História Nove - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Robert Lewandowski
Personagens Robert Lewandowski
Tags Bastian Schweinsteiger, Bayern München, Bvb, Manuel Neuer, Thomas Muller
Exibições 45
Palavras 1.241
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Esporte, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Capítulo II.


Mais uma manhã nublada e fria em Dortmund. Que ótimo. Invés de aproveitar um domíngo qualquer na praça ou em parques terei que ficar dentro de casa. Maravilhoso! Ou não.

Começava a cair algumas gotinhas, quando decidi levantar. Fiz minha higiene e desci para comer algo. Ligo a TV em um canal qualquer e começo a mexer no notebook, até que algo me chama atenção.

O camisa nove na TV.

Ele falava sobre o jogo e a derrota, com uma cara de abatido e cansaço.

Percebia alguns pontos na sua face que me deixava mais apaixonada. Os olhos, agora estavam verdes como uma folha, a ponta do nariz devido ao frio, vermelho e claramente o cansaço do seu rosto. Olhava para os lados como se tivesse perdido algo ou até mesmo procurando alguém. Atrás dele alguns jogadores passam, alguns abatidos, outros com cara fechada. Alguns coprimentam o  camisa nove, com toques em seu ombro até mesmo um simples aceno com a cabeça.

Um homem de cabelos grisalhos, fala algo no ouvido do jogador, que se despede do repórter com una educação exemplar até. O mesmo, sai da câmeras coo um carro de f1, deixando o repórter completando algo não interessante sobre o jogo.

Desligo a TV e volto a olhar a tela do notebook que mostrava algo irrelevante sobre notícias locais. O camisa nove é a única coisa que está na minha mente agora.

Merda. Merda. Mil vezes merda!

Eu não poderia achar outra pessoa, ou outro "famoso" para apaixonar? Eu sabia que nunca iria mais vê-lo. Sabia que estava me sentindo uma fã de boyband ou algum cantor teen. Eu sei que estava sendo trouxa.

Bufo irritada e decido sair de casa mesmo no clima nada agradável porta a fora. Sedentarismo no inverno não.

Coloco um agasalho grosso e uma touca e saio. Ali perto havia uma parque pouco conhecido, onde casais namoravam ou mesmo só conversavam. Perto de um lago havia bancos vazios, alguns carrinhos de pipocas. Ali perto havia um parquinho, onde um grupinho de 5 crianças brincavam com seus carrinhos e bonecas.

Saio andando lentamente até que alguém esbarra em mim. Que caralhos! Será que o agasalho me deixou tão gorda assim?

- Me desculpe moça eu...Sophie? - o moço que esbarrou em mim disse. Espera.

- Matthew? Poxa que saudades!

Matthew foi um dos meus primeiros amigos aqui na Alemanha. Três meses depois que me mudei para cá, ele foi embora para Munique. eu claramente sentia falta de Matthew, mas não pude obriga-lo a ficar a desistir de seus sonhos.

Munique. Bayern. Camisa nove. MERDA CARALHO! Eu to novamente pensando no jogador.

- Saudades! Como está?

- Estou bem! Porque não está em Munique? Voltou para ficar?

O mesmo sorri. Com todas as certezas, o sorriso de Matthew era lindo. E com certeza combina perfeitamente com o seu tipo.

- Vim a trabalho - seu sorriso agora, vira um olhar cansado. Rio levemente - Ainda mora no mesmo lugar? Estou com uns familiares e amigos, gostaria de apresentar a você.

- Moro sim! Pode leva-los quando quiser.

- Ótimo. Me passa seu número?

Após passar meu número a Matthew, nos despedimos e decido voltar ao apartamento

Já tarde, decido ler algum livro qualquer. Meu cabeça latejava um pouco, devido ao excesso de força que fazia para não dormir encima do livro.

Olho e relógio e me espanto. Ainda são 20h da noite e com sono. Levanto até contra minha vontade para preparar algum café ou até mesmo comida para me deixar acordada. Olho para o pequeno termômetro ali preso a geladeira. 3 graus. 3 míseros graus. As vezes sentia saudade do calor brasileiro. Bem pouco mas sentia.

Devido ao início do inverno, as aulas agora, são a tarde. Dei graças a Deus por isso.

Olho para a janela ao meu lado e, mesmo com a escuridão, consigo ver o Signal Iduna Park. E novamente o camisa nove que defendia as cores bávaras vinha na minha cabeça. O jeito no qual ele tratou e pequena criança ou até mesmo a sua falha tentativa de uma bicicleta para empatar o jogo. O jeito envergonhado que ficava ao ouvir as vaias, ou até mesmo alguns aplausos vindo da torcida. Ah camisa nove!

Eu me sentia uma menina apaixonada.Talvez eu seja uma menina apaixonada. Ou talvez, só uma atração. Espero sinceramente que seja a segunda opção.

Meu celular toca várias vezes, me tirando do transe. Era Matthew.

- Alô, Sophie? - o loiro diz no outro lado da linha. Ao fundo conseguia ouvir algumas vozes que não me interessava.

- Oi, sou eu sim - mordo levemente o lábio inferior - Aconteceu alguma coisa?

Escuto um pequeno riso de sua parte acompanhado de algo se quebrando.

- Porra Robert, olha por onde anda! - Quem era Robert? Eu não sei - Desculpe Sophie, então, ta fazendo algo importante?

Penso. Penso muito até. Tenho um livro e uma TV passando algum filme qualquer. Bom acho que não.

- Até agora, nada importante - rio.

Escuto um suspiro do outro lado. E mais gritos.

- Ok. Quer vir aqui? Estamos sozinhos e entendidos e acho que a 3ª coisa que Robert quebra.

Novamente esse Robert. Com certeza, ele deve ser mais atrapalhado que eu.

- Vou sim, passa aqui em 20 min.

- Passo sim, até mais.

Desligo e vou procurar algo para vestir. Agora ferrou.

Decido colocar uma camisa de mangas longas com detalhes transparentes, uma calça jeans de lavagem clara rasgada e um vans preto. Deixo o cabelo solto e passo perfume.

Volto para sala e espero Matthew. Fico passando alguns canais, mas nada me interessava. Mais um motivos para o qual odiava domingos.

Escuto a campinha tocar e levanto pegando meu celular.

- Matthew! - abraço o loiro na minha frente - Cadê seus amigos?

- Ah estão lá em casa. Vamos?

Balanço a cabeça positivamente e tranco a porta.

No caminho ele me conta sobre sua nova vida em Munique. Agora, Matthew é um conhecido jornalista, atualmente trabalha no BILD. Conto sobre algumas coisas que aconteceram comigo.

- E os namorados hein? - sua risada e alta e maldosa me fazendo assustar.

- Ah tem nenhum. Não quero um namorado agora. - ou talvez eu queria- Só estudos.

O olhar de Matthew agora é malicioso e novamente a risada alta. Solto um leve sorriso e balanço a cabeça negativamente. Esse era o Matthew que conhecia

- Bom, chegamos.

Ainda era a mesma casa de meses atrás. Agora, logicamente, mais arrumada com pouca coisa diferente. Algumas plantas e flores eram vistas no jardim principal. Agora a casa parecia estar mais viva, deixando o clássico azul marinho de meses atrás para um vermelho vibrando com alguns detalhes rústicos.

Entramos na casa e nada de seus amigos ou familiares. O silêncio na casa era incomodador e já estava causando panes em meu cérebro. Risadas são escutadas a poucos metros da sala, acompanhado com uma palavrão, o barulho de vidro no chão é escutado. Desastrados. Andamos até a parte externa da casa, onde vejo 3 rapazes altos.

- Meninos! Essa e Sophie - dois dos três rapazes viram - Sophie, esses são Antonie e Julian, e o outro é Robert.

Ah então esse é o famoso Robert. O mesmo ainda está de costas a mim, parece pegar algo encima da bancada.

- Prazer em conhece-la - agora o mesmo se vira para mim - Sophie.

Ah não. Não. Era o camisa nove.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...