História Eyes for Tomorrow - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Dot Pixis, Eren Jaeger, Erwin Smith, Hange Zoë, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Personagens Originais, Reiner Braun, Sasha Braus, Ymir
Tags Shingeki No Kyojin
Visualizações 89
Palavras 1.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meninas! Eu sumi né? Nem percebi que fiquei tanto tempo sem postar, me perdoem.
Bem, depois de muitos meses aqui está o segundo capitulo, espero que gostem dele, a partir daqui tudo vai começar a se desenrolar.
A foto abaixo seria uma representação da Rhine, para vocês terem uma base de como ela é (cabelo longo e olhos castanhos)
Quem acompanha minhas outras fanfics, estou escrevendo então logo será postado.
Desculpem novamente pela demora

Espero que gostem ^^

Capítulo 2 - Rhine Nails


Fanfic / Fanfiction Eyes for Tomorrow - Capítulo 2 - Rhine Nails

Ele tirou tudo que bloqueava a porta e a abriu, descemos alguns poucos degraus, no final da descida tinha uma sala espaçosa com algumas caixas de comida fechadas e em um dos cantos uma cadeira de madeira. Do lado esquerdo tinha uma grande grade trancada, me aproximei encontrando na cela em um canto  uma cama de solteiro com os lençóis bagunçados, em outro canto uma cesta de roupas, não sei dizer ao certo se estão limpos ou sujos, em uma parte da cela dois baús fechados, do lado esquerdo uma porta que deve levar ao banheiro, sentada no chão montando um quebra-cabeça estava ela, Rhine Nails. Ela tem a mesma altura que eu, sua pele é tão branca, pálida pela falta de Sol, vestia uma longa camisola branca suja por causa da sujeira do chão, seus cabelos castanhos escuros presos em duas tranças eram tão longos que encostavam o chão, seus olhos castanhos escuros estavam concentrados no que estava fazendo, seus olhos me intrigaram...pareciam opacos, tristes...sem vida, como se todo o traço de felicidade e sanidade tivesse se esvaído do seu corpo.  

Pixis puxou a cadeira de madeira que estava em um canto e colocou próximo a grade da cela e se sentou, eu e Erwin nos aproximamos ficando em pé atrás dele. 

-Olá, Rhine, como você está? - Pixis disse gentilmente 

Ela parou o que estava fazendo e olhou para Pixis, SOMENTE para Pixis, deu um leve sorriso que misturado ao seu olhar sem vida parecia um sorriso triste. 

-Pixis, a quanto tempo, esteve muito ocupado?  

-Sim, lá fora esteve uma bagunça nos últimos dias. 

-Imagino. - Ela disse tirando o leve sorriso dos lábios. 

-Mas você está bem? Se alimentando direito?  

-Sim, não precisa se preocupar.  

-Você deveria pegar mais Sol, falta dele causa doenças, se não se sentir bem me fale que eu chamo um médico. - Era Pixis, ele parecia realmente preocupado com as condições dela. 

Ela é muito magra e pálida, dá a sensação que está realmente doente. O que mais me incomoda são aqueles olhos sem vida, um olhar de quem desistiu de tudo e está só esperando a morte, mas esses olhos me passam algo a mais, como se lá no fundo ela não tivesse desistido de verdade, algo aconteceu e eu quero descobrir. Ela tem um olhar interessante.  

-Fico contente que esteja bem, mas eu vim aqui hoje acompanhado, gostaria de lhe apresentar meus amigos, o atual Comandante da Tropa de Exploração, Erwin Smith e o Capitão Levi Rivaille. 

Após Pixis fazer nossas apresentações nos aproximamos da cela e batemos no peito com a mão esquerda. 

Ela nem mesmo olhou para nós, seus olhos estavam fixados em Pixis. Mesmo ela tendo um rosto triste e sem vida, ela parecia incomodada. 

-Prazer em revê-la Capitã Rhine. - Era Erwin - Já faz um certo tempo, espero que ainda se lembre de mim, foi uma honra trabalhar com você. 

Ela desviou sua atenção para Erwin, olhou ele de cima a baixo e parou em seu rosto, por um longo período de tempo ela encarou Erwin sem dizer uma única palavra.  

O silêncio ficou constrangedor e Pixis fez as honras de quebra-lo. 

-Bem, Rhine, eu queria que você conhecesse eles, pois a partir de hoje são eles que vão te fazer companhia no meu lugar. - Ele falou de um jeito sério mas ao mesmo tempo gentil. 

Ela olhou Pixis sem fala, seus olhos sem vida estavam arregalados, seus olhos demonstravam um pouco de choque, enquanto seus rosto não mostra nenhuma emoção. 

-Por...que? Eu te fiz algo Pixis? Você é a única pessoa que confio, por que? - Ela disse com uma voz áspera. 

-Eu ficarei muito ocupado nos próximos meses e provavelmente não conseguirei vir te ver Rhine, por isso pedi para meus amigos de confiança cuidarem de você, só eles sabem de sua existência. Não precisa ficar preocupada Rhine, é só por um período de tempo, depois irei voltar, e eu já disse, são amigos de confiança meus. - Era Pixis, ele contava sua mentira gentilmente. 

-De confiança? Da Tropa de Exploração? - Ela respondeu desconfiada. 

-Não é culpa minha que tenho amigos naquela divisão e ainda por cima de confiança. 

Ela olhou para ele meio desconfiada, talvez ela já saiba nosso verdadeiro objetivo, talvez não seja tão burra quanto pareça.  

-Capitã Rhine - Era Erwin - Não sei se vai lembrar de mim, mas já fui um dos seus subordinados... 

Antes mesmo que pudesse terminar de falar Rhine o cortou. 

-Erwin Smith, eu me lembro de você, era um garoto brilhante com grande futuro nas Tropas, olha agora, de subordinado a Comandante, parabéns pela promoção. - Ela falou com um tom meio sarcástico não se sabia se ela realmente dava os parabéns ou não.  

-Sim, obrigada por tudo Capitã Rhine... - Novamente ela o cortou.  

-Pare de me chamar de Capitã Rhine, abandonei esse posto a muito tempo, me chame só de Rhine. - Ela disse meio áspera.  

-Desculpe Capi...Rhine, faz tanto tempo, não pensei que estava...viva, muito menos aqui, você desapareceu. - Era Erwin. 

-.... - Ela virou o rosto e não disse nada. 

Pixis e Erwin e se entreolharam e foi a vez de Pixis falar. 

-Você fez falta nas Tropas Rhine, deixou todos preocupados. 

-..... - Novamente silêncio. 

-Você nos assustou Rhine, nos deixando sem mais nem menos, ficamos todos desesperados com o seu sumiço, não sabíamos o que fazer sem você por perto. - Era Erwin. 

-Pelo jeito conseguiram se virar muito bem sem mim, viu? Não foi tão ruim. - Ela falou com desprezo. 

E assim continuou, Erwin e Pixis conversando com ela e fazendo perguntas bobas, conseguindo somente silêncio e respostas sem sentido. 

-Você deveria tentar também Levi. - Era Pixis. 

-Ei, Rhine, chega de enrolação e papo jogado fora, viemos aqui com o objetivo de tirar você daqui e coloca-la novamente na Tropa de Exploração. - Eu disse. 

-Eu sabia... - Ela sussurrou. 

-Se sabia não precisa mais se fazer de boba, vamos sair logo dai.  

-Levi, seja mais educado. - Era Erwin. 

-Vocês só estão jogando papo fora, assim nunca vamos tirar ela daí. - Eu respondi. 

-Levi, não é assim que as coisas funcionam, não com a Rhine. - Era Pixis. 

-Você mima demais essa garota, para mim ela é só mais uma maluca que não aguentou o tranco na Tropa. - Eu disse me aproximando das grades. - Agora, deixe de nos dar trabalho e seja uma boa garotinha e saía daí.  

Ela ficou em silêncio e depois me respondeu sem me olhar. 

-Não vou sair daqui, nunca vou voltar para aquele inferno.  

Soltei um longo suspiro e antes que eu pudesse fazer algo Pixis falou. 

-Levi, por favor se afaste da grade e volte aqui. 

Olhei Pixis por um tempo e recuei. 

-Por que Pixis? - Essa voz baixa e melancólica vinha de Rhine – Estou aqui a anos e você nunca tocou nesse assunto, quando eu pedi para me prender você aceitou sem questionar, por que está trazendo esse assunto a tona? Por que está tocando na ferida? 

Ferida? Então realmente aconteceu algo grave naquela missão, mas a grande questão é o que aconteceu? Sinto que se descobrirmos, tirar ela daí será muito mais fácil. 

-... - Pixis abaixou a cabeça em silêncio. 

-Eu pensei que podia confiar em você Pixis – Rhine levantou a cabeça e encarou Pixis, aqueles olhos sem vida fitavam ele de um jeito assustador, parece que a ferida é funda – Todo esse tempo você me deixou ficar aqui, pensei que respeitava minha escolha, pensei que... 

Sem esperar ela terminar Pixis levantou e foi em direção a saída. 

-Erwin, Levi, a visita acabou por hoje. 

Começamos a caminhar em direção a saída, mas antes dei uma última olhada em Rhine, ela nos encarava e pela primeira vez desde que a vi aqueles olhos sem vida mostraram algum sentimento...tristeza e decepção. 

Saímos de lá e Pixis fechou a porta a trancando em seguida. 

-Levi você estragou tudo. - Era Pixis. 

-Vocês só estavam perdendo tempo. - Eu disse. 

-Não, estávamos ganhando confiança. - Era Pixis – Pense bem Levi, ela pediu para ser trancada, era óbvio que ela não sairia de boa vontade. 

-.... 

Eu fiquei em silêncio, não tinha como contestar isso, o que Pixis está querendo dizer é "pense no ponto de vista de Rhine antes de tomar alguma medida". 

-Ela está muito diferente. - Era Erwin – Quando eu era seu subordinado ela era diferente, ela tinha mais "vida", era mais agitada, seus olhos transbordavam confiança, coragem, personalidade. Ela era uma pessoa que não se abalava facilmente, algo muito grave aconteceu com ela. 

-Sim, isso foi a um ano, quando ela voltou de uma missão com a Tropa da Hange - Era Pixis – Eles tinham ido em uma missão a noite para investigar o movimento dos titãs, e quando eles voltaram ela estava assim, veio desesperada e chorando pedindo para sair da Tropa, tentei perguntar o que ouve, mas isso só abalava mais ela, por isso acalmei ela e fiz seu pedido, dias depois ela veio me pedir para ser trancada, tentei perguntar mas ela não me respondia, por isso cedi.  

Acho que eles estão certos, ela não vai sair por boa vontade, afinal foi um pedido dela se trancar, temos que descobrir o que aconteceu naquele dia, sabendo seus motivos fica mais fácil tirar ela dali. 

-Certo, vamos aceitar a missão Pixis. - Eu disse. 

-Obrigado Levi, Erwin. Deixo tudo nas suas mãos, por favor cuidem bem dela. 

Ele agradeceu e saiu. 

-O que está planejando Levi? - Era Erwin. 

-Fazer uma visita a Hange. 

 

 

Continua...


Notas Finais


Prometo postar com mais frequência. Até a próxima ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...