História November Rain - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cristiano Ronaldo, Francisco "Isco" Suárez, James Rodríguez, Marcelo Vieira, Sergio Ramos
Personagens James Rodríguez
Tags James Rodriguez
Visualizações 53
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amoraas!
Como vocês estão? Eu estou bem.
Me desculpem pela demora, pelo sumiço, pela falta de criatividade, pela falta de tempo e compromisso...
Boa leitura!! <3

Capítulo 8 - Espero que fique tudo bem.


Fanfic / Fanfiction November Rain - Capítulo 8 - Espero que fique tudo bem.

                                                                                                                                                 James Rodríguez 

Meu celular toca, interrompendo nossa conversa. 

- Senhor James? – a voz trêmula era de Ana, a empregada. 

- Pode falar, Ana. – franzi o cenho, preocupado. 

- Senhor James, aconteceu um acidente de carro com a senhora Daniela. – ela gagueja algumas vezes e penso imediatamente na minha filha. 

- A Salomé estava no carro? – me levanto andando de um lado para o outro. 

- Sim, estava. – começou a chorar e eu sinto um arrepio percorrer a minha espinha dorsal. 

- Ana, calma. – respiro fundo – Elas estão bem? – perguntei extremamente preocupado, Giselle segura o meu ombro. 

- Eu... Eu não sei... – soluçou – Ligaram em casa avisando agora pouco.  – completou. 

- Eu estou indo para Madrid, se acalme e assim que conseguir informações, me passe. – mandei, enquanto olhava para os meus pés. 

- Tudo bem, senhor. – ouço ela murmurar algo que não entendo, e encerrou a ligação. 

- O que aconteceu? – Giselle massageava meus ombros, demostrando preocupação. 

- É... – arfei preocupado – Daniela sofreu um acidente de carro e Salomé estava junto. – lágrimas escorrem por meu rosto. 

- O que? – gaguejou – Vamos embora daqui. – me puxou. 

Saímos da padaria e Giselle acena para um táxi, deu o endereço para o taxista e não disse nada durante o caminho até sua casa, apenas me abraçou fortemente. 

- Você tem que voltar para Madrid. – eu não a deixo pagar o táxi. 

- Eu... Eu não sei. – respirei fundo e me sento no sofá – E Mellina? – perguntei, meu tom de voz era baixo. 

- James, não se preocupe com a Mellina, eu cuido dela. – me abraçou – Agora pega o primeiro avião para Madrid! – exclamou me entregando um copo de água. 

- Tem certeza? – perguntei e dei um gole no meu copo. 

- Absoluta. – se sentou ao meu lado – Mas antes toma um banho, tenta se acalmar. – acariciou minhas costas com suas mãos suaves. 

Eu não falo nada, apenas me levanto e vou para o chuveiro, ficando lá por longos minutos. 

Será que elas estão bem? Espero que estejam, não vou aguentar perder minha princesinha. 

O que de fato aconteceu? Daniela é ótima no volante, isso não pode ser verdade. 

Foi proposital? Não, claro que não. 

Saio do chuveiro e visto uma roupa qualquer. Vou até a sala e vejo Giselle encolhida no sofá, olhando para o teto, ela estava tão concentrada em seus pensamentos que nem sequer notou a minha presença. 

O que ela deveria estar pensando?  

Como Mellina ficaria ao chegar de sua aula de Ballet e não encontrar o pai em casa, novamente? 

- James? – me chamou, eu a olho imediatamente – Vai dar tudo certo. – tentou me animar, eu concordo com a cabeça – Eu te deixo no aeroporto. – vestiu uma blusa. 

- Obrigado. – é a única coisa que sai da minha boca, era como se eu houvesse perdido a voz. 

Pego minha mala e ponho no porta malas, me sento no banco do passageiro e Giselle dirige até o aeroporto, me olhando quando chegamos no mesmo, eu a abraço. 

- Vai dar tudo certo. – diz novamente – Me avise quando chegar, e me diga como elas estão. – beijou minha bochecha. 

- Giselle... – eu tento dizer algo, mas não consigo. 

Em um movimento rápido ela encosta seus lábios nos meus, eu me surpreendo, mas correspondo, foi um beijo sincero e doce, me passando confiança a otimismo. Terminamos o beijo e eu continuo na mesma posição, a observando bem de pertinho, cada detalhe de seus olhos castanhos escuros tão misteriosos, nós estávamos próximos, sentia sua respiração quente na minha pele, tomo seus lábios novamente. Isso era tudo o que eu precisava. 

- Obrigado. - sussurro e ela apenas acena com a cabeça e olha para frente, me ignorando totalmente. 

Entro no aeroporto e compro a última passagem, que sairia daqui meia hora, me sento em uma das cadeiras e olho para o chão, pensando no que realmente aconteceu, primeiro eu tenho uma filha com Giselle, segundo eu a conheço, terceiro Salomé e Daniela sofrem um acidente de carro, quarto Giselle me beija. 

Minha mente estava uma bagunça, não sei se estou sonhando ou tendo um pesadelo, ou os dois misturados. 

Bato meus pés no chão enquanto tento ligar para Ana ou Daniela, me sinto mais nervoso ainda quando estou na décima ligação e nem uma das duas atende, cubro o rosto com as minhas mãos tentando me acalmar, ou até achar um solução para toda essa bagunça. Arfei desapontado ao não conseguir nem me acalmar, nem achar a bendita solução. 

Espero que Salomé esteja bem. Ela tem que estar bem. 

                                                                                                                                            Giselle Parker 

Após James entrar no aeroporto vou ao mercado fazer algumas compras, passo na escolinha de Mellina. 

- Mamãe! - diz assim que me vê na porta da sala – Tchau, prô. - se despede da professora, aceno com a cabeça para ela – Cadê o papai? - pergunta. 

- Calma. - pego ela no colo - Então, sua irmãzinha se machucou e o papai teve que ir ver o que aconteceu... - explico. 

- Mas... - seus olhos se encheram de lágrimas - Ele tinha prometido, mamãe. - me abraçou. 

- Ele vai voltar, meu amor. - beijo sua cabeça - É que ele precisou ir, mas ele vai voltar. - ponho ela no carro – Eu sei que vai. - sussurro para eu mesma – Mas o que você acha de assistir uns filmes com a mamãe? - tento animar ela, mas ela não tem nenhuma reação - Coitada da mamãe, minha filha nem liga para mim. - finjo choro. 

- Eu te amo, mãe. - me beijou e eu dou risada. 

Chegamos em casa e assistimos alguns desenhos, logo ela dorme, e então, consigo perceber o quão ela se parece com o pai, algumas sardas, os olhos, o sorriso... 

Mando mensagem para James, perguntando o estado de Salomé e Daniela, e sim, depois de todo esse tempo eu ainda tenho o número do celular dele, e por sorte ou azar, ainda é o mesmo. 

Escuto batidas na porta, me levanto e abro. 

- Oi mãe. - cumprimento ela com um abraço - Oi pai. - faço o mesmo com ele. 

- Cadê a minha netinha preferida? - minha mãe pergunta olhando pela sala. 

- Está dormindo. - respondo - E ela é a sua única neta! - dou risada. 

- E James? - meu pai cruza os braços, eu fecho o punho imaginando a discussão que está por vir. 

- Teve que voltar para Madrid. - respondo e minha mãe franzi o cenho – Ele conheceu Mellina, brincou com ela, deu um presente e até levou ela na escolinha de Ballet, e ia buscar também. - completo, tentando evitar uma discussão. 

- Já fugiu? - meu pai perguntou sarcástico - Fazer qualquer um faz, agora cuidar... - me encarou. 

- Para de julgar o James, você nem sabe o que aconteceu! - arfei. 

- Ah, então me diga o que aconteceu. - descruzou o braço - A mulher dele ligou e ele voltou que nem um cachorrinho, ou até mesmo outra amante! - gesticulou e aumentou o tom de voz. 

- Você vai acordar a Mellina. - respiro fundo – A Daniela e a Salomé sofreram um acidente de carro, ok? - sinto lágrimas nos meus olhos – E ele voltou para Madrid por causa disso, então, por que ao invés de ficar enchendo a merda do saco, o senhor não torce para a filha dele estar bem? Podia ser sua neta no lugar da Salomé!  - emendo tudo e o vejo abrir a boca para rebater algo, mas minha mãe segura sua mão. 

- Desculpe, filha. - minha mãe diz firme, olhando para meu pai - Já estamos indo. - puxa meu pai – Desculpe. - me abraçou - Vai ficar tudo bem. - eu concordo com a cabeça. 

Eles vão embora e eu me jogo no sofá, respiro fundo algumas vezes e vejo os olhos. 

Pego meu celular em busca de alguma notificação de James, me assusto quando não acho uma notificação sequer, ao invés disso, ele apenas visualizou minha mensagem, ligo para ele, chama várias vezes, mas ninguém atende. Bloqueio a tela do celular e o coloco em cima da mesinha de centro. 

Me deito com Mellina e durmo abraçada com a mesma. 

Espero que fique tudo bem. 


Notas Finais


NÃO ME ABANDONEM, OK?
Amo vocês, obrigada por continuarem lendo e me apoiando...
Até logo.
FAVORITEM! COMENTEM!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...