duro. Eu senti a carne balançar ligeiramente. Eu queria mais.

"Você quer mais, Stiles?" ele perguntou como se lesse minha mente.

"Sim, Der". Fechei meus olhos e suguei tanto oxigênio quanto pude. Ele puxou seu pau para fora, deixando só a ponta na minha entrada, tudo que eu queria fazer era exigir que ele enfiasse bem fundo em meu corpo.

Ele bateu em minha bunda novamente.

"Quando eu terminar com você, você vai estar bem dolorido, Sti, mas você vai querer mais".

Cerrei minha mandíbula quando ele bateu minha bunda novamente. Derek começou a me foder com estocadas fortes. Ele saía e entrava todo, uma e outra vez, até que eu estava coberto de um leve brilho de suor. Meus músculos internos apertaram em torno de seu comprimento, e ele resmungou, ganhando velocidade. Ele sempre tinha sido assim durante o sexo: alfa áspero, exigente, totalmente acima de tudo. E isso era o que eu amava nele. Ficávamos tão envoltos na névoa da paixão, puxando o cabelo, as mordidas, sangue escorrendo dos meus arranhões superficiais, Derek podia fazer isso.

Um arrepio trabalhou através do meu corpo enquanto memórias me agrediram.

"Eu sou seu, Derek Hale".

Eu só dizia o nome completo dele durante o sexo. Não sei porquê, mas sabia sem dúvida que o excitava.

Ele espancou minha bunda de novo e de novo, e eu gemia.

"Se sente tão bem." Ele gemeu as palavras para fora. "Sim. Foda. Sim, Stiles. É tão bom". Ele bateu mais forte em mim. Não consegui parar o grito cheio de prazer que me deixou.

"Eu quero mais," encontrei-me dizendo.

"Eu vou dar mais a você, baby." Ele empurrou profundamente, e ambos fizemos estes barulhos profundos. "Sua entrada é muito apertada."

E então o prazer aumentou e eu não conseguia nem pensar direito. "Vou gozar".

Eu não queria que isto acabasse.

"Foda-se, querido. Quero que goze, mas não agora. Espere um pouco mais de tempo" ele disse e inclinou-se para passar sua língua pelo comprimento da minha coluna.

Eu senti as pontas de seus caninos na minha carne, essa promessa deliciosa de que ele pode romper a pele. "Tudo em você é tão malditamente doce."

Ele trabalhou seu pau dentro de mim em estocadas profundas, duras. Eu sabia que ele queria gozar tanto quanto eu queria, mas eu também sabia que ele estava adiando o prazer ao máximo. Derek continuou metendo em mim e eu me forcei a não gozar por causa de seu comando. Eu queria fazer o que ele dissesse, não porque eu era fraco, mas porque eu sabia que minha submissão e obediência eram o prazer dele. Isso me deu o poder, talvez até mais do que o poder que ele tem de me dominar.

Ele bombeou várias vezes mais para me acalmar, as bolas dele pressionado contra a minha entrada, sua respiração dura.

"Foda" ele respirou duramente. "Eu quero fazer isso durar, mas não posso manter meu controle, baby."

Chupei em uma grande golfada de ar.

"Por favor", implorei.

Ele rosnou em aprovação.

Der puxou para fora, então a cabeça de seu pau ficou em minha entrada novamente.

"Tão molhado, meu bem. Meu pau está todo coberto com seu suculento creme de tão gostoso que você é."

Ele empurrou de volta tão poderosamente que não parava de gozar, só deixei acontecer e essa espiral de prazer tomar conta de mim.

Minha cabeça se sentia confusa com o prazer que me consumiu. Esse êxtase parecia durar por longos minutos, mas eu queria que isso durasse para sempre. Eu queria pensar sobre este momento com Derek. Não queria me preocupar com o que aconteceria depois.

Quando senti que a alta do ecstasy ia me deixar, Der tirou seu pau , mas ele não tinha acabado ainda. Eu sabia disso. Ele me virou, enrolando a mão frouxamente em torno da minha garganta e bateu sua boca na minha, beijando-me brutalmente.

Eu derreti nele, não era capaz nem de ficar de pé. Minhas pernas eram como pudim.

Mas Derek tinha o braço envolto em torno de minha cintura, segurando-me perto de seu corpo.

Então ele quebrou o beijo e levantou-me em seus braços com uma força que eu

estava familiarizada.

"É tão bom ter você em meus braços."

Sim, é verdade.

E depois, estávamos no quarto. Derek tinha-me na cama em um segundo depois, e meu corpo foi jogado no colchão.

"Abra as pernas para mim. Eu quero ver. Eu quero ver o que é meu."

Eu respirava forte e fiz o que ele disse, porque eu queria.

Senti o cheiro dele em todos os lugares, cobrindo meu corpo, enchendo minha cabeça.

Me deixou tão quente.

Derek agarrou seu pau e começou a acariciar-se, seu pau enorme tinha meus músculos interno se apertando em necessidade. Eu queria ele em mim de novo, queria sentir aquele pau e queimar de tê-lo em meu corpo.

Ele largou a si mesmo depois de alguns segundos e veio em minha direção como o animal que era, o grande lobo que ele abrigava dentro dele.

"Você está tomando seu tempo" eu sussurrei, necessidade queimava em mim agora.

O rosnado que veio dele foi a única coisa que ouvi antes ele tivesse seu corpo grande em cima de mim, me pressionando no colchão.

"Você é meu" ele disse e olhou nos meus olhos, sua mão frouxamente em

torno do meu pescoço novamente, adicionando apenas um pouquinho de pressão, então eu sabia que ele estava falando sério.

Não há gentileza ou suavidade em nada. Derek agarrou minhas coxas e as abriu tão largo que os músculos protestaram.

"Não tem como negar que você é meu." O flash dos brancos e retos dentes, com seus caninos começando a alongar enquanto me encarava. Ele colocou seu pau na minha entrada e em um movimento estava enterrado em meu corpo novamente.

Eu abri minha boca em um grito silencioso, minha cabeça caiu para trás e meus olhos fecharam por conta própria. Estava tão cheio. Minha entrada estava esticada, mas era o tipo de desconforto que me excitava, me fazia querer muito mais com este macho.

Derek respirava tão duro, seu enorme peito subindo e descendo.

As coisas poderiam funcionar para Derek e eu?

Nossas vidas eram diferentes agora...

éramos diferentes agora.

Ele era o xerife de Stales, mantinha esta cidade na linha e segura, e eu estava lidando com Malia e seus problemas.

Havia também o problema de como as coisas tinham terminado com a gente, e o fato de que praticamente tinha saltado para a cama novamente depois de tanto tempo sem resolver nada.

Ele começou empurrando superficialmente em mim, me provocando, me torturando.

"Quero que me sinta dentro de você depois que acabarmos baby." Ele empurrou profundamente. "Quero que me sinta amanhã, quando você se sentar. Eu quero essa queimadura deliciosa de desconforto para fazer você perceber que sou seu dono."

"Sim," encontrei-me sussurrando.

"Eu quero minha semente encharcando sua quente e apertada entrada até amanhã de manhã, Stiles. Baby, quero ver a prova do que nós fizemos hoje nos lençóis."

Ele bateu em mim novamente. "Cristo".

Sua voz era tão áspera, tão animalesca. Eu não queria que isto acabasse. Derek retirou seu pau quase todo o caminho, a cabeça do pau dele agora estava pressionado contra o buraco da minha entrada. Eu segurei minha respiração, esperando o inevitável, querendo que ele enfiasse todas aquelas grossas polegadas em mim novamente.

Nós entreolhamos, e então eu senti minha entrada sendo esticada por seu pau enorme enquanto entrava sendo acolhido pelo meu corpo.

Estava escorregando na cama com suas estocadas energéticas, movimentos duros, mas segurei seus bíceps, minhas unhas cravando em sua carne firme e dura.

"Olhe para mim, querido. Veja como vou te foder."

Ele se apoiou em cima de mim, seus braços trancados em linhas retas, ainda mais impressionantes com os músculos esticados. E foi quando vi o clarão do seu lobo mudando em seu rosto de novo. Ele estava tentando não mudar parcialmente.

Ele exalou duramente, e eu olhei para seus caninos. Eu queria que essas ímpias presas perfurassem minha carne. Minha entrada apertou com mais força em torno do pau dele. Meu membro duro.

"Olhe pra mim” Derek exigiu com uma voz profunda, doentia. Estava assim por causa de seu animal e eu adorava que ele estava tendo dificuldade para se controlar.

Eu me levanto e me apoiou em meus cotovelos, havia gotas de suor em minha sobrancelha e no vale entre meus seios. Eu percorri o olhar por todo o comprimento do meu corpo e vi o que ele estava fazendo para mim.

Ele lentamente tirou de mim, seu pau enorme tornando-se visível. O brilho da minha excitação revestindo o grosso comprimento.

"Tão gostoso Stiles." Ele empurrou o pau dele volta em mim, e um suspiro me deixou de tão excitante que foi vê-lo me foder. "Mostre seu pescoço para mim. Deixe-me fazer isto, baby. "

Ele manteve o bombeamento dentro e fora de mim, mais rápido e mais duro com o passar dos segundos. Senti o alvoroço do orgasmo chegando e assim enquanto ele era construído arqueei meu pescoço, inclinado para o lado e lhe disse sem palavras que eu queria isso.

Eu precisava de seus caninos em mim.

Ele fez um som baixo antes de eu sentir os dentes perfurando minha carne. Fez meu orgasmo ainda maior.

Ele resmungou, e o senti tenso em cima de mim. Eu sabia que ele estava vindo, enchendo-me com sua porra.

Minha voz estava subindo, o tom mais alto enquanto eu gozava mais uma vez pra ele.

Quando ele parou de me penetrar e tirou sua boca do meu pescoço, eu senti ele lamber as feridas que ele tinha acabado de criar.

Era a maneira que ele costumava me tocar, como ele costumava me amar.

"Puta que pariu, Sti." Ele estava tenso, ofegante, senti ondas de prazer vindo dele. Eu posso não ser um lobo e não conseguia cheirar suas emoções, mas eu podia ver como eu o fazia se sentir.

As coisas não podiam ser ignoradas. Eu sabia que eu não iria segurar minha raiva por muito tempo. Mesmo se as coisas tivessem acontecido tão rápidas, foi tão intenso, desde que voltei para Stales eu sabia uma coisa... Eu queria tentar de novo. Eu queria ver se as coisas seriam diferentes se trabalhássemos em equipe para o nosso relacionamento. Ele estava tentando, senti isso, vi isso nele.

O modo que ele queria que eu vivesse minha vida naquela época poderia ter sido errado, e nos levou à separação. Mas eu também não exigi que ele lutasse por nós, eu também era forte. Tinha sido eu quem não nos deu mais uma chance de lutar. Eu corri, e eu não queria fazer isso de novo, correr do homem que amava.

Eu queria que ele entendesse que eu era quem eu era, e que eu poderia ser a minha própria pessoa. Não preciso de um homem para ter o controle, porque eu poderia governar a minha vida.

"Eu sei."

Ele segurou com as mãos em concha a minha bochecha.

"Eu prometo, até eu tomar meu último suspiro, que eu vou estar lá para você, não importa o quê" ele disse suavemente. "Devemos estar junto. Eu vou lutar por nós, não contra nós."

"Derek.." Sussurrei seu nome, não sabendo mais o que dizer.

Ele rolou para o lado e me puxou para perto. Deixei ele me abraçar, porque apesar de nosso passado, eu ainda o amava e o queria tanto. Eu queria ele na minha vida, mas a situação era complicada e eu não sabia como as coisas seriam depois de tudo isso.

Fechei meus olhos e não pensei em nada mais além do prazeroso rescaldo deste momento. Poderia me preocupar com tudo mais tarde, certo?


Notas Finais


Qualquer erro mil desculpas.
Até!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...