História Novamente, um Kara... - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Série Os Karas
Personagens Personagens Originais
Tags Os Karas
Exibições 30
Palavras 2.952
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Gentyyyy, desculpem mesmo a demora! É SÉRIO!!!
Bom, espero que gostem do capitulo!
~Boa leitura!~
Até as notas finais!!


Spoiler: "[...] Eu te amo! Nunca irei te esquecer! [...]"

Capítulo 5 - Adeus...


Fanfic / Fanfiction Novamente, um Kara... - Capítulo 5 - Adeus...

Por favor, leiam as notas do autor!

▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬

Cenas do capitulo anterior...

"Já eram onze e meia da noite, meus pais já estavam dormindo. Fiquei olhando a vista pela janela do meu quarto e pensando que essa seria minha última noite em meu quarto, que seria a última vez em que eu olharia para essa paisagem a noite... Eu iriei sentir saudades. Muitas saudades daqui..."
▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬

Acordei com o Sol invadindo meu quarto por inteiro. Olhei para os lados e apenas enxerguei minhas malas e algumas roupas. Me levanto devagar ainda com sono. Olho para o relógio de meu celular e vejo que ainda são cinco e quarenta da manhã.

Vou até o meu banheiro tomar um banho refrescante.

Durante meu banho, me lembrava de todas as aventuras que vivi com os Karas...

Sai do box do banheiro, vesti um shorts verde-água, uma blusa de manga longa branca com um decote de V com dois botões nele e  calcei meu chinelo branquinho. Fiz um rabo alto em meu cabelo e deixei duas mexas caídas. 

Me olhei no espelho e, de repente, comecei a lembrar de Miguel. Comecei a sentir minhas lágrimas caírem. Eu nunca mais irei vê-lo, ouvir sua voz e ter um abraço dele! 

Me ajoelhei no chão do banheiro mesmo e comecei a chorar mais e mais. 

Eu não quero perder ninguém, mas, se eu continuar a ficar aqui, irei sofrer muito!

Sinto as lágrimas diminuindo aos poucos e meu corpo se relaxando mais. Me levanto do chão do banheiro e fui lavar meu rosto. Um tempinho depois, mais calma, vou até a cozinha tomar meu café da manhã.

Quando acabo de me alimentar, percebo que estava totalmente sozinha em casa. Meu pai e minha mãe já haviam ido trabalhar....

Fui novamente para meu quarto e fechei a porta dele (sem necessidade, pois estava sozinha...). Olhei para o cômodo todo e comecei a reparar. Ele estava todo bagunçado (com as portas do guarda roupas aberta, malas pelo chão, roupas na escrivaninha, cama e até no chão!) . 

Eu já tinha arrumado a mala de pertences pessoais (calcinhas, sutiãs, absorventes, toalhas, escova de dente, pasta de dente, fio dental, entre outras coisas...) e a mala de roupas de cama (lençol, edredom, travesseiro, capa para travesseiro, e tals...). Faltava apenas eu arrumar mais duas malas, que irei apenas colocar roupas.

Comecei a arrumar as outras malas, pois minha mãe pediu para que todas elas ficassem prontas, no máximo, à uma e meia da tarde para sairmos às duas da tarde.

O tempo passou em um piscar de olhos. Ouço a porta de meu apartamento sendo aberta e minha mãe gritando.

Mãe de Magrí: Filhota, cheguei! 

Ela abre a porta do meu quarto, se direciona em minha cama e arranja um espacinho para se assentar. Minha mãe começa a observar as malas e começa a falar.

Mãe de Magrí: Linda, você já está acabando? Já guardou suas calcinhas, sutiãs e absorventes? Por quê, simplesmente, essas coisas não podem faltar! Não quero que você passe aperto lá! 

Magrí: Mãe?!

Mãe de Magrí: O quê?! É verdade, oras! Agora me responda, você já guardou todas essas coisas, dona Magrí? Falta pouco?

Magrí: Já sim, mãe.... e também falta pouco....

Mãe de Magrí: Que bom! Quero tudo pronto daqui a... daqui a... hm....

Ela olha para o seu relógio de pulso e volta a falar.

Mãe de Magrí: Daqui a uma hora, no máximo, filhinha! Irei preparar o almoço!

Magrí: Ok, mãe!

Eu a abraço e minha mãe sai indo em direção a cozinha e eu volto a arrumar minhas coisas.

Quando apenas restava em meu guarda roupas meus uniformes do Elite, pego eles, me assento na cama e começo a passar a mão neles delicadamente. A cada toque que eu dava neles, me lembrava dos mementos mais felizes e tristes que tinha acontecido comigo e com os Karas... Meus garotos... 

As lágrimas começaram a cair devagar, e, a medida que o tempo passava, elas iam apenas aumentando e aumentando....

Pego meu celular, abro na galeria de fotos e começo a olhar todas as fotos minhas com Miguel, Calu e Crânio. Como naquela época em que tinha tirado elas eu era feliz com eles, feliz com Crânio... 

Tenho que seguir em frente! Desligo meu celular, guardo novamente meus uniformes do Elite em meu guarda roupas e fechei minhas malas. Agora terei que esquecer eles! Terei que me focar em Minas Gerais! Em Belo Horizonte! 

Sai correndo do meu quarto, fui até a cozinha, abracei minha mãe por trás e disse a ela.

Magrí: Acabei de arrumar minhas malas, mãe!

Mãe de Magrí: Que bom, querida! Agora, vá lavar as mãos que o almoço já ficou prontinho! 

Ela disse me dando um selinho em minha testa e voltou a mexer nas panelas que estavam em cima do fogão. Corri para o banheiro, lavei minhas mãos (como minha mãe tinha falado) e corri para a cozinha novamente para me servir.

Me servir, me assentei na mesa e comecei a comer meu almoço. Irei sentir saudades da comida de minha mãe... Saudades de me assentar nessa mesa... Saudades de minha rotina... Resumindo... Irei sentir saudades de tudo! Incluindo, também, meus queridos Karas... Ah, Miguel... Meu Miguel... Meu... Apenas meu...

Terminei de me alimentar às duas horas da tarde. Levei meu prato e os talheres em que tinha usados e os lavei.Andei até o meu quarto e comecei a levar todas as malas que tinha estavam arrumadas em meu quarto e as coloquei uma por vez na sala de estar.

Logo em que tinha acabado de fazer isso, vou ao quarto de minha e começo a falar com ela na porta do cômodo.
                                                  
Magrí: Mãe, eu já lavei a louça e já coloquei as malas na sala. E aí? Você acha que eu já devo me arrumar para a viagem? Devo dar una descansada?

Mãe de Magrí: Ah, minha querida... Sinceramente, acho que você deve ficar prontinha e, quando estivermos saindo de casa, você deve falar com suas amigas para ver se elas podem te encontrar no aeroporto.

Magrí: Ok, mãe... Ok...

Sai da porta do quarto dela e fui me direcionando para o meu quarto, novamente. Entrei nele, peguei uma roupa em que tinha deixado em cima de minha cama para a viagem, entrei em meu banheiro,   fechei a porta e fui tomar banho.

Logo em que acabei de tomar meu banho relaxante e quente (do jeito que eu amava), me sequei e vesti uma regata simples branca com uma renda nas alças, uma blusa de frio leve e soltinha rosa escuro e um jeans rasgado de um tom de azul muito claro. Calcei um tênis de cano curto branco e deixei meu cabelo solto mesmo.

Sai do banheiro, peguei meu celular correndo, me joguei na cama e comecei a olhar as mensagens em que tinham chegado para mim e que eu não havia visto/lido ainda.

A maioria era de Peggy confirmando que iria no aeroporto e o horário que era para chegar.

Uns quinze minutos depois de ter lido/visto todas as mensagens, minha mãe me chama para irmos entrando no carro e guardando minhas malas.

Quando estava já no meio do caminho, meu telefone começa a tocar.

Era Miguel.

▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬
P.O.V Calu

Eu estava mexendo no computador dando umas olhadas em minhas redes sociais quando meu celular vibra na escrivaninha de meu quarto.

Era uma mensagem de Peggy. De minha linda e querida Peggy...

~Mensagem (traduzida) de Peggy ON~

Oi, meu lindo Calu! Tudo bem com você, fofo?

Estou te mandando essa mensagem para saber se você está bem e para avisar algo que é um segredo de mim que Magrí me contou...

Bom, a Magrí irá se mudar de vez de São Paulo para Minas Gerais e, ela me disse que, apenas queria me ver no aeroporto para se despedir. Mas, como eu sei que você, Miguel, Crânio e Chumbinho são muito amigos com Magrí, estou te pedindo para você também ir no aeroporto às quatro e meia da tarde e para você convidar Miguel, Crânio e Chumbinho.

Te amo,

Peggy <3

~Mensagem (traduzida) de Peggy OFF~

Eu já tinha ficado sabendo sobre essa mudança que Magrí iria fazer, mas não fazia ideia (antes de ler a mensagem) que dia seria, que horas seria o vôo e para onde ela iria.

Fiquei um tempo pensando se realmente seria bom eu ir e convidar Miguel, Crânio e Chumbinho. Eu já tinha me decidido que iria pedir para Miguel dar uma bela bronca em Crânio e que não o convidaria. Já Chumbinho... ainda estava indeciso... decidi o chamar, apenas para ele não se sentir mal... Agora, Miguel... é um caso complicado... Ele não tinha feito nada de mais, mas ele fez o coração de Magrí se dividir e a fez ficar confusa... Eu acho que irei convidar ele... Sim! Eu irei convidar ele!

Mandei uma mensagem para Peggy dizendo que iria no aeroporto e que, por alguns motivos, apenas iria convidar Miguel e Chumbinho. Logo em seguida, tomei um banho, vesti uma roupa e tornei a ligar para Miguel.

~Ligação ON~

Miguel: Alô?

Calu: Miguel, sou eu! Calu!

Miguel: Ah... Por quê você está me ligando?

Calu: Bom... É que Peggy me mandou uma mensagem á uns vinte minutinhos atrás dizendo que Magrí iria se mudar hoj~

Miguel: Calu! Que horas é o vôo dela?! Heim?!

Calu: Calma, senhor Miguel! Olha, o vôo eu não sei que horas será, mas Peggy me pediu para chegar às quatro e meia da tarde.

Miguel: Calu, me encontra então no aeroporto! Estarei lá no horário que você me disse! Tcha~

Calu: Espere aí, romeu! Ainda não disse tudo o que tinha que falar!

Miguel: Então diga logo, Calu! Está ficando tarde!

Calu: É que eu queria pedir para você chamar a atenção de Crâni~

Miguel: Calu, mesmo você não estando pedindo, eu iria dar! Agora, até o aeroporto!

~Ligação OFF~

Ele realmente a ama...

▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬
P.O.V  Miguel

Aquele idiota do Crânio ainda iria se ver comigo...

Deixei meu celular em cima da cama, me levantei rapidamente, olhei para o relógio de parede e vi que eram três e quarenta e cinco da tarde. Corri para o banheiro, tomei um banho e, logo em seguida, olhei novamente para o relógio que marcara três e cinquenta e cinco da tarde.

Vesti rapidamente uma blusa de malha preta, uma calça jeans clara e um tênis preto e branco. Passei um pouco de perfume dei uma rápida penteada em meu cabelo.

Sai de casa quatro e cinco da tarde. Peguei um táxi e fui indo para o aeroporto.

Uns cinco minutos depois de ter entrado bo táxi e falado ao taxista o meu destino, peguei meu celular e liguei para Magrí.

Ela não atendia! Eu já tinha ligado para ela umas quatro vezes! Essa já iria ser a quinta! Liguei apenas para completar a quinta e, deu a mesma coisa das quatro vezes atrás. Ela não atendeu!

Em vez de ligar novamente para Magrí, liguei para Crânio. Por sorte, ele atendeu...

~Ligação ON~

Crânio: O que que é, Miguel?!

Miguel: Você se lembra que a Magrí irá se mudar? Se lembra?

Crânio: Claro que eu me lembro, seu idiota! Por quê?!

Miguel: É por quê ela irá se mudar hoje... E, eu quero te falar que, isso tudo é por sua culpa...

Crânio: Eu sei! Não preciso que você fique jogando isso na minha cara! E que horas é o vôo dela?! Heim?!

Miguel: Eu não irei falar! Você não merece saber! Pense aí melhor no que você fez para Magrí! Tchau!

~Ligação OFF~

▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬
P.O.V  Crânio

Por quê eu fiz isso com Magrí?! Por quê?! Por quê tenho tanto ciúes, a ponto de fazer o amor de minha vida mudar de estado por minha causa?! Por quê?!

Lágrimas começaram a cair sobre meu rosto a cada vez que me lembrava de eu tratando mal Magrí e da ligação de Miguel.

Por instinto, começo a trocar de roupa colocando uma melhorzinha.

Entro em um táxi e começo a ir ao aeroporto. Se o vôo de Magrí fosse agora, pelo menos iria tentar me desculpar com ela. Mas, se o vôo dela for mais tarde ou já tiver decolado... pelo menos, eu teria tentado...

▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬
P.O.V  Magrí

Minha mãe estava estacionando o carro quando ela diz para mim.

Mãe de Magrí: Filha, eu sei que é difícil e tals, mas... Para eu não sofrer mais e te arrancar daquele avião... Eu apenas irei te deixar no aeroporto e te deixar na frente da sala de embarque...

Ela começou a chorar. E eu também. Minha mãe era muito especial para mim, eu não queria perde-la.

Saímos do carro, pegamos minhas  malas e nos direcionamos até o interior do aeroporto.

Depois de um tempo resolvendo tudo o que tínhamos que fazer antes de entrar na sala de embarque, me despedi de minha mãe com muitas e muitas lágrimas.

Fiquei em frente a sala de embarque com o rosto todo vermelho de tanto chorar. Comprei uma empada de frango e um copo de coca-cola.

Logo em que acabei de comer, vou até uma loja ver algum livro para ler durante a viagem. Quando eu estava prestes a pegar um livro que tinha me interessado, ouço uma voz feminina e conhecida me chamar.

?????: Magrí!

Magrí: Peggy! Pensei que você não iria conseguir vir!

Eu abracei Peggy e a mesma me retribuiu. Olhei para frente e vi um monte de guardas costas, apenas pela proteção de Peggy.

Peggy: Magrí, minha querida amiga companheira... Eu irei sentir saudades, muitas saudades...

Magrí: Eu também irei, Peggy... Eu também irei...

Ela desfez o abraço e começamos a conversar enquanto eu comprava o tal livro em que tinha me interessado.

O tempo foi passando até que, de repente, vejo a imagem de três conhecidos... De três conhecidos muito queridos por mim...

▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬

P.O.V  Miguel

Eu paguei o taxista, sai do táxi e comecei a correr para dentro do aeroporto. Meu destino era em frente a sala de embarque, onde encontraria Calu, Peggy e minha linda Magrí...

Quando cheguei no lugar, vi alguns guardas costas, Calu e Chumbinho. Me aproximei dos dois e Calu já foi dizendo.

Calu: Miguel! Ainda bem que chegou! Peggy me pediu para ficarmos afastados delas para elas matarem direito as saudades...

Miguel: Ok... Ér... Eu dei um torra no Crânio... Ele ficou nem aí! Me deu vontade de dar um murro na cara del~

Chumbinho: Acalme-se, Miguel! Agora, aproveite o tempo que você irá ter com Magrí.

Eu apenas concordei.

Quando deram quatro e quarenta e cinco da tarde, eu, Calu e Chumbinho começamos a ir em direção de Magrí e Peggy.

Vi que Magrí tinha me percebido e arregalou os olhos. Eu fui me aproximando mais e mais dela até que eu tenho a coragem de puxar a mão dela e pedir para conversarmos a sós. Ela aceitou e fomos perto de uma janela do lugar.

Ficamos uns trinta segundos em silêncio até que eu o quebro.

Miguel: Magrí, eu sempre te considerei mais do que uma amiga para mim... Para mim, você é a flor mais bonita e preciosa de meu jardim... Magrí, você faz meu coração bater mais rápido a cada toque ou olhar que você faz para mim...

Ela me olhou meio surpresa e corada. Magrí olhou para a janela e disse para mim.

Magrí: Sabe, Miguel... Eu te considerei muito como um amigo... Um amigo companheiro, educado, inteligente, gentil e bondoso... Nesses últimos, eu olho para você com um olhar diferente do de antes... Miguel, você fez meu coração se dividir e me fazer ficar muito confusa! Eu amo Crânio, mas, agora, eu também amo você! Eu não queria que nossa amizade acabasse, mas é para eu não sofrer... Eu fico muito triste em estar fazendo isso, ma~

Miguel: Não precisa falar mais nada, Magrí! Não quero ver você chorar e sofrer! Quero ver você bem e feliz!

Eu a abracei e a mesma retribuiu. Eu sentia minha camisa ficando cada vez mais e mais molhada por causa do choro de Magrí. Eu não me importava com isso, apenas queria aproveitar ela ao máximo!
O tempo foi passando até que, de repente, o vôo de Magrí começou a ser chamado.

Nos desfizemos o abraço e, eu e ela começamos a nos fitar e a aproximarmos nossos rostos mais e mais perto um do outro até nossos lábios ficassem a milímetros de distância. Em um instante, eles se encontraram levemente, docemente... Nossas línguas começaram a dançarem entre elas. Aquele tinha sido um beijo nessecitado e desejado. Um beijo inesquecível...

Nos separamos por causa do vôo de Magrí e pela falta de ar. Ela começou a se despedir de Calu, Peggy e Chumbinho e, quando estava prestes a entrar na sala de embarque, a mesma chegou perto de mim e disse.

Magrí: Eu te amo! Eu sempre irei te amar até o dia que eu morrer!

E, novamente, ela me beija mais desejadamente. Magrí acena para todos e entra na sala de embarque...

▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬
P.O.V  Crânio

Eu estava subindo as escadas para a sala de embarque, quando vejo Magrí beijando Miguel. Aquilo fez o meu coração se despedaçar em mil pedaços.

Eu sou um idiota! Era para ela ter me beijado! Não Miguel! Era para ela ter sido minha, tudo por causa da burrada em que tinha feito!

Desci as escadas com meu rosto sendo molhado por minhas lágrimas. Eu nunca tinha feito algo tão ruim...

▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬
P.O.V  Magrí

Eu já estava assentada no avião e olhando para a janela apenas pensando no beijo em que tinha acabado de dar em Miguel. Em meu primeiro beijo...

Eu iria sentir muitas saudades! Principalmente, de meu lindo, bondoso, carinhoso Miguel...


Notas Finais


Gente, espero que tenham gostado (de preferência AMADUUUH!! 💖)
Bjs,
Até o próximo capitulo!! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...