História Novato Apaixonado, Veterano Chato. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Blackpink, Jensoo, Jikook, Kookmin, Taeseok, V-hope, Yoonmin
Visualizações 180
Palavras 5.692
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


♡ EU PROMETI E TÔ AQUI (▰˘◡˘▰) (Como eu amo dar uma de Rapper). ♡
ENCONTREM-ME NAS NOTAS FINAIS E UMA ÓTIMA LEITURA.

Vamos matar a saudade da Nana meus amô.
+ QUALQUER ERRINHO ORTOGRÁFICO PERDÃO PORQUE EU NÃO REVISEI AINDA +

Capítulo 9 - JiSoo Namora Jennie e a Confusão em 3 Pessoas.


Fanfic / Fanfiction Novato Apaixonado, Veterano Chato. - Capítulo 9 - JiSoo Namora Jennie e a Confusão em 3 Pessoas.

— Fala sério, ela é mesmo sua mãe? — Jennie me pergunta apontando pra porta, e logo depois tirando seus coturnos preto e se deitando na minha cama; me lembro sobre RoSé ter dito :

''Ah Jimin, você precisa vê-la usando roupas informais, só usa calça preta rasgada, meias arrastão, cruzes!''

Mas o estilo de Jennie fora do colégio sem aquele uniforme - que ela julga ser como tricô de vovó - era muito descolado e legal, como dizem os americanos, ''cool'', é...Acho que é assim, tisc, preciso treinar mais meu inglês que é realmente péssimo.

Eu estava sentado apoiado na cabeceira da cama e Jennie se deitou nas minhas pernas, precisamente coxas, se fosse qualquer outra pessoa eu realmente me sentiria incomodado, principalmente por considerar minhas coxas uma área perigosa, mas estranhamente...Com Jennie eu não sentia nada, nenhum incômodo, ela apenas deitou a cabeça ali e dobrou os joelhos, apoiando os pés no colchão. Até que analisando todo seu conjunto de estilo eu reparo nos seus pezinhos pequenos que tinham os dedos se movendo e usavam uma meia rosa adorável e...O QUE? Jennie e meias rosas? Seus pés usavam em suas meias muito rosa, fofas e nada a cara da Jennie, meias da Hello Kitty, espere, era mesmo Jennie com um par de meias da Hello Kitty por debaixo dessa calça jeans rasgada, essa blusa de manga longa preta e esses coturnos? Sim, era. Essa é mesmo a Jennie ou alguma irmã gêmea dela na versão mais - como diria Jennie - bomba de glitter? 

— Meias da Hello Kitty rosa, é mesmo a Jennie que parece ter saído de algum vale de góticos e fãs de Heavy Metal?. — Digo olhando pra Jennie que estava em meu colo e a mesma me encara confusa, logo depois fazendo uma expressão tranquila e parecendo entender minha brincadeira.

— Olhe aqui, isso fica só entre nós! Certo? Isso é um segredo mais secreto do que algum segredo que a INTERPOL ou a SIA escondam! — Jennie me diz apontando o dedo indicador e com a expressão mais ameaçadora o possível, mas o problema é que querendo ou não querendo ela era extremamente fofa então isso a fazia ficar mais engraçada ainda e sua personalidade aparentar ser totalmente o contrário da Jennie ''nuvem preta'' que ela queria mostrar ser. — Não ria seu desgraçado! 

— Mas porque? Qual o problema elas são fofinhas. — Aponto pras meias rosas que estampavam uma Hello Kitty com muitos morangos. Realmente, Jennie usar isso é como se eu usasse a meia de algum herói da MARVEL, uma traição ao movimento DC COMICS!  — Me diga então como elas foram parar no seu pé? Não vai me dizer que foi a Hello Kitty que te ameaçou com uma faca? — Acabo rindo imaginando a cena de uma Hello Kitty tamanho real com uma faca, isso me lembrava um vídeo engraçado e viral da uma pessoa fantasiada da Minnie dançando Hip-Hop, sério, ela fazia tudo, até Break, lembro como foi difícil deu esquecer da ''Minnie radical'', eu ás vezes estava no trem e me lembrava, começava a rir sozinho feito um idiota, era muito hilário.

— Antes de passar aqui eu fui na casa da RoSé, e eu sempre esqueço como o pirralho do irmão dela me odeia e sempre quando me vê bola algumas armadilhas pra mim, argh! Eu bobeei hoje. Aquela maldita criança de dez anos que eu não posso socar. — Jennie revira os olhos e volta a me contar a incrível história dela com as meias da Hello Kitty — Nisso ele fez um poça de meleca no chão da cozinha e eu meti o pé lá, o resultado foi meu pé todo melecado, limpei meu coturno com um pano e essas coisas pra sapatos mas minha meia ficou toda suja, e conhecendo a melhor amiga que tenho sabia que quando pedisse alguma meia viria bomba, e veio exatamente isto — Ela aponta pro seus pés com as meias exageradamente rosas.

Não consigo me conter a acabo rindo ainda mais depois dessa história, é tão engraçado vê-la tão brava por uma coisa boba, esse era o temperamento Jennie de ser, se pudesse, acho que ela criaria alguma campanha e assinatura pra proibição da cor rosa no planeta. 

— Jennie, fala sério, é só a Hello Kitty. — Me ajeito melhor entre meus travesseiros.

— Não é só a Hello Kitty, é a diabólica Kitty se você quer saber, enquanto eu vestia essas meias eu fiquei com medo desse olho dela, ela parecia me encarar — Sério, fui praticamente obrigado a quase me engasgar com minha própria saliva — Eu tô falando sério! Já ouviu a história sobre essa bonequinha? Puff...Podia ser a PUCCA. — Isso eu concordava, a PUCCA era um patamar muito mais alto...Espere, estamos mesmo conversando sobre meias e desenhos fofinhos? 

— O irmão dela vive te perseguindo assim? Ele tem dez anos, não é? Crianças são assim. — Quando perguntei isso senti o olhar de Jennie quase explodir de raiva e inconformação, não de mim, mas sim do irmão de RoSé, irmão que nem conheço mas já considero uma figura por fazer Jennie usar meias rosas.

— É claro que sim! Tudo isso desde o dia que eu neguei uma barra de chocolate pra ele, aquela pestinha, ele sim é a versão coreana do Denis o Pimentinha, só que mil vezes mais chato, argh. — Jennie se levanta das minhas coxas e estala o pescoço.

— Jennie! — Exclamo a repreendendo.

— O que foi? 

— Não se nega chocolate pra criança! — Negar chocolate pra uma criança pra mim deveria ser considerado um crime! Tudo bem, eu sou realmente muito meloso e bobo com crianças. — Quem consegue negar algo pra um ser pequeninho de olhos brilhantes? — Fofamente falo.

— Eu consigo.

— Que horror Jennie.

— Que horror foi o preço daquela barra de chocolate, isso sim! Ele achava que eu era o Willy Wonka pra sair dando chocolate? Ele que comprasse. — Outra coisa que devo adicionar na lista - enorme - de coisas que ela odeia. Rosa, JungKook, Biologia e crianças.

— Jennie ele é uma criança! — Finjo estar abismado com o coração de gelo da garota que usava um par de meias da Hello Kitty.

— Jimin eu sou chocólatra! — Jennie me encara e por fim eu também a encaro e assim, sem sabermos exatamente o porquê começamos a rir, eu precisava tirar depois alguma foto dela usando isso, seria bom usar como chantagem, amigos, amigos, Jennie usando meias rosas a parte.

— Certo, parando de falar sobre essas malditas meias rosas, aquela mulher é realmente sua mãe? — Jennie me pergunta de novo, ela parecia realmente duvidar da maternidade da senhora ChungHee.

— É claro que sim. — A respondo rindo de sua expressão um tanto que engraçada, do tipo ''Não mesmo, pare de mentir'' mas eu não tinha culpa de minha mãe ter um ar tão jovial e liberal, mas é claro que eu adorava, alias, amava. Era mais fácil de conversar com ela sobre assuntos delicados, dela me ''entender'' e de nos darmos bem. 

A verdade é que eu e minha mãe sempre tivemos uma relação muito aberta e liberal, isso era incrível, ás vezes isso fazia acharem que éramos irmãos ou primos mas não mãe  e filho, ela era como minha melhor amiga adolescente mas em outras horas era minha velha mãe que me repreendia e dava broncas

— Fala sério, ela não pode ser sua Omma! Se eu falasse assim com a minha ela provavelmente ia me dar um tapa na cara pra que ficasse carimbada sua mão na minha cara. — Olho arqueando uma sobrancelha pra Jennie — É um tanto que um saco essa coisa, queria realmente poder ser mais aberta com minha mãe, digo, eu vejo nela a pessoa que eu deveria conversar e desabafar, não é assim que mães são? — Jennie me pergunta, sua expressão era meio que frustada...Seu humor mudou tão de repente

— Sim é assim que mães são, digo, as que eu conheço são exatamente assim — Falo confiante pra Jennie, afinal, na adolescência esse é um dos principais papéis das mães, com garotas principalmente. 

Minha mãe tinha um círculo de amizade exatamente o perfil dela, então digamos que suas amigas - a maioria era solteira mas uma parte já era mãe, e grande parte divorciada - eram muito ela, quer dizer, elas eram iguais, pensavam iguais e por isso conheci apenas mães como a minha, elas saíam juntas pra festas e coisas assim, me lembro de uma chamada EunJi, ela tinha trinta anos, sempre quando buscava minha mãe pra saírem juntas ela brincava dizendo - quando eu tinha 17 anos - que quando eu me tornasse adulto ela iria comemorar por poder ''me pegar'' sem ter problemas com a justiça e que ela é quem me daria o famoso ''beijo'' da cerimônia tradicional de quando se torna adulto na Coréia Do Sul , claro era tudo brincadeira, ela era como uma madrinha pra mim. Alias, amanhã mesmo ela viria nos visitar, faz um ano que não a vemos, ela viajou para o Canadá a viajem de trabalho porque era arquiteta, uma mulher independente, como eu disse, totalmente igual minha mãe.

— É...Mães, as outras mães. — Jennie diz de maneira tristonha e desviando o olhar. Se tem algo que nunca pensei que presenciaria tão rápido era uma Jennie tristonha, era visível sua tristeza carregada nas palavras e olhar...Será que ela e sua mãe não se dão bem?

— Jen...Jennie, o que houve? — Me aproximo dela com cuidado por conta do meu pé, na real? Ele nem doía tanto, não precisava desses dias todos de repouso, fora que ia me afundar. Deposito uma mão no ombro esquerdo dela e acaricio ali. 

Jennie suspira profundamente, isso foi estranho e repentino, digo, sua mudança de humor

— Nada Jimin, nada. — Ela sacode a cabeça e depois para me encarando sorridente — Como você não me ofereceu nada pra comer ainda? —  Jennie coloca a mão no peito e finge estar chorando.

—  Ás vezes esqueço como você é tão folgada. —  Falo a empurrando pelos ombros —  Se você me ajudar a levantar eu posso ir ver alguma coisa lá na cozinha. 

—  Você tá com um pé torcido e não aleijado. —  Olho pra Jennie fingindo estar ofendido, seu coração é mesmo de gelo, eu tentando convence-la e me ajudar até a porta era o mesmo que tentar amolecer uma pedra de gelo com um fósforo —  Ai, que saco, tá, tá. Tenta segurar no meu pescoço aí seu bebê de porcelana.

Depois de muito esforço com muito cuidado pro meu pé não dar uma dessas e começar a infernalmente doer eu consigo sair da cama, andar não era difícil já que era apenas um pé inchado, Jennie pareceu um pouco preocupada quando eu quase dei uma cambaleada pra esquerda mas logo consegui equilíbrio, vai ver era esses dias andando pouco, argh, que droga, não consigo ser o tipo de pessoa que vive em casa e enfornado o dia inteiro, se não fosse minha mãe saindo e chegando mais cedo do emprego eu teria dado umas escapadas, sei lá, pra conhecer o bairro, alguma praça aqui perto, eu parecia um morcego e minha casa era a caverna, e o pior é que esses dias foram assim, eu fazendo vários e milhares de nada aqui em casa, pra ser sincero preferia estar no colégio rindo com Jennie e RoSé, aturando as duas últimas aulas de Matemática, suportando a verruga da professora de Biologia ou então com JungKook...JungKook, tá aí algo que eu de forma muito esquisita eu lembrei esses dias

Nós havíamos nos conhecido só a dois dias mas já havíamos sentindo uma relação e atmosfera legal crescer entre nós, pelo menos eu eu senti isso. 

No dia em que eu voltei do colégio ele me deu seu número de um aplicativo de conversa, eu não sou um alguém chegado em redes sociais, o mínimo que eu tenho é um Instagram e nem tem fotos minhas apenas de paisagens, flores e de prédios da cidade, eu sou aquele alguém muito apaixonado por detalhes e visões; ele me disse que era pra conversarmos - odeio quando ele subestima minha inteligência, sério, ele pensa que sou algum extraterrestre? - e que seria legal porque ele me colocaria em um grupo de Chat do colégio, segundo ele era ''o Chat de um clube secreto do colégio em que só estavam ele e mais outros três amigos'', não entendi o porquê dele querer me por lá já que eu era novato e esse clube era tão secreto assim mas apenas aceitei, afinal, eu precisava me enturmar mais mas de qualquer forma eu já me sentia satisfeito só com Jennie e RoSé. Me lembro que pensei que seria um Chat de garotos idiotas que só sabiam fazer lista das garotas que já ''pegaram'' ou sobre bundas e peitos ou quem tem o pênis maior, mas era totalmente o contrário, posso dizer que isso foi uma das minhas únicas salvações nesses dias enfornado em casa.

22/03/17

(Vinte dois de Março de dois mil e dezessete)

— Jimin qual é? Você vai gostar do YoonGi, do SeokJin e do Joonie! — Ouço a voz birrenta de JungKook do outro lado da linha, enquanto eu apoiava o celular entre meu ombro e minha bochecha. 

— Não e não JungKook — Falo mastigando meu sanduíche de pasta de amendoim, se minha soubesse que eu tô comendo algo que tem uma puta quantidade de lactose ele me mataria, mas poxa, pasta de amendoim era tão boa. — Primeiro, não sei como puxar assunto, segundo, eles vão me tratar feito um estranho, depois, vou ter que aturar piadas internas sem entender nada e por fim não tô afim de ver a galeria do meu celular lotada de fotos de peitos.

Ouço a risada de JungKook alta do outro da linha, ele gargalhava alto demais, eu realmente sou um palhaço pra ele porque esse imbecil ri de tudo que eu faço.

— Jimin, não somos adolescentes de quinze anos descobrindo o mundo feminino, a gente conversa sobre muitas coisas bacanas, você que tá criando um esterótipo bem errado sobre os homens, sabia? — Reviro os olhos e agora seguro o celular com minha mãe direito e com a esquerda o sanduíche.

—  JungKook eu realm — Ele me interrompe, como de costume.

— Vou te adicionar e pronto. — Suspiro e reviro os olhos, daqui a pouco meu globo ocular ficaria branco deu tanto revirar — Faz assim...Se você não gostar ou se sentir excluído você só sai e pronto, isso não quer dizer que eu vou te deixar alguém te excluir ou tirar com a sua cara lá, ah Jimin pelo amor, você nem conhece eles, precisa criar amizades.

— Eu já tenho a Jennie, a RoSé e você, pra mim tá ótimo. — Falo dando de ombros e voltando a mastigar meu sanduíche.

— E-eu? — Ouço ele sussurrar 

— Quê? 

— N-nada, nada...Chega, vou te colocar lá e pronto, até mais. — JungKook desliga na minha cara e eu franzo as sobrancelhas achando estranho.

Sinceramente, só falta o JungKook querer que eu ande com sua ''turminha da pesada'', ele que pense que eu trocaria as meninas por seus amigos idiotas, ah, tudo bem que eu não os conheço mesmo mas fala sério, qualquer um se sente desconfortável num lugar onde todos se conhecessem menos você.

Coloco meu celular sobre a bancada e rapidamente começo a comer meu sanduíche, minha mãe estava chegando cedo demais esses dias e se me visse comendo pasta de amendoim ela faria questão de torcer meu outro pé, logo meu celular começa a vibrar várias e várias vezes, já sabia o porquê. Inicialmente eu ignorei mas logo aquilo já estava me enchendo o saco e não me deixando comer em paz meu precioso sanduíche, qual é? Eles não calam a boca não?

— Argh, que merda! — Falo nervoso e impaciente, desbloqueio meu celular e logo as milhares de mensagens do Chat começam a aparecer e serem atualizadas, céus, espero que isso não consuma minha bateria e memória do celular.

Decido ler algumas mensagens e já saber se ali era um Chat que eu considero de garotos idiotas ou um Chat que eu poderia ficar : 

 

[ AQUI O DIRETOR NÃO ENTRA - CHAT ] 

50 Mensagens não lidas.

 

JÁ PEGUEI A MÃE DO JK : Mas cadê o novato?

 

NARIZ DE TODOS NÓS : Se vocês ficarem esperando tanto por ele como parecem esperar que Jesus volte ele não vai aparecer -_- 

 

GASPARZINHO : Então você tinha o número dele JungKook, seu mentiroso desgraçado.

 

NARIZ DE TODOS NÓS : Tinha e daí.

 

JÁ PEGUEI A MÃE DO JK : Então quer dizer que o YoonGi já tava secando o novato? Não tô nem surpreso com esse pinto louco.

 

NARIZ DE TODOS NÓS : Ele não tava secando ninguém, para de falar isso seu retardado, Jimin se você tiver lendo isso é brincadeira.

 

JÁ PEGUEI A MÃE DO JK: Não é brincadeira não.

 

NARIZ DE TODOS NÓS : NamJoon que porra de apelido é esse o seu seu filho da puta? Tira isso agora.

 

JÁ PEGUEI A MÃE DO  JK : Não

 

OLA OLA, SEOKJIN CHUPA ROLA : Tá, agora quem foi o idiota que colocou essa porra de apelido em mim?

 

GASPARZINHO : ㅋㅋㅋㅋㅋㅋ EU QUASE ME ENGASGUEI COM MEU SUCO DE UVA AQUI COM ESSE APELIDO DO JIN

 

NARIZ DE TODOS NÓS : Sério YoonGi? Achei que você se engasgava só com rola.

 

JÁ PEGUEI A MÃE DO JK : EU NÃO POSSO RIR ALTO EU TÔ NO MEU EMPREGO SEUS MISERÁVEIS

 

GASPARZINHO : Problema seu meu filho.

 

NARIZ DE TODOS NÓS : Jimin, aparece logo.

 

OLA OLA, SEOKJIN CHUPA ROLA : Ele acha que vamos matar ele ou que vamos sequestrar ele?

 

GASPARZINHO : Jimin, não te conheço mas aparece aí, somos legais, só ignora o NamJoon, é tipo, garotos legais e NamJoon.

 

JÁ PEGUEI A MÃE DO JK : Calem a boca seus imbecis, Jimin, não vamos te bater ou então ficar enviando fotos de peitinhos, aparece logo cara.

 

OLA OLA, SEOKJIN CHUPA ROLA : Dá pra alguém mudar meu apelido nesse caralho? 

 

NOVATO : Oi Jin, acho que eu posso mudar seu apelido.

 

(...)

E foi assim que eu finalmente enviei uma mensagem pra aquele Group-Chat e comecei a interagir, nesses dois dias eu quase ia dormir as duas da manhã conversando com eles, era realmente muito divertido, eles nunca se cansavam, era assim, começávamos com um assunto e ia pra outro que chegava em outro e terminava em um totalmente diferente, fora que eles enviavam fotos do que estavam fazendo naquele exato momento e eu sempre acabava tendo ataques de risos com as de JungKook e do Jin, fiquei meio tímido pra enviar alguma foto minha, não que eu me sentisse alguém nada bonito mas não fazia isso com frequência, quero dizer, enviar fotos minhas com a cara inchada como se tivesse acabo de levar uma surra de algum lutar de MMA, YoonGi me entupia de elogios o que gerou entre nós o novo apelido do YoonGi no Chat : JIMIN, O YOONGI QUE TE DAR. Eu no começo realmente não entendi mas logo depois eles falaram de forma bem aérea, simplista e comum que o YoonGi era bissexual, eu entrava na história porque o SeokJin disse que era uma piada interna que eu era a ''quedinha'' do YoonGi, eu realmente não ligava sobre ele ser bissexual ou eu ser seu ''Senpai'', na real fiquei até lisonjeado por saber isso, não sou alguém que ficaria incomodado por ser a ''quedinha'' de um garoto, não ligo realmente pra essa limitação de ''garotas gostam de garotos e garotos de garotas'' mas é que a imagem de YoonGi no colégio era totalmente diferente do YoonGi no Chat, pareciam serem outras pessoas. JungKook acabou me dizendo que YoonGi só me achava bonitinho, só isso mas eu achei tudo muito engraçado, eles só me faziam rir, odiava tanto admitir mas JungKook tinha razão, eles eram bacanas e me enturmaram bem, mas nem morto eu admitiria isso pra ele.

— Ei, seu idiota! — Sinto um tapa na minha testa, a famosa mania maldita de Jennie de estapear a testa dos outros — Tá ouvindo o que eu tô te falando? 

Pisco os olhos e chacoalho a cabeça, sempre quando me lembro de alguma coisa acabo me esquecendo do presente. Olho pra Jennie que devorava a bisteca que minha mãe havia fritado, ela era realmente do tipo ''nem aí pra etiqueta'' porque sua boca estava toda suja e ela mordia a carne ás vezes com a mão, acabei por rir do jeitinho Jennie dela de ser.

— Fala, eu tava viajando aqui. — Apoio as mãos na bancada da cozinha e apreciando a cena de Jennie com as costas de sua mão esquerda limpar a área de sua boca toda suja e logo depois rir feito uma criancinha. 

— Jimin, s-sabe quando v-você se sente como uma panela de pressão? — Que? Mas que papo esquisito é esse? Jennie me olha aflita e articulando suas mãos, e claro, aflita. Estranho esse seu papo, do nada assim ela fala algo meio que nada a ver.

Mas...Pensando bem, sim, com certeza sabia como era se sentir uma panela de pressão, era frustante e agonizante, você quer explodir mas sabe que isso pode machucar quem estiver perto e isso é aterrorizante...Espere! O que Jennie tá querendo dizer com isso?

— E-eu acho que sei. — Digo e Jennie revira os olhos e bebe em um gole só todo o copo do suco de laranja e depois coloca novamente o copo já vazio na bancada. 


— Park Idiota Jimin, ''acho'' não é ''sim'', dér. — Ela dá socos leves em sua testa. — Vamos, você sabe ou não? — Ela me olha arqueando as sobrancelhas.

Olho pra ela, a vendo esperar minha resposta e digo que sim.

— Sim, vai, eu sei como é...O que tem? — Jennie abre um sorriso, aquele seu sorriso que mostrava seus dentinhos pequenos como os de criancinhas de oito anos, ela sai da cadeira conjunto do balcão e faz um sinal pra que a seguisse até a sala.

Mancando com um pé porém muito guerreiro eu a sigo, segundo Jennie eu tava fazendo drama. Jennie espera eu me sentar no sofá e assim faço, ela se senta no tapete e cruza as pernas como ''borboleta'' ou ''perna de índio'' e continua articulando as mãos em sinal de nervosismo.

— S-se eu...É, que assim. — Jennie para de falar e fecha os olhos os apertando, logo depois os abrindo. — Pense em uma colher, certo? Se tá pensando? — Confirmo com a cabeça, lá vinha a Jennie totalmente maluca — Agora pense nela...Nela n-namorando um garfo mas não sentindo nada, digo, nada mesmo, atração afetiva ou sexual. — Jennie para e me olha, eu realmente estava disposto a ouvir — Certo...Hãn, e daí ela vê uma colher e...

— Mas Jennie como uma colher sentiria atração sexual por um garfo? — A pergunto extremamente confuso com esse seu exemplo.

— Argh, cala a boca e só imagina...Voltando, daí essa colher vê outra colher, que é totalmente o contrário de si mas é uma colher e...

— Sente tudo o que não sentia com o garfo. — A completo cruzando os braços e sorrindo com sua carinha surpresa. — Era isso? — Pergunto pra ela e me segurando pra não rir. 

— S-sim, espera, como?...N-não q-quer, espere...Quer dizer, Jimin por acaso você leu meu diário? — Jennie fecha um punho em sua mão e ameaça me bater, acabo rindo ainda mais.

— Jennie eu sequer sabia que você tinha um diário, logo você que parece não ligar pra essas coisas tão...Tão RoSé. — E dessa vez Jennie me acompanha na risada. — Me fala, você é...Q-quer dizer, não, err...

— Sim. — Ela diz apenas isso, série, arqueando as duas sobrancelhas e espera por minha reação. 

Eu realmente não estava surpreso, afinal, não havia motivos para estar surpreso com a sexualidade dela, qual é, eu vou ficar ''Oh meu Deus'' por ela gostar de garotas? Sério, não iria agir assim. Na verdade eu estava esquisitamente feliz por ela falar isso pra mim, como ela disse nossa amizade não podia começar com mentiras.

— Ê? — A pergunto de forma banal e dando de ombros, acho que Jennie esperasse que eu ficasse em estado de choque ou coisas que algum ser de mente muito fechada e atrasada faria.

— Você não liga em andar com uma...U-uma pessoa que nem eu? — Ela aponta pra si mesma e me pergunta surpresa, com os olhos quase que arregalados.

— Uma pessoa como Jennie? Não entendo o que você tá querendo insinuar, você é descendente de alienígenas? — Jennie ri, logo se levanta e se senta ao meu lado, depois  dá um tapinha em meu ombro.  — Jennie, você viveu quase sua vida toda fora e num país diferente, eu não esperava que você fosse agir assim com si própria e...P-por mais que não tenhamos tempo que as pessoas consideram o suficiente pra se chamar de ''amizade'' eu realmente não ligo e chamo de amizade, sem dúvidas...É, amizade — Falo sorrindo bobo — Eu realmente sou seu amigo ou então como você disse ''o terceiro elemento'', e estou aqui pra ser isso. Você não achou que eu iria te expulsar da minha casa por você ser lésbica, não achou? Me diga que não senhorita Jennie, eu vou ficar muito ofendido! 

Jennie sorri tristonha, mas dessa vez não de tristeza. Percebo seus olhos lacrimejarem e ela fungar, sem eu esperar por isso, Jennie me abraça e eu apenas a retribuo. Ficou um pouco difícil a posição. Acaricio seus cabelos e ouço seus fungares mais altos.

— Por você tá chorando senhora com meias da Hello Kitty ? — Jennie desfaz o abraço e assim tenho a visão de sua carinha vermelha e molhada por suas lágrimas, com minhas mãos as limpo e vejo Jennie sorrir aberto.

— Você sabe que foi a segunda pessoa pra quem eu contei isso, senhor ruivo falso? — Ela diz limpando suas lágrimas com suas mãos e eu nego com a cabeça sorrindo. 

Isso me fazia de certa forma sentir-me mais próximo dela e sentir que realmente o destino olhou pra mim e Jennie e disse ''vocês serão a metade um do outro'', porque um assunto como esse não se saí contado pra um carinha que você conheceu a dias, fora que eu consigo me sentir totalmente uma pessoa confiável pra Jennie, ela era o mesmo pra mim.

— E-eu queria tanto poder falar com minha mãe sobre isso, entende? Eu vejo a relação tão saudável da RoSé com a mãe dela, elas conversando como mãe e filha, saindo juntas ou agora como você e sua mãe mas eu olho pra mim e minha mãe...Vivemos tão perto mas somos tão distantes, ela é tão fria, e-ela parece saber mas querer fingir que não, eu já tentei tanto Jimin, tanto, mas ela diz que precisa sair ou que estava sem tempo, eu sinto que a qualquer hora explodirei, eu sinto tanta inveja de você e da RoSé. — Olho triste pra Jennie, eu podia sentir a tristeza e solidão materna, isso me fez pensar como eu realmente deveria ser mais sincero e aberto com minha mãe.

— Jennie, e-eu sinto muito, sinto por você se sentir tão pressionada a esconder sua verdade de alguém que você ama tanto, por você...V-você, puft, eu sou péssimo em conselhos mas ótimo em ouvir e entender...E-eu me sinto tão bem e feliz por ver que você confiou tanto em mim pra me dizer isso, me sinto especial e eu espero que sua mãe um dia possa se sentir assim, porque isso é a coisa mais normal do mundo, me diga, qual o erro em amar alguém que simplesmente nasceu com a sexualidade como a sua? Isso é tão idiota, tão...Tão retrasado e idiota, mil vezes idiota, por favor e-eu realmente não quero te ver chorando por isso de novo, existem muitas coisas que me incomodam e eu descobri hoje que uma Jennie chorando é uma delas. — Sorridente falo pra Jennie, olhando em seus olhinhos brilhando agora.

— Tudo bem, eu realmente não gosto de chorar na frente de alguém, se considere muito especial e sortudo por ter visto isso. — Ela se levanta de minhas coxas e limpa seu rosto, logo depois o balançando e parando depois. — E-então, você vai continuar a agir comigo normalmente, sem me tratar feito uma, u-uma estranha?

Olho indignado pra Jennie, depois de tudo o que falei ela ainda me pergunta uma besteira como essa? 

— Eu ficaria menos ofendido se você me xingasse do que me dizer isso garota! — Afago seus cabelos e a vejo rir — Jennie, vou ter que dizer em quantos idiomas que eu não ligo pra isso, você gostar de garotas não muda nada em relação de mim pra você, nadinha, certo? — Ela afirma com a cabeça. — Lembra do que você disse uma vez? Nossa amizade não pode começar com mentiras!

—  Sem mentiras. — Ela repete e concorda com a cabeça.

—  Vem cá senhora encrenca. —  A puxo pra um abraço apertado, aquele que eu sabia que era exatamente o qual ela precisava.

—  J-Jimin... —  Jennie se separa lentamente de mim e me chama, ela mordia os lábios em sinal de apreensão. —  Eu prometi que nossa amizade começaria sem mentiras então...Então não posso esconder isso de você. —  Ela parecia conversar internamente consigo mesma.

—  Certo, o que mais precisa me dizer? —  Espero calmamente que ela respondesse, tudo em seu momento.

—  S-Sabe, a...A líder do time de torcidas? —  Não me lembro...Agora não consigo me lemb...Ah! Sim, sim, JiSoo! Concordo que ''sim'' com a cabeça. —  E-então é que...Err, s-sabe, eu e ela, ela e eu... nós duas, hãn —  Jennie estava se enrolando pra falar —  A gente, na verdade somos, s-somos...namoradas. —  Novamente eu via Jennie apreensiva esperando minha reação.

Certo...Quer dizer que Jennie e JiSoo namoram? Espere, realmente, eu não estou tão chocado com o fato do namoro delas e sim como elas se aguentam porque são totalmente o oposto uma da outra...É muita informação vinda de uma Jennie só, imagine se um dia a RoSé dá uma dessas. JiSoo, aquela garota toda delicada, bobinha, líder de torcida e Jennie? Céus, imagina como minha metade deveria ser então! Se ele for fã da MARVEL eu preferia ficar sem par. 

—  JiSoo? A líder de torcida que faz todos os garotos do colégio se rastejarem por ela? — Faço uma pergunta retórica.

—  E que eles se rastejem porque nunca vão conseguir nada dela, aqueles tarados. —  Jennie balança os ombros pra cima e pra baixo, não estou presenciando uma cena de tique-ciumes de Jennie! Estou? —  Eu sei que aqueles bando de cagões só faltam fazer o pinto cair de tanto se masturbarem pensando na minha namorada, argh, isso é frustante Jimin! Você poderia soca-los pra mim, não é? 

—  J-Jennie, uou, calma aí, você por acaso afirma isso? —  Jennie revira os olhos e suspira.

—  Não, mas isso não muda o fato dela ser comida viva o dia inteiro, mas...Como eu disse, eu não ligo, no fim, ela é minha e eu dela. 

—  Jennie você é muito possessa sabia? —  A empurro pelo o ombro e afago seus cabelos.

—  Não, eu não sou isso aí, e também não é você que namora a líder de torcida do colégio. —  Tudo bem, preciso concordar como deve ser difícil.

— Mas cara...Por essa eu posso dizer que não esperava mesmo, a JiSoo? Isso é tão, tão...Realmente, os opostos se atraem, nunca mais duvido desse ditado. —  Jennie ri abobalhada e concorda com a cabeça. —  Bem...Não há mais nada que você tenha pra me falar? Porque olha, só nesses últimos minutos eu ouvi dois segredos mais secretos que a SIA e a INTERPOL escondem. 

(...)

Ótimo, faltava apenas um dia pra eu voltar pro colégio, ter minha vida social de novo, infelizmente copiar muita lição porém tudo estaria diferente. Eu criei mais amizades e estava realmente próximo de Jennie, é...Depois de quando ela me disse sobre sua sexualidade e namoro com JiSoo a nossa relação se tornou melhor ainda, digo, muito mais liberal, e RoSé não ficava fora disso.

Certo, acho que sentirem um pouco da falta de silêncio e calmaria, é curioso porque não gosto de ficar enfornado em casa mas amo o silêncio que ela me proporciona e...

 

PAAAAAAAN, PAAAAAAAAN, PAAAAAAAAN 

Ouço o barulho de uma buzina repetitivamente ser tocado em frente a minha casa, quem era o imbecil fazendo isso ás plenas cinco horas da tarde?

— Inferno, quem é o arrombado que... — Abro a porta de minha casa e me deparo com YoonGi, JungKook, Jin e NamJoon sorridentes e com as caras mais diabólicas possíveis dentro de um puta carrão. — O que significa isso?

— Significa que hoje viemos cabular aula apenas pra passarmos o dia andando e encrencando muito por aí com você — Diz NamJoon saindo de dentro do carro com sua aura tão tradicional de BadBoy dos anos noventa, jaqueta de couro, calça jeans clara e botas...Ah! E o óculos de lente amarela e armação preta, seu cabelo rosa era muito descolado,  eu não era mais o único da turma de cabelo colorido.

— O JungKook ganhou um apê novo do papaizinho e adivinhem? Vamos rodear a cidade toda antes de estrearmos lá. — Dizia SeokJin totalmente transparecendo animação, ele estava por de fora do teto aberto do carro, sinto que esses quatro vão me arranjar muitos problemas hoje.

JungKook vem até mim, sorridente - lindamente sorridente, digo, é...sorrindo - e segura minha mão direita.

— Desculpa não avisar que eles três são a confusão em pessoa.


Notas Finais


>>> EU TENHO TANTA COISA PRA CONVERSAR COM VOCÊS <<<<<
#1 : Mudei a capa da Fanfic que agora tem o tema (cor) principal azul e um JungKook malvado estampando (Alias, quando JungKook mostra as sobrancelhas eu fico com um puta tesão, ahn, então eu sou PÉSSIMA editora, essa capinha fuleirinha foi feita no BEFUNKY (PASMEM, SIM, EDITOR ONLINE, OLHA MEU NÍVEL) e eu espero desde O COMEÇO DO ANO minha amiguinha do coração entregar a capa (Provavelmente quando a história acabar ela me entrega). #2 : UEPA QUE FINALMENTE A JENJEN SE ABRIU PRO JIMIN!
Foi muito rápido? Sim
Mas era pra ser porque a amizade é real e eles são bff de coração? Sem dúvidas!
Próximo capítulo vai brotar JenSoo até do buraco negro que esconde o Debut solo da CL.
#3 : ADICIONEI YOONMIN NAS TAGS? SIMMMMM!!!!!
Acreditem que isso vai ser 100% importante pro decorrer da história (E já imaginem os tique-ciumes do JungKook), fora que YoonMin é muito precioso né galera.
#4 : MEU DEUS QUE SAUDADE DE TAGARELAR AQUI ヽ ('▽ `) ノ #5 : Eu fiz uma capa pro capítulo, não faço isso geralmente nessa história mas eu tava muito animada, vocês curtiram? A OPINIÃO DE VOCÊS SEMPRE EM PRIMEIRO!

O próximo capítulo sai em pouco tempo e obrigado pelos comentários maravilhosos no meu capítulo anterior, lembrem-se : ♡♡ NANA AMA TANTO VOCÊS ♡♡ E VOTEM NO BTS PRO SORIBADA ARMYZADA!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...